• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

5 artistas/bandas, músicas e álbuns com Lissa

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Eis que temos uma primeira super lista de 5-5-5 e a primeira que topou o desafio foi a @Lissa.

Mantive os spolers pra assim facilitar a abertura de cada lista. Pelos anos de participação no fórum, eu já tinha em mente que de música e cultura celta eu já sabia que poderia contar com ela pra uma boa assessoria, mas vendo a lista completa agora sei que podemos ir muito mais além.


------

Bom, começo dizendo que essa lista é bem diferentona, porque eu mesma sou bem diferentona no quesito gosto musical. Por isso, acredito que a maioria não vai conhecer as bandas ou artistas listados, mas gostaria que dessem uma chance pra conhecerem, porque acredito que vai valer a pena.

5 álbuns preferidos:


1) Noites de Lenda - Lenda Ártabra

81hScvMMe1L._SS500_.jpg


Escolhi esse álbum porque ele é simplesmente o único álbum que eu amo absolutamente todas as músicas e não pulo nenhuma. Acho que vale mencionar como eu conheci essa banda de folk galego, porque é TÃO ALEATÓRIO que chega a ser curioso. Bom, eu amo a Galiza e a cultura galega, então eu entrei em grupo no Facebook chamado Flora e Fauna Selvaxe da Galicia. Aí, tava lá rolando o feed do grupo e vi uns comentários e fui fuxicar o perfil das pessoas. Um dos caras que eu fuxiquei tinha compartilhado várias músicas desse álbum e, como eu já gostava de folk galego, decidi conhecer e… o resto é história. Eu viciei numa música atrás da outra. Viciei ao ponto de ter várias delas na lista das minhas mais ouvidas de 2019, e só não teve mais porque eu descobri no fim do ano e não deu tempo de bater as anteriores.

2) Ô’r Mabinogi - Legends of the Celts — Ceredwen

ab67616d0000b27372d820c6f8ab969c37eb9502


Eu sou absolutamente apaixonada por esse álbum, porque ele toca diretamente na minha prática religiosa. Duas deusas que eu cultuo, Branwen e Blodeuwedd, têm músicas dedicadas a elas e suas histórias de fundo, mas mesmo as outras são extremamente tocantes para mim, no sentido espiritual. É meu álbum favorito pra rituais, meditações e trabalhos espirituais. Como o nome já diz, esse álbum conta sobre as lendas contidas no Mabinogion, que é uma coletânea da mitologia celta galesa e considerado um livro sagrado para algumas religiões célticas. Eu fico embasbacada em como conseguiram, de maneira tão sucinta e poética, contar as histórias em forma de música e qualquer um consegue entender plenamente a essência das lendas e figuras mitológicas.

3) Aura - Brunuhville


81XRfsZorHL._SL1425_.jpg


Sempre coloco esse álbum em todas as minhas listas porque ele, praticamente, salvou minha vida em vários momentos. É meu porto seguro pra todos os momentos em que estou mal da cabeça, deprimida, ansiosa, com raiva, enfim, precisando de uma válvula de escape certeira. O Brunuhville é um compositor portugês de epic music e eu o acompanho há mais de dez anos, mas Aura é a obra prima dele, na minha opinião. Todas as músicas são instrumentais, algumas têm apenas um coro ou vocal sutil, porém é isso que dá mais força e significado pessoal pra esse álbum, porque eu prefiro quando tem parte vocal e Aura conseguiu entrar no meu coração e na minha mente sem isso.

4) Mother Earth - Within Temptation

81t22kpsQNL.jpg


WT já foi minha banda favorita por muito tempo e a Sharon den Adel está no meu top 5 de cantoras favoritas da vida. Tem vários álbuns de WT que eu poderia listar, mas escolhi Mother Earth porque foi meu primeiro contato com Within Temptation e tem músicas que me tocam profundamente, com destaque para In Perfect Harmony, Never-ending Story e “Our Farewell”.

5) Love and Oz - Mägo de Oz

61gGLFRLusL._AC_SX425_.jpg


Um álbum mais tranquilo e melancólico. Mägo de Oz é uma banda muito versátil e eu adoro como em algumas músicas o pau fica torando no metal e em outras o som é tão doce e profundo que chega encher os olhos de lagriminha. E nesse álbum específico, impera essa aura mais calma e tristonha, com várias músicas falando sobre despedidas, términos e morte. Alguns chamariam de emo, mas eu fui uma emo enrustida. E tem duas músicas especificamente aqui que se encaixam tão perfeitamente em momentos da minha vida que parece que me espionaram e compuseram as músicas a partir de mim :lol: Por isso, não pude deixar de fora.

5 Músicas favoritas:

Praticamente impossível. Foi um esforço hercúleo escolher, por isso a ordem não tá em questão de preferência, mas de importância. E isso é o que tá em voga no meu coração neste momento específico. Não sei se vocês conhecem a expressão “voadora da arte”, é um termo que eu vi no twitter de Ari Noert, uma das melhores figuras dessa rede social, porque Ari faz threads INCRÍVEIS sobre arte e história da arte (sigam Ari, quem tem twitter! É @arinoert o @! E leiam a thread sobre rinha de pintor renascentista, não vão se arrepender!). Pois Ari Noert cunhou essa expressão a partir da síndrome de Stendhal pra designar quando uma obra de arte, seja ela qual for, seja em qual plataforma ou veículo ou mídia ou suporte que for, te causa um impacto tão significativamente fodido de forte que é como se fosse mesmo uma voadora de prazer bem na tua fuça. Pois eu montei essa lista a partir das maiores voadoras da arte que tive, daí a ordem de importância/impacto da voadora em questão.

Ecos do Alén - Luar na Lubre


Eu mencionei anteriormente que amo folk galego e Luar na Lubre foi o grande responsável pela construção desse amor. Essa música, especificamente, é cantada tão linda e perfeitamente, e é uma letra tão terna e doce, que eu choro só de pensar. Fica aí pra vocês sentirem o que é perfeição em forma de melodia:

Manatu - Te Vaka


Alá a louca do folk polinésio passando! Te Vaka vai estar na lista de artistas favoritos, então deixo pra contar a história de como descobri a banda (e essa música) pra essa lista em particular, mas vou adianto que foi através de um filme que se passa no Tahiti e essa música era o tema do casalzinho. A voadora da arte me atingiu porque o conjunto cenas no Tahiti ao pôr do sol + identificação com a protagonista + essa música me arrebatou. E a letra é linda! Fala sobre saudade… E eu tô sentindo muita saudade.

Wait for it - Leslie Odom Jr.


Precisei incluir essa música porque eu sou viciada em Hamilton (ASSISTAM HAMILTON! NÃO TEM DESCULPA PRA NÃO ASSISTIR! “aH mAs eU nAo GoStO dE MuSiCaL” FODA-SE, ASSISTE HAMILTON QUE CÊ VAI MUDAR DE OPINIÃO!). E eu estou tendo a voadora da arte com ela pelo segundo dia seguido. Essa performance do Leslie… ele devia ter ganho todos os prêmios só por essa música, porque ele entrega TODA A ESSÊNCIA do personagem só pelo olhar e pequenos gestos e expressões. Essa é uma música solo que descreve todo o caráter do musical, não apenas do personagem, na verdade. Lin Manuel Miranda, pode comer meu cy quando você quiser, seu perfeito. E Leslie Odom Jr., você também! PERCEBAM A POTÊNCIA DESSA CARALHA DESSA LETRAAAAAAAA.

Maria - Mànran


Mànran também está na lista de artistas/bandas, então vou falar apenas que essa música me faz chorar TODA EVERY TIME que escuto. Eu fico em tal estado de torpor hipnotizante com essa gaita de foles que poderia ser comparado com efeito de drogas alucinógenas. É até difícil explicar, na verdade. É aquela coisa “não sei o que dizer, apenas sentir”.

Ata Fou - Te Vaka


Olha aí Te Vaka de novo… Confesso que fiquei num impasse de repetir banda, mas é que não tem como. Ata Fou é sobre uma das minhas deusas de culto, Pele, a deusa polinésia do fogo, vulcões e ira. E, ao contrário do arquétipo da deusa, é uma música tão calma e lentinha, mas com uma potência contida que explode quando pronunciam o nome Pele. A voadora da arte vem porque não poderia deixar de vir, já que se trata de Pele.

(Menções honrosas: tive que fazer menções honrosas aqui porque eu fiquei em dúvida na repetição de Te Vaka, então vou colocar as que mais me deixaram nesse impasse: Alo i ou faiva - Lani Alo e Livingstone Efu (uma música lindíssima em samoano, cuja letra é um poema/oração tradicional. E o vocal é impressionante!), Oíche Mhaith (Bonne Nuit) - Cécile Corbel (porque Cécile é simplesmente perfeita), Lúa Namoreira - Lenda Ártabra (porque essa música me deixou tão maluca que eu fui atrás do perfil da banda no twitter e pedi a letra, me responderam, eu disse que era viciada no trabalho deles e foram tão legais e simpáticos que eu fiquei mais viciada ainda), Little do they know - Capercaillie (porque Capercaillie foi meu primeiro contato com música celta e essa música está na minha lista de favoritas da vida).

5 artistas/bandas favoritos:

Cécile Corbel

fichier_22_1468164819.jpg


Pobre @Slicer , não teve um minuto de paz em 2020 quando eu descobri o poder e a magia de Cécile Corbel. A mulher me arrebatou de um jeito que só me vendo ter orgasmos metafóricos ao escutar as músicas dela pra entender o efeito que ela me causa. Cécile é bretã e canta, principalmente, folk bretão em francês, mas ela pode fazer o que ela quiser, com essa voz suave, potente e límpida que ela tem. Eu amo a língua francesa e Cécile me ajudou a desenferrujar, então mais um ponto pra essa perfeita. Favoritas: "Mary", "Take my Hand", "Sans Faire un Bruit", "Belfast" (feat. Mànran, pensem na PIRA), "C'hoant Dimein".

Mànran

image-asset.jpeg


Como explicar Mànran? Sabe aquela banda que a gente conhece e parece que os membros são nossos conhecidos/amigos? É isso que Mànran faz. Eles são super simpáticos e presentes nas redes sociais (respondem e retweetam, repostam stories que marcam eles, respondem DM no Instagram…), fazem lives num clima super intimista, mas o que me fez cair de amores por eles de vez foi uma série de vídeos que eles fizeram durante a pandemia no canal deles no Youtube chamada Mànran School of Music, em que eles ensinavam a cantar as músicas (tarefa praticamente IMPOSSÍVEL pra nós, falantes de português, porque gaélico escocês é uma porra duma língua difícil, rendeu vários momentos incríveis entre o @Slicer e eu, porque eu o viciei em Mànran também) e a tocar os instrumentos. Nós ficamos malucos pelas aulas da Kim Carnie, que se juntou ao time de vocalistas e virou uma das principais, ensinando o puirt à beul, que é uma forma de música tradicional da Escócia, consiste basicamente em letras sem sentido ou onomatopéias que formam trava-línguas, tanto que alguns nós chamamos apenas de “música do sapato”, “música das calças” e “música da pedra”. Favoritas: "The Test", "Alpha", "Oran na Cloiche", "An Eala Bhan" e "Là Inbhir Lòchaidh".

Te Vaka

Music-TeVaka.jpg


Cês acreditam que eu conheci uma banda de folk polinésio por causa da SESSÃO DA TARDE? Pois é. FOI POR CAUSA DA SESSÃO DA TARDE. Explico: a banda faz parte da trilha sonora de um filme chamado A Lenda de Johnny Lingo. E estava eu pleníssima assistindo o filme na Sessão da Tarde quando PLAU: a voadora da arte me atingiu com Manatu, a música que mencionei acima. E eu fiquei desesperada pra descobrir mais sobre essa música e, consequentemente, a banda. Foi assim que descobri o incrível mundo do folk polinésio. Me apaixonei perdidamente pelo clima praia + tradição e ancestralidade da banda. Talvez alguns estejam mais familiarizados porque os membros da banda também fazem parte da trilha sonora de Moana, inclusive o Lin-Manuel Miranda (que HOMEM, meu pai do céu!) chamou o Opetaia Foa’i, principal vocalista e compositor da Te Vaka, pra compor junto com ele e o Mark Mancina a trilha de Moana. Destaco aqui duas coisas que me fizeram viciar em Te Vaka: a ancestralidade contida das músicas, um orgulho e honra de suas culturas e tradições que pode estar explícito ou não nas letras, mas que simplesmente me fascina; a outra coisa é a vibe do próprio folk polinésio, correndo o risco aqui de cair no terreno perigoso do estereótipo, mas eu amo sentir que tô numa praia paradisíaca do Tahiti ou de Fiji, ao pôr do sol ou sob a luz do luar, celebrando e dançando com areia sob os pés e sentindo o cheiro do mar. Menciono além de Manatu e Ata Fou uma música que fez o @Slicer viciar: Haoloto. Apenas escutem Haoloto.

Eivør

b02c57716f37e54c19f6a49607f9631d.jpg


Reconheço que Eivør não é pra todo mundo. É um som bem diferentão mesmo (folk nórdico, mais especificamente das Ilhas Faroe), a voz dela vai do super agudo pro super doce pro rosnado gutural, às vezes na mesma música. Mas eu piro em tudo que ela faz, além de ser muito simpática e receptiva nas redes sociais. Ah, e ela tá na trilha sonora de The Last Kingdom, inclusive canta a abertura, e isso foi mais um motivo pra eu AMAR a série. Para começar a ouvir Eivør, recomendo as músicas “Silvitni”, “Mannabarn”, “Elisabet og Elinborg” e “Livandi Trø”.

Within Temptation


news17356-big.jpg


Impossível não colocar Within Temptation, sendo que foi minha banda favorita por anos. Não tenho nem como mensurar a importância que WT tem na minha vida e um dos meus maiores arrependimentos/frustrações foi ter perdido o show que fizeram aqui no Brasil porque eu não tinha com quem ir e seria muito perigoso ir e voltar sozinha. Confesso que os últimos álbuns não me agradaram tanto quanto os primeiros porque a banda está tomando um ar meio metal eletrônico que não me apetece tanto quanto a vibe inicial, que era mais metal sinfônico/folk metal. Mas a Sharon den Adel é uma cantora tão incrível que me ganha mais pela voz do que pela melodia em si. “Somewhere” segue invicta sendo uma das minhas músicas favoritas e só não coloquei ela na lista anterior porque ela é uma das hors concours, que entrou pra lista de favoritas da vida.

(Menções honrosas: Josh Groban (porque eu tenho orgasmos literais com a voz desse homem!), Mägo de Oz (uma das campeãs que sempre figura nas listas de mais tocadas do Spotify desde quando o Spotify começou a fazer listas do tipo), Anneke Van Giersbergen (mesma categoria da Sharon den Adel, que arrasa em todos os projetos musicais que faz, seja solo, com a banda Agua de Annique ou Vuur), Oswaldo Montenegro (um dos únicos da música brasileira que eu realmente gosto além de uma ou duas músicas e que eu tenho escutado muito ultimamente) e Sean Paul (sim, eu amo Sean Paul, sempre tive um pé bem fincado no hipo hob/rap/R&B e muito em parte graças a ele).
 
Última edição:

Melian

Período composto por insubordinação.
Lado ruim: como não conheço quase nada do que foi listado, não tenho condições de opinar.
Lado bom: tenho muita coisa legal para conhecer! :dance:

Do que tenho condições de opinar: adoro Within Temptation (mas parei de acompanhar; então, nem sei como a coisa ficou nos últimos tempos). Somewhere é um hino, né?

Oswaldo Montenegro é bom demais da conta. Acho gostosinho de ouvir pela manhã, quando ainda estou esperando o café trazer minha alma de volta para o corpo. Quando a gente ama tem um lugar especial no meu coração.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
O Oswaldo é o único que conheço.

Música celta, ou que tem algum elemento de raiz celta na sonoridade ou no canto (gosto do idioma gaélico) é algo que do pouco que eu ouvi eu adorei, mas admito que preciso me aprofundar e aumentar meu repertório, pois não dá pra ter apenas a Enya como principal referência, sendo que há outros nomes tão bons ou melhores.
 

Giuseppe

Eternamente humano
Vixe, de fato não conheço nenhum de nenhuma das listas, mas é bom que fica aí a recomendação; esses tópicos são bons justamente pra conhecer coisas novas.
 

Erendis

Master Pretender
Usuário Premium
Conforme eu falei, veio a lista alecrim dourado da música.
Só conheço relativamente bem o Oswaldo Montenegro - porque é nacional e os véio lá de casa sempre gostaram.
Conheço de ouvir falar e pela trilha da Moana (inclusive adoro) o Opetaia Foa’i e alguns outros eu já ouvi você falando. Sim, só você, a diferentona da música. Que me apresentou para Skipinnish e me fez ficar ouvindo isso um mês inteiro até as pessoas lá de casa falarem pelo amor, escute outra coisa que não aguento mais. E é isso, óbvio que vou pegar as indicações de música celta e folk e colocar tudo naquela minha playlist que faz tempo que eu não atualizo e o pessoal do cartório vai ter que me engolir escutando isso. :hihihi:
 

Bartleby

idler
Lado ruim: como não conheço quase nada do que foi listado, não tenho condições de opinar.
Lado bom: tenho muita coisa legal para conhecer! :dance:
exatamente o que iria responder depois de ter lido a lista hehe
sempre bom conhecer artistas previamente não conhecidos (por nós) ☺️
 

Béla van Tesma

I’m hoping to do some good in the world!
meme-gloria-pires-opinar-600x400.jpg

Só conheço Within Temptation, mas é mais por ouvir falar do que por escutar propriamente.
E por acaso eu também já ouvi a Eivør, mas basicamente só na Trøllabundin.

Achei um desaforo não aparecer nada da Loreena McKennitt ou do Kitaro.
Na minha cabeça, a Lissa gostava muito deles. :think: :dente:
 

Focr_BR

Usuário
Não conheço praticamente nada das listas também, tirando Within Temptation, o maximo que ja ouvi proximo, foi Loreena McKennitt, citada pelo @Béla van Tesma, e que eu ainda posso estar comparado erroneamente.

Lista bem legal para adicionar ao que ouvir futuramente.
 

Lissa

Chocolatier Honoris Causa
Ver anexo 90712

Só conheço Within Temptation, mas é mais por ouvir falar do que por escutar propriamente.
E por acaso eu também já ouvi a Eivør, mas basicamente só na Trøllabundin.

Achei um desaforo não aparecer nada da Loreena McKennitt ou do Kitaro.
Na minha cabeça, a Lissa gostava muito deles. :think: :dente:

Loreena eu tive uma fase, mas depois saturei.
Kitaro eu gosto MUITO, principalmente pra ouvir antes de dormir. Mas não é algo que eu escute fora de um contexto específico, tipo dormir ou estudar/meditar/me acalmar. Por isso não entrou. Mas tá no top 10.
 

Mercúcio

Usuário
Não conheço quase nada da lista da Lissa.

Conheço um pouco de Mägo de Oz e gosto do pouco que conheço. Fiesta Pagana, La Posada de los Muertos, Duerme (que é uma versão de Scarborough Fair), La costa del Silencio.

Conheço um pouco de Luar na Lubre e adoro o pouco que conheço deles: Romeiro ao Lonxe (outra versão de Scarborough Fair) é a minha favorita. Vou até deixar a gravação que mais gosto aqui. Também gosto de Memoria da Noite e Tu Gitana. Foi a esposa do meu orientador do mestrado que me apresentou ao Luar na Lubre. Não lembro ao certo o contexto, mas lembro de ter adorado. Adorei a música deles que a @Lissa indicou.

Acho esse dueto maravilhoso:


E adoro o Oswaldo Montenegro. Sou fãzão mesmo.
 
Última edição:

Valinor 2021

Total arrecadado
R$200,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo