Todos os post de Gabriel Oliva Brum

Novo livro: "Ents, Elves, and Eriador: The Environmental Vision of J. R. R. Tolkien"

Do press release no site da editora:

Embora
não sejam reconhecidas freqüentemente como literatura ambiental ou agrária, as
obras de J. R. R. Tolkien demonstram uma filosofia ecológica complexa e
abrangente. A ecologia da Terra-média retratada em O Hobbit, O Senhor
dos Anéis
e O Silmarillion reúne três elementos fortes e
convincentes de preservação e conservação – agricultura e agrarianismo
sustentáveis, horticultura independente de utilitarismo e proteção de regiões
selvagens intocadas. No decorrer de sua obra, Tolkien revela a sua visão do
mundo natural e de responsabilidade ambiental.

 

Ents,
Elves, and Eriador: The Environmental
Vision of J. R. R. Tolkien
("Ents, Elfos e Eriador: A Visão Ambiental de J. R. R.
Tolkien") examina a filosofia ambiental subjacente nas principais obras de
Tolkien assim como em suas histórias e ensaios menos conhecidos. Matthew
Dickerson e Jonathan Evans avaliam os escritos de Tolkien, em especial seu
legendário da Terra-média, no contexto da literatura ambiental moderna. Os
autores comparam a obra de Tolkien com aquelas de alguns dos mais importantes
estudiosos ambientais e escritores de natureza do século passado, incluindo
Wendell Berry, John Elder, Aldo Leopold e Scott Sanders, destacando a
profundidade intelectual de Tolkien.

Uma
contribuição vital para a literatura ambiental e um acréscimo importante aos
estudos tolkienianos, Ents, Elves, and Eriador oferece a todos os
fãs de Tolkien uma nova maneira de compreender suas obras.

Sobre
os autores:

Matthew Dickerson,
professor e membro do programa de estudos ambientais da Middlebury College, é o
autor de vários livros, incluindo Following Gandalf: Epic Battles and Moral
Victory in the Lord of the Rings
e From Homer to Harry Potter: A
Handbook on Myth and Fantasy
.

Jonathan
Evans
, professor
associado de Inglês e diretor do programa de estudos medievais da Universidade
da Georgia, é membro do corpo docente do Programa de Certificado em Ética
Ambiental. Seus ensaios sobre J. R. R. Tolkien foram publicados
em J. R. R. Tolkien and his Literary ResonancesTolkien the
Medievalist
e The J. R. R. Tolkien Encyclopedia

"A
tese ecológica de Dickerson e Evans possui um mérito notável, que é o fato de
que o próprio Tolkien teria reconhecido e aprovado inteiramente o que eles têm
a dizer." – Tom Shippey, retirado do Posfácio

Ents,
Elves, and Eriador: The Environmental
Vision of J. R. R. Tolkien

Com prefácio de John Elder e posfácio de Tom Shippey

Data de publicação: 11/2006
Preço: US$35,00
Formato:
encadernado
ISBN: 0-8131-2418-2
Número de páginas: 344
Editora: University Press of Kentucky

Clique aqui para
ver a capa do livro.

Ents, Elves, and Eriador na
Amazon.com

Fontes: Tolkien Library e University Press of Kentucky

Comente esta notícia!

Novo livro: "The Plants of Middle-earth" em pré-venda

Do press release no site da
editora:

 

Um novo caminho para explorar a cultura e os
valores da Terra-média de Tolkien.

 

 

"Ao invés de inventar um mundo alienígena no qual
personagens humanos e familiares são introduzidos, como em ficção científica,
Tolkien criou um ambiente natural que também é o lar de seres e elementos 'sobrenaturais', à semelhança de obras medievais como Beowulf. O Condado é
sempre o ponto de referência para o qual os hobbits retornam mentalmente e com
o qual eles (e nós) comparam o resto da Terra-média. Ao criar uma sensação de
familiaridade e de pertencer a algo logo no início, e posteriormente em cada
uma das culturas encontradas, somos capazes de conhecer 'outros' sem nos
sentirmos deslocados."
— retirado da Introdução

Belamente ilustrado com dezenas de ilustrações
originais coloridas e em preto e branco, The Plants of Middle-earth: Botany
and Sub-creation
("As Plantas da Terra-média: Botânica e Subcriação") une
visualmente os leitores ao mundo da Terra-média, suas culturas e personagens e
às cenas de suas aventuras. O uso de flores, ervas, árvores e outras floras por
Tolkien cria verossimilhança na Terra-média, com a flora servindo a importantes
funções narrativas. Essa viagem botânica através da Terra-média aumenta a
apreciação da contribuição de Tolkien como preservador e transmissor da
expressão cultural inglesa, fornece uma perspectiva revigorante e animadora
para abordar e experimentar o texto de Tolkien, e permite aos leitores observar
sua capacidade artística como subcriador e sua vida imaginativa como
medievalista, filólogo, estudioso e jardineiro.

The Plants of Middle-earth fundamenta-se em biografia, fontes literárias e
história cultural, e é único no uso da botânica como foco para examinar a
complexa rede de elementos que forma a criação de Tolkien. Cada capítulo inclui
a descrição, usos, história e tradição das plantas, o que freqüentemente conduz
às suas implicações temáticas e interpretivas. O livro agradará leitores em geral,
estudantes e professores de Tolkien, assim como aqueles com um interesse em
conhecimento sobre plantas e ilustrações botânicas.

 

Sobre a autora: 

 

Dinah Hazell é especialista em literatura inglesa medieval e estudos culturais e
publicou vários artigos sobre o assunto. Estudiosa independente, preparou
diversos currículos ensinados na San Francisco State University, incluindo um
sobre Tolkien. Ela mora em Menlo Park, California, e é uma ávida jardineira.

 

The Plants of Middle-earth: Botany and Sub-creation

Data de publicação: 28/11/2006
Preço:
US$22,95
Formato:
encadernado
ISBN:
0873388836
ISBN-13:
9780873388832
Número de páginas:
136 (aprox.)


Editora:
Kent State University Press

The
Plants of Middle-earth na Amazon.com

Fontes: Tolkien Library e Kent State University Press

 

Comente esta notícia!

Livro inspirador de "O Hobbit" é relançado

O livro que inspirou O Hobbit de J. R. R.
Tolkien, The Marvellous Land of Snergs ("A Terra Maravilhosa dos
Snergs"), de E. A. Wyke-Smith (1871-1935), acaba de ser relançado em uma edição
de fac-símile publicada pela editora Dover, por módicos US$9,99, e conta com as
ilustrações originais de George Morrow.
 

Talvez muitos se
perguntem: "Que raio de livro é esse??". A resposta é dada pelo próprio Tolkien
na carta 163 para W. H. Auden, onde ele diz que seus filhos gostaram d'O
Hobbit
, mas "não mais, creio, do que The Marvellous Land of Snergs,
Wyke-Smith, Ernest Benn, 1927. Vendo a data, devo dizer que esse provavelmente
foi um livro de fonte inconsciente! para os Hobbits, não de algo mais" (Cartas,
p. 207). 

Na Introdução de The Annotated
Hobbit
(1988), há as seguintes observações do editor Douglas A. Anderson:

 

"(…)
Essa história trata das aventuras de um Snerg chamado Gorbo. Os Snergs são 'uma
raça de pessoas apenas um pouquinho mais altas do que uma mesa comum, mas têm
ombros largos e grande força.'

 

A
Terra dos Snergs é descrita como 'um lugar afastado'. Lá uma pequena colônia
foi estabelecida para a qual são levadas crianças negligenciadas por seus pais.
A história tem como foco principal duas crianças, Joe e Sylvia, que, junto com
Gorbo, partem em uma aventura a terras desconhecidas; eles encontram vários
personagens inconvenientes e curiosos, tais como Golithos, um ogro reabilitado
que não come mais crianças e que se tornou vegetariano, e Mãe Meldrum, uma bruxa
sinistra que é também uma cozinheira maravilhosa (…)

 

(…)
Seu humor e tom divertido lembram muito O Hobbit, como demonstra o
seguinte trecho:

 

'[Os
Snergs] são ótimos com festas, que eles dão a céu aberto em longas mesas unidas
de ponta a ponta que acompanham as curvas da rua. Isso é necessário porque
quase todo mundo é convidado – ou melhor dizendo, ordenado a ir, pois o Rei dá
as festas, apesar de cada pessoa ter que levar a sua parte da comida e da
bebida e colocá-la no estoque geral. Nos últimos anos, o procedimento mudou
devido ao número de convites que tinha de ser enviado; as ordens agora são
subentendidas e apenas convites para ficar longe são enviados às pessoas que
não são desejadas em uma ocasião em particular. As ordens às vezes ficam mais
rígidas em razão de uma festa, e então o Mestre da Casa, cujo trabalho é esse,
tem de caçar por um motivo, como por ser o aniversário de alguém. Certa vez
deram uma festa porque não era o aniversário de ninguém naquele dia.'
(The
Marvellous Land of Snergs
, p. 10)

 

The Marvellous Land of
Snergs
possui muitas qualidades admiráveis. Ele continua sendo um livro delightful até hoje e não merece seus
sessenta anos de obscuridade.'
(The Annotated Hobbit, pp. 4-5)

Um
prato cheio não só para os fãs de Tolkien que adoram essas referências, mas
para todos os apreciadores de uma literatura infantil de ótima qualidade. 

Clique aqui para ver a capa do livro.

The Marvellous Land of Snergs na Amazon.com

Comente esta notícia!

Novo livro: "LotR: Popular Culture in Global Context"

O primeiro livro a analisar o impacto comercial e
cultural dos fenômenos relacionados a O Senhor dos Anéis a partir de uma
perspectiva realmente internacional. Abrangente e meticulosamente pesquisado, a
obra segue a trajetória de como o cinema global pode ser apresentado, apreciado
e apropriado no século XXI.



 

The Lord of the Rings: Popular Culture in Global
Context
("O Senhor dos Anéis:
Cultura Popular no Contexto Global") toma o lançamento da trilogia cinematográfica
como ponto de partida para um panorama do impacto internacional O Senhor dos
Anéis em diversos ambientes culturais (EUA, Reino Unido, Nova Zelândia e
Europa). Essa antologia examina o merchandising, números de bilheteria,
distribuição, recepção da crítica, o surgimento dos fãs e o status de
culto dos filmes. O livro se concentra em como essas facetas bem diferentes – trailers,
edições de DVD, páginas de Internet, jogos de computador, música, excursões nos
locais das filmagens e até seus improváveis subprodutos eróticos – contribuíram
para tornar O Senhor dos Anéis a marca mais reconhecida publicamente do século
XXI até agora.

Este livro ajuda a explicar como tal status
é negociado pela Hollywood corporativa. O sucesso dos filmes e da franquia
indica também o sucesso crescente da fantasia como gênero no século XXI. Essa
popularidade, por sua vez, exige uma investigação cuidadosa de como, por que e
onde ela é consumida. É essa área de estudo até então negligenciada que Ernest
Mathijs aborda na publicação deste volume.

Ernest
Mathijs

Ernest Mathijs é professor de Estudos
Cinematográficos na Universidade de Gales, Aberystwyth. Ele é co-editor de Big
Brother International: Formats, Critics and Publics
, Alternative Europe:
Eurotrash and Exploitation Cinema Since 1945
e editor de The Cinema of
the Low Countries
(todos da Wallflower Press, 2004). Ele está escrevendo The Cinema of David Cronenberg (para a
série Directors’ Cuts da Wallflower Press).


Conteúdo do livro:

SECTION
1: POLITICAL ECONOMY AND COMMERCIAL CONTEXTS

1. More than Just Rings: Merchandise for Them All, Janet Wasko and Govind
Shanadi 2. ‘On the Brink of a New Threshold of Opportunity’: The Lord of the
Rings and New Zealand Cultural Policy, Jennifer Lawn and Bronwyn Beatty 3.
Making Middle Earth Sound Real: The Lord of the Rings and the Cultural Politics
of the BBC Radio Edition, Martin Barker 4. Blockbusters and/as Events:
Distributing and Launching The Lord of the Rings, Daniel Biltereyst and
Philippe Meers 5. Following the Money: The Lord of the Rings and the Culture of
Box Office Figures, Warren Buckland and Christopher Long

SECTION
2: PUBLIC RECEPTIONS

6. ‘Wellywood’ and Peter Jackson: The Local Reception of The Lord of the Rings
in Wellington, Davinia Thornley 7. Reviews, Previews and Premieres: The
Critical Reception of The Lord of the Rings in the United Kingdom, Ernest
Mathijs 8. ‘Apocalypse Now in Middle Earth’: ‘Genre’ in the Critical Reception
of The Lord of the Rings in Germany, Susanne Eichner, Lothar Mikos and Michael
Wedel 9. Realising the Cult Blockbuster: The Lord of the Rings Fandom and
Residual/Emergent Cult Status in ‘the Mainstream’, Matt Hills 10. The Lord of
the Rings Online Blockbuster Fandom: Pleasure and Commerce, Kirsten Pullen 11.
‘This is What it Must Look Like’: The Lord of the Rings Fandom and Media
Literacy, Judith E. Rosenbaum 12. Sacred Viewing: Emotional Responses to The
Lord of the Rings, Anne Jerslev

SECTION
3: ANCILLARY CONTEXTS

13. Framing Tolkien: Trailers, High Concept and the Ring, Erik Hedling 14.
Bonus Material: The DVD Layering of The Lord of the Rings, Jonathan Gray 15.
Playing the Ring: Intermediality and Ludic Narratives in the Lord of the Rings
Games, Jonathan Dovey and Helen W. Kennedy 16. Cooperation versus Violence: An
Ethnographical Analysis of the Return of the King Video Game, Mariano Longo 17.
Fixing a Heritage: Inscribing Middle Earth onto New Zealand, Stan Jones 18.
Musical Middle Earth, K. J. Donnelly 19. Tolkien Dirty, I. Q. Hunter

A Wallflower Press é uma editora
independente especializada em cinema.

Editado por Ernest Mathijs
Prefácio de Brian Sibley
Data de publicação: 12 de outubro de 2006

360 páginas
1–904764–82–7 £16.99 (brochura)
US$25.00 (brochura)
1–904764–83–5 £45.00 (encadernado)
US$75.00 (encadernado)

Compra do livro pela Amazon.com

Fontes:
Press Release da Wallflower Press
e TheOneRing.net

Comente esta notícia! 

Vendidos os direitos de tradução de The Children of Húrin

A Feira do Livro de Frankfurt é um evento anual na Alemanha onde direitos de tradução de livros são vendidos entres várias editoras.

 

Ao final do primeiro dia de negócios na Feira na
quarta-feira, a HarperCollins
Publishers havia vendido os direitos (que não os norte-americanos) para
pelo menos nove países. As várias traduções devem ser publicadas por
volta do meio do ano que vem.

Resta sabermos se o Brasil é um desses nove países. 

Fonte: Tolkien News 

Comente esta notícia!

The J. R. R. Tolkien Companion and Guide prestes a ser publicado

Depois do lançamento no ano passado do essencial The Lord of the Rings: A Reader's Companion, Wayne G. Hammond e Christina Scull, dois dos mais eminentes estudiosos tolkienianos, anunciam o término da composição de The J. R. R. Tolkien Companion and Guide,
que será publicado pela editora HarperCollins no Reino Unido em 2 de
novembro de 2006 e pela editora Houghton Mifflin nos Estados Unidos no
final do mês que vem.
 

A obra está dividida em dois volumes, Chronology (Cronologia) e Reader's Guide
(Guia do Leitor), que abordam as mais variadas facetas da vida e das
obras de J. R. R. Tolkien em mais ou menos 2.300 páginas. Os volumes
estarão disponíveis tanto separadamente como juntos em uma caixa (a um
preço menor).

Presentes na publicação estão uma extensa cronologia da vida e obras de
Tolkien, listas e descrições de todas as suas obras e notas sobre
pessoas, lugares, questões e eventos significantes.

O próprio Hammond forneceu mais alguns detalhes: "Examinamos
a vida de Tolkien como estudante universitário nos arquivos da
Faculdade Exeter assim como em outros documentos, e colocamos muito
sobre essa parte na nossa Cronologia, enquanto que um relato das
sociedades às quais Tolkien pertencia aparecerá no Guia do Leitor. É
claro que também temos um verbete para o TCBS e verbetes para seus
vários membros, e na Cronologia relatamos as atividades de Tolkien na
Primeira Guerra Mundial, a partir de pesquisas originais nos papéis de
Tolkien em Bodleian e no National Archives (ex-Public Record Office). O
trabalho de Tolkien, com George S. Gordon, no 'Chaucer da Clarendon' é
particularmente fascinante, por ser previamente desconhecido:
discutimos esse ponto detalhadamente, a partir de cartas dos arquivos
da Oxford University Press e outras fontes."

Este livro trará respostas a muitas perguntas, fornecerá várias
informações novas e corrigirá inúmeros fatos errados sobre Tolkien que
se tornará a nova (e única) obra padrão sobre J. R. R. Tolkien.

Sobre os autores:

Christina Scull é ex-bibliotecária do Museu Sir John Soane, em Londres. Ela é a autora de The Soane Hogarths (1991), edita o jornal The Tolkien Collector e freqüentemente escreve e fala sobre Tolkien.

Wayne G. Hammond é bibliotecário da Biblioteca Chapin de Livros Raros na Faculdade Williams, Massachusetts. Ele é o autor de The Graphic Art of C. B. Falls (1992), J.R.R. Tolkien: A Descriptive Bibliography (1993) e escreve regularmente sobre Tolkien no jornal Mythlore.

Wayne e Christina trabalharam juntos em livros importantes como J.R.R. Tolkien: Artist & Illustrator, Roverandom, Farmer Giles of Ham 50th anniversary edition, o novo índice remissivo espandido de As Cartas de J. R. R. Tolkien, The Lord of the Rings 1954-2004: Scholarship in Honor of Richard E. Blackwelder, The Lord of the Rings 50th anniversary edition (2004-2005), no qual foram corrigidos diversos erros tipográficos presentes na obra por décadas, e o já mencionado The Lord of the Rings: A Reader's Companion (às vezes confundido com o Companion and Guide que será lançado agora).

Clique aqui para ver as capas dos dois volumes do Companion and Guide.

Fontes: Tolkien News, Site oficial de Wayne G. Hammond e Christina Scull e Tolkien Library

Comente esta notícia!

"Tolkien and Shakespeare" – pré-venda do livro

Programado para ser lançado na primavera/verão de 2007 no hemisfério norte (outono/inverno aqui), Tolkien and Shakespeare: Essays on Shared Themes and Language
("Tolkien e Shakespeare: Ensaios sobre Temas e Linguagem
Compartilhados") é um livro que se propõe em analisar as inumeras
semelhanças – muitas vezes não tão facilmente perceptíveis – entre dois
dos maiores escritores da língua inglesa. 

 

Tolkien e Shakespeare: o segundo um prolífico poeta e dramaturgo
popular da era elizabethana, o primeiro um estudioso do século XX de
inglês antigo e autor de uma quantidade de obras consideravelmente
menor. Apesar de inquestionavelmente escritores muito diferentes, os
dois possuem mais em comum do que se poderia esperar.

Estes
ensaios concentram-se nos amplos temas e motivos que eram da
preocupação de ambos os autores. Eles procuram revelar a influência de
Shakespeare sobre Tolkien
através de ecos dos temas do dramaturgo e até mesmo das escolhas de
palavras, descobrindo como Tolkien usou, revisou, atualizou, "corrigiu"
e, não obstante, manteve um diálogo constante com as obras de
Shakespeare.

O
modo de retratar os Elfos e o mundo de Faërie, e como os humanos
interagem com eles, são alguns dos pontos de comparação e diferença
mais óbvios para os dois escritores. Tanto Tolkien como Shakespeare
exploraram profundamente os usos e abusos de poder com príncipes,
políticos, guerra e as lições da história. Magia e profecia também eram
de grande interesse para os dois autores, e as obras de ambos estão
repletas de encontros com o Outro: máscaras e disfarces, espelhos que
ocultam e revelam ou pedras de visão que mostram apenas parte da
verdade.

O livro já se encontra em pré-venda pelo site da editora McFarland, neste link, ao preço de US$35 + frete.


Tolkien and Shakespeare

Essays on Shared Themes and Language

Editado por
Janet Brennan
Croft, Donald E. Palumbo e C.W. Sullivan III

ISBN
0-7864-2827-9

bibliografia, índice remissivo

304 páginas. Brochura.

2007

Comente esta notícia clicando aqui!