1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A Casta dos Metabarões (Jodorowsky/Gimenez)

Tópico em 'Quadrinhos' iniciado por Lucas_Deschain, 6 Mar 2010.

  1. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Finalmente no Brasil a tão esperada saga de ficção científica em quadrinhos que revela a linhagem dos guerreiros definitivos conhecidos como Metabarões!

    Criado originalmente por Alejandro Jodorowsky e Moebius para as páginas do épico INCAL, Metabarão tornou-se um dos personagens mais carismáticos dos quadrinhos e recebeu uma série totalmente dedicada a ele para recontar as grandiosas histórias da sua família. Aplaudida e premiada no mundo inteiro, A CASTA DOS METABARÕES é escrita por Jodorowsky e belamente pintada por Juan Gimenez, um verdadeiro mestre em criar cenários futuristas e alienígenas!

    Agora, toda a história dessa temida dinastia de guerreiros será revelada desde o seu início o distante planeta Mármola, onde um verdadeiro segredo de Estado pode dar início a uma tragédia sem-fim!

    Então, venha conosco aos confins mais distantes da galáxia numa viagem através de mundos exóticos para descobrir personagens fantásticos e culturas jamais sonhadas![/align]

    Fonte: http://www.devir.com.br/hqs/metabaroes_v001.php

    [align=justify]Como vi que não havia um tópico para essa maravilhosa história resolvi criar um. Sei que o preço é muito salgado e tudo mais, mas a história é muito boa, com muita violência, ação, ficção científica e um traço que considero um dos melhores que já vi. Estou querendo muito saber qual é o desfecho dessa saga.[/align]
     
  2. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Putz, ninguém conhece essa saga ou pelo menos o Jodorowsky? Ele é o diretor (e se não me engano o escritor) daquele filme cult A Montanha Sagrada.[/align]
     
  3. Gigio

    Gigio Usuário

    Opa, me apresentando na segunda chamada! :dente:

    Conheci por acaso a "Casta" em um episódio publicado em uma Heavy Metal há muito tempo. Acho que ainda deve estar lá em casa em algum lugar... Mas estou mesmo precisando reler tudo, desde o começo. Valeu pela dica, Lucas!
     
  4. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Eu já tinha comentado num tópico que falava sobre essa saga de HQs, mas acho que ele foi apagado.

    Definitivamente vou colocar na lista de compras para esse ano, mas só o que está matando é o preço abusivo.
     
  5. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Pois é, Breno, o preço é terrível, muito caro mesmo. Mas ao menos as edições estão muito boas (o que, diga-se a verdade, não faz o preço ser menos salgado, hehehe). Seja pela história, violentíssima, de ficção científica e ação sem perder em conteúdo; seja pela arte, muito detalhada, mais "realista", não poupando sangue, mutilação ou nudez; que a saga d'A Casta dos Metabarões é uma boa pedida, tanto para fãs de FC como para fãs de HQ.[/align]
     
  6. Zzeugma

    Zzeugma Usuário

    Eu achei "A Casta" bastante superior ao Incal... Sem dúvida, ele consegue imprimir um caráter épico a história. Jodorowsky consegue até colocar um berimbau na história.

    Desconhecer a história do "Incal" não implica em prejuízo para o entender da história. Embora o leitor de Incal vai gostar de saber a origem de alguns personagens que apareciam na história como, por exemplo, a Imperoratriz e etc. Além disso, muitas coisas no Incal são simplesmente inferidas, pois o mundo futurista de Jodorowsky é uma alegoria do nosso atual (*): aritos (aristocratas), tecno-papa, rebeldes Camar (Camaradas/comunistas), etc.

    Segundo eu vi em alguns documentários disponíveis no You Tube e em outros lugares, o Incal "brotou" após o rompimento de Jodorowsky com os produtores do primeiro Duna (aquele que acabou sendo dirigido por David Lynch). Moebius tinha feito vários desenhos de produção e eles resolveram aproveitá-los em uma saga própria.

    Eu acabei adquirindo parte da Casta em espanhol (Aqui no Brasil, a Heavy Metal tinha ido pro buraco e o braço brasileiro da editora Meribérica fechou, eliminando a chance de publicação por aqui... Até agora). Em espanhol, saiu uma edição especial com uma história "spin-off" da saga que conta de onde veio aquele sinal em forma de pássaro que o líder do clã dos Castakas recebe na passagem de poder.

    Como muitas coisas de Jodorowsky, há um fundo místico em suas histórias (Ou ele alega haver). Por exemplo, em o Incal, os 22 Arcanos do Tarot estão distribuídos pela história. Jon Difool é uma representação mais ou menos óbvia do "O Louco". Em uma outra cena vemos o Metabarão esganando um cão (como na carta "A Força"). Amok = A Morte; A Torre; etc etc.

    Na Saga dos Metabarões também está implícito este "jogo". A primeira carta, o Mago (princípio Criador); Segunda Carta, a Papisa; Terceira, Imperador,... etc etc etc.

    Particularmente, eu gostei mais dos capítulos do Cabeça de Aço e da Doña Vicenta, que equivalem ao terceiro capítulo que acabou de sair no Brasil...

    Fora isto, aconselho uma olhada no livro "Quando Tereza brigou com Deus", que conta a história de sua família como se fosse um épico mitológico.

    ***************************
    (*)Ou melhor, de como era o mundo no final dos anos 70 até meados dos 80...
     
  7. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Valeu pelas dicas Zzeugma. É verdade, a saga dos Metabarões tem um tom épico mesmo, o que deixa a história ainda mais legal. O que me irritou foram aqueles dois robozinhos: um que narra a história e o outro que quer saber o que aconteceu. No começo estava engraçado, mas foi ficando irritante mais para frente. Eu adoro os nomes que o Jodorowsky dá aos personagens, naves, planetas, objetos, como aquelas naves em forma de baleia (genial!) que se chamam cetáceos, ou aquela mania de pôr prefixos nas palavras, como teflo-concreto, putz, isso é Ficção Científica.
    O ritual de mutilação efeitos de "batismo de fogo" dentro do clã dos Castakas também é sublime, chega a feder testosterona, hehehe.
    Quero ver se leio Incal, pois, se é do Jodorowsky, certamente deve ser bom.[/align]
     
  8. Zzeugma

    Zzeugma Usuário

    Lucas,

    Algo me diz que vc vai gostar ainda mais dos dois últimos números.

    Jodorowsky é legal, mas algumas coisas dele achei medianas... Acho que ele é um autor que não dá pra passar batido. É sempre bom dar uma espiada... Mas tem vezes que simplesmente "falta" algo. Ultimamente, parece que ele andou acertando a mão em "Bouncer", um faroeste. Ainda não o li, mas tem gerado mais repercussão que outras coisas que ele andou fazendo (inclusive a história do Metabarão com o Charest ou Megalex, o projeto que seria tocado com o Otomo). Ele não me parece ser um cara fácil, deve ter um ego... É a impressão que me dá, pelo menos.

    Há uma outra série, belíssima, desenhada pelo italiano Sílvio Cadello, com algumas das criaturas alienígenas mais interessantes que vi (Dois braços que se concluíam emuma única mão; cabeças em forma de pequenas antenas; micos samurais... etc). Eu cheguei a ter uma edição espanhola e alguns pontos iniciais pareciam indicar um rumo um tanto diferente do qual a história efetivamente tomou.

    Outra série legal, chamava Alef Thau, as aventuras do Príncipe Manco, ou coisa assim. Alef Thau era uma criança "prometida" em um mundo Tolkeniano que enfrentava invasores em discos voadores. Ela acabou nascendo sem pernas e braços e à medida que cresce e luta, ele vai "negociando" os membros... Troca um olho por um braço, uma perna e meia, dois braços sem uma das pernas... Enfim. O desenhista era o "Arno", cara que chegou a ser publicado no Brasil pela editora Abril numa Graphic Novel chamada Kids. Ele morreu de Aids (Era usuário de drogas) e a série foi concluída por outro desenhista e Jodorowsky fez uma bela homenagem ao Arno.

    De todo modo, tão interessante quanto o que ele escreve, são suas entrevistas, suas leituras de tarot, etc. Isto não é difícil de achar pela Internet... especialmente se vc manja um pouco de espanhol.

    Eu não acredito muito nestas coisas de Psicomagia e etc, mas ainda assim compensa pelo teor de suas histórias. Vale a pena.

    Abraços.
     

Compartilhar