Todos os post de _ sauron _

Maerton – Capí­tulo 5 – Beleriand

Certo dia, Sereg avançou até as Ered Luin. Ele sentia uma vontade imensa e descontrolada de ver Beleriand. Quando estava caminhando, encontrou um exótico grupo de homens, e no meio deles um elfo tocava e cantava uma linda canção. Era Finrod, do reino de Nargothrond. O líder dos homens era Bëor. Ao ver aquilo, Sereg os seguiu, por uma trilha nas Ered Luin, até Ossiriand, onde ele andou até Doriath, e se deteve no cinturão de Melian, onde guardas o levaram até Menegroth, e ele foi apresentado a Thingol. Ali eles o levaram para o calabouço, e só então Sereg entendeu: ele era um prisioneiro. Então, reunindo todo o seu poder, se transformou em um Balrog, e matou 63 soldados, até que Melian, a Maia, o enfrentou e desmaiou-o. Então, ele tomou sua forma normal, foi muito bem preso, em uma mesa feita pelos anões. Ali ele ficou por muitos anos.

 
No leste, todos da tribo Maerton, receberam nomes (até então eles não o tinham), e o herdeiro de Lómin, seu filho, foi chamado Dar-Lómin, e o filho deste, Dir-Lómin. Esta virou uma tradição dos herdeiros de Lómin. Os elfos, porém, sentiram inveja da força, agilidade, beleza e velocidade dos Maerton, e os expulsaram para Beleriand, onde passaram um ano. Eles eram lá vistos como alguns simples Moriquendi, e foram morar na terra, mais tarde nomeada Dor-Lómin, por um longo ano.

Quando já estavam a duas semanas ali, Dar-Lómin foi com seu general,Figôniel, caçar, para além das Ered Luin, e Dir-Lómin ficou como regente, em seu lugar. Nesta época, o regente nomeou aquela terra onde viviam: Dor-Lómin. Isso foi uma homenagem dupla: homenageou Lómin, pois Dor-Lómin significa terra de Lómin; e homenageou seu filho de doze anos de idade, Dor-Lómin. Quatro meses depois, um cavaleiro caindo aos pedaços se aproximou de Dor-Lómin.

 
(Capítulos Um, Dois, Três e Quatro desta fanfic) 

Maerton – Capí­tulo 4 – O despertar

Quando acordaram, os Maerton se sentiam como se tivessem dormido por
uma noite. Eles estavam presos dentro da “pedra da espada”. Foi aí que
o filho único de Lómin, agora com tanto status como Gil, foi arrebentar
a pedra, para poderem sair. Aconteceu, pois, que ele, com um chute, mal
rachou a pedra. Foi aí, que os Maerton perceberam: estavam bem mais
fracos que antes! Todos se enfureceram com os Valar, que os havia
reunido ali. 
 
 
Porém, o herdeiro do senhor dos guerreiros, pegou em uma
mão Ravena, e na outra Manestríndil. Então ele atacou a rocha com tudo,
e, sete horas depois, conseguiu sair. Mas ele se cansou, e com isso os
Maerton perceberam: estavam bem mais fatigantes do que antes. Foi então
que o ódio aos Valar se inflamou realmente: Seregorr não estava na
rocha!

Eles, então, viram de repente, um ser na sua frente, mais
fraco que eles, mas falava uma língua diferente. Aos poucos os Maerton
foram aprendendo aquela língua, o Sindarin. Mas nenhum Maerton Ousava
ir até Beleriand, pois, daqueles lados, eles acreditavam vir os Valar.
A tribo rumava sempre para o leste, mais um deles tinha um desejo
enorme de rumar para o oeste, e para Beleriand. Este era Sereg, o mago.
 
(Capítulos Um, Dois e Três desta fanfic)

Maerton – Capí­tulo 3 – Durante o sono

Enquanto os Maerton dormiam, várias coisas aconteceram. Os Valar
limitaram suas forças, pois sentiram medo deles, Seregorr foi confiada
a Eonwë, o arauto de Manwë, que a guardou em Taniquetil. Melkor foi
derrotado e preso nos palácios de Mandos, por três eras. Os
primogênitos de Eru, os elfos, nasceram, em Cuiviénen, e Oromë os
conduziu até Valinor. Muitos, porém, não chegaram à terra imortal, e
ficaram na terra-média: os Moriquendi. Alguns destes foram os Sindar,
que criaram o idioma Sindarin, falado em Beleriand.
 

Melkor foi
libertado, com um juramento de lealdade, e ele foi até Ungoliant, na
terra de Avathar, o extremo sul, e os dois “atacaram” Valinor.
Destruíram Laurelin e Telperion, como também os poços de água e luz, de
Varda, mataram Finwë e roubaram as Silmarils. Isso gerou a nova
proteção de Valinor, com as Pelóri mais altas que nunca, e a deixa dos
Noldor (resultado de tragédias), que, quando estavam chegando a
Beleriand, admiraram o sol e a lua pela primeira vez. Foi nesse
instante que os homens nasceram, longe, perto de Cuiviénen. E os
Maerton despertaram mais uma vez!

(Capítulos Um e Dois desta fanfic)

Maerton – Capí­tulo 2 – Os Maerton antes do sono

Assim que os valar chegaram a Eä, e começaram a trabalhar, os Maerton nasceram. Como já foi citado, os Menoir os criaram na música dos Ainur. Quando surgiram, eram 300 – 150 patriarcas, e 150 matriarcas. Eram divididos em cinco grandes grupos: o primeiro, e mais importante (de maior status), era o dos imponentes, os mais inteligentes e os mais bonitos, cujo líder foi, mais tarde, nomeado Gil (estrela, pois ele se achava uma), e sua esposa foi nomeada Taranari; o segundo, era dos fortes, que eram valorizados, pois a força era uma grande atração de status, seu líder foi mais tarde nomeado Tauron (senhor das florestas, pois ele as amava) cuja esposa foi nomeada Normanfin; o terceiro era o dos grandes ferreiros (não só ferreiros, mas todos trabalhavam muito bem com metais e rochas), seu líder foi mais tarde nomeado Felak (escavador, pois trabalhava em túneis e cavernas), algumas comparações tardias (depois da quarta era), o diziam tão bom quanto Fëanor, ou até melhor, ele não era casado; o quarto era dos que se envolviam em magia, estes eram o menor grupo, que só continha uma matriarca, seu líder foi nomeado mais tarde Sereg (sangue, pois este era seu principal ingrediente nas alquimias), ele não era casado; o quinto, era o dos grandes guerreiros, estes não conseguiam altos status pois não havia guerras,seu líder foi nomeado Lómin (pois Melkor gritou algo do tipo quando este o atacou), cuja mulher foi Lira.
 
Quando os Valar criaram Illuin e Ormal os Maerton se apaixonaram pelas lamparinas, por isso, quando Melkor as destruiu todos se iraram com ele, e, como Seregorr pertencia a Lómin, este a pegou para usar pela primeira vez. Lómin correu muitas léguas, até que alcançou os portões de Utumno, e estes ele arrebentou com um chute (os Valar ainda não haviam limitado as forças dos Maerton). A primeira resistência que encontrou, foram orcs – “Coisinhas fracas que usavam umas roupinhas de metal que minha Seregorr cortava como uma faca corta a casca de uma laranja.” (Lómin disse após morto)-, depois veio algo mais duro: Lobisomens! – “Umas coisas grandes e feias que minha Seregorr cortava como uma faca quando corta carne.” (Lómin disse após morto)-, depois vieram os mais potentes: Balrogs, comandados por Gothmog! – “Estes eram como touros, e minha Seregorr os feriam como se fosse empenhada por um Homem contra um touro. ”(Lómin disse após morto)- e então veio o chefão, e este era muito forte, e usava um martelo gigante, recém forjado (provavelmente foi forjado para destruir as lamparinas). – “Eu pulei o mais alto que já havia pulado, e feri seu olho, deixando uma cicatriz, mas Seregorr me traiu, ele desceu seu martelo para cima de mim, coloquei Seregorr na frente,como defesa, mas esta cravou no martelo, que desceu até me esmagar!”(Lómin disse após morto).

Melkor pegou o resto do corpo de Lómin, partiu-o ao meio, e jogou com toda força no chão, explodindo-o, e os lobos e lobisomens de Utumno o devoraram. Depois, Melkor pegou seu martelo que estava rachado, desencravou Seregorr dele, e, em sua ira, a arremessou longe, em Eriador (isso foi um grande erro, pois aquela espada podia matar um Vala). Ela caiu em uma pedra grande, mais tarde conhecida como Pedra das Três Quartas. Depois, ele pegou um pouco de lama preta e colocou em sua cicatriz, para omitir a sua vergonha. Dizem que mais tarde, Thorondor retirou a lama seca, e a cicatriz na região ocular, reapareceu. Os Valar perceberam então, quão forte eram os Maerton, e fizeram todos dormirem por longos anos na “pedra da espada”. Seregorr eles retiraram e foi guardada por Eonwë, em Taniquetil, por longos anos.

Maerton – Capí­tulo 1 – A Criação

No princípio, Eru criou os Ainur, e ordenou a estes, que criassem uma música, com o tema que lhes deu. Porém, Melkor – o mais poderoso dos Ainur – fugiu do tema imposto por Eru, e criou sua própria música. É citada no Silmarillion que outros Ainur se uniram a Melkor, e também fugiram do tema.

 
Tolkien, porém, não cita os Menoir – alguns Ainur que perceberam que Melkor pretendia pegar para si todo o poder e estragar a criação da música de Eru. Destes, o líder era Liäniníndil, que, durante a sua música (os Menoir mudaram a música para combater Melkor), criou Seregorr, a melhor espada de todas. Outros deles foram Galiniel, que criou Manestríndil, a segunda melhor espada, e Calanosserniomë, que criou Ravena, a terceira espada.

Todos os Menoir, juntos, criaram os Maerton – povo mais poderoso que os elfos, de maior estatura, inteligência, agilidade e beleza – também para combater a música de Melkor. Dos Menoir, porém, nenhum virou Vala, e todos ficaram com Eru, fora de Eä. Seregorr era a única espada capaz de matar um Vala, com isso, é notável que foi feita com a intenção de matar Melkor. Manestríndil e Ravena eram as únicas espadas capazes de suportar o tranco de Seregorr (naquela época), e isso mostra a preocupação de Seregorr cair nas mãos do inimigo.