1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Dama na Água (Lady in the Water, 2006)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Menta Bolseiro, 15 Set 2006.

  1. Lukaz Drakon

    Lukaz Drakon Souls. I Eets Them.

    Eu acho que isso contem uma dose de ironia.

    A história pode até ser infantil, mas o filme não. Se for assim, a Disney podia fazer uma "Chapeuzinho Vermelho" com o climax sendo o lenhador abrindo o lobo e tirando a vovó de lá de dentro.
     
  2. Knolex

    Knolex Well-Known Member In Memoriam

    Seria um ótimo final.
     
  3. Jedi Solo

    Jedi Solo The Greatest Jedi

    Pessoalmente, adorei o filme. Adoro todos os filmes do Shyamalan, acho que ele tem ideal diferente de outros diretores, seus filmes fazem menos sentido, tem histórias mais bizarras, e quem assiste precisa pensar para entender a idéia geral do filme. A Dama na Água foi ótimo, Paul Giamatti arrasou, pessoalmente acho ele um ator ótimo.

    Eu vi nos E.U.A, com uns amigos meus. Foram esperando um filme de terror, e odiaram o filme. Também fiquei um pouco decepcionado com a falta de sustos do filme, esperava mais. Eu sei que não é esse o objetivo dos filmes deles, mas Sinais[/b] e A Vila[/b] foram ótimos neste sentido.

    Scrunt mega-bem feito, gostei do fato que conhecemos o inimigo desde cedo, e que vamos entendendo mais sobre ele com o passar do filme. Como adoro essas histórias sobre bichos fantásticos e etc, adorei os macacos também. Porém, não achei a aparência deles um erro, ou que Shyamalan deveria ter elaborado mais. A aparência rápida deles pra mim fez os macacos serem ainda mais misterosos, e eu gostei disso. Apareceram, mataram o scrunt, e sumiram de novo, e não sabemos nada deles no final. A nossa imaginação fornece a história deles.

    Se eu tenho alguma reclamação sobre a atuação, é que Shyamalan apareceu demais. Ele aparecendo só em algumas cenas dos filmes me lembrava muito Alfred Hitchcock, e era divertido sair procurando ele, como sua aparência em A Vila. Mas neste filme, ele é um personagem sério, importante para a história. Mesmo assim, ele não atuou mal.

    Fechando:

    Efeitos Especiais: 9
    Atuação: 9
    História: 10 :D
    Música: 7 (Não fez muita parte do filme, como em A Vila, onde os violinos ERAM o filme, em certas cenas)

    No total, um filme ótimo, como todos do Manoj Night Shyamalan.
     
  4. Sister Jack

    Sister Jack Usuário

    Como assim? Você não viu as cenas onde o Shyamalan basicamente esfrega na sua cara o ponto do filme*? Em outras palavras, você cochilou durante 90% da sessão?



    Gostei dessa forma revolucionária de colocar palavras em itálico e negrito simultaneamente e falhar.

    E a falta de imaginação do Manoj fornece a existência deles.

    Se você acha que ele não atuou mal (e eu discordo), o problema foi... ?

    Esse filme é divertido e semi-interessante (olhando de uma forma auteurista), mas extremamente tapado.


    *"Meu nome é História." E o meu nome é Duh.

    PS: Tem um ponto que um personagem simplesmente diz "Eu quero acreditar! Eu quero ser como uma criança de novo!". Não houve nenhum momento tão estúpido na carreira inteira do Shyamalan quanto esse, mesmo contando o final de Sinais.
     
    Última edição: 7 Jan 2007
  5. Jedi Solo

    Jedi Solo The Greatest Jedi

    Aparentemente você não LEU o que escrevi. Estava generalizando sobre todos os filmes de Shyamalan. Vendo Sinais e A Vila aqui no Brasil, e observando quem odiou e por que, cheguei na conclusão que várias pessoas decidem não gostar por que não entendem o filme. Sobre A Dama na Agua, ele 'esfrega na cara' a idéia do filme em várias cenas, sim. Nisso eu concordo com você. Mas em A Vila, não.

    :lol: Sinceramente não sei o que foi aquilo. Mesmo assim, não entendi por que você teve que reclamar do jeito que eu escrevo meus posts.

    E...? Pra mim isso funciona.

    Não foi um problema em si. É que eu gostava de ficar procurando ele nos filmes. Nesse filme ele apareceu logo de cara. Só isso.
     
  6. Sister Jack

    Sister Jack Usuário

    Que inclue A Dama na Água. Você não clarificou. E Sinais também é bem óbvio. Assim como ao que se refere a alegoria de A Vila. O Shyamalan nunca foi sutil; só não se entende um filme dele se você não está nem tentando fazer isso (e no caso de ADNM, até assim).

    Não "reclamando", só entretidamente apontando.

    Não é a primeira participação importante dele. Em Sinais ele dá outra atuação fraca como o veterinário bebum.

    No próximo filme dele, Simbolismos, ele vai interpretar o protagonista, um construtor de gaiolas que aos poucos vai percebendo porque o Facismo é ruim. Ele vai ter uma esposa cega que discorda dele, e uma filha com asma.
     
    Última edição: 7 Jan 2007
  7. Jedi Solo

    Jedi Solo The Greatest Jedi

    Então 70% das pessoas que tavam na sala do cinema comigo nem tentaram entender o filme. Só isso que eu quero falar. Dá a idéia que ninguém se importa em prestar atenção em filme mais.

    Ok.

    Ele não aparece nem 5 min. ¬¬

    Disso eu não sabia. Tenho que admitir, não parece ser muito interessante.
     
  8. Sister Jack

    Sister Jack Usuário

    Essa idéia está claramente correta.

    Mas ele era um personagem crucial para a trama, tão crucial quanto o Escritor Importante de ADNM, e estava presente em pelo menos umas 3 cenas.

    É porque foi uma piada. Se aquele indiano filho da puta realmente construísse uma alegoria tão ridiculamente tapada assim, eu (juro por deus) contrataria alguém pra assassinar ele.
     
  9. Jedi Solo

    Jedi Solo The Greatest Jedi

    Ele sendo importante ou não pro trama, é divertido procurar as cenas do filme onde o diretor aparece.

    Porra, graças a deus. E agora eu me sinto um retardado. /o/
     
  10. O que tem de estúpido no final de Sinais?
     
  11. Sister Jack

    Sister Jack Usuário

    SPOILERS

    Na verdade, o problema não é só o final (o final é só o que martela o problema). Todo o subtexto sobre o Padre Graham "perder a fé" é extremamente idiota (ele perde a fé porque perde a esposa dele? Que tipo de fé é essa que não aguenta lidar nem a morte de um amado? Ainda mais vinda de um pastor... :wall:). Ele é colocado de uma forma óbvia e deselegante (o Shyamalan basicamente explica o subtexto todo [como ele fez no prólogo em ADNM] durante aquela cena que o Graham e o irmão dele conversam em frente da TV; é tipo "bem, caso os idiotas não tenham pego a idéia ainda, vamos a um breve resumo"), e é abusado para espremer melodrama - i.e. todos os flashbacks mal escritos da esposa dele presa no carro lá.

    O final traz toda a merda à tona: o Shyamalan organiza um grupo de coincidências ridiculamente forçadas que provam a Graham que Deus está sim olhando por Graham e sua família. Se a idéia de que Deus planejou que a menina tivesse aquele complexo com copos d'água "velhos" simplesmente para eles convenientemente estarem lá* - espalhados pela casa, para ajudar a combater o ET** - não parece ridícula o suficiente, que tal o fato de que ele (Deus) usou o corpo da esposa falecida de Graham para dar dicas sobre como dar umas palmadas num ET usando um taco de baseball? Eu não acredito como isso não pareceu tão ridículo nas primeiras vezes que eu vi o filme.

    Na última, quando a mulher diz "Tell [irmão] to swing!", e o Mel Gibson fala pro Joaquin "Swing away" (soando como uma versão melancolica de um one-liner do Stallone), eu ri e fiquei constrangido simultaneamente. Se Deus não tivesse usado a esposa semi-morta/delirante de Graham como um "Livro de Conselhos Para Derrotar Extraterrestres", o Joaquin não teria tido a idéia de usar o taco para machucar o ET? Aliás, será que ele não teria tido uma idéia melhor, como uma faca, ou um machado? Ah, sim, já ia esquecendo da última coincidência: Deus deu asma ao filho de Graham (algo que vai afetar e fazer o menino sofrer pela sua vida toda) para impedir que o veneno do ET (e estes são ETs que convenientemente soltam veneno quando a trama pede) entre no seu pulmão. Deus realmente pensa em tudo.

    O subtexto todo é desajeitado, mal feito, deselegante, óbvio, meloso e falso. Sem falar que essa é, de longe, a raça de alienígenas mais estúpida do Universo; eu consigo [com esforço] aceitar os ETs pousando num planeta que é composto de 70% de uma substância mortal pra eles, mas eles saem das naves sem roupas protetoras, nem armas, nem nada? Eles nem imaginaram que os humanos iam logo logo descobrir sobre a água? Que idiotas. Mereceram perder, certamente.

    E eu digo tudo isso com o aviso de que eu adoro 70% de Sinais, o acho extremamente bem dirigido, cheio de cenas memoráveis. Se arrancassem o subtexto da "fé perdida e recuperada" e as implausibilidades estupidas do plano de invasão, o filme seria facilmente uma obra-prima pra mim.


    *Você pode escolher acreditar que, na verdade, Deus mandou os ETs para testarem a fé de Graham, mas isso seria mais ridículo/estúpido ainda. E todas as outras pessoas que morreram no mundo todo? Só pela fé de um pastorzinho frutinha de quinta categoria? Tsc.

    **E na verdade não ajudou porra nenhuma. Ao invés de alguém simplesmente pegar um balde ou uma mangueira e jogar nele, o Joaquin Phoenix ficou de brincando de "Espanque o ET" por uns 5 minutos.
     
    Última edição: 7 Jan 2007
  12. Como assim, subtexto? O fato do Padre ter perdido a fé é parte fundamental da trama. Não é uma coisa sutil, implícita, nem uma alegoria ou metáfora. É um drama do personagem que é abertamente apresentado ao público, por isso os personagens conversam abertamente sobre isso e por isso filme o "esfrega na cara". Você é quem está colocando isso como um "subtexto" e portanto reclamando da "obviedade".

    Para o personagem esses acontecimentos têm um significado. Mas você não precisa acreditar que essa é única interpretação, como se o filme fosse totalmente unidimensional e cristão. Ele não faz nenhuma forçação de barra, até porque eu nunca me senti impelido a pensar dessa forma. Eu sempre encarei essas "dicas" como meras coincidências, mas para o Graham não foram obras do acaso. Eu não acho isso uma coisa para lá de profunda e reflexiva, é apenas um draminha pessoal do protagonista. Eu nunca apreciei Sinais por causa de temas ou mensagens, é mais pelo suspense e, principalmente, pela atmosfera.

    O que você está se questionando nesse parágrafo ("por que Deus faria uma coisa dessas, etc") é exatamente o que milhões de pessoas no mundo inteiro se questionam todos os dias. Uma mãe que perde o filho, um tisunami que mata milhares, etc. Essas coisas fazem as pessoas questionar sua fé e a existência de Deus (como o Graham). Mas, elas têm alguma resposta? Claro que não, é justamente esse o ponto do filme - por que Deus mataria a mulher e daria asma ao menino e uma maluquice à garota só para fazer um homem matar um Et?, etc. Apontar isso como uma falha é descartar completamente a questão principal da cena. Que muita merda acontece na vida, mas há compensações; ou, se você preferir uma mensagem cristã, que "Deus escreve com linhas tortas".

    Eu não sei por que você considera isso um subtexto e, portanto, tem essa necessidade de que a coisa fosse toda implícita.

    Você realmente ficou pensando nisso? Sei lá, eles aguentavam água até certo ponto (umidade do ar), mas não abundantemente em forma líquida. Por que eles escolheram a Terra? Sei lá, talvez não houvesse outro planeta com oxigênio. O que isso interessa?? Eu apreciei a forma como seres alienígenas foram destruídos com um elemento tão simples como a água - como em Guerra dos Mundos, em que os ETs não resistem por causa das bactérias humanas, sei lá. Whatever. Fantasie. Desencana. Você está parecendo um crítico chato de 14 anos.

    Naquele momento eu não acredito que havia uma mangueira por perto, e mesmo se tivesse uma ali no quintal, provavelmente não seria uma boa idéia ir até lá com um alienígina assassino bem do seu lado. De qualquer forma, tem muitas coisas implusíveis nos filmes do Shyalaman. Só que ele dirige tão bem que a estética e a atmosfera das situações compensam "leves" inverossimilhanças
     
    Última edição: 11 Jan 2007
  13. Sister Jack

    Sister Jack Usuário

    De forma alguma. Você só pensou isso porque o Shyamalan deixou tal parte empurrada bem na sua cara. O filme é sobre uma família que se prepara para uma invasão alienígena. O fato do Graham perder a fé não influencia em nada nos acontecimentos do filme (pelo menos, não que eu me lembre).

    Mesmo que você ache que a questão da fé de Graham é parte do texto em si, ela simplesmente não devia ter sido. Não por ser estúpida - o que ela é, como eu já expliquei - mas porque é deselegante fazer isso; é sinal de preguiça do roteirista.

    Imagina se em A Noite dos Mortos-Vivos, os personagens interrompessem os eventos de 10 em 10 minutos para comentar sobre como os zumbis lembram os comunistas seguindo cegamente seu ditador? Como eles parecem hipnotizados e alienados? Tapado, não? Pois é.

    A mulher do Graham morreu. Ele largou sua profissão de Padre. Isso já informação o suficiente pra deixar implícito que ele "perdeu a fé". (na verdade, como eu já apontei, um padre que perde a fé porque a sua mulher morreu é imbecil) Não precisa de discursos, monólogos, bla bla bla, etc.

    :lol:

    Claro. O fato da mulher quase-morta semi-delirante falar para o Graham mandar o Joaquim "swing away", e de que o asma do menino interrompe o (ultra-conveniente) veneno dos aliens, e o fato de que eles podem "usar" a água que a menina misteriosamente deixa espalhada pela casa por ter "micróbios", isso tudo foi mera coincidência. Especialmente contando o fato de que tudo isso aconteceu exatamente ao mesmo tempo. Claro. Só faltou o próprio Jesus Cristo entrar na casa com outro taco de baseball e ajudar Joaquin a derrotar o alien.

    Na verdade, se ele quisesse ter tornado a "questão da fé" realmente um subtexto, ele deveria ter feito as coincidências (aliás, eliminando esse plural) mais ambivalentes, menos forçadas. Assim elas teriam funcionado tanto como elementos da narrativa e como talvez um "sinal de Deus" (os sinais foram sorte ou destino?, etc)

    Não que eu ache necessariamente ruim que o filme seja cristão. O problema é a forma que o Shyamalan mostra isso, com "coincidências" estúpidas e mal pensadas/estruturadas/esquematizadas. É vagabundice.

    É claro que não, já que isso é impossível.

    Você não entendeu. Eu não estou questionando por que Deus faria isso. Eu estou dizendo que isso foi feito de forma estúpida e preguiçosa.

    E segundo Shyamalan, o carro que atropelou o filho dela acabaria batendo no caminhão que terroristas do Al Qaeda estavam usando para transportar uma bomba atômica para NY, assim salvando a cidade.

    E segundo Shyamalan, o tsunami teria trazido à tona uma espécie de planta desconhecida que ajuda a descobrir a cura para leucemia. (aliás, essa não chega nem de longe a ser tão forçada quanto as coincidências de Sinais)

    Por que é isso o que o Shyamalan estava tentando, e o que qualquer escritor sensato teria feito. A questão "fé" de Graham não faz parte do drama principal (família vs. ETs), portanto funciona bem melhor como algo embaixo da superfície, que sutilmente aumenta a carga emocional do filme.

    Sim. Eu não consigo ignorar idiotices.

    Exatamente. Será que o Shyamalan não poderia ter se esforçado um pouco mais e tentado não criar a raça alienígena mais estúpida do Universo? Que sai tentando invadir o nosso mundo sem nenhuma proteção contra água, imaginando que nós nunca perceberiamos que água os afeta e que usariamos isso a nosso favor? Pelo amor de Deus.

    (O Shyamalan devia ter filmado a invasão durante o furacão Katrina, que acaba derrotando os aliens. Seria um "sinal" menos forçado, por mais incrível que pareça. Teria sido mais "poético", até...)

    Plausibilidade. E o fato de que o Shyamalan nem se deu o trabalho de pensar/consertar isso mostra o quanto ele é preguiçoso.

    Isso é mais plausível. Bactérias podem se transformar, e surgir através dos tempos. Os aliens prepararam a "invasão" bem antes dos humanos chegarem.

    Não. Ficção-Científica. E nem filmes bons de Fantasia costumam ser tão estúpidos assim; sempre há uma lógica interna. Sinto muito.

    Não entendi a lógica aqui. Reclamar que um filme tem elementos estúpidos é agir como um "crítico de 14 anos"? E ignorar eles é agir como um "crítico adulto"? Pra mim, seria justamente o contrário.

    No final, o bom acaba vencendo o ruim, sim. Mas o ruim não deixa de ser ruim. No caso do final de Sinais, muito ruim.
     
    Última edição: 13 Jan 2007
  14. Gil_Gaer

    Gil_Gaer A lost elf

    Eu achei o filme bem fraquinho.
    O roteiro é interessante, mas acho que os atores não conseguiram levar o filme de uma forma que me prendesse. Não consegui ver carisma em nenhum deles.

    Sei lá... Essa coisa do Night aparecer nos filmes... Parece que em cada filme que faz ele quer aparecer. Tudo bem se ele quisesse fazer uma aparição do tipo Stephen King em alguns filmes, mas virar quase um protagonista??? Já não é um tanto demais?:think:
     
  15. Sally

    Sally Un enfer de griffes et de croc

    Eu gostei do filme.
    Só nao gostei da estoria se passar nos dias atuais, sei lá eu acho que se a estoria se passasse lá naqueles tempos que nem tinha energia eletrica seria mais legal. Viajado eu sei, mas foi essa a impressao que eu tive.
     
  16. Kiwi

    Kiwi mi perna está jodida.

    Por quê? Tem diretores que fazem o papel principal de seus filmes e ninguém fala nada deles. Eu acho que o Shyamalan está bem bom no filme.
     
  17. Gil_Gaer

    Gil_Gaer A lost elf

    Depende se eles conseguem manter a qualidade do filme e da personagem dele, coisa que eu acho que o Night não conseguiu.
     
  18. Kiwi

    Kiwi mi perna está jodida.

    Por quê?
     
  19. Menta Bolseiro

    Menta Bolseiro Quando bebo, fico pior do que


    Exatamente. É uma história infantil para adultos. E gente, não ficou forçado demais, o filme não força de jeito nenhum, ele é todo e explicitamente voltado para esse lado do fantástico, só dá pra realmente avaliar o filme se você conseguir "captar" isso, e interpretá-lo dessa maneira.
     
  20. Till Hardbottle

    Till Hardbottle Visitante

    Já eu gostei muito disso, do filme ser passado nos tempos atuais, porque é raro se ver filmes assim, "contos de fadas" ambientados nos tempos modernos e que sejam bons.
    Eu adorei esse filme, na minha opinião é o melhor do Shyamalan, seguido pelo "Corpo Fechado" e depois pelo "A Vila".
     

Compartilhar