Arquivo da categoria: Elenco e Equipe

Manter O Hobbit consistente com SdA sempre foi a intenção de Peter Jackson

O primeiro trailer de O Hobbit: Uma Jornada Inesperada deixou bem claro que a Terra-média não mudou muito desde que Peter Jackson concluiu O Senhor dos Anéis. E isso não é uma reclamação. Para os fãs, quando se trata de O Hobbit, a mudança não é necessariamente bem-vinda.

Falando com a MTV News, no Sundance Film Festival na semana passada, Jackson explicou que sempre foi sua intenção manter O Hobbit narrativa e visualmente consistente com  O Senhor dos Anéis.

“Queríamos que fosse parte de uma série de cinco filmes”, explicou. “Felizmente, Tolkien escreveu um monte de material extra nos apêndices de O Senhor dos Anéis, onde ele mesmo amarra as duas histórias, 20 ou 30 anos após a publicação de O Hobbit. Então, nós fomos capazes de usar parte desse material”.

Mas, apesar do O Hobbit de Jackson não ser “tão infantil quanto a história do livro original”, ele trabalhou duro para ter certeza de que os filmes ainda “tenham um pouco de humor”. Por exemplo, Jackson prometeu que “algumas das canções [do romance] estarão lá”. Os fãs tiveram uma prévia dessas músicas no trailer lançado em dezembro passado, quando os anões se reúnem no lar de Bilbo Bolseiro para cantar uma canção sombria, acompanhada pela épica melodia composta por Howard Shore.

Encontrar este equilíbrio, mas permanecer fiel ao estilo da trilogia cinematográfica de O Senhor dos Anéis, permitindo que O Hobbit seja a prequência natural desses filmes, tem sido um desafio agradável para Jackson, que está mais do que animado em voltar a trabalhar com hobbits, magos, anões e dragões.

“Eu estou gostando do filme e estou realmente animado com ele. Eu adoro ir ao trabalho todos os dias. Eu amo filmá-lo. Em fevereiro, vamos começar mais 100 dias de filmagem, mais ou menos até julho. Já teremos filmado ambos os filmes por essa época”, concluiu o diretor.

 

Quem também falou à MTV News foi o ator estadunidense Elijah Wood, que viveu o hobbit Frodo Bolseiro no O Senhor dos Anéis, e gravou uma participação especial para O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, revivendo seu personagem. Apesar de não ter passado um longo tempo nos sets de filmagem, na Nova Zelândia, o ator disse que já conseguiu ter uma ideia do “clima” do novo filme de Peter Jackson, de acordo com o Vírgula.com.

Ele acredita que o diretor conseguiu retratar a atmosfera mais amena do livro O Hobbit, de J. R. R. Tolkien, se comparado a sua sequência, a trilogia O Senhor dos Anéis.

O Hobbit é mais fantástico, mágico e um pouco mais cômico. Os anões são engraçados e meio trapalhões”, afirmou.

Apesar disso, Wood disse que O Hobbit possui uma atmosfera de “destruição iminente”, e falou, ainda, sobre sua participação no filme

 ”Existe seriedade, mas há muita diversão também”, contou.

 “Foi como voltar no tempo. Nós gravamos algumas coisas na Vila dos Hobbits, e a última vez que estive lá foi quando tinha 19 anos. Agora, tenho 30. Foi um passo bizarro em um portal do tempo. No entanto, foi lindo”, afirmou.

“Smaug ainda está em processo de design”, diz Andy Serkis

O ator e diretor Andy Serkis fez uma pausa nas filmagens de O Hobbit para andar  sobre o tapete vermelho do Globo de Ouro 2012 (realizado no último domingo, 15/01), mas parece que deixou todos os seus preciosos segredos da Terra-média na Nova Zelândia.

Um repórter da MTV News tentou tirar algumas coisas de Serkis sobre Smaug, mas ele não quis dar nenhuma pista sobre como poderia ser o mítico dragão Smaug na tela grande:

 ”Não posso revelar todos os segredos, todos eles estão muito bem guardados”, disse. “Eu não posso dizer porque estão mantidos a sete chaves”.

Uma figura emblemática do mundo mitológico de J.R.R. Tolkien, Smaug é um dos personagens mais aguardados pelos fãs na adaptação de O Hobbit. Um personagem tão reverenciado assim deve ter um alto nível de segurança. Serkis sugere que estão apenas mantendo tudo em segredo para evitar revelar qualquer coisa precipitadamente. De acordo com o ator, a Weta Workshop ainda está trabalhando para encontrar a criatura perfeita.

 ”É um personagem muito secreto e está muito protegido, e que ainda está em processo de design”, disse ele.

O pouco que se sabe sobre Smaug é mais que suficiente para nos deixar ansiosos. O ator inglês Benedict Cumberbatch será Smaug em O Hobbit antes de ir “aonde nenhum homem jamais esteve”, como o vilão no próximo “Star Trek” de J.J. Abrams. Em uma declaração recente, Cumberbatch disse que não apenas fará a voz de Smaug, mas também os movimentos. Ele literalmente será Smaug no(s) filme(s) O Hobbit. Seu trabalho na captura de movimentos já deve ter começado neste mês de janeiro, segundo o próprio ator (leia mais em: Smaug e o elfo Lindir falam sobre O Hobbit).

Serkis finalizou dizendo que, tendo Cumberbatch como Smaug, o público poderá esperar algo realmente bom.

 ”Com Benedict Cumberbatch como o ator a interpretá-lo, será extraordinário”.

“Gollum se tornou um clássico”, diz Andy Serkis

Ainda este ano o ator britânico Andy Serkis será visto na primeira parte de O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, onde retorna como Gollum, criatura que interpretou na trilogia de Peter Jackson O Senhor dos Anéis. Além disso, Serkis também estreia na direção. “Neste momento, além de interpretar Gollum, estou dirigindo a segunda unidade de O Hobbit. Estou num momento de mudança em que o que mais me interessa é a direção”, diz o ator, cujo nome aparece hoje como possível concorrente ao Oscar de melhor ator por sua interpretação de César, o macaco protagonista do filme “O Planeta dos Macacos: A Origem”. O ator, que já foi Gollum, King Kong, César, Capitão Haddock (“As Aventuras de Tintim”) e novamente Gollum, falou direto da Nova Zelândia, ao espanhol El Correo , sobre sua experiência como ator digital.

______________________________

 Quando Peter Jackson o convidou para dar vida a Gollum em “O Senhor dos Anéis”, passou pela sua cabeça que este era apenas o começo?

Naquela época, eu era um ator tradicional, a técnica de captura de movimento não existia e eu pensei que só ia ser a voz para um personagem digital. Eu não tinha ideia de quais eram as exigências de Jackson e pensei: “Deve haver muitos bons personagens em O Senhor dos Anéis”, então eu não entendia por que Peter queria um ator para interpretar Gollum. Depois tudo ficou muito claro de imediato, mas nós não sabíamos se ia funcionar. A técnica evoluiu durante as filmagens de “O Senhor dos Anéis”.

E agora o seu nome aparece para o Oscar. Se você ganhar irá se tornar o primeiro ator digital a recebê-lo, você se sente incompreendido por seus colegas?

John Hurt estava entre os indicados para o Oscar por seu papel em “O Homem Elefante [1980]” e ninguém podia reconhecê-lo na tela. César em “O Planeta dos Macacos: A Origem”, ou Gollum em “O Hobbit” são personagens em que seu rosto não é reconhecível na tela, de modo que atuar é mais complicado, porque exige um esforço de colaboração artística mais amplo. Em “O Homem Elefante” os maquiadores de John Hurt trabalharam em seu rosto e em seu corpo. Eu não entendo por que teria que haver algum tipo de diferença com a maquiagem digital.

John Hurt - "O Homem Elefante", 1980

Transformação – considerado o ator digital mais procurado do cinema, o que considera mais interessante?

Para mim, atuar é atuar, seja colocando um figurino e maquiagem, ou colocando o traje de captura de movimento e criando um personagem. O que eu mais gosto desse tipo de atuação é que você pode interpretar personagens que seriam impossíveis de fazer com maquiagem e figurinos tradicionais. Quando eu comecei como ator de teatro, sempre quis mudar de aparência; sabia que era o tipo de ator que mais se liberava. A captura de movimento te dá a capacidade de desaparecer completamente dentro do personagem.

Com Oscar ou sem Oscar, César foi para você um papel muito importante.

Cada personagem tem seus próprios desafios. A razão pela qual aceitei o papel de César é porque era um papel brilhantemente escrito. Tenho certeza de que tem atores que vão dizer: “Sim, mas não há nenhum diálogo. Onde estão as palavras?”. Mas, na realidade, um bom ator vê e pensa que César é um personagem incrível e um grande desafio de interpretação. Foi um grande papel. César teve uma longa jornada e sofreu muitas mudanças físicas e emocionais. Eu acho que é isso que um ator deseja da arte de interpretar.

E agora você está de volta na pele de Gollum.

“O Senhor dos Anéis” é um clássico e também o personagem se tornou um clássico. Personagens como Gollum continuarão a ser lembrados e é isso que importa, eles ainda estarão vivos. Eu gosto de grandes desafios e, claro, para mim, Gollum é uma grande oportunidade.

Recentemente o ator também mostrou-se indignado com o não reconhecimento de seu trabalho como atuação. Segundo o Cinema10, Serkis declarou:

 ”Eu tenho muita sorte de estar participando de um momento em que a captura de performance está começando a ser usada corretamente. Ela está abrindo uma convergência totalmente nova no cinema e nos games e estou muito interessado em adaptá-la ao teatro, projetando avatares em telas enquanto os atores estão no palco“, comentou. ”O problema é a forma como meu trabalho está sendo comentado. `Andy Serkis emprestou sua voz a´, `ou emprestou seus movimentos´ ou `deu as emoções a´. São tantas maneiras de enrolar e descrever o que, de fato, é atuação. Mesmo em Tintim ainda estou creditado em vários lugares como dublador. Eu vivi aquele personagem”, concluiu.

Em nova imagem, Bilbo aparece valentemente brandindo Ferroada!

Num novo artigo do Los Angeles Times foi divulgada uma nova imagem (acima) de Bilbo Bolseiro em O Hobbit: Uma Jornada Inesperada. A cena lembra muito o momento no livro (capítulo “Moscas e Aranhas”) em que Bilbo, depois de matar uma aranha gigante, na Floresta das Trevas, nomeia sua nova espada de “Ferroada” (Sting, no original).

Já o artigo não traz nenhuma revelação ou informação nova, exceto por uma declaração da roteirista Philippa Boyens sobre a preocupação que os roteiristas tiveram, inicialmente, de qual tom dariam aos filmes, já que O Hobbit é um livro mais infantil se comparado ao O Senhor dos Anéis.

Os tons mais suaves de “O Hobbit” foram uma preocupação para Jackson e os membros da equipe de criação, entre eles Philippa Boyens, roteirista em todos os três filmes da trilogia (e vencedora do Oscar por “O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei”, que encerrou a trilogia em 2004).
 “[O Hobbit] é muito mais uma história para crianças. Então, decidir como contar essa história foi uma das primeiras coisas que tínhamos que fazer. Quem é o público? É muito diferente do ‘O Senhor dos Anéis’ em matéria de tom… mas, tendo isso em mente, nós sentimos que seria o mesmo público. E então você começa a se preocupar, porque é fácil se repetir. São viagens muito semelhantes, você está indo do Condado para uma montanha grande e perigosa”.

 Para ver a imagem em uma resolução maior, CLIQUE AQUI!

Em entrevista à MTV, Richard Armitage fala sobre o anão Thorin

A MTV conversou com o líder dos aventureiros anões de O Hobbit, Thorin Escudo de Carvalho, que é interpretado por Richard Armitage, que fez uma breve aparição no recente Capitão América. Porém, segundo ele, O Hobbit é seu maior trabalho e, talvez, tenha lhe dado o papel de sua vida. O ator britânico também desempenhou um papel chave no trailer lançado no mês passado e em breve se juntará às fileiras dos ilustres personagens de Tolkien – que ganharam vida no cinema por meio de Peter Jackson. Na entrevista Armitage falou também sobre a dificuldade de trabalhar sob pesada maquiagem. E atenção! Há um pequeno spoiler no meio da entrevista! Se você ainda não leu o livro, cuidado, pois o ator revela algo sobre o destino de Thorin.

____________________________

MTV: Onde você está atualmente no cronograma de filmagem?

Armitage: Acabamos de terminar o nosso segundo bloco, então começaremos novamente no final de janeiro, e então nós vamos – achamos – até o final de julho. Também há um pouco mais em 2013, calculamos.

MTV: Como é estar em um único projeto por tanto tempo?

Armitage: É realmente estranho, porque quando começamos tínhamos essa enorme montanha para escalar, mas, na verdade, está indo muito rápido. Acho que chegamos no meio do caminho agora. Tem sido muito intenso, mas muito emocionante. Nós acabamos de filmar nas locações, onde estivemos na estrada visitando a maior parte da Nova Zelândia. Foi de longe a melhor coisa que eu já trabalhei na minha vida.

 MTV: É fácil esquecer que você está atuando e se perder no mundo que a produção cria?

Armitage: Nos estúdios que eles fizeram em Wellington, na maior parte do tempo, você não sente que está trabalhando em um set. Mesmo quando há uma tela verde lá, a visão e descrição de Peter são muito claras. A CGI que a pré-produção criou realmente estimula a sua imaginação. Começamos com esse tipo de filmagem. Nas locações você programa estas imagens surpreendentes em sua cabeça, então podemos agora voltar para o estúdio.

 MTV: Será que vai ser difícil deixar para trás o que você criou?

Armitage: Não acho que isso seja possível para mim, deixá-lo para trás. Acho que este é um daqueles personagens que sempre vai ficar com você, porque você passa tanto tempo com ele que é uma transformação. Eu estou no personagem a cada dia, e eu me tornei muito familiarizado com ele. Eu meio que sei como ele pensa. Eu me sinto muito próximo do personagem, e ele vai continuar para além deste trabalho, [spoiler adiante] embora, ele morra no final do filme. Eu acho que ele é um personagem fascinante. Provavelmente, vou acordar daqui seis anos e me pegar pensando nele novamente. É realmente emocionante.

MTV: Como foi que soube da mudança na história e como você chegou a Thorin?

Armitage: Eu li [O Hobbit] algumas vezes quando era jovem. Eu acho que voltar a ele como um adulto é realmente interessante, porque é um livro que foi, acho, escrito para as crianças de Tolkien, mas quando você está criando um papel desta magnitude, você tem que realmente visualizá-lo para um público muito mais amplo. Acho que essa é a beleza de Tolkien. Ele cria personagens bem acabados e até bastante perigosos para interpretar. Corre-se o risco de assustar as crianças. Ele é o criador original da fantasia, e eu acho que você tem que investir nesses personagens com a mesma intensidade, como se estivesse fazendo um papel para adultos. Foi interessante voltar a ele como um adulto e relê-lo novamente, porque ele tinha uma simplicidade, que eu realmente gosto, mas senti que poderíamos pegar esses personagens e realmente desenvolvê-los para além do livro.

 MTV: Você acabou no meio termo em relação à quantidade de maquiagem. Você se sente com sorte?

Armitage: Foi uma evolução. Todos nós começamos com uma versão bastante extrema de nós mesmos. Acho que é porque meu personagem passa muito tempo na tela e você realmente tem que entender o que ele está passando emocionalmente. Ficou muito claro que se fizéssemos as próteses o mais parecidas possível com as minhas próprias feições, mas ainda tornando-o um anão, seria mais fácil ler o personagem. Ele tem que ir na tal viagem, que é algo realmente importante para isso. Eu aumentei minha própria barba após o primeiro bloco, porque eu senti que [a falsa] estava limitando o meu rosto. A mandíbula é tão ligada à emoção que eu queria ter isso livre. Fez uma enorme diferença.

É realmente estranho agora, porque eu não posso interpretar o personagem quando eu não consigo vê-lo. É muito difícil ensaiar quando você não está no traje, quando você não tem as próteses, mas eu olho no espelho quando está tudo terminado e eu não vejo isso. Eu não consigo ver onde começa e onde termina. Acabei de ver o personagem. Eu nunca tive isso antes. É uma experiência única. É um rosto que não pertence a mim. Ele pertence aos criadores, os profissionais da WETA Workshop.

 MTV: Como foi no set com tantos atores interpretando anões?

Armitage: Eu adoro isso. Eu absolutamente amo trabalhar como um membro de um grupo, e realmente somos um grupo. Há muita amizade entre todos os caras. Há uma tal diversidade de cultura e de fundo. Estamos trabalhando com um monte de Kiwis e há uma combinação de atores britânicos que vêm da televisão, teatro e cinema. É exatamente como os anões são. Quando Thorin monta sua demanda, ele pega anões de todos os diferentes lugares para ir nessa missão. Isso é refletido em quem somos como atores.

“Talvez haja um pouco mais de Beorn” em O Hobbit, diz Persbrandt

 Mikael Persbrandt, o Beorn, em uma entrevista (pontuada com sarcasmo) para o sueco MovieZine, falou um pouco sobre seu papel em O Hobbit.

Você terminou de filmar O Hobbit?

Não, absolutamente não. Vou voltar para lá em fevereiro.

Você tem um papel em ambos os filmes?

Sim, eu tenho. O papel é mais ou menos o que está no livro. Eu não vou falar muito mais sobre isso, porque é um filme de um grande estúdio e eles vão ficar bravos comigo, mas pode ler o livro e você vai entender… e então talvez haja um pouco mais.

Como é Beorn? Você usa maquiagem ou algum tipo de captura de movimento?

Como eu disse antes eu pretendo sobreviver a esta noite. Não quero levar um tiro. Mas é emocionante fazer parte disso. Você verá mais adiante, na estreia em menos de um ano, em dezembro.

 Apesar do sigilo imposto aos atores, algumas coisas sempre escapam. Assim, é bom saber que a personagem Beorn, o Troca-peles será representada como aparece no romance de Tolkien. Porém, o que mais Beorn pode fazer nos filmes além do que já faz no livro? Peter Jackson, responde essa!

Peter Jackson explica as diferenças entre SdA e O Hobbit e Christopher Lee fala sobre Saruman

O diretor Peter Jackson comentou as diferenças de tom entre O Hobbit e O Senhor dos Anéis e revelou que alguns aspectos estabelecidos pelo ex-diretor Guillermo Del Toro vão se manter, mas sua própria visão vai prevalecer para ligar os novos filmes com a trilogia. Já o quase nonagenário Sir Christopher Lee comentou sobre seu retorno como Saruman, o Branco. Além disso, a Warner liberou mais uma imagem de Bilbo Bolseiro (acima), aparentemente uma cena relacionada aos eventos na “Mata dos Trolls”!

_____________________________________

Peter Jackson realizou os três filmes de O Senhor dos Anéis e agora está trabalhando na adaptação do livro de J.R.R. Tolkien, O Hobbit. Apesar de ter contrariado e enraivecido alguns fãs mais fervorosos com algumas mudanças na estória, se há um cineasta que conhece bem o universo de Tolkien e sabe as diferenças entre as personagens da Terra-média é ele. De acordo com o Omelete, Jackson deixa claro que a presença dos anões é o que dá ao prequel o tom divertido da estória:

“O Hobbit é um livro infantil e O Senhor dos Anéis é outra coisa; não é realmente direcionado para crianças. Percebi que os personagens dos anões são a diferença. Sua energia e desdém pelo politicamente correto é o que leva um novo espírito. E é por isso que pensei, ‘tudo bem, isso pode ser divertido!’“.

Jackson também falou sobre o desafio de retratar 13 anões como personagens distintos:

Isso é algo que me preocupava. Imaginei 13 caras com cabelo longo e barbas e pensei, ‘Como vou saber qual anão é qual?’ É uma tarefa infernal, na verdade. Achei que nove membros da Sociedade do Anel eram um problema, mas aqui, com Bilbo e Gandalf, temos 15 [personagens]. Está funcionando bem. Os anões trazem uma qualidade de comédia infantil que resulta em um tom bastante diferente de O Senhor dos Anéis”.

O diretor contou ainda que os filmes vão manter alguns aspectos definidos pelo diretor original, Guillermo del Toro, mas o estilo de Jackson e sua visão da Terra-média devem prevalecer, já que, apesar das diferenças, os novos filmes devem levar a uma grande história da Terra-média:

Eu queria que parecesse que estivéssemos de volta às locações na Terra-média. Estes dois filmes parecem pertencer ao começo dos outros três. Somos os mesmos cineastas voltando a um mesmo mundo“.

Sobre a divisão do filme em duas partes, a mulher e parceira de Jackson, Fran Walsh, sugere que a jornada começará leve para depois seguir em direção aos conflitos da trilogia:

“Sempre vimos O Hobbit mais como um conto de fadas. É mais divertido. Mas quando se aproxima do fim, Tolkien se coloca no lugar onde ele começará a escrever a jornada épica de O Senhor dos Anéis (…). Todos os temas mais pesados e sombrios que prevalecem na trilogia começam a aparecer [no final de O Hobbit]“.

 

 Já o ator Sir Christopher Lee também falou um pouco sobre seu retorno como Saruman em O Hobbit, em vídeo. De acordo com ele, terminou de filmar suas cenas para os dois filmes (feitas em 4 dias nos Estúdios Pinewood, arredores de Londres), cenas que ele espera viver o suficiente para ver de novo. Isso pode parecer um tanto mórbido, mas na sua idade (o ator está prestes a completar 90 anos), Lee diz que tem preferido papéis menores, que não exigem tanto tempo no set, segundo o MoviesBlog.MTV.

“Eles [os personagens] devem ter participações curtas, mas têm que ter alguma importância, onde as pessoas notem quando estou em cena e que elas se lembrem do personagem depois de terem visto o filme”.

Portanto, não devemos esperar muito de Saruman em O Hobbit, apesar de a personagem estar nos dois filmes. Ainda assim, poder ver Lee, mesmo que pouco, novamente interpretando o Mago Branco, deve agradar aos fãs da trilogia já que sua personagem em O Hobbit é importante para os eventos relacionados ao Conselho Branco e o ataque a Dol Guldur, eventos situados 60 anos antes de O Senhor dos Anéis, época que Saruman não era um traidor declarado (sua traição é revelada em A Sociedade do Anel). Diz o ator:

“O que é extremamente importante é que nestes dois filmes, que naturalmente se passam muito antes de O Senhor dos Anéis, é que Saruman, que eu interpreto de novo, é de fato ainda Saruman, o Branco, mas ele é um homem bom e nobre, e o chefe do Conselho dos Magos, como ele sempre foi”.

Em tempo: De acordo com o AICN, no dia 01 de janeiro passado morreu Bob Anderson, aos 89 anos. Anderson foi o principal treinador das lutas e combates com espadas em O Senhor dos Anéis e trabalhava novamente com Peter Jackson em O Hobbit. Entre seus trabalhos estão também a trilogia Star Wars original e Piratas do Caribe. O simpático Bob Anderson pode ser visto em vários momentos nos extras da versão estendida da trilogia SdA. Acesse o link acima para ver 2 vídeos com Bob Anderson.