1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Notícias 7 craques da história do futebol que nunca disputaram uma Copa do Mundo

Tópico em 'Esportes' iniciado por Fúria da cidade, 17 Nov 2017.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Disputar uma Copa do Mundo é o grande sonho de qualquer jogador profissional de futebol. Mas um desejo que só uma pequena parte deles consegue atingir.

    E, algumas vezes, não basta ser talentoso, bem-sucedido, rico, famoso, admirado, esforçado, habilidoso, inteligente taticamente e vencedor para transformar esse sonho de infância em realidade. É preciso também uma dose de sorte.

    Listamos abaixo sete grandes jogadores do futebol mundial em todos os tempos que jamais pisaram no gramado em uma partida de Copa do Mundo. E seis deles já não têm nem mais como reescrever essa história.


    RYAN GIGGS
    Meia
    43 anos
    Jogou por País de Gales, entre 1991 e 2007
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Recordista de jogos da história do Manchester United (963), o eterno camisa 11 passou mais de 15 anos tentando classificar Gales para uma Copa do Mundo, mas nunca chegou sequer à repescagem das eliminatórias europeias. Seu grande momento com a camisa de uma seleção foi a disputa dos Jogos Olímpicos de Londres-2012. Na ocasião, Giggs foi o capitão do Reino Unido, time montado exclusivamente para aquela competição.

    GEORGE WEAH
    Atacante
    51 anos
    Jogou pela Libéria, entre 1987 e 2003
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Único africano a ser eleito o melhor jogador do mundo, o vencedor do prêmio da Fifa de 1995 marcou época no Paris Saint-Germain e Milan. Weah não economizou futebol (e nem dinheiro) para tentar levar a Libéria pela primeira vez a um Mundial. Ao longo da carreira, o centroavante bancou do próprio bolso salários, premiações, viagens e melhorias nas condições de treino dos seus companheiros de seleção para tentar fazer com que eles alcançassem um nível suficiente para obter uma vaga em Copa. O esforço foi em vão.

    ERIC CANTONA
    Atacante
    51 anos
    Jogou pela França, entre 1987 e 1995
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O polêmico ídolo do Manchester United, que teve a carreira marcada por uma voadora dada em um torcedor à beira do campo, fez parte da geração maldita do futebol da França, que fracassou em duas eliminatórias consecutivas. Em 1990, os franceses ficaram atrás de Iugoslávia e Escócia, em um grupo que dava duas vagas para a Copa. Quatro anos depois, perderam a classificação ao sofrerem um gol nos acréscimos do segundo tempo de uma partida contra a Bulgária, em Paris.

    GEORGE BEST
    Meia-atacante
    Morreu em 2005, aos 59 anos
    Jogou pela Irlanda do Norte, entre 1964 e 1977
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Um dos maiores craques da história do Manchester United, eternizou a camisa 7 do clube inglês e foi talvez o primeiro grande popstar da bola. Adepto dos cabelos longos e de todos os prazeres da vida (em especial, o álcool e as mulheres), Best jogou pela Irlanda do Norte durante o jejum entre suas participações nas Copas de 1958 e 1982. Apesar de ser o maior nome do futebol do seu país, fez apenas nove gols pela seleção.

    GARETH BALE
    Meia-atacante
    28 anos
    Joga por País de Gales desde 2006
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    O astro do Real Madrid é o maior jogador da atualidade que ainda não disputou uma Copa do Mundo. Sucessor de Giggs como craque máximo de Gales, Bale conseguiu levar sua seleção até as semifinais da última Eurocopa, o maior momento da história do futebol do país. Só que a mágica não se repetiu nas eliminatórias da Copa-2018. Com Bale enfrentando uma série de problemas físicos, a equipe foi apenas a terceira colocada em um grupo que contava com Sérvia, Irlanda, Áustria, Geórgia e Moldávia.

    ARTHUR FRIEDENREICH
    Atacante
    Morreu em 1969, aos 77 anos
    Jogou Brasil, entre 1914 e 1925
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Primeiro grande artilheiro da história do futebol brasileiro, esse mulato filho de uma negra brasileira com um comerciante alemão fez sucesso antes mesmo de a Copa do Mundo ser inventada. Apelidado de “El Tigre”, Friedenreich até poderia ter disputado a primeira edição da competição, em 1930, mas ficou fora da convocação da seleção devido a um boicote realizado pelos clubes paulistas –na época, atuava pelo São Paulo.

    ALBERTO SPENCER
    Atacante
    Morreu em 2006, aos 68 anos
    Jogou pelo Equador, entre 1959 e 1972, e pelo Uruguai, de 1964 a 1967
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Jogador mais importante da história do uruguaio Peñarol, o centroavante é simplesmente o maior artilheiro da Libertadores, com incríveis 54 gols. Famoso pela facilidade em marcar gols de cabeça, Spencer jogou pouco pelo Equador e participou apenas das eliminatórias das Copas de 1962 e 1966. Pela seleção uruguaia, atuou apenas como convidado especial em alguns amistosos.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

    Em alguns casos não bastava ser bom, tinha que ter tido a sorte do seu país ter uma geração forte.
    Já no caso do Cantona, além do azar, foi pura incompetência da França não ter ido a duas Copas seguidas
     

Compartilhar