Arquivo da categoria: Coluna do Deriel

Logotipo Valinor: Escudo com Valacirca

Destacando os Artigos da Valinor

Na próxima semana a Valinor completa 10 anos de vida (no dia 6 de julho) e eu estava aqui pensando sobre este tempo todo que estamos no ar. Uma das coisas que me dei conta é que, apesar de termos litralmente milhares de artigos Tolkienianos poucos deles apareciam em destaque, por causa da grande enxurrada de notícias sobre o Hobbit. Por isso eu resolvi fazer uma pequena mudança na página inicial: a cada três notícias um Artigo da Valinor aparecerá, escolhido de forma aleatória.

A intenção é que, com isso, possamos trazer à tona e dar mais visibilidade a todos os Artigos que possuímos, “desescondendo” toda essa riqueza. Afinal, temos de longe a maior quantidade de Artigos Tolkien em Português e somos, se sombra de dúvida, uma das três páginas do mundo nesse quesito. E mais, com os Artigos aparecendo com mais destaque eles serão editados, corrigidos e melhorados. É tremendamente difícil manter 10 anos de artigos sem que um ou outro acabe meio desformatado ou sem imagens.

Espero que apreciem esta pequena alteração e que usufruam desta imensa riqueza de conhecimentos que fica um pouco mais acessível.

A Lenda dos Direitos de O Senhor dos Anéis e O Hobbit

J.R.R TolkienVocê sabia que J. R. R. Tolkien, pressionado por impostos não pagos e assediado por executivos de Hollywood não teve opção e vendeu os direitos de O Senhor dos Anéis e O Hobbit por meras £ 10.000 (R$ 35.000) em 1969, não é? Afinal, é fato conhecido de todos os fãs. Pois saiba que isso é apenas uma lenda.
linha branca

Neste dias conturbados de processos e mais processos contra a New Line, de disputas entre a New Line e a Time Warner e de “palavrões” como Tolkien Estate, Tolkien Enterprises e The Tolkien Trust, é fácil se perder e não entender mais nada. Aos poucos a Valinor irá disponibilizar artigos que tentarão desfazer esse grande nó, esclarecendo detalhadamente quem são os “atores” dessa história toda. A começar pela lenda da venda dos direitos.

Não, Tolkien não vendeu os direitos de O Senhor dos Anéis e O Hobbit por um valor quase irrisório nem estava pressionado por impostos. Nosso bom Professor foi bem mais esperto do que isso, como revelou o The Guardian em 2001: ele vendeu os direitos de filmagem e de marketing dO Senhor dos Anéis e dO Hobbit, mantendo os direitos sobre a obra escrita, por US$ 250.000 – uma quantia bastante respeitável àquele tempo, pois estamos falando dos idos de 1969. E mais, ele também garantiu o bem estar financeiro de algumas gerações de sua família ao também obter um percentual da renda obtida com os filmes e produtos de marketing gerados pelo acordo.

Os direitos foram vendidos para a United Artists (recentemente adquirida por Tom Cruise) mas os vendeu em 1976 para Saul Zaentz, que fundou a Tolkien Enterprises para gerenciar esses direitos. Mas esta já é uma outra história, a qual envolve inclusive o mal-falado O Senhor dos Anéis, de Ralph Bakshi.

Quem deve ser Bilbo Bolseiro

Ian Holm como Bilbo BolseiroEm meio a especulações sobre o filme dO Hobbit depois que este foi
finalmente confirmado para 2010 e 2011 (sim, em duas partes!) um dos
rumores mais me deixa fulo da vida é sobre o principal personagem da história
toda, Bilbo Bolseiro, interpretado em O Senhor dos Anéis dor Ian Holm.

 
Vamos fazer um resumo da vida "literária" de Bilbo Bolseiro (ou seja, em O Hobbit e outros livros escritos por J. R. R. Tolkien) antes de atacarmos de vez os filmes. Nosso amigo hobbit nasceu no ano 2890 da Terceira Era, pouco mais de 129 anos antes da destruição do Um Anel (e da maioria dos eventos mostrados em O Senhor dos Anéis). Sempre teve uma vida pacata até 2941, aos 50 anos, Gandalf o coloca no torvelinho de aventuras do O Hobbit durante as quais ele encontra o Um Anel. Em 2989, já com 109 anos de idade, ele adota Frodo Bolseiro como seu herdeiro. Em 3001, no aniversário de 111 anos, ele parte para Valfenda e deixa o Um Anel para Frodo. Curiosidade: Frodo parte do Condado em sua aventura que culmina com a destruição do Um também com 50 anos. Para uma biografia mais detalhada de Bilbo Bolseiro veja este link.

Então, para nosso Bilbo Bolseiro cinematográfico, precisamos um Hobbit ali pela casa dos 50 anos – nada novinho, portanto. E é por isso que eu não entendo porque a ânsia de encaixar um ator jovem no papel. Afinal, porque não o velho e bom Ian Holm, que atuou magistralmente em O Senhor dos Anéis? E sabe o que dizem? "Em O Hobbit Bilbo é 26 anos mais moço do que em O Senhor dos Anéis". O que é uma mentira ou no máximo uma meia-verdade.

Bilbo era 26 anos mais jovem à época do Hobbit, mas apenas no papel. Desde que encontrou o Um Anel ele parou de envelhecer e portanto tinha a mesma aparência com 50, 80, 100 e 129 anos. Ele só voltou a envelhecer depois que o Um Anel foi destruído, envelhecendo bastante, toda a idade que deveria ter. Ou seja, o Bilbo Bolseiro que vemos no começo de O Senhor dos Anéis, falando com Gandalf e festejando seus 111 anos é o mesmo Bilbo de O Hobbit, apenas mais imaturo mas não fisicamente mais jovem.

Eu acredito que Hollywood tenha capacidade de fazer um ator retroceder em aparência alguns anos, fazendo Ian Holm ter em 2009 a mesma aparência que tinha em 2001 quando filmou O Senhor dos Anéis. Então chega desses boatos de Shia Lebouef, Colin Firth e Barnaby Holm (filho do Ian Holm) como Bilbo, que deve ser Ian Holm e ponto. Ou já começaremos O Hobbit com dois pés esquerdos e um jovem hobbit nada a ver com Bilbo Bolseiro.

 

O Hobbit: 5 Efeitos Especiais que Marcarão í‰poca

Há tempos não tinhamos tanta excitação aqui na Valinor como ontem, o
anúncio oficial de que O Hobbit será mesmo "feito" por Peter Jackson.
Eu estava matutando um pouco aqui e resolvei escrever um artigo curto,
dando cinco razões pelas quais O Hobbit substituirá O Senhor dos Anéis
como referencial para efeitos visual e computação gráfica:

 

 
troll_mov.jpg5. Trolls: Ao contrário dos Trolls de O Senhor dos Anéis (grandes e burros), os Trolls de O Hobbit são grandes, burros e FALANTES, além, claro, de terem apelidos britânicos – Bert, Tom e Bill. Será interessante ver como Peter Jackson manterá o mesmo conceito de Troll de O Senhor dos Anéis e acrescentará esse tom de humor. Aliás, a apar~encia dos trolls já sabemos, pois eles aparecem petrificados em uma cena de A Sociedade do Anel e se você não viu confira ao lado.

4. Beorn: Ainda hoje a referência absoluta para a transformação de pessoas em animais continua sendo e talvez continue por muito tempo, a inesquecível cena de Um Lobisomem Americano em Londres, onde a transformação acontece sob luz plena, ao som de "Blue Moon". Pois Peter Jackson e a WETA terão uma bela oportunidade de elevar ainda mais os padrões com Beorn, o troca-peles, mostrando sua transformação em urso.

3. As Aranhas da Floresta das Trevas: a luta entre Bilbo e as Aranhas da Florestas das Trevas (crias distantes de Ungoliant e Laracna) promete um grande desafio e uma bela oportunidade. Bilbo invisível com Ferroada brilhando e cantando para afastar as aranhas – dezenas delas – dos Anões todos enrolados em teia. Sendo bem feita pode ser uma cena fascinante.

2. A Batalha dos Cinco Exércitos: dentre as poucas batalhas de O Hobbit destaco a última. Nem preciso explicar porque né? Elfos, Orcs, Anões (exércitos de Anões! Essa eu quero ver!), Águias, Lobos, Homens e um Mago furibundo… uma festa visual ainda maior que nO Senhor dos Anéis, pela diversidade de raças e exércitos envolvidos. E sangüeira é uma coisa da qual Peter Jackson entende.

1. Smaug: um dragão imenso, cuspidor de fogo e inteligente. Um DRAGÃO!

O Senhor dos Anéis nO Hobbit

bilbo_withring_half.jpg
Antes de qualquer coisa precisamos definir exatamente sobre o que estou
falando neste artigo especulatório sobre O Hobbit : nosso objetivo é
analisar os personagens que aparecem nos filmes dO Senhor dos Anéis e
verificar a plausibilidade da presença dos mesmos personagens e mesmos
atores em uma versão cinematográfica dO Hobbit e na possível Preqüência
dO Senhor dos Anéis
(já discutida neste artigo – e que será chamada
simplesmente de Preqüência de agora em diante). Não analisaremos
personagens menores como os Anões que aparecem de relance no Conselho
de Elrond, pois o assunto então seria quase inesgotável.
 
A análise é feita com base nos eventos descritos nO Hobbit e nos Apêndices dO Senhor dos Anéis e apesar de especulações não fogem ao escopo da obra literária. Não são simples chutes do tipo "ah, ele podia se encaixar aqui e pronto". Como sabemos que a mente dos roteiristas pode ser um tanto distorcida podemos esperar qualquer coisa, mas aqui nos ateremos ao preto-no-branco dos Apêndices e dO Hobbit.

Como há que se ter um ponto de partida em termos de datas, estou adotando a tomada de Erebor por Smaug em 2770 da Terceira Era – aproximadamente 172 anos antes dos acontecimentos dO Hobbit e 248 anos antes da Guerra do Anel – como data mais longínqua a ter um evento filmado tanto para O Hobbit quanto para a Preqüência, sem que nos percamos em datas e por este evento em particular ser o "causador" dO Hobbit. E, claro, temos que nos ater apenas aos Apêndices dO Senhor dos Anéis e aO Hobbit porque os direitos das outras obras não foram vendidos, logo não há possibilidade de enxertar histórias de outros livros como O Silmarillion onde a última seção poderia ser muito bem utilizada, a "Sobre os Anéis de Poder e a Terceira Era".

Analisando os eventos na Linha do Tempo Resumida (logo no final deste artigo) ouso afirmar que nO Hobbit teremos, além da trama do livro, uma trama enxertada dos Apêndices mas que ocorre em paralelo aos eventos dO Hobbit: a reunião do Conselho Branco – razão pela qual Gandalf não acompanha toda a jornada – e a "expulsão" de Sauron de Dol Guldur. E, cá entre nós, a perspectiva desta história mais densa e mais ligada aO Senhor dos Anéis dentro dO Hobbit não me desagrada não.

Claro que há algumas variantes, mas neste artigo assume-se que realmente teremos dois filmes, um focado fielmente nos acontecimentos dO Hobbit (talvez incluindo a "Expulsão do Necromante de Dol Guldur" – de agora em diante mencionado coo ENDG) e outro focando acontecimentos mais ou menos entre O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Há também a possibilidade de que aconteçam dois filmes lineares no tempo, com os eventos dO Hobbit começando em um e terminando em outro, entremeados e entrecortados por outros acontecimentos. Caso aconteça um filme só, basta ignorar o item preqüência ou mesclá-lo com O Hobbit, de acordo com o gosto do diretor.

Então vamos lá, ao nosso exercício de futurologia tolkieniana. E me permitam tomar a liberdade de tratar Peter Jackson como diretor dO Hobbit, é minha parte fã que o exige.

HOBBITS
Elijah Wood / Frodo
* O Hobbit: simplesmente impossível sua aparição, pois ele nasce 26 anos depois dos acontecimento retratados no livro e olha que o Peter Jackson o faz parecer ainda mais jovem nO Senhor dos Anéis, onde deveria ter 33 anos na depesdida de Bilbo e 50 quando decide partir do Condado.
* Preqüência: cenas interessantes como a morte de seus pais e sua mudança para Bolsão se encaixam bem no período entre-livros. E como Frodo só se muda para Bolsão com 21 anos Elijah Wood não estaria descartado do papel, uma vez que Peter Jackson optou por alterar O Senhor dos Anéis fazendo Frodo parecer mais novo. E Elijah tem aquela eterna cara de piá chorão.

Ian Holm / Bilbo
* O Hobbit: como personagem principal deve ocupar boa parte da trama e como, de acordo com a obra, depois desta aventura Bilbo não envelhece mais, Ian Holm poderia ser o ator desde que conseguissem deixá-lo com a mesma aparência do início de O Senhor dos Anéis.
* Preqüência: não acontece muito na vidinha de Bilbo neste período, além de adotar Frodo e iniciar os trabalhos no Livro Vermelho. Talvez algumas cenas dele escapando dos Sacola-Bolseiros, como alívio cômico.

Sean Astin / Samwise Gamgi
* O Hobbit: não nasce antes de 41 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: um pouco forçado e com tempo distorcido, mas poderia ser mostrado bem jovem, auxiliando o Feitor como jardineiro de Bolsão, à época da chegada de Frodo. Forçado pois Samwise pelos livros teria então 6 anos, mas como Peter Jackson não se intimida por essas coisas, nada impede colocá-lo com 15 a 20 anos naquele momento. Já pensou que momento tocante? Frodo chega a Bolsão e seus olhos cruzam com os de um jovem jardineiro suado, Frodo lhe oferece uma limonada… e tudo começa assim! Infelizmente pouca chance para Sean Astin, mas maquiagem e computação hoje em dia fazem milagres.

Dominic Monaghan / Merry
* O Hobbit: não nasce antes de 40 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: pode ter conhecido Frodo na Buquelândia quando era criança e Frodo um jovem órfão, antes de morar em Bolsão.  Ou isso ou a preqüência poderá chegar bem perto do início dO Senhor dos Anéis, mostrando, como dito nos livros, que Frodo tinha mais afinidade com os Hobbits novos que com os antigos do Condado, mas acredito que Dominic Monaghan esteja descartado

Billy Boyd / Pippin
* O Hobbit: não nasce antes de 48 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: só se Peter Jackson fizer outra revolução temporal para tê-lo antes da festa de despedida de Bilbo pois ele só nasce depois de Frodo ter se mudado para Bolsão. A não ser que aconteça o mesmo que foi citado no Meriadoc, com a preqüência quase se encostando ao início dO Senhor dos Anéis, tchau tchau Billy Boyd

Andy Serkis / Sméagol
* O Hobbit: um dos personagens principais da história… quem não está ansioso pelas charadas?
* Preqüência: a busca de Góllum pelo Um pode ser muito bem descrita, com a ida dele a Mordor, sua prisão e soltura, o primeiro encontro com Shelob, sua caçada por Aragorn e Gandalf. Bastante potencial dramático que com certeza será aproveitado.

HOMENS
Viggo Mortensen / Aragorn
* O Hobbit: seguindo o que está escrito Aragorn teria só 10 anos à época das aventuras de O Hobbit, mas a história é suculenta demais para Peter Jackson não morder ou pelo menos não fazer uma preparação para a Preqüência. Eventos ligados a Aragorn que acontecem antes dO Hobbit: a morte de Arador (avô de Aragorn) nas mãos dos Trolls, o casamento de Arathorn e Gilraen, a defesa silenciosa das fronteiras do Condado, o jovem Aragorn sendo escondido em Imladris e desconhecendo sua origem. Tenha certeza que isso tudo não faltará, seja nO Hobbit seja na Preqüência. Só o Viggo que não deve começar a trabalhar antes da Preqüência, por causa da idade.
* Preqüência: supondo que Peter Jackson resolva bancar o purista logo agora, todos os fatos citados aí no parágrafo anterior acontecerão na Preqüência. E mais o primeiro encontro de Aragorn e Arwen com direto a juras de amor eterno à luz do luar de Imladris, o início da amizade de Gandalf e Aragorn e algumas fantásticas possibilidades durante as duas décadas que Aragorn passa em Rohan e Gondor, servindo incógnito aos governantes sob o nome de Thorongil, ganhando experiência e sabedoria. Aragorn é o fio condutor deste filme, unindo todas as personagens e histórias, talvez até mesmo como narrador, escrevendo suas memórias já quando Rei de Gondor. E Viggo Mortensen é mais do que perfeito para o papel.

Sean Bean / Boromir
* O Hobbit: não nasce antes de 36 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: o encontro entre Aragorn e Boromir não se encaixa nas datas já que teria apenas 2 anos quando Aragorn encerra suas viagens, mas com algum jogo de cintura aqui e ali, Aragorn pode, no papel de Thorongil, ser o instrutor de armas do infante Boromir. Mas acho que Sean Bean fica de fora desta.

David Wenham / Faramir
* O Hobbit: não nasce antes de 41 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: assim como Boromir, o encontro entre Aragorn e Faramir não se encaixa nas datas já que este nasce 3 anos após a partida de Aragorn. Com um jogo de datas, talvez antecipando em 10 anos seu nascimento e o de Boromir, um jovem quase no fraldário ali com seus sete anos poderia acompanhar o treinamento de um Boromir pré-adolescente por Thorongil, mas nada de David Wenham.

John Noble / Denethor II
* O Hobbit: tinha 11 anos à época, mas é difícil encaixar Gondor no contexto geral dO Hobbit, ainda mais que não estavam envolvidos no ENDG. Eu aposto que Gondor não será nem citada nO Hobbit, a não ser que por motivos não literários opte-se por incluir Gondor no Conselho Branco (fala sério).
* Preqüência: aqui temos algumas possibilidades muito, muito interessantes. Além do fato de Aragorn ser apenas um ano mais novo do que Denethor, Aragorn circula por Rohan e Gondor por vários anos, período em que Denethor tinha entre 27 e 50 anos, ou seja, durante praticamente toda a idade adulta Denethor poderia estar em contato com Thorongil, possivelmente como comandante deste. Denethor só se torna regente alguns anos após a partida de Aragorn, mas há todo um lapso de tempo sem referências escritas, aberto à imaginação do roteirista e do diretor. E cabe muito bem mostrar a mudança de Denethor II de regente sábio a um louco transtornado por Sauron através do Palantír.

Bernard Hill / Théoden
* O Hobbit: não nasce antes de 6 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: de seus 9 a 30 anos Aragorn empreende aquele período de viagens e serviços a Gondor e Rohan. Muito possivelmente Théoden conheceu e comandou Aragorn antes de se tornar Rei no mesmo ano da partida de Aragorn, uma vez que os herdeiros do trono são normalmente os comandantes militares dos reinos. Talvez Thorongil tenha sido tutor marcial de Théoden, quem sabe? Seria necessária uma boa dose de maquiagem para trazer Bernard Hill ali para o final dos 20 anos, se é que isso é possível.

Karl Urban / Éomer


* O Hobbit: não nasce antes de 49 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: dificilmente há espaço para o personagem, a não ser muito jovem ou como criança.

Miranda Otto / Éowyn
* O Hobbit: não nasce antes de 54 anos terem se passado do final da aventura dO Hobbit.
* Preqüência: caso ainda mais complicado do que o de Éomer. Dama Branca de Rohan, ainda mais com Miranda Otto, só com muita mexida de pauzinhos.

OUTROS
Ian McKellen / Gandalf
* O Hobbit: um dos personagens principais, sem tirar nem por. Ian McKellen está com o cachê garantido
* Preqüência: encontros do Conselho Branco, invasão de Dol Guldur, Aragorn. É difícil achar um lugar onde Gandalf não apareça. A conta bancária de Ian McKellen ganhará mais alguns zeros.

Christopher Lee / Saruman
* O Hobbit: não aparece nO Hobbit a não ser que tenhamos o evento ENDG, no qual ele é bem importante já que é líder do Conselho Branco e tenta impedir Gandalf e os demais de agirem contra Sauron, antes do que considera adequado a seus planos.
* Preqüência: após ENDG Saruman se isola em Isengard, sempre mantendo a busca pelo Um, além de começar contato com Sauron através do Palantír e se tornar de fato um traidor. Não há muito Saruman na Preqüência, além duma grande preparação para O Senhor dos Anéis, inclusive explicando melhor de onde, afinal, vieram tão grandes exércitos. Talvez o maior problema seja a idade de Christopher Lee pois em 2007 ele já tem 85 anos.

Sala Baker / Sauron
* O Hobbit: embora um pouco afastado no tempo, a invasão de Gandalf em Dol Guldur é uma ótima chance de aparecer além de não ser fora da história, afinal é um flashback contado em Valfenda por Gandalf, mesmo tempo acontecido quase 90 anos antes. E temos o evento ENDG, uma bela oportunidade de mostrar uma nova e imensa fortaleza do mal e um ataque à mesma.
* Preqüência: deixa Dol Guldur, retorna a Mordor, corrompe Saruman, invade Ithilien, incentiva os Haradrim a atacar Gondor e assim por diante. É, de novo, o inimigo principal, mas não a ser enfrentado diretamente, não antes dO Senhor dos Anéis. A história da "coleta" dos Anéis também é interessante assim como a da retomada de Dol Guldur pelos Nazgûl. Aposto que será mostrado em forma física desta vez, a não ser que Peter seja um daqueles estranhos que não acreditam que Sauron tivesse forma física na Terceira Era. Eu espero sinceramente que não seja o caso ou qe ele releia os livros e seus olhos se abram à verdade.

Nazgûl
* O Hobbit: talvez durante o evento ENDG, mas só.
* Preqüência: há muito que os Nazgûl estão em Minas Morgûl e preparando Mordor para o retorno de Sauron. Também há a retomada de Dol Guldur por três dos Nazgûl, bem entre O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Ou seja, sim, teremos Nazgûl!

Barbárvore
* O Hobbit: humm… não.
* Preqüência: também não, a não ser que mostrem Saruman usando o conhecimento de Barbárvore, mas é sempre importante ressaltar que os Ents viveram bem isolados por muito tempo. Acho difícil.

ANÕES
John Rhys-Davies / Gimli
* O Hobbit: um Anão bastante jovem com 62 anos ao tempo dO Hobbit, e sabemos muito bem que ele não participa como um dos companheiros de Bilbo. E acho que Peter Jackson não seria louco o suficiente pra trocar algum dos Anões por Gimli… ou seria? De qualquer forma ele poderia muito bem estar na Batalha dos Cinco Exércitos, talvez lutando ao lado de Legolas, sem perceber. John Rhys-Davies pode se encaixar.
* Preqüência: não nascido na época da tomada de Erebor por Smaug nem na Batalha dos Portões de Moria, não se encaixa em nenhuma aventura citada. Para aparecer neste filme uma história alternativa deveria ser criada, o que é um tanto preocupante.

ELFOS
Orlando Bloom / Legolas
* O Hobbit: como Elfo da Floresta das Trevas Legolas pode ser tranqüilamente encaixado, afinal é filho de Thranduil, que aparece com algum destaque no livro. Também há espaço para ele na grande Batalha dos Cinco Exércitos. Ou seja, Orlando Bloom e suas peripécias élficas têm espaço garantido no filme desde que seja tomado algum cuidado com a continuidade, impedindo contato antes do tempo com Gandalf, Gimli e Bilbo.
* Preqüência: um pouco mais complicado, mas poderia aparecer como coadjuvante no Conselho Branco e no ataque a Dol Guldur. As Orlandetes agradecem.

Hugo Weaving / Elrond
* O Hobbit: uns dos personagens mais importantes. Hugo Weaving garantido.
* Preqüência: aparece em quase todas as linhas de história, desde a infância de Aragorn até os eventos do Conselho Branco. Não parece sair muito de Imladris, mas nem precisa. Hugo Weaving mais do que garantido e seria interessante vê-lo na ENDG.

Liv Tyler / Arwen
* O Hobbit: na época dos eventos, está em Lórien. E nada de forçar a barra com Aragorn conhecendo Arwen antes da hora. Já imaginou o jovem Aragorn, pirralho de tudo, olhando e babando praquela elfona e pensando "espera eu crescer!". Nah, muito tosco.
* Preqüência: espaço garantido e maior do que nO Senhor dos Anéis, com o enlace amoroso com Aragorn. Pode se preparar para grandes cenas românticas em Imladris e Lothlórien ao som de algumas músicas estilo celta/new age, possivelmente em élfico. Só não sabemos se a Liv Tyler ainda agüenta o tranco de bancar a elfa "ninfeta".

Cate Blanchett / Galadriel
* O Hobbit: só se aparecer telefonando para Elrond, não há espaço para ela a não ser que aconteça o evento ENDG. E por isso mesmo que eu estou cada vez mais convencido de que a Expulsão acontecerá mesmo nO Hobbit, é uma ótima oportunidade de encaixar personagens conhecidos dO Senhor dos Anéis.
* Preqüência: boas chances de atuar no Conselho Branco e como avó da Arwen, talvez incentivando os avanços do jovem Aragorn – ou tentando impedi-los. De qualquer forma, interessante potencial. E com a Cate Blanchet mesmo.

Marton Csokas / Celeborn
* O Hobbit: não. A não ser na ENDG.
* Preqüência: uma chance de desfazer a imagem de bobão, atuando no Conselho Branco e atacando Dol Guldur. Pode manter o Marton Csokas mesmo.

RESUMÃO

Lista de personagens/atores e suas possibilidades nO Hobbit e Preqüência, com relação, claro, à história a aos personagens e não considerando problemas de agenda, dificuldades de convivência e/ou falta de interesse, Nenhuma tor foi convidado ainda, é uma lista especulativa de quem podemos esperar ver nO Hobbit e na Preqüência.

* Certeza: Andy Serkis (Sméagol/Góllum), Ian McKellen (Gandalf), Christopher Lee (Saruman), Hugo Weaving (Elrond), Viggo Mortensen (Aragorn), Sala Baker (Sauron), Nazgûl, Liv Tyler (Arwen), Cate Blanchett (Galadriel) e Marton Csokas (Celeborn)
* Probabilidade Alta: John Noble (Denethor), Orlando Bloom (Legolas) e John Rhys-Davies (Gimli)
* Necessita Muita Maquiagem ou Mudanças: Ian Holm (Bilbo), Elijah Wood (Frodo), Sean Astin (Samwise) e (Bernard Hill) Théoden
* Mudanças Drásticas Demais ou Aparecem Apenas Muito Mais Jovens: Billy Boyd (Pippin), Dominic Monaghan (Merry), David Wenham (Faramir), Sean Bean (Boromir), Karl Urban (Éomer) e Miranda Otto (Éowyn)


LINHA DO TEMPO PARCIAL DA TERCEIRA ERA
2770 – Smaug toma Erebor
2799 – Batalha entre Orcs e Anões nos Portões Leste de Moria
2850 – Gandalf entra em Dol Guldur e descobre que o Necromante é Sauron; recupera mapa e chave de Thráin
2851 – Conselho Branco se reune
2879 – Gimli nasce
2890 – Bilbo nasce
2929 – Arathorn II se casa com Gilraen
2930 – Arador morto por Trolls
2930 – Denethor II nasce
2931 – Aragorn II nasce
2933 – Arathorn II morre; Aragorn II levado a Imladris
2941 e 2942 – "O Hobbit"
2941 – Conselho Branco ataca Dol Guldur; Sauron escapa para Mordor em segredo
2948 – Nasce Théoden
2949 – Gandalf e Balin visitam Bilbo
2951 – Sauron se revela; Elrond revela passado de Aragorn II; Aragorn II encontra Arwen; Nazgûl reocupam Dol Guldur
2953 – Última reunião do Conselho Branco
2954 – Montanha da perdição entra em erupção
2956 – Aragorn conhece Gandalf
2957 a 2980 – Aragorn em Rohan e Gondor
2968 – Frodo nasce
2978 – Boromir nasce
2980 – Gollum encontra Laracna; Théoden rei de Rohan
2982 – Merry nasce
2983 – Faramir nasce; Samwise nasce
2984 – Denethor II regente
2989 – Frodo em Bolsão
2989 – Balin entra em Moria
2990 – Pippin nasce
2991 – Éomer nasce
2994 – Balin é morto e colônia dos Anões em Moria é extinta
2995 – Éowyn nasce
3001 – despedida de Bilbo
3007 – Gilraen morre

Por quê?

Hoje é aniversário da Valinor e eu simplesmente tinha que escrever algo sobre isso. Como eu sou VIP (leia-se: não entreguei o depoimento a tempo) fiz meu texto em separado, para a minha coluna sem periodicidade. E aqui está ele, com o singelo título de “Por quê?”.

 
Um pequeno fato casual aconteceu hoje pela manhã: eu pedi algumas
músicas a meu colega de trabalho, um piazão gente boa que além de
trabalhar comigo estuda no CEFET e, por uma dessas coincidências
estranhas do destino, um dos CDs que ele tinha e me ofereceu era o
Nightfall do Blind Guardian, que é todo conceitual e baseado no
Silmarillion. Eu pensei "porque não?" e peguei. Já continuo a história.

Infelizmente eu tenho estado afastado da Valinor, restrito a menos de
10 horas semanais na mesma, por razões profissionais (o projeto do qual
sou Gerente é muito grande e complexo). Não é o primeiro afastamento e
nem o último, alguns deles motivados por desânimo, outros por trabalho,
mas nunca por um período longo (ou seja, mais do que poucas semanas).
Todavia nunca estive acessando a Valinor tão pouco quanto agora.
Perguntas como "pra quê?", "qual a razão de eu continuar ainda gastando
meu tempo – preciosssssso! – com isso?", "até quando?" são comuns e
contantes.


Daí surge isso, um álbum do Blind Guardian baseado nO Silmarillion, que
eu não ouço há anos pois meu gosto musical mudou um tanto… e eu
recordo de tudo. Vem aquela sensação de reconhecimento, um certo
arrepio na espinha não por ser Blind, nem por ser metal mas sim pela
história, por ser Tolkien. E aquelas perguntas ali de cima
automaticamente se respondem.

"Pra quê?"
Pra que mais gente possa ter sempre mais e tudo e qualquer coisa sobre esse mundão de Tolkien
 

"Qual a razão de eu continuar ainda gastando meu tempo – preciosssssso!
– com isso?"
(Tapem os ouvidos). Porque é FODA PRA CARALHO, tanto o
aprender quanto o ensinar e o disponibilizar.
 

"Até quando?"
Até o Fim. Até Morgoth voltar do Vazio. Até as Silmarilli
serem recuperadas. Até Arda ser Recuperada. Aliás, minto, além disso.

E toda vez que eu leio O Hobbit ou assisto a cavalgada dos Rohirrim nO
Retorno do Rei ou recebo um e-mail agradecido de um dos visitantes da
Valinor, as perguntas sempre se respondem. Tem sido uma longa viagem,
com partes ruins também: enjôo, estrada ruim, pedágio alto. Mas no
final das contas, a hell of a trip, guren bêd enni.

No final das contas estamos aqui pelo mesmo motivo que Bilbo, mesmo
acordando tarde encontrou os Anões, pelo mesmo motivo que levou Frodo a
aceitar a imensa carga do Um, pelo mesmo sentimento que carregou
Aragorn à frente do exército do Leste para os Portões de Mordor e
Théoden levou seus Rohirrim àquela cavalgada sem esperança na Batalha
de Pelennor. Por que é bom, é certo e deve ser feito.

E, como diria Tuor, Gurth an Glamhoth! (E agora me dêem licença que eu vou ali organizar o sorteio de aniversário

ted-nasmith-the-return-of-the-noldor

Filmando “O Silmarillion”? Vai Sonhando

Neste empolgantes mas anárquicos momentos pré-filme dO Hobbit, quando surgem todo tipo de histórias e teorias bizarras, sugestões estranhas e coisas como “preferia ver O Silmarillion aO Hobbit” é sempre bom sentar e pesquisar um pouco em que pé as coisas estão e até que ponto podemos ter esperanças com relação a novos filmes, além dos já anunciados O Hobbit e uma prequência não-nomeada que ligaria O HobbitO Senhor dos Anéis.

No final das contas tudo depende de quem tem os direitos dos filmes. Nosso caro J. R. R. Tolkien vendeu ainda em vida para a United Artists em 1968 dos direitos a certos elementos tanto de O Hobbit como de O Senhor dos Anéis, como filmagem e montagem teatral. Esses direitos foram repassados a Saul Zaentz em 1976 que criou a Tolkien Enterprises, uma divisão da Saul Zaentz Company, para controlar tais direitos. É importante ressaltar que a Tolkien Enterprises não tem absolutamente nada a ver com Christopher Tolkien, demais herdeiros de Tolkien ou a Tolkien Estate (falarei desta adiante).

Foi a Tolkien Enterprises quem licenciou para a New Line Cinema o direito dos filmes tanto dO Senhor dos Anéis quanto dO Hobbit. No momento estamos presenciando uma certa avidez por parte da New Line por criar os dois filmes anunciados e a razão disto é que os direitos estão vencendo no próximo ano e voltando para a Tolkien Enterprises, que poderá ela mesma realizar os filmes ou licenciar novamente para quem ela desejar. Isso não quer dizer que a New Line tenha que finalizar o filme até o próximo ano, mas iniciar o projeto. Ou seja, nada impede que tenhamos um O Hobbit em 2008 realizado pela New Line sem o diretor Peter Jackson, o qual está envolvido em disputas jurídicas com a New Line que o estão excluindo do projeto, e um O Hobbit 2009 ou 2010 realizado pela Tolkien Enterprises com Peter Jackson.

silmarillion_wallpaper_2_by_jayden444-d496ob9

Aliás, Saul Zaentz já deixou bem claro que uma vez os direitos retornando Peter Jackosn e nenhum outro é quem seria o direitor da Tolkien Enterprises. Mas como o mundo é pequeno demais para dois O Hobbit logicamente ocorrerá algum tipo de acordo daquele “toma lá-dá cá” com a Tolkien Enterprise forçando a New Line a aceitar Peter Jackson para consentir no alargamento dos prazos de dieito. Com relação a este assunto só reste ressaltar que nem Christopher Tolkien nem a Tolkien State têm qualquer poder de influência sobre a Tolkien Enterprise e sobre os filmes, ou seja, pode sair qualquer coisa que ao Christopher só resta espernear e mais nada.
Layout 1Mas já passou a hora de esclarecer o que é a tal Tolkien Estate e que raios ela faz. Tolkien State é a empresa que legalmente gerencia os direitos autorais das obras de J. R. R. Tolkien com exceção dos direitos de filmagem e marketing dO Hobbit e dO Senhor dos Anéis, já citados acima. Ou seja, todo o resto. Tudinho até o último manuscrito. Os executores da Tolkien Estate – os chefes – são Christopher Tolkien (nascido em 1924), a esposa deste Bailie Tolkien (nascida em 1941) e o sobrinho de Christopher, Michael Tolkien (nascido em 1943). As datas de nascimento são importantes, explico além. O filho de Christopher Tolkien com a primeira esposa, Simon Tolkien, aparentemente foi excluído desse círculo ao apoiar publicamente Peter Jackson e seus filmes, embora isso seja veementemente negado tanto pelo pai como pelo filho… embora não se falem mais há anos.
Agora entra a informação importante referente a possíveis outros filmes, baseados em materiais como O Silmarillion ou mesmo trechos do Contos Inacabados e The History of Middle-earth. Os direitos destas obras todas estão com a Tolkien Estate, controlada com mão de ferro por Christopher Tolkien, e isso significa “nada de filmes, não obrigado”. Christopher Tolkien não acha que as obras sejam adaptáveis ao cinema e duvido que vá mudar de idéia tão cedo, nem as duas outras pessoas que compõe a “chefia”. Eu arriscaria ser um tanto quanto nefasto e afirmar que só sobre o cadáver dos três os direitos de filmagens poderiam ser vendidos, talvez por uma nova geração, mas apesar de Christopher já ser avançado em idade sua esposa e sobrinho não o são: têm umas boas décadas de vida ainda.
Uma esperança seria que as obras de Tolkien caíssem em domínio público, situação na qual não haveria mais necessidade alguma de autorizações ou direitos, mas o cenário não deixa muitas esperanças. No Reino Unido as obras entrarão em domínio público – inclusive aquelas publicadas postumamente – apenas 70 anos após a morte do autor, ou seja, 2043. Eu serei um respeitável senhor de 55 anos até lá e poderei ir ao cinema com meus netos ver a história de Túrin numa avançada projeção quadridimensional com 250 canais de som e imersão completa tempo-espaço.
Nos Estados Unidos a coisa é mais complicada e menos homogênea mas O Hobbit não entra em domínio público antes de 2034, O Senhor dos Anéis antes de 2049 e os textos póstumos antes de 2047.É, tudo isso pra chegar à triste conclusão de que, a menos que a Tolkien Estate mude radicalmente sua visão, não teremos quaisquer outros filmes além daqueles baseados em O Hobbit e O Senhor dos Anéis pelo menos até 2043. Espero que esse pequeno texto tenha auxiliado a desfazer alguns nós e esclarecer detalhes com relação a licenciamentos e filmes, embora a conclusão do mesmo não seja a que nós, fãs de Tolkien, gostaríamos.