Arquivo da categoria: Mundo

Endor (Terra-média)

O continente conhecido como Terra-média é o maior e o mais fartamente documentada por Tolkien. Suas muitas terras e regiões foram catalogadas em vários livros pelos comentaristas de Tolkien. A regiões principais da Terra-média incluem: Beleriand, Eriador, Rhovanion, Gondor, Harad Próximo, Harad Distante, Mordor e Rhun.
 
Beleriand (Terra dos Valar)

Esta foi a mais comentada região da Terra-média, e o lar das mais antigas civilizações de fora de Aman. As grandes florestas de Beleriand, entre os rios Sirion e Gelion, abrigaram os Sindar e os Noldor, e mais tarde os Edain.

Beleriand Leste consistia das terras entre o Gelion e as Ered Luin (Montanhas Azuis), e as regiões entre o Gelion e o Sirion. Após a Primeira Era, apenas as terras a leste do Gelion sobreviveram à destruição de Beleriand, e mesmo estas mudaram muito devido aos tumultos causados pela Guerra da Fúria.

Beleriand Oeste ficava além do Sirion e incluia poucas florestas mas mais áreas montanhosas que a Beleriand Leste. Os principais rios da região eram Narog e Nenning, ambos nascendo nas Ered Wethrin (Montanhas das Sombras) ao noroeste de Beleriand.

As regiões de Hithlum, Ard-galem, Dorthonion e Lothlann pode-se dizer que compunham a Beleriand Norte, mas algumas vezes é dito que eram separadas de Beleriand. Dorthonion era separada das Ered Wethrin pelo Sirion e das Ered Luin pelo Gelion.

Ard-galen, mais tarde chamada Anfauglith era delimitada pelas Ered Wethrin ao oeste (além das quais ficava Hithlum), Dorthonion ao sul, Angband (os picos de Thangorodrim) ao norte e Lothlann ao leste. Lothlann expandia-se ao norte para as vastidões geladas que eram restos da primeira fortaleza de Melkor, Utumno. Partes da região sobreviveram como litorais da Baía Gelda de Forochel após a Primeira Era.

Eriador (Terra de Reis)

Eriador ficava entre duas cadeias montanhosas, as Erde Luin e as Hithaeglir (Picos Sombrios). A borda sul da região consistia dos rios Glaunduin Gwathlo. Gramde parte da região consistia de colinas, algumas das quais chamadas de "baixadas", um tipo de colina formada pela erosão de sedimentos leves. As baixadas eram longas cadeias mas não eram (nas passagens em que Tolkien as descrever) simplesmente cortes de pedra expostos ao tempo. Eles eram agrupados bastante próximos.

Os rios principais de Eriador eram o Mitheithel (que formava a origem do Gwathlo com o Bruinen, o rio de delimitava Imladris) e o Baranduin (rio marrom, chamado Brandywine pelos hobbits). O rio Lhun, que corria para o sul perto das Ered Luin para o Golfo de Lhun (após a Primeira Era), era algumas vezes chamado de divisa de Eriador, que na Terceira Era era quase um sinônimo com o reino Dunedain de Arnor.

Anteriormente densamente florestado, Eriador foi desnudado de árvores na Guerra de Elfos e Sauron no meio da Segunda Era, mas ao final da Terceira Era (cerca de 4700 anos depois) a área tinha se recuperado em muitas regiões. Os Elfos viveram em Eriador por muitos anos antes das Guerras de Elfos e Sauron. Mas na Primeira Era clãs de Homens começaram a se fixar em certas regiões e os nandor retiraram-se antes deles. Foi na Segunda Era que a terra tornou-se dividida entre Elfos e Homens igualmente, pois o Baranduin marcava uma fronteira entre suas terras.

Os Dunedain ficaram-se nas terras entre o Lhun e o Baranduin, nas Colinas de Evendim perto do Lago Nenuial (do qual o Baranduin corria) e nas Baixadas Norte e Sul para o leste da área. Eles governavam outros Homens que migraram para o norte durante a Segunda Era.

Existiram três Reinos Élficos em Eriador: o Reino de Gil-galad, que permaneceu até o final da Segunda Era; o reino de Eregion, que permaneceu aproximadamente de 700 a 1700 da Segunda Era; e o refúgio de Imladris, que foi fundado após a queda de Eregion na Guerras de Elfos e Sauron e permaneceu até a Quarta Era.

O Reino de Arnor foi estabelecido pelos Dunedain ao final da Segunda Era, reunindo sob uma coroa todas as terras que naquele momento não stavam sob domínio Élfico. Muitos dos Dunedain eram descendentes dos Beorians da Andunie, pois naquela região vivia a maioria dos Fiéis antes da Queda de Numenor.

Quando aproximadamente um terço da Terceira Era havia se passado, o Reino de Arnor foi dividido em três reinos: Arthedain, Cardolan e Rhudaur. Em um certo tempo Cardolan retornou à Coroa de Arthedain mas Rhudaur foi conquistado pelo Rei-Bruxo de Angmar, que havia estabelecido um reino nas montanhas ao norte. O Reino Restaurado de Arnor lutou com a ajuda dos Elfos para sobreviver mas antes do ano 2000 o reino foi tomado e destruído. Com a queda de Angmar no ano seguinte (1975) o último grande poder no norte da Terra-média foi encerrado. Mais tarde a região degenerou, com apenas um punhado de enclaves sobrevivendo até Aragorn II reestabelecer Arnor como parte do Reino Reunido (na Quarta Era).

Rhovanion (Terras Selvagens)

Rhovanion era o antigo nome das terras que ficavam a leste de Hithaeglir e oeste de Carnen (Rio Vermelho) e o mar interior de Rhun. Mais tarde o nome foi tomado por um reino de Homens do Norte e que perdurou entre 1200 e 1850 da Terceira Era.

Os dois grandes rios de Rhovanion eram o Celduin, que corria para o sul a partir de Erebor (a Montanha Solitária) e se unia ao Carnen e ao Anduin (Grande Rio), os quais corriam ao sul a partir das Montanhas Cinzentas. Anduin ficava entre o Hithaeglir e a grande floresta conhecida como Greenwood a Grande, Mirkwood e finalmente Eryn Lasgalen (Floresta das Folhas Verdes).

Embora os Eldar tenham passado pela região durante a Grande Jornada, alguns dos Teleri foram para o sul e seguiram o Anduin para outras terras. Mais tarde, uma porção desses Teleri (os Nandor) migraram para o norte ao longo do rio, separando-se em dois grupos. A eles se juntaram alguns Avari e Eldar durante a passagem do tempo e se tornaram os Elfos da Floresta.

O Reino de Lorien foi o mais antigo Reino Élfico a sobreviver na Terra-média após a queda de Gil-galad ao final da Segunda Era. Ficava numa pequena floresta perdo do Hithaeglir. Os Elfos da Floresta de Greenwood a Grande gradualmente se mudaram para o norte durante a Segunda e Terceira Eras até que finalmente estabeleceram o Reino de Mirkood Norte, que se tornou o último dos Grandes Reinos Élficos (e mesmo assim não rivalizava com as antigas civilizações Eldar).

Os Homens dos Vales do Anduin, parentes dos Edain que se fixaram em Elenna, espalharam-se por todo o sul de Mirkwood e nos vales do Anduin e Celduin. Estabeleceram muitas tribos e reinos, mas ao final da Terceira Era apenas três grandes grupos restaram: os Beornings, os Homens da Floresta e os Homens de Valle (e Esgaroth).

Mirkwood Sul foi também utilizada com uma base por Sauron, que estabeleceu uma fortaleza na colina Amon Lanc, que originalmente era uma cidade dos Elfos da Floresta. Desta base Sauron foi capaz de ameaçar Gondor, Lorien e Mirkwood do Norte.

Gondor (Terra de Pedra)

Gondor era propriamente um nome de reino e não uma região, mas as terras interiores de Gondor ficavam ao longo da costa da Terra-média e ao longo do curso sul do Anduin, cercando as Ered Nimrais (Montanhas Brancas). Gondor também incluía um terra Élfica e cercava várias terras-natais de muitos povos: Druedain em Druwaith Iaur (no oeste, perto do Cabo de
Andrast) e na Floresta Druadad (no lado leste das Ered Nimrais); Homens dos Vales das Ered Nimrais (de onde vieram os Terrapardenses e os Homens de Bree em Eriador); povos pesqueiroa; e talvez alguns povos dos Edain.

O Reino de Gondor foi estabelecido ao mesmo tempo que Arnor pelos Dunedain de Numenor. Lá existiram muitos Dunedain e outros povos mestiços habitando a região.

O porto Élfico de Edhellond foi eventualmente absorvido em Gondor mas a maneira pela qual ocorreu essa absorção não é descrita por Tolkien. Edhellond era situado perto da foz do rio Morthond (Raiz Negra), que era o segundo maior rio de Gondor.

Durante um tempo Gondor se estendeu ao norte até a divisa de Cardolan, para leste até o Mar de Rhun e para o Sul até as terras de Harad. Até mesmo governou Mordor por muitos séculos, embora os Dunedain não tenham reclamado posse dos domínios de Sauron.

Harad Próximo(Sul Próximo)

O Harad Próximo situava-se entre o rio Harnen, que marcava o fronteira mais ao sul do núcleo do Reindo de Gondor. As terras tem sido descritas como desoladas por muitos comentaristas mas esta interpretação das áreas vazias dos mapas de Tolkien não são consistentes com o fato de que muitos povos viviam ali. O Harad Próximo era de fato uma região que continha muitos reinos ou tribos, e provavelmente tinha sua quantia de rios, planícies, florestas e colinas. As terras controladas pela Cidade dos Corsários no Cabo de Umbar, um porto Numenoriano, provavelmente era parte do Harad Próximo.

Harad Distante (Sul Distante)

O Hard Distante foi, como o Harad Próximo, pobremente descrito por Tolkien em suas obras. Ficava além de Umbar e aparentemente era bastante quente.

Sabe-se, a patir de mapas antigos, que existia uma cadeia de montanhas nas regiões ocidentais do Harad Distante. Estas montanhas eram chamadas de Montanhas Cinzentas (mas não eram relacionadas às Montanhas Cinzentas de Endor norte).

Na Segunda Era os Numenorianos estabeleceram portos e fortalezas nas terras que mais tarde foram chamadas de Harad Distante. Eles conquistaram muitos povos ao longo da costa e entraram em conflito com os alidos de Sauron que moravam além da costa. Alguns desses domínios aparentemente sobreviveram na Terceira Era para se tornarem inimigos de Gondor.

As costas lestes do Harad distante eram dominadas pelas Montanhas Amarelas, uma característica que é apenas nomeada em uma pequenas porção de fontes e sobre as qual não sabemos nada.

Mordor (Terras Negras)

Mordor, como Gondor, era apenas uma pequena terra que era sinônimo com um grande região chamada pelos mesmo nome. Ela situava-se inteiramente entre os braços das Ered Lithui (Montanhas de Cinzas) e Ephel Duath (Muros de Sombras); ambos as fileiras parecem ser parte de uma mesma cadeia extensa de montanhas.

Esta região era aberto para o lado leste para as terras de Rhun as quais eram controladas por Sauron. Dentro de seus limites Mordor era dividida em três áreas: Udun, Gorgoroth e Nurn.

Udun era um enorme vale no canto nordeste de Mordor. A área era rochosa e em forma de tigela mas provavelmente não completamente inóspito a plantas e vida animal.

Gorgoroth era dividida em duas áreas. O canto noroeste era virtualmente desprovido de vida, dominado pelo Amon Amarth, o enorme vulcão que Sauron utilizou para forjar o Um Anel e para lançar um nuvem para bloquear o sol em seu ataque a Gondor ao final da Terceira Era. As terras ao redos do vulcão eram cheias de cinzas e estéreis.

O resto de Gorgoroth provavelmente não era muito melhor mas talvez suportasse algumas plantas e vida animal. Era um grande plateau que se extendia através do terço mais ao norte de Mordor, quase no final das Ered Lithui. Nurn situava-se ao sul de Gorgoroth. A parte oeste de Nurn era chamada Lithlad (uma indicação da extensão em que Sauron envenenou suas próprias terras). As regiões sul e leste de Nurn era dominados por um pequeno mar, Nurnen, e os rios que o alimentavam. Estas terras nesta área eram bastante férteis e Sauron mantinha muitos escravos ali para conseguir comida para seus exércitos.

Rhun (o Leste)

Rhun foi o berço dos povos da Terra-média. Mesmo os Elfos acordarem lá na antiga terra de Cuivienen, que ficava no litoral nordeste do mar de helcar, entre o mar e as montanhas. Cuivienen estava situada ao longo de um pequena baía ou lago no qual derramava-se uma grande cachoeira alimentada por um rio da montanha.

A característica dominante de Rhun eram a cadeia de montanhas chamadas Orocarni (Montanhas Vermelhas). Estas montanhas expandiam-se ao longo da costa leste da Terra-média do norte até as regiões centrais.

Após a Guerra da Fúria mesmo Rhun foi afetada pelas mudanças inflingidas à Terra-média e Helcar foi drenado e apenas o Mar de Rhun sobreviveu à sua destruição. Cuivienen aparentemente também foi destruída, e possivelmente as Orocarni sofreram danos similares àqueles sofridos pelas Ered Luin (elas foram divididas pelo Lhun).

Os Homens acordaram em Hildorien, uma terra que ficava a sudeste de Cuivienen e além dos picos sul das Orocarni. Existe menção de uma pequena cadeia de montanhas em um mapa chamadas Montanhas do Vento que podem ter sido a borda oeste de Hildorien.

Como Cuivienen, Hildorien foi eventualmente destruída, mas os Homens começaram a deixá-la muito antes do final da Primeira Era.

A única outra terra em Rhun que foi nomeada por Tolkien era Khand, que ficava logo a leste de Mordor. Os Varigs de Khand eram similares em cultura aos Carroceiros que viviam nas terras ao norte e tradicionalmente passavam entre as Ered Lithui e o Mar de Rhun em suas invasões.

Outros Orientais viveram logo ao norte. Estes se engajaram em guerras com os Homens do Norte (e, presumivelmente os Anões) que viviam entre os rios Carnen e Celduin. Embora seja dito que Rhun continha grandes planícies a partir das quais os carroceiros e outros povos surgiram, as terras mais ao norte podem ter sido densamente florestadas.

Está envolvido com a obra de Tolkien desde 1999 – fundador da Calaquendi, fundador da Valinor, fundador do Conselho Branco (Sociedade Tolkien) e presidente por três mandatos. Participou da publicação em livro do Curso de Quenya e é autor do Modo Tengwar Português

Elenna

A ilha de Elenna, erguida pelos Valar para ser lar e refúgio para
aqueles Edain que sobreviveram às Guerras de Beleriand, tinha mais de
805 km de largura por 480 km de comprimento, mas era formada por cinco
peninsulas. O total estimado da área de terra equivale a cerca de
430.000 quilômetros quadrados.

 

 

Como critério de comparação, Elenna era (por estimativas) serca de 3
vezes o tamanho de Rohan, 3/5 o tamanho de Arnor, 2 vezes o tamanho de
Cardolan e cerca de 8 vezes o tamanho do Condado. De modo único entre
todas as terras de Arda, Elenna era o lar de uma única nação de povos,
os Numenorianos. Nunca foi pliticamente dividida ou invadida. Então a
terra era comumente chamada de Numenor, um nome surgido mais tarde que
eventualmente se referia mais à civilização dos Dunedain do que à ilha.

A ilha erguia-se do mar como um enorme planalto, e apenas poucas
regiões possuíam praias ou portos naturais. Em alguns locais os
penhascos tinham mais de 60 metros. As três baías que possuíam nomes
eram Rommena (baía leste), Eldanna (a grande baía oeste), e a Baía de
Andunie (no noroeste). Mas o porto sul de Nindamos (que ficava no único
litoral com praias) parecia situar-se ao longo de uma quarta baía ou
"mar".

Os dois maiores rios de Elenna eram Siril e o Ninduine, os dois
nascendo perto do Meneltarma. Siril corria para o sul e desenbocava no
mar a oeste de Nindamos. Ninduine corria para oeste para a Baía de
Eldanna no lado sul de Eldalonde, o mais belo dos portos de Numenor. O
único lago que Tolkien mencionou foi Nisinen, formado pelo Ninduine
logo a oeste de Eldalonde na borda leste da floresta chamada
Nisimaldar.

Elenna era dividida em seis regiões: Mittalmar, Orrostar, Forostar,
Andustar, Hyarnustar, e Hyarrostar.

Mittalmar (Terras Interiores)

Mittalmar era a região central e a mais densamente povoada. O
Meneltarma, a montanha central de Elenna era localizada no coração
desta região e o capitólio da cidade de Armenelos foi construído aos
pés da montanha. A região mais a leste de Mittalmar era chamada de
Arandor e incluía Armenelos e Romenna. A única outra região de
Mittalmar a ser nomeada era Emerie, que ficava a sudoeste do
Meneltarma.

Mittalmar era principalmente uma região gramada e plana com poucas
árvores. A região era largamente utilizada para pastoreamento de
rebanhos. A maioria do povo era proveniente do loiros Marachians da
Primeira Era (a Casa de Hador, de Dor-lomin).

Orrostar (Terras de Nordeste)

Orrostar era a região nordeste de Numenor. Era uma região fria mas as
terras mais próximas de Arandor em Mittalmar eram cultivadas (os Edain
plantavam grãos lá). Não existe menção de nenhuma cidade na região. A
ilha de Tol Uinen, que ficava ao norte do porto de Romenna, pode ter
sido parte de Arandor.

Forostar (Terras do Norte)

Forostar era a região norte de Numenor, e os Edain minaram as colinas e
monatnhas da região. Tar-Meneldur, o quinto Rei de Numenor, construiu
uma torre sobre a montanha Sorontil perto do Cabo Norte para que ele
pudesse observar as estrelas. A cidade principal (e talvez única) da
região era Ondosto, que provavelmente era associada com pedreiras no
norte.

Andustar (Terras Ocidentais)

Andustar era a região oeste de Numenor. Foi colonizada principalmente
por Beorians da Primeira Era (a Primeira Casa dos Edain, de Ladros em
Dorthonion). A cidade principal do oeste era Andunie, mas Eldalonde
também ficava nesta região.

A região florestal de Nisimaldor era chamada de "Árvores Perfumadas" e
foi enriquecida pelos Eldar com muitos presentes trazidos do Oeste.
Aparentemente existiam muitos Mallorns também. Andustar possuía muitas
fazendas, mas era para seus portos que os Eldar mais frequentemente
navegavam, e foi em Andustar (perto de Anduine) que Tar-Minastir
construiu sua torre no pico chamado Oromet para poder olhar para oeste
e visualizar Avallone.

Hyarnustar (Terras Sudoestes)

O Hyarnustar provavelmente não era muito povoado, pois suas terras
oestes eram montanhosas e não possuíam cidades. No leste as terras
constituiam-se de pequenas colinas e os Edain estabeleceram fazendas e
vinhedos ali. O litoral sudeste de Hyarnustar era suave o suficiente
para que muitos povos pesqueiros ali se fixassem.

Hyarrostar (Terras Sudestes)

Como o Hyarnustar esta região era povoada alongo da costa por povos
pesqueiros, e seu porto principal, Nindamos, ficava no lado leste do
rio Siril, nas bordas de Hyarrostar. Esta região também era a mais
densamente coberta de florestas, em Numenor, e Tar-Aldarion como Mestre
das Florestas estabeleceu muitas plantações de árvores ali para a
produção de madeira.

É provável que a maior parte do povo de Hyarrostar era descendente dos
Haladin da Primeira Era (a Segunda Casa dos Edain de Brethil).

Está envolvido com a obra de Tolkien desde 1999 – fundador da Calaquendi, fundador da Valinor, fundador do Conselho Branco (Sociedade Tolkien) e presidente por três mandatos. Participou da publicação em livro do Curso de Quenya e é autor do Modo Tengwar Português

Segunda Era do Sol

[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] A Segunda Era do Sol foi a Era dos Numenoreanos. Estes foram os descendent

 

[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] A Segunda Era do Sol foi a Era dos Numenoreanos. Estes foram os descendentes dos Edain da Primeira Era e a quem os Valar haviam contemplado com a recém criada ilha no meio do amplo mar entre a Terra Média e as Terras Imortais.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Aos Numenoreanos foi concedido uma longevidade maior que a dos Homens comuns, e com o passar dos séculos sua força e saúde aumentou e seus navios percorreram todos os mares do mundo mortal. Númenor, freqüentemente traduzido como Ocidente, também era chamada “terra das dádivas”, “terra da estrela” (devido a seu formato geográfico), ou Atlantë simbolizando o mito do continente perdido de Atlântida.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Númenor era um reino sobre uma ilha na forma de uma estrela de cinco pontas. No seu interior ela media duzentas e cinquenta milhas, e em seu extremo estendia-se por quase o dobro desta distância. Era dividido em seis regiões; uma para cada península e uma para a região central, onde encontrava-se a montanha sagrada, Meneltarma, ou “pilar do céu”, a maior montanha de Númenor. Em seus sopés havia Armenelos, a “cidade dos reis”, onde o rei e a maior parte dos Numenoreanos vivia. Mais abaixo havia o porto real de Rómenna. As outras cidades portuárias, Eldalondë e Andúinië, eram voltadas para o oeste, para as Terras Imortais.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] O primeiro rei de Númenor foi Elros, filho de Eärendil e irmão gêmeo de Elrond Meio-elfo; isto se deve ao fato de no final da Primeira Era, quando aos gêmeos Meio-elfos foi dito pelos Valar que eles deveriam escolher seus destinos, Elrond escolheu ser dos Elfos imortais, enquanto Elros tornou-se rei dos Edain, mortais. No entanto, por ser Meio-elfo, foi-lhe concedida uma longevidade de 500 anos e ele governou como rei de Númenor até o ano 442 da Segunda Era.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Enquanto os Numenoreanos prosperavam em sua ilha, aqueles Altos Elfos que sobreviveram aos conflitos da Primeira Era e escolheram permanecer na Terra Média uniram-se sob a bandeira de Gil-galad, o último Alto Rei Élfico, no reino de Lindon. Esta sendo a única parte de Beleriand a sobreviver à destruição, encontrava-se nas duas margens do Golfode Lûn. Com o passar dos anos, muitos desses Altos Elfos de Lindon vaguearam rumo ao leste e fundaram novos reinos. Senhores Sindar estabeleceram reinos entre os Elfos da Floresta em Greenwood a Grande e na Floresta Dourada de Lothlórien nos vales do Anduin. No oitavo século os Elfos Noldor de Celebrimbor estabeleceram o reino dos Ferreiros-Élficos de Eregion, pouco a oeste do Reino dos Anões de Khazad-dûm. No entanto os Elfos e Anões não foram os únicos a prosperar e crescer durante este período: Sauron, o Feiticeiro, permaneceu no mundo mortal e esforçou-se para suceder Melkor como Senhor Escuro da Terra Média.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] No ano 1.000, Sauron secretamente começou a construir seu reino de Mordor, escravizando as raças bárbaras dos Homens do Leste e Sul e angariando Orcs e outras criaturas malignas para seu reino. Ele também começou a construir a Torre Negra de Barad-dûr. Assumiu uma forma agradável chamando-se Annatar, significando “doador de dons”, e tentou atrair os Elfos com sua sabedoria e poder. Somente Celebrimbor e os Ferreiros-Élficos de Eregion foram iludidos. Usando o poder combinado de magia e metalurgia, Sauron e os Ferreiros-Élficos cooperaram para a realização de muitas criações fantásticas. Perto do ano 1500, eles atingiram o auge de sua habilidade e sob a orientação de Sauron, iniciaram a forja dos Anéis de Poder. Em 1600, os Anéis foram concluídos; Sauron traiçoeiramente voltou para Modor onde completou a construção de Barad-dûr e forjou o Um Anel, tornando-se então o Senhor dos Anéis.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Quando os Ferreiros-Élficos perceberam que haviam sido usados para ajudar Sauron a tornar-se o todo poderoso Senhor dos Anéis, eles se levantaram contra ele e travaram, de 1693 a 1701 a sangrenta Guerra dos Elfos e Sauron. Neste conflito Sauron matou Celebrimbor, destruiutoda Eregion e expulsou quase todos de Eriador. Os Anões de Khazad-dûm recuaram do conflito e fecharam suas portas ao mundo. No terrível confronto, a maioria dos Elfos de Eregion foi morta, restando apenas poucos sobreviventes. Estes foram conduzidos por Elrond Meio-elfo para as colinas ao sopé das Montanhas da Névoa, onde eles fundaram a colônia de Imladris, a qual os Homens mais tarde chamariam Rivendell (Valfenda).


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Depois de sua vitória sobre Celebrimbor, Sauron reuniu suas forças e marchou contra Gil-galad em Lindon. No último instante, uma foça poderosa de Numenoreanos juntou-se aos combatentes Elfos e tão forte foi o exército combinado que as legiões de Sauron foram totalmente esmagadas e ele foi forçado a recuar para Mordor.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Pelos próximos mil anos Sauron não fez nenhum movimento contra os Elfos, mas em vez disso trabalhou entre os bárbaros Easterling e Haradrim, extendendo sua sombra escura sobre o mundo. Entre os reis selvagens destes povos ele distribuiu os Nove Anéis dos Homens Mortais. Pelo vigésimo terceiro século eles haviam se tornado os Nazgûl, seus servos diabólicos principais, chamados Espectros do Anel (Ring-wraiths) pelos Homens. Enquanto isso, os Numenoreanos tornaram-se o maior poder marítimo que o mundo jamais conheceu. Nas terras costeiras da Terra Média eles fundaram várias colônias, assim como as fortificações portuárias de Umbar e Pelargir. Finalmente, o erguer do império marítimo Numenoreano e o império terrestre de Mordor resultou em conflito.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] No ano de 3261, os Numenoreanos desembarcaram uma armada enorme em Umbar e despachou uma força massiva que marchou para Mordor. Sauron viu que a força deles era maior que a sua e que não tinha chance de sobrepujá-los, e nem mesmo defender-se por força bruta. Mesmo assim, os povos da terra espantaram-se ao ver o Senhor do Anel descer de sua Torre Escura de Mordor e render-se a eles. Os Numenoreanos acorrentaram Sauron, levaram-no para sua terra e o aprisionaram em sua mais segura masmorra. Mas com astúcia, Sauron fezo que não havia conseguido com força bruta.Falsamente aconselhou os reis orgulhosos de Númenor e corrompeu-os de forma que eles mesmos tramaram contra os Valar. Tão completa foi sua vitória que os Numenoreanos ousaram erguer a maior frota de navios que jamais existiu e navegar para o oeste para travar batalha contra os Poderes de Arda. Por este ato, Ilúvatar causou a submersão da ilha de Númenor. As montanhas e cidades caíram, o mar ergueu-se em fúria e toda Númenor caiu em um abismo.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Juntamente com este cataclisma veio a Mudança do Mundo. As Terras Imortais foram colocadas além das Esferas do Mundo e ficaram para sempre além do alcance de todos, exceto os Escolhidos, que viajavam em navios Élficos pela Estrada Direta através das Esferas de ambos os Mundos. Este foi o fim da Era de Atlântida como nós conhecemos agora nos mitos, e o mundo curvou-se sobre si mesmo. Não era mais um mundo plano fechado pelo Mar Circundante e imerso na Esfera de Ar e Éter, mas tornou-se o mundo esférico com nós o conhecemos agora.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Mas a Segunda Era nao terminou com a imersão de Númenor no ano de 3319, nem tampouco a linhagem dos Numenoreanos foi totalmente extinta. Pois como o tempo e os contos falam, havia aqueles entre os Numenoreanos que, liderados pelos Príncipes de Anduinë, que se auto denominavam Os Fiéis e se recusaram a abandonar os Valar e os Eldar. Liderados por Elendil, o Alto, eles navegaram com nove navios para o leste, para as costas da Terra Média no momento do cataclisma. Estes eram os Dúnedain, os sobreviventes fiéis Numenoreanos, que estabeleceram os reinos de Arnor e Gondor sobre a Terra Média.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] No entanto, quase imediatamente, houve desavença e conflito, pois pelo poder do Um Anel, Sauron também escapou à imersão de Númenor e regressou a Mordor de onde tramou a destruição de todos os reinos restantes dos Elfos e Dúnedain sobre a Terra Média.


[img]http://www.valinor.com.br/imagens/spacer.gif[/img] Em retaliação, a Última Aliança de Elfos e Homens foi formada, e o exército de Sauron foi destruído na Batalha de Dagorlad. Entrando em Mordor, a Aliança lançou um cerco sobre a Torre Escura por sete longos anos antes que Sauron fosse derrubado. Em seu último golpe, o Grande Rei dos Dúnedain, Elendil e seu filho Anárion, junto com o último Grande Rei dos Eldar na Terra Média, Gil-galad, foram mortos. Mas Sauron também caiu e Isildur cortou fora o dedo de Sauron com o Um Anel. Com a conquista de Mordor, a destruição da Torre Escura, o banimento dos Espectros do Anel e a queda de Sauron, no ano 3441, a Segunda Era chega a um fim.

Está envolvido com a obra de Tolkien desde 1999 – fundador da Calaquendi, fundador da Valinor, fundador do Conselho Branco (Sociedade Tolkien) e presidente por três mandatos. Participou da publicação em livro do Curso de Quenya e é autor do Modo Tengwar Português