Arquivo da categoria: Elenco e Equipe

O elenco de O Hobbit já está completo?

Atenção: artigo com possíveis spoilers!

 

Michael Fowler

Será que o elenco de O Hobbit já está completo? Parece que não. De acordo com o TheOneRing.net, o ator neozelandês Michael Fowler fará o dublê  alto de um personagem chamado Bain, para os truques de escala. Pelos Apêndices do livro “O Senhor dos Anéis” sabemos que Bain é o nome do filho do arqueiro Bard. No currículo do ator, no site StarNow, aparece a seguinte informação:

Créditos

Longa-Metragem

2011 Bain – Dublê para escala – O HOBBIT: UMA JORNADA INESPERADA Peter Jackson

 Pelo currículo nota-se que ele já tem alguma experiência na função. Na trilogia o ator já interpretou orc, gondoriano e elfo. Entretanto, a pergunta que fica é: qual o papel do filho de Bard na história e em que momento ele vai aparecer?

Hoje sabemos que o ator galês Luke Evans será o intérprete de Bard, porém, no “Casting oficial e detalhes da trama” divulgado em janeiro de 2010 (The Hobbit – Official Casting Call and Plot Details), há a seguinte informação:

 [BARD] Um arqueiro da Cidade do Lago, BARD é um descendente direto dos Senhores de Valle. Forte e castigado pelo tempo e vigorosamente constituído, ele é casado e tem um filho pequeno. De poucas palavras, ele mantém-se discreto e não se gaba de sua linhagem nobre ou de sua habilidade como arqueiro. IDADE: 35-48. SOTAQUE – Inglês padrão ou regional, irlandês, galês, escocês (não deve ter sotaque carregado).

 

Brian Blessed

Pela informação acima parece que o filho de Bard, se for mesmo aparecer no filme, será uma criança. Então por que o ator mencionado no começo do artigo será o dublê do personagem?

De acordo com os Apêndices do SdA,  depois do fim da jornada de Bilbo e da morte de Smaug pela flecha negra de Bard,  o arqueiro de Esgaroth e herdeiro de Girion reconstrói Valle, a cidade e reino dos seus antepassados aos pés da Montanha Solitária, e torna-se seu rei. Com sua morte, anos mais tarde, Bain, seu filho, assume o trono. Brand, filho de Bain e neto de Bard, sucede o pai e anos mais tarde morre ao lado de Dáin Pé-de-Ferro, o primo e herdeiro de Thorin Escudo de Carvalho, no cerco dos aliados de Sauron a Valle e Erebor, enquanto acontece o cerco à Minas Tirith, visto no filme O Retorno do Rei.

Teríamos aí algum epílogo mostrando os acontecimentos posteriores a passagem de Bilbo pela região e ligando essas batalhas às vistas na trilogia? Não se sabe, porém não é impossível. Apesar do personagem Dáin Pé-de-Ferro não ter sido ainda anunciado, segundo o IMDb o ator inglês Brian Blessed é forte candidato a interpretá-lo.

Dáin é um personagem importante para o desfecho de “O Hobbit”, pois ele não é só o anão que herda o trono de Erebor (pois os sobrinhos e herdeiros diretos de Thorin, Kili e Fili, assim como ele, também morrem), mas também é quem lidera o exército de anões na Batalha dos Cinco Exércitos, no fim do livro “O Hobbit”. Apesar de grande parte do elenco do filme ter sido confirmado por Peter Jackson, ainda existem uns poucos papéis (talvez de menor relevância no contexto da adaptação) que não foram preenchidos. Clique AQUI e veja no IMDb outros personagens que ainda são rumores ou não anunciados.

Gandalf faz um tour pela Terra-média, por Sir Ian McKellen

 

Ian “Gandalf” McKellen atualizou seu blog sobre O Hobbit com uma nova postagem a partir das locações do filme – e da estrada para chegar à elas.

 Confira os principais trechos:

 

O Hobbit está em movimento por alguns meses, visitando uma dezena de locações para cima e para baixo por toda a Nova Zelândia.

 As filmagens ao ar livre ficam à mercê do clima variável da primavera, chuvisqueiros súbitos e céu mutável. Portanto, a pergunta de todos os dias é: “Qual é a previsão?” Se chovesse muito forte e persistentemente, teríamos que procurar abrigo e esperar: mas até agora estamos dentro do cronograma, iluminados pela luz regular do sol e pelas luzes das grandes lâmpadas de Andrew Lesnie, alimentadas por geradores. Noutro dia estava chuviscando, mas nós continuamos as filmagens, porém as câmeras 3D não conseguem registrar a chuva. Uma pena. Chuva em um filme em 3D seria excelente, em todos os sentidos.

 Quinhentos de nós viajam com a eficiência de um exército ou de um circo itinerante, e a cada um da produção é oferecido um abrigo, transporte e uma cama. Como os turistas na Nova Zelândia sabem, esta é uma terra hospitaleira, com camas e cafés da manhã. Hotéis são raros, exceto nas cidades e, claro, a maioria das nossas locações está nos ermos distantes… Enquanto o tempo permitir, é um pouco como estar em férias. Steve Thomson é o meu assistente (procure-o nos créditos dos filmes). Ele faz de tudo para se certificar que estou no tempo e confortável. Nós nos conhecemos há 11 anos em O Senhor dos Anéis, quando ele era o massagista dos membros doloridos dos atores.

 Steve conhece muito da Nova Zelândia. Ele dirige a nossa Toyota land-cruiser Prado, pelo norte de Wellington, ao longo da costa oeste da Ilha do Norte, perto do majestoso pico vulcânico Taranaki, embora apenas visível por um minuto ou dois, envolto por nuvens. Uma lenda Maori diz que ele é um deus da montanha de luto por seu amor perdido. Ele pode ser visto mais claramente como dublê do Monte Fuji em O Último Samurai.

 O nosso percurso é ao longo das estradas rurais em terras agrícolas e pela mata, e não são todas ocupadas, e com vistas maravilhosas. Agora, como a primavera está se instalando, cordeiros e bezerros mastigam o verde que cresce em abundância e que me lembra Lake District, o parque nacional lá em casa, no noroeste da Inglaterra… A diferença é que os campos britânicos, e os montes e vales, foram lavrados ao longo dos séculos, dominados por sebes, cercas, muros. Na Nova Zelândia, você pode percorrer quilômetros sem sinal de uma ocupação humana, ainda que muitas vezes pareçam familiares, como se o departamento de adereços tivesse dado uma maquiada nas colinas Lakeland, nas colinas de Gales ou nas terras baixas da Escócia.

 Nosso primeiro destino foi a filmagem em Matamata, onde 11 anos atrás Gandalf, o Cinzento fez sua estréia em A Sociedade do Anel, saudando o Bilbo de Ian Holm na porta de Bolsão. O local desde então tem sido assinalado como “Vila dos Hobbits”, onde os turistas, buscando a Terra-média, puderam refletir sobre os restos insignificantes das nossas filmagens, algumas portas verdes redondas apoiadas na colina. Isso significa que a vila teve de ser reconstruída e os jardins redesenhados para O Hobbit.

 Todos os nossos caminhões, trailers, geradores, tendas de jantar e banheiros estavam escondidos atrás e abaixo dos montes circundantes, mas foi nostálgico subir pelo caminho que leva ao Bolsão, onde desta vez o Bilbo de Martin Freeman é quem vai ser surpreendido por Gandalf. Filmamos lá por menos de uma semana, desta vez deixando tudo para trás, os visitantes do futuro não terão que adivinhar, eles realmente verão a Vila dos Hobbits em toda sua glória. Eles serão capazes até mesmo de fazer um lanche no Dragão Verde. Peter Jackson, que gosta de uma piada, sugeriu que eu assumisse o estabelecimento como um guia turístico com meu chapéu pontudo azul. Estou pensando sobre isso.

– Ian McKellen, Paradise NZ, 29 de novembro de 2011

Bilbo recebe Ferroada e Gandalf encontra Radagast, por Eric Vespe

Eis o quarto relatório de Eric Vespe, do AICN, que está acompanhando a produção de O Hobbit como convidado de Peter Jackson, além de trabalhar como figurante na produção. Neste novo relato ele revela alguns spoilers importantes. Portanto, se não quiser saber maiores detalhes, não leia o texto abaixo!

A seguir, os trechos de maior relevância:

 

Bem-vindos ao quarto relatório a partir dos sets de O Hobbit e o primeiro de uma nova locação!

Começamos em Matamata (Vila dos Hobbits) e o caminho foi descendo pela Ilha Norte da Nova Zelândia, em ziguezague para o sul até chegarmos novamente em Wellington, onde os 450 membros da equipe embarcaram em aviões e balsas com destino a Ilha do Sul para muitas cenas externas.

Esta nova locação encontra-se em terras distantes, por isso a produção e o elenco tiveram que se hospedar em casas nas pequenas cidades ao redor da locação. Não havia muitos hotéis ou motéis, por isso a grande maioria de nós foi colocada em casas. E não apenas casas alugadas. Gentilmente as pessoas cederam suas casas para o elenco e a equipe. Eu me senti um pouco como um soldado da Guerra Civil requisitando a casa de alguém para o meu batalhão em movimento.

Nossa locação foi em Mangaotaki Rocks, um lugar muito popular para escaladas por causa dos seus penhascos. Agora você sabe onde fica esse ponto na Terra, mas onde fica na Terra-média? Este lugar foi escolhido para representar a Mata dos Trolls, onde Bilbo e os anões encontram os Trolls de Pedra. Essa cena já foi filmada no estúdio, mas eles precisavam de uma floresta real e bonita para algumas cenas. Não é só isso, há também uma casa de fazenda abandonada e em ruínas, que a talentosa equipe construiu a alguns metros da borda da floresta para outra cena. Então, um local, mas dois lugares diferentes na Terra-média.

     

Primeiro foi a filmagem na Mata dos Trolls com 13 anões, um mago e um hobbit procurando o esconderijo dos trolls, cheio de coisas valiosas em uma floresta sob uma bela neblina. Aqui está uma foto minha ali perto:

 Tall Paul (Paul Randall, que é bem alto) está na altura correta para a cena em que Sir Ian McKellen deveria estar em relação aos anões. Sir Ian está lá e está dando a Paul algumas linhas de seu roteiro e sugestões para ele movimentar um braço ou mover a cabeça por cima do ombro na direção dos anões, para os outros atores na cena reagirem como se fosse com o Gandalf verdadeiro.

Gandalf (carinhosamente conhecido como “Gandy” pela equipe) está, basicamente, berrando ordens aos anões para sondarem a área, como um pai numa excursão escolar, tentando manter todo mundo atarefado. Sir Ian apareceu para a tomada seguinte. Com o declive de uma encosta e as depressões e pequenos vales diversos na paisagem, eles foram capazes de colocar Sir Ian e os anões em uma mesma cena sem o uso de dublês.

Bilbo é quem encontra a entrada da caverna dos trolls, que era uma pedra gigantesca colocada sobre o chão da floresta. Um set foi construído a alguns metros de distância, mas Peter não gostou, então eles usaram este lugar natural para a boca da caverna.

 Há rumores de que pode haver um interior novo da caverna construído na volta a Wellington para uma refilmagem. Como seria de esperar, esta caverna tinha algumas coisas interessantes nela. Baús, espadas (incluindo uma espada Rohirrim enferrujada) e alguns caras mortos, como este pobre cavalheiro:

 Entre os tesouros e armas deixados por anões, elfos, orcs e homens capturados e comidos pelos trolls, está a pequena adaga élfica, do tamanho de uma faca para alguém de tamanho normal, mas uma espada perfeita para um hobbit. Peter Jackson filmou Gandalf entregando Ferroada para Bilbo espelhando o momento em que Bilbo entregou a Frodo a espada em SdA. Ele faz isso fora, com a bela floresta verde ao fundo (na entrada da caverna), Martin, relutantemente, recebe a espada, puxando-a lentamente para fora da bainha. Thorin também recebe Orcrist aqui, que você pode vê-lo empunhando em sua imagem promocional já divulgada. Orcrist tem uma lâmina longa e plana e eles filmaram uma cena de Richard Armitage pulando de um amplo arco e derrubando uma criatura que será adicionada digitalmente mais tarde.

Kili usa um arco e flecha e o resto do grupo têm as suas próprias armas diferentes, como Dwalin (Graham McTavish) que empunha dois machados e Bifur (William Kircher) que na maioria das vezes usa uma lança como arma para perfurar. Há também machados simples, clavas e até mesmo colheres de cozinha, como no caso do mais gordo dos anões, Bombur (Stephen Hunter)… Confira Stephen descontraído entre as tomadas:

A filmagem neste local não contou somente com a entrega da Ferroada, mas também contou com a tagarelice de um Istari. É isso mesmo, Gandalf e Radagast têm uma cena assim. Sylvester McCoy interpreta Radagast, o Castanho, um mago um pouco excêntrico, que está mais à vontade com os animais, insetos e a flora do que com as pessoas. Com base no que vi ao longo das últimas semanas eu acho que vai ter um lance entre Bombur e Radagast pare ver quem vai roubar o filme. Bombur é tão adorável e engraçado e Radagast é absurdamente cativante, uma espécie de São Francisco de Assis muito distraído.

Radagast vem com um discurso de advertência que prenuncia alguns problemas que nosso grupo vai enfrentar mais tarde. As palavras “Floresta das Trevas”, “teias”, “Ungoliant” e “Dol Guldur” são mencionadas.

A produção conseguiu evitar chuva na Vila dos Hobbits, mas havia um pouco umidade neste local. Felizmente a chuva era pouca, muito raramente pesada ​​e as cenas dentro da área arborizada teve um nível extra de proteção, devido ao toldo acima, assim nós nunca tivemos que filmar no chão molhado. Se você não sabe bem como é isso, eu lhe darei uma breve explicação.

Quando se filma em locações, especialmente em um lugar como a Nova Zelândia, onde o tempo é muitas vezes imprevisível e pouco cooperante, a produção tem um plano B parar as filmagens previstas para o dia, em caso de tempo ruim. Esta filmagem é geralmente deslocada para dentro de um estúdio e filmam algo bastante simples que pode facilmente ser feito lá. Por exemplo, muitas cenas de O Hobbit envolvem filmagens contra a tela verde, como quando Gandalf e Bilbo estão sendo transportados pelas águias. Essas cenas são necessárias, mas não é algo que exige muito dos atores e é feita num piscar de olhos. Também é fácil de montar e não precisa de toda uma série de sets construídos e acessórios disponíveis.

 Devido à complexidade de filmar um grupo de diferentes raças e tamanhos, eles tiveram que fazer cenas com efeitos neste tipo de local. Como Radagast chegando e falando com Gandalf, e os olhares dos anões, desconfiados deste indivíduo recém-chegado. Bilbo está lá também e está obviamente surpreso com este homem estranho. Os magos são mais altos do que o hobbit e os anões, naturalmente, e Peter queria ter uma tomada ampla de todo o time. Filmar em 3D torna difícil fazer os truques de perspectiva forçada, que ele usou na trilogia, assim, quando trabalharem nessa cena ela exigirá alguns ajustes digitais.

Eles fecharam a câmera em uma plataforma, apontada para a ação entre Sir Ian e Sylvester, que fizeram a sua cena sobre dois pisos contra tela verde. Depois que Peter conseguiu o que queria em termos de desempenho, para esta tomada parada eles removeram totalmente a tela verde e os magos, e introduziram os anões e Bilbo. Sir Ian e Sylvester permaneceram fora do campo de visão da câmera para darem o seu diálogo para que os anões pudessem reagir corretamente. Já que a Weta Digital deve ser capaz de retirar os magos de tamanho normal e aumentá-los para a cena com os anões, substituindo o trabalho em escala. Mesmo esta versão simplificada é uma cena complexa, porque os magos, Bilbo e os anões estão todos em suas alturas verdadeiras. Como eu mencionei antes, há um processo muito mais técnico para obter esse efeito que é realmente notável, mas estou guardando para um futuro relatório.

Muitos fãs do SdA deverão reconhecer Paul dos extras dos DVDs da trilogia. Este nativo Kiwi tem 2,20m de altura e tem sido fundamental para o sucesso dos truques para estabelecer as diferenças de tamanho entre as raças na Terra-média.

Como você pode ver na foto acima ele está sendo usado principalmente como dublê de Gandalf e é muito estranho o quanto ele se parece com Sir Ian quando está completamente trajado como Gandalf. Há algumas cenas onde tudo o que você pode ver é o chapéu, a barba e nariz, e isso é o suficiente para fazer o seu cérebro registrar Gandalf em pessoa. Paul trabalha de perto com Sir Ian para se certificar que seus movimentos como Gandalf saiam da mesma maneira como os de Sir Ian.

Então, tiramos nosso chapéu para Tall Paul!

Peter Jackson fala sobre O Hobbit direto das novas locações do filme

Peter Jackson, sua equipe e elenco estão filmando em várias locações na Ilha Sul, Nova Zelândia. Direto de uma delas, o diretor falou ao NZ Herald e disse que o brilho do sol, as montanhas e o ar fresco de Arcadia Station, perto de Queenstown, tem elevado o seu espírito, do seu elenco e dos cerca de 450 membros de sua equipe.

Foto: Otago Daily Times

Jackson falou entre as cenas em que Sir Ian McKellen como Gandalf, o Cinzento, Martin Freeman como Bilbo Bolseiro e os anões chegam à casa de Beorn (Mikael Persbrandt).

Terça-feira foi seu terceiro e último dia de filmagens em um set gigantesco, que levou oito semanas para ser construído e levou mais de oito meses para ser projetado – tudo isso para um cenário que terá cerca de três minutos na tela.

 “Esta é uma área tão bonita, gire 360 graus e em todos os lugares que você olhar verá paisagens incríveis. Na verdade, a cena em que Boromir morre em A Sociedade do Anel foi feita lá naquela floresta, cerca de 90m daqui”, disse.

O diretor disse que O Hobbit foi “uma jornada estranha para mim”, pois ele originalmente pensou que iria apenas produzir, e não dirigir, esses filmes tão ansiosamente aguardados.

 “Apesar de ter sido frustrante em alguns momentos e um pouco estressante de vez em quando, estamos aqui e fazendo os filmes, então parece que estavam destinados a serem feitos”.

 

Peter Jackson afirmou que as filmagens dos dois filmes são como uma reunião e “sinto que nós estamos fazendo isso pelas razões certas”.

Disse que o público sabia de antemão o que esperar, mas ele ainda queria surpreendê-los. Filmando em 3D, pela primeira vez, fornecendo maior profundidade à Terra-média e que ama a maneira como ela está voltando à vida de uma forma muito mais vibrante. “Você vai literalmente sentir que entrou na história”, disse ele.

Filmaram em Hamilton, Ohakune, Strath Taieri e perto de Paradise Middlemarch ao longo das últimas três semanas. Todo o elenco, a equipe e equipamentos foram transportados em aproximadamente 200 caminhões, e se dirigiram para Te Anau ontem, para mais filmagens.

Perguntado se ele sentia o peso da expectativa em seus ombros, Peter Jackson disse:

“Tudo o que posso fazer é tentar fazer o melhor filme possível, e espero que as pessoas se divirtam. Vai ter um tom diferente de O Senhor dos Anéis, porque as personagens são bastante diferentes. O livro foi escrito para um leitor muito mais jovem do que o leitor de O Senhor dos Anéis, mas eu não queria fazer um filme para crianças, eu ainda queria ter alguns dos principais temas que tínhamos na trilogia”, completou.

[Atualizado] Smaug e o elfo Lindir falam sobre O Hobbit

Em entrevista ao Collider, o inglês Benedict Cumberbatch falou sobre seu papel como o Dragão Smaug, enquanto ele se prepara para começar a trabalhar em janeiro de 2012.

“Eu estou interpretando Smaug, quero dizer que estou incorporando um dragão, eu não estou apenas fazendo a voz, por isso vai ser um papel muito físico, coisa que não é estranha para mim. Fiz Frankenstein no início do ano, com Danny Boyle, no National Theater, e interpretei a criatura que me exigiu muito desse tipo de experiência corporal. Eu mal posso esperar, mas as conversas ainda têm de começar realmente para valer, porque eles estão fazendo o primeiro filme e eu fui fazer a segunda temporada de Sherlock e outra série que eu estou trabalhando… mas em um mês vamos iniciar as conversas… E já comecei a trabalhar nisso, faço exercícios com movimentos diferentes, para me deixar mais flexível, para usar esse macacão que é essencial, que têm esferas nele, também conhecido como traje de captura de movimento. Mas eu mal posso esperar, eu estou realmente animado. Eu vou filmar em janeiro”.

  Atualizado: Para a MTV, Cumberbatch disse que espera atender as expectativas dos fãs e falou também sobre a personagem Smaug:

 

“Espero poder fazer justiça aos fãs. A preparação para algo assim é bastante singular. penso que será, em partes, muito voltando ao livro, mas eu meio que quero olhar para as serpentes da vida real e criaturas desse tipo, dragões. Ele é um réptil, obviamente, então não é como o trabalho de Andy Serkis com Gollum. Vou estar sobre a minha barriga, de modo que vai exigir um pouco de prática. Ele [Smaug] é excepcionalmente bonito, vaidoso, diabólico e, também, de uma maneira ligeiramente estranha, uma personagem inocente. Ele é enganado por um nanico invisível”, disse ele. “É muito frustrante. Obviamente, eu fiz a coisa certa no teste. Então diga aos fãs para não sacarem suas adagas afiadas ainda”.

 

Já o comediante cult e músico da Nova Zelândia, Bret McKenzie, que já teve uma breve aparição no O Senhor dos Anéis como o elfo Figwit (nome não oficial e nunca pronunciado no filme), falou como a Empire pela primeira vez sobre seu novo papel como Lindir em O Hobbit.

“Eu tenho um nome próprio agora: Lindir, no livro [O Senhor dos Anéis], é uma espécie de bardo élfico. E se não for cortado, desta vez vou mesmo falar élfico. Mas eu não vou cantar. E eles ainda não me pediram para compor a música-tema”, brincou.

Para seu papel como o elfo bardo, ele teve que sacrificar a sua barba, revelou.

“É como se eu tivesse 12 anos”, falou da sua aparência. “Na verdade, eu pareço uma garota n’O Hobbit. Sim, é só olhar, pareço uma garota sensual”.

Sobre sua participação, McKenzie conta que é pequena – provavelmente apenas em Valfenda – e que foi nos estúdios de Peter Jackson.

“Foi em Wellington, então eu pude ir a pé para o trabalho, mas é um papel pequeno. – Tive alguns dias de filmagens no meio deste ano –. Mas foi ótimo poder usar minhas orelhas pontudas novamente. É em 3D, assim as orelhas pontudas são muito mais realistas. Você será capaz de tocar as orelhas”.

 

Lindir? - 4º Videoblog da produção

Ele também disse que se deu bem com todos os atores, mas especialmente com um, e ambos se divertiram bastante:

 “Acontece que Ian McKellen é um grande fã de Flight of the Conchords. Eu tenho uma ótima relação com ele no set e temos desenvolvido em conjunto uma idéia para um Hobbit musical”.

 Bret Mckenzie é mais conhecido como um dos comediantes do “Flight of the Conchords”, que ele criou junto com seu parceiro Jemaine Clement. O CD da dupla foi recompensado ​​com um Grammy, ganharam uma série transmitida pela rádio BBC e uma série de TV na HBO, com o mesmo título. Esses formatos foram muito bem sucedidos, e série da HBO chegou a ser indicada para 10 Emmys, entre outras coisas. No mundo de fala inglesa, Bret McKenzie é hoje um dos comediantes mais populares. Ele também acaba de trabalhar no novo filme dos Muppets, onde ele é responsável não só pela música, mas também atua.

Já esteve em O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel e O Retorno do Rei. Ele é sempre visto como um elfo em segundo plano, o que, então, lhe valeu o apelido entre os fãs de “Figwit”, sigla para: “Frodo Is Great… Who Is That?”. Outra curiosidade sobre Bret McKenzie é que ele é filho do ator neozelandês Peter McKenzie, que em A Sociedade do Anel fez uma participação especial como o Rei Elendil.

Em tempo: Andy Serkis confirmou semana passada que teremos um teaser trailer de O Hobbit por volta do Natal deste ano, agora o “hollywood insider” e autor de artigos para a revista Variety, Jeff Sneider, um dos mais bem informados jornalistas do mundo do entretenimento, disse via Twitter que o teaser trailer de O Hobbit será veiculado, nos EUA, a partir do 16 dezembro, antes de Sherlock Holmes: A Game of Shadows começar, divulgou o alemão HerrDerRinge-film. Assim, a probabilidade de que o teaser seja lançado por volta dessa mesma data, na Internet, é bem alta.

O Hobbit: Elijah Wood, Luke Evans e vídeo de nova locação

Agora que a produção de O Hobbit está bem encaminhada, será que o ator Elijah Wood acha que os dois filmes vão ofuscar O Senhor dos Anéis? Ao E! Online ele respondeu:

 “Eu não sei se eles vão superá-lo, mas eles vão ser grandes. O público é enorme e a expectativa para O Hobbit tem sido grande e por muito tempo”.

Sobre a controvérsia em torno de personagens de fora do romance de Tolkien, Wood explicou como os personagens Frodo Bolseiro, os elfos de Cate Blanchett (Galadriel) e Orlando Bloom (Legolas), e os magos de Christopher Lee (Saruman) e Sylvester McCoy (Radagast), foram escritos para os filmes.

“A idéia é que há coisas realmente acontecendo historicamente, ao mesmo tempo em que a história de O Hobbit está desenrolando, mas eles não estão em O Hobbit”, disse ele. “Eles estão em apêndices e outras partes… é daí que um monte de coisa está vindo”. E acrescentou. “Vai ser uma ótima transição [para O Senhor dos Anéis]. Eu acho que vai ser uma grande conexão e uma nova abordagem, com os lugares onde nunca estivemos antes na Terra-média, misturados com coisas que são muito familiares para nós. Será uma bela transição. Estou animado com isso. Eu mal posso esperar”.

 

Já o ator galês Luke Evans, que interpreta o arqueiro Bard em O Hobbit, está voltando ao trabalho este mês para trabalhar até o meio de 2012. Falando ao Fresnobee o ator não escondeu sua emoção em ser parte de um projeto tão aguardado.

“Meu coração estava acelerado no meu primeiro dia lá, porque eles têm essa coisa de ir te mostrar os novos atores e todos os sets, e eu vi a casa do Bilbo, e eu estava [palavrão suprimido], eu realmente entrei na casa do Bilbo! Foi algo tão incrível. Eu nunca vou me esquecer desses momentos, então eu mal posso esperar para voltar, para ser honesto”.

Empolgados também estão os espiões do TheOneRing.net na Nova Zelândia. Em meio a tantas notícias na imprensa neozelandesa sobre a equipe de Peter Jackson espalhada pelo país filmando em dezenas de locações (incluindo Queenstown, Paradise e Otago, onde parecem estar filmando algo grande e com muitos figurantes, além da presença de Orlando Bloom, o Legolas – Batalha dos Cindo Exércitos?), eles conseguiram flagrar um helicóptero fazendo uma tomada aérea em Golden Bay. As imagens captadas pelos espiões foram reunidas num pequeno vídeo de animação. Elas mostram o momento que um helicóptero passa filmando os atores, bem ao fundo, montados em cavalos. Ao que tudo indica, são as cenas que mostrarão Bilbo, anões e Gandalf logo após saírem do Condado e indo até Valfenda, antes do encontro com os Trolls. Veja o curto vídeo e mais fotos AQUI!

Golden Bay, NZ - foto TheOneRing.net

Agradecemos ao Adão Ferri e a Ana Cris pelas dicas!

Filmando o início e o fim da jornada de Bilbo, por Eric Vespe

 

“Bem-vindo ao terceiro e último artigo focando as filmagens em Matamata (Vila dos Hobbits), enquanto a grande equipe de O Hobbit percorre a Nova Zelândia”. Assim Eric Vespe, do AICN, o hobbit Fredegar Chubb, começa mais um artigo relatando sua experiência como figurante na superprodução de Peter Jackson.

Neste novo artigo, Eric Vespe mais uma vez nos revela algumas coisas sobre os acontecimentos ligados a Bilbo e à Vila dos Hobbits. No entanto, apesar dos spoilers, Vespe diz que vai pegar leve com as revelações, e que qualquer um que leu O Hobbit e viu a trilogia, não vai se espantar com o que ele vai relatar. Afinal, se você viu os filmes sabe que Bilbo volta para casa, não é?!

 Abaixo, os trechos de maior interesse:

 … Acabamos o nosso penúltimo dia com um Martin Freeman como Bilbo Bolseiro levado para fora da Vila dos Hobbits, correndo atrás dos anões, e começamos o nosso último dia com o Sr. Bolseiro retornando ao Condado quando a sua grande aventura chega ao fim.

O início e o fim dentro de um período de 24 horas.

Matamata estava cinza, o céu azul e brilhante dos dias anteriores se foi. Isso não atrapalhou muito a aparência da paisagem, no entanto.

Eu parei o desenhista de produção, Dan Hennah, para discutir a reconstrução da Vila dos Hobbits, que foi uma tarefa e tanto. Eles começaram em janeiro de 2009, quando Guillermo del Toro ainda estava dirigindo e eles pensaram que iam filmar em 2010.

 A peça central da Vila dos Hobbits (e também a razão principal deste local ter sido escolhido há 13 anos) é a árvore da festa. E quando Dan Hennah e a equipe apareceram para iniciar o processo da ressurreição Vila dos Hobbits, eles encontraram a árvore da festa em condições terríveis. Galhos estavam caindo e as folhas estavam morrendo graças a uma temporada muito seca na Nova Zelândia. Uma força tarefa de fertilização de emergência foi criada, coisas que não agredissem a árvore de cara, mas para lentamente trazê-la de volta a sua forma original.

Como você pode ver, obviamente funcionou.

 

 Em termos de mão de obra, houve 6 jardineiros em Matamata todos os dias durante os últimos dois anos mantendo a grama crescendo, as folhagens, e cuidando das raízes expostas no conjunto. Nos meses que antecederam a filmagem, a equipe foi aumentando para que o conjunto da Vila dos Hobbits se tornasse … bem, a Vila dos Hobbits.

Isto sem mesmo contar as equipes de construção que realmente construíram as tocas dos hobbits, a ponte de pedra e O Dragão Verde. E construíram para que durem, devo acrescentar.

Da última vez eles construíram as tocas e estruturas como a maioria dos conjuntos do filme. Eles eram temporários, não funcionais. Desta vez, eles fizeram um acordo com o proprietário para tornar este local uma atração oficial e de longa duração para os fãs dos filmes.

Quarenta e quatro tocas de hobbits foram construídas permanentemente, com muros de arrimo, impermeabilizadores de telhados, etc. A ponte de pedra foi construída com uma superestrutura de aço coberta com revestimento de pedras verdadeiras. O Dragão Verde é o mais impressionante de todos eles, pois foi construído com uma lareira em funcionamento e encanamentos.

Hennah disse que os planos eram para realmente transformar O Dragão Verde em um pub, real e funcional, mas, neste ponto, creio que isso  tudo deve ser com os proprietários da terra. Eu posso imaginar o casamento de um nerd acontecendo em Matamata, votos sob a árvore da festa e a recepção no Dragão Verde. Ah, o amor nerd!

Embora eles tenham removido uma grande quantidade de coisas (ou seja, adereços, como cadeiras, escadas etc), as tocas permanecerão e todos poderão entrar de forma segura.

 Hennah é conhecido como o mais importante responsável pela Vila dos Hobbits em todos os filmes. Ele fez o seu trabalho direito. Nela começa a história e coloca o público direto num mundo mágico convincente. Como locação, a Vila dos Hobbits é a primeira e a última impressão que temos dos conjuntos da Terra-média nos filmes, começo e fim.

De qualquer forma, eu estou geralmente escondido enquanto eles estão filmando. Atrevo-me a sair para assistir aos ensaios e (meu favorito) para passear durante o almoço, enquanto a equipe não está trabalhando, mas durante as filmagens eu fico normalmente fora do caminho, pelo menos o quanto eu puder ficar. Este não foi o caso para esta tomada de Bilbo correndo para alcançar os anões.

Eu me posicionei com Leith McPherson, um dos treinadores de dialeto, ao lado do pessoal do som em cima de uma toca hobbit, com vista para o Condado. Estávamos descendo a colina do Bolsão enquanto a tomada tinha Bilbo correndo muito com  o seu contrato com os anões, acho.

Ele passa por Worrywort, o hobbit que ele fala no meu momento como peixeiro, e pergunta para onde ele está correndo.

 Há um entusiasmo na voz dele enquanto grita que está indo em uma aventura, que é uma ligeira alteração do Bilbo do livro, e que está mais satisfeito por ter sido forçado a sair da sua toca hobbit. Mas isso [como o Bilbo do livro] ainda está no filme, especialmente na primeira cena onde Gandalf pede a ele para se juntar à demanda.

No entanto, Jackson, Fran Walsh e Philippa Boyens tomaram a deixa do romance de Tolkien, de Bilbo ser um pouco como uma criança aventureira, com um pouco de Urratouro Tûk no sangue de suas veias, e parecem ter injetado um pouco desse jovem aventureiro dentro do hobbit.

 Pelo que tenho visto, acho que assim o torna um personagem mais interessante e que nós reconhecemos a partir da representação de Ian Holm em A Sociedade.

Retornar à Vila dos Hobbits é um pouco mais melancólico, é claro. A missão é finalizada, amigos morreram e Bilbo está exausto, para não mencionar um pouco em estado de choque. E finalmente ele chega em casa para encontrar todas as suas coisas sobre o gramado! Que tal isso como um sinal de boas-vindas?

Após ter estado fora por 13 meses, Bilbo foi dado como morto e há um leilão de seus bens, que deixa os Sacola-Bolseiros muito felizes.

 Falei brevemente com Martin sobre essa parte e ele mencionou que queria atuar de forma um pouco mais dura do que Peter estava provavelmente esperando. Ele não está feliz em ver pessoas adquirindo os seus bens e depois de uma dura jornada, ele não é o mesmo e tranquilo hobbit como aquele que eles deixaram. O que pensava Freeman, de qualquer maneira, e pelo que pude ver sendo filmado, Jackson concordou  que isso deveria ser feito com mais força.

 O cara não está gritando nem batendo nos idiotas, mas ele é visivelmente mais forte e mais confiante do que era antes.

Todas as coisas boas chegam ao fim e isso inclui meu tempo em Matamata. Mas, como Bilbo, minha aventura está apenas começando.

Durante o almoço, a gerente de produção e da equipe de trabalhadores da locação, Bridgette Yorke, entregou pacotes contendo mapas, chaves e informações detalhadas sobre a próxima locação. É um momento emocionante, eu devo dizer. Senti-me um pouco como num reality show já que eu tinha uma vaga idéia de onde estávamos indo em seguida, mas sem detalhes verdadeiros até receber o pacote com um endereço e uma chave nele.

Onde estaríamos indo? Aqui vai uma dica:

 

Foi lindo, Vila dos Hobbits. Vou sentir sua falta … mas a aventura continua. Fiquem ligados para um artigo sobre o próximo local que inclui magos, anões e cavalinhos.

O Hobbit: “Gandalf é um soldado”, diz Ian McKellen

Gandalf com Glamdring – 4º videoblog da produção

Em sua última e mais recente postagem no seu blog sobre O Hobbit, Sir Ian McKellen fez algumas reflexões sobre seus papéis no teatro ao longo de sua extensa carreira. Dentre estes papéis, muitos personagens com capa e espada e soldados encabeçam seu vasto currículo. Os “devaneios durante uma longa espera hoje, que foi um descanso depois de muita luta na Terra-média”, fez Sir Ian chegar a uma conclusão sobre a natureza de Gandalf, o Cinzento:

Em O Hobbit, Gandalf é um tanto velhaco, porém, mais do que isso, ele é um soldado. Peter Jackson, que gosta de ver caras velhos lutando, lembrou-me outro dia que Gandalf é um comandante, um general. E após ter matado o Grande Goblin eu estava sendo um pouco tolerante demais com os anões que, entretanto, tinham perdido Bilbo nos túneis dos goblins. Eu interpretei soldados o suficiente para ver que PJ tinha razão e na tomada seguinte eu fui muito mais severo.

O Hobbit: Eric Vespe e o hobbit Fredegar Chubb

 

Eric “Quint” Vespe, do  Ain’t It Cool News, postou mais um de seus artigos relatando sua experiência como um figurante hobbit nas filmagens na Vila dos Hobbits. Dessa vez, além de nos mostrar algumas belas fotografias (abaixo), relatou a sensação de passar pelo processo de caracterização, principalmente em relação aos grandes pés peludos de silicone, que devem ser colados aos pés dos atores e figurantes quando estes estão em pé. É um processo dolorido e demorado.

 “Eu tenho um profundo respeito por aqueles que passam por este processo e todos os dias, seja Elijah Wood, Sean Astin, Billy Boyd e Dominic Monaghan, em O Senhor dos Anéis, ou Martin Freeman aqui. Com os anões é cem vezes pior, também. Barbas gigantescas, nariz, mãos prostéticas, trajes pesados. Eu não os invejo”, disse.

Atenção, assim como o relato anterior, este também contém alguns spoilers!

   

 

Eric Vespe também contou um pouco sobre o que ele teve que fazer em uma cena com Martin Freeman, revelando, assim, um pouco do que veremos no primeiro filme, O Hobbit: Uma Jornada Inesperada. Segue alguns trechos do relato de Vespe :

 

“Como você se sente em relação a peixes?”, Perguntou ele [Jackson]. Eu não como e não gosto de frutos do mar, mas eu não tenho medo de lidar com eles… “Bom. Você vai vender um peixe para Bilbo”, disse ele e eu fui para a barraca de peixe. Um figurante mais velho já estava ali colocado e foi levado para outra parte da cena; colocaram-me atrás do balcão que estava ladeado por cestos com grandes peixes falsos de aparência realista e enguias.

Olhei para cima e vi o Technocrane apontado diretamente para mim. Alguns sentimentos apareceram: nervosismo, excitação e culpa. Eu me senti muito mal pelo pobre rapaz que foi retirado deste local. Ele deve ter pensado que ia ser o seu grande momento. Eu já fiz algum trabalho como figurante antes, quando era um adolescente, e sei qual é a emoção quando você acha que vai aparecer em cena, e sei também como é a decepção quando percebe que não vai.

Então, eu senti pena desse cara, mas essa sensação foi rapidamente superada pela percepção de que eu estava à frente e no centro dessa cena e que eu não sabia o que diabos eu ia fazer.

Peter estava bloqueando a cena com Martin Freeman, que começa com Bilbo comprando um peixe e olhando em volta nervosamente. Nesse ponto, ele já foi abordado por Gandalf para a sua grande aventura e espera que o mago o informe sobre isso um pouco mais, eu acho. Depois de comprar o peixe de mim, ele esbarra em outro hobbit chamado Worrywort, que empurra um carrinho de mão com legumes e Bilbo pergunta se ele viu o mago andando por aí.

Mais algumas barracas e Bilbo vê o que parece ser o chapéu cinzento e pontudo de Gandalf e ele tenta se esconder, geralmente atrás de outros hobbits, incluindo um Worrywort confuso e um casal hobbit alheio aos acontecimentos, em um passeio romântico através do mercado.

Esse casal acabou sendo meus amigos Aaron e Kaela Morgan, que se juntaram a mim em muitas aventuras na Nova Zelândia no passado, e não estavam dispostos a deixar passar a chance. Estavam quase irritantemente bonitinhos aqui, roubando beijos enquanto compravam, sem saber que escondiam um Bolseiro.

Foi igualmente interessante notar que alguns Sacola-Bolseiros, Otho e Lobélia, estavam nesta cena. Lobélia torce o nariz para o comportamento errático de Bilbo enquanto ele se esconde atrás Worrywort. Sua roupa é escandalosamente pomposa, com o chapéu mais ridículo que eu já vi. A atriz, cujo nome não me vem neste momento, parece certa para a personagem. Fãs dos filmes originais podem se lembrar que Elizabeth Moody  fez o mesmo papel na Versão Estendida.

 

[…]

Durante a pausa Peter me apresentou a Martin Freeman. Eu já estava no set há algumas semanas neste ponto, mas não tinha me encontrado com ele até aquele momento.  Sou um fã de longa data de The Office e um admirador recente de Sherlock [ambas séries de tv protagonizadas por Freeman], e foi um prazer descobrir que ele é bastante acessível e um cara divertido.

Freeman perguntou a Jackson se meu personagem tinha um nome. Eu não sabia, é claro, mas Peter mencionou um site que transforma seu nome real em um nome Hobbit. Em 30 segundos, Sebastian Meek, assistente de Peter, impressionantemente engraçado e absurdamente alto, trouxe o nome em seu iPhone. Esse maldito site disse que o nome Hobbit para Eric Vespe era Fredegar Chubb, um nome bastante infeliz, devo dizer.

Mas já era tarde demais. Jackson e Freeman ouviram e tornaram esse o meu nome oficial. Acredito que Freeman perguntou por um nome, em primeiro lugar, para que ele pudesse ter algo a acrescentar à sua fala, como ele estava escolhendo os peixes, referindo-se a este peixeiro corpulento como se o visse semanalmente.

Assim, depois de cada tomada, era um tal de “vejo você na próxima sexta, Mr. Chubb”, ou “vou levar esse, Freddy”. Mas era principalmente “Mr. Chubb”.

Enfim, a ampla tomada começou sobre nós e girou em volta para mostrar o grande mercado e todo o negócio movimentado de um dia de compras, com Martin passando para a ação.

Alguns peixes (mortos) reais foram trazidos e Martin apontou para um, geralmente com um “hmmm … um, por favor, Mr. Chubb”. Eu peguei o escolhido com um sorriso e o coloquei sobre um pedaço de papel, enrolei uma vez, depois o envolvi com uma segunda camada antes de entregá-lo a ele. Enquanto eu estava ocupado envolvendo o peixe, Freeman olhava em volta nervosamente.

[…]

As melhores recordações que terei do meu grande dia serão sempre daqueles 45 segundos antes de cada tomada, pois era apenas Freeman e eu fazendo piadas. Jackson queria que todos parecessem alegres. Hobbits são pessoas alegres, afinal de contas. Ele ficava no alto-falante nos dizendo para nos movimentarmos, ficarmos soltos e felizes. “Sorriam uns com os outros! Fofoquem e riam!”

 

Em seguida Vespe conta que o diretor Peter Jackson achou melhor dar-lhe uma pequena fala para tornar a cena mais verossímil. Continua Eric Vespe:

“Talvez devêssemos  lhe dar uma linha”, disse Jackson.

“Oh, Cristo! Nós já lhe demos um nome, agora você está recebendo uma linha?? O que mais você quer?”, Gritou Martin Freeman numa indignação fingida. Eu respondi que se ele não tomasse cuidado Mr. Chubb assumiria a franquia.

“Até quando você estará aqui?”, perguntou Martin.

“Até dezembro”, eu respondi.

“Ah. Você será Bilbo até 18 de novembro”, Freeman admitiu.

Foi decidido que eu iria dizer um simples “senhor”, quando eu entregasse o peixe. Eu não sou de modo algum um ator e de repente agora eu tinha de dizer alguma coisa diante das câmeras. E eu tinha que dizer isso como um Hobbit, o que significa que eu tive que colocar um sotaque na palavra.

[…]

A parte mais importante era manter-me jovial. Eles queriam ver um brilho nos meus olhos e um sorriso no meu rosto. Hobbits alegres e felizes, lembra?

[…]

Eu estava tão orgulhoso de mim mesmo. Minhas mãos estavam nojentas, respingos de tripas de peixe gorduroso estavam presos em alguns lugares, minhas unhas estavam sujas, e eu até tinha algumas escamas de peixe estrategicamente colocadas para dar um pouco de textura. Feliz da vida, passei por todos os ensaios com estas mãos.

[…]

Não demorou muito para minha pequena parte nesta aventura ser concluída. Por esta altura, no meu pé hobbit senti que havia uma fina camada d’água, quando eu voltava para o ônibus, o suor do dia todo estava reunido lá em baixo… Ver Mr. Chubb desaparecer peça por peça no final do dia foi um pouco triste, mas como é doce o alívio de poder tirar a peruca que dá coceira, os pés moles, as orelhas prostéticas (que abafam o som durante todo o dia) e voltar para o meu confortável traje à paisana.

Você pode ler o artigo completo de Eric Vespe (em inglês) no link:  Ain’t It Cool News – An Unexpected Journey: Quint on the set of The Hobbit! Part 2 – They Call Me Mr. Chubb

Quarto videoblog da produção de O Hobbit é liberado!

A semana está recheada de novidades sobre O Hobbit!

Em primeiro lugar Peter Jackson nos presenteia, direto do facebook, mais uma vez com um novo videoblog da produção, o 4º videoblog pode ser visto aqui!

Já o TheOneRing.net postou um vídeo sobre a suposta da casa do Beorn (ou seria do Radagast? Tire suas conclusões) que está sendo construída na Ilha Sul. Veja o vídeo aqui [atualizando: parece que a Warner Bros. pediu a retirada do vídeo do ar, como o esperado.] O site também postou algumas fotos que mostram mais detalhes da construção. Veja as imagens aqui!

 Já o neozelandês Waikato Times relata que atividades intensas começaram ontem em uma propriedade em Wharepapa South, Waikato, na Ilha Norte. Assim como nas outras locações por toda a Nova Zelândia, nesta há uma grande concentração de equipamentos para as filmagens.

Wharepapa South - Waikato