1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

A arte de escrever - Arthur Schopenhauer

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por kika_FIL, 5 Set 2010.

  1. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    Confesso... quando estudei filosofia, aprendi muito mais sobre hermenêutica e movimentos do que na obra dos filósofos em si. Li algo de Sartre, um pouquinho de Platão, alguns textos produzidos pela chamada Escola de Frankfurt – Walter Benjamin, Hannah Arendt quando da minha pós, mas nunca tinha lido Schopenhauer. Já ouvira falar muito dele.

    James Geary, em seu livro “O mundo em uma frase”, menciona características como “inteligência birrenta”, “arrogância colossal” e “pessimismo virulento” quando trata de Arthur Schopenhauer, e devo dizer que, lendo “A arte de escrever”, várias vezes me passou pela cabeça o quão difícil seria conviver com um homem com tais opiniões. Na verdade o pensamento veio nas seguintes palavras: “Ele parece a velhinha louca da rua que não quer que ninguém jogue bola na “sua” calçada.”.

    Mas, mesmo assim, e talvez até por isso, suas opiniões estão longe de ser levianas, e muita coisa do que diz vale pela reflexão. “A arte de escrever” é, na verdade, um extrato de sua obra Parerga e Paralipomena, originalmente publicada em 1851. Desta obra, foram extraídos cinco “capítulos”: 'Sobre a erudição e os eruditos', 'Pensar por si mesmo', 'Sobre a escrita e o estilo', 'Sobre a leitura e os livros' e 'Sobre a linguagem e as palavras', sendo que este último foi traduzido apenas em parte.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    garanto q vc, e qq outra mulher, ñ iria gostar dq ele escreveu sobre as mulheres, no parerga. chega a soar misógeno. mas o schope é de opiniões fortes, mesmo q vc ñ concorde, há q se admitir q ele sabe argumentar.
     
  3. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    Tenho uma atração irresistível pelo pensamento de Schopenhauer e gostaria de estudar filosofia só por causa dele. :sim:

    Mas ainda compro e leio "O Mundo como Vontade e Representação" assim que conseguir uns dinheiros aí (talvez com a verba do BB desse ano).

    Li esse livro "A Arte de Escrever" faz um ou dois anos e acho bastante recomendável, mesmo (como a Kika disse) que não se concorde com algumas (ou mesmo todas) as ideias dele.

    Ah, eu também concordo com isso e dá uma certa angústia pensar que, mesmo que se queira muito, nunca poderemos aprender todos os idiomas necessários pra ler todos os ótimos livros que já foram escritos.

    Por outro lado, acho que no tempo do Schopenhauer não existia tantas publicações de clássicos como existe hoje, e também acredito que o acesso ao conhecimento hoje em dia é bem mais facilitado, o que fez surgir tradutores muito bons.
    No caso desse livro, não lemos uma obra puramente "Shopenhauer" mas um "visão" do Pedro Süssekind para a obra originalmente escrita pelo filósofo.

    Bom, talvez seja um preço que tenhamos que pagar pra ter (ao menos um pouquinho) acesso aos pensamentos dele e de outros cérebros privilegiados.

    E se pensar bem (e servir de consolo) o que interessa está lá, a essência não se perde assim facilmente.

    Uma curiosidade, a mãe do Schopenhauer era escritora de romances bem fúteis e água-com-açucar, daqueles que ele critica sem dó em "A Arte de Escrever".
    Pelo jeito ele odiava a mãe (que era uma mulher extremamente fútil) e ela nutria o mesmo sentimento pelo filho.

    Saiu recentemente um artigo bacana sobre Shopenhauer na revista "Vida Simples".
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    da reportagem pra quem se interessar.
     
  4. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    é, é bem verdade... ele dá o que falar...[

    A essência não se perde, concordo, de toda forma vou querer ver se aprendo alemão pra ler Schopenhauer no original....
     
  5. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Será que podemos questionar seus pensamentos devido a sua época, para os pensamentos de hoje? A evolução das traduções e do pensamento atual, ou da falta dele...rs

    Vc anda aprendendo alemão, não? E já se sente capaz de lê-lo? rss
     
  6. kika_FIL

    kika_FIL Usuário

    comecei a aprender alemão esse semestre, sim...mas por enquanto nao consigo ler nem receita de torta direito...
     

Compartilhar