Homens de Tolkien

A raça dos Homens nos livros de J. R. R. Tolkien sobre a Terra-média, como O Hobbit e O Senhor dos Anéis, se refere à humanidade e não denota gênero. São distintos das várias raças humanóides, embora algumas, como os Hobbits, são humanos em sua origem, e outros são tidos por alguns personagens como sendo humanos, como é o caso dos Magos (que são realmente de uma outra raça).

Os Elfos chamam a raça dos Homens de Atani,  que em Quenya significa “Segundo Povo” (com os Elfos sendo o Primeiro), e também Hildor (Seguidores), Apanónar (Sucessores) e Fírimar ou Firyar (Mortais). Menos caridosamente eles foram também chamados Engwar (Os Adoecidos) devido à sua suscetibilidade à doenças e idade avançada, e sua aparência em geral desagradável aos olhos Éflicos. O nome Atani se torna Edain em Sindarin, mas esse termo é mais tarde aplicado somente aos Homens que são amigos dos Elfos. Outros nomes aparecem em Sindarin como Aphadrim, Eboennin e Firebrim ou Firiath. Sendo a segunda raça nascida na Terra-média, os Homens são geralmente mais fortes do que os Elfos, porém possuem piores coordenações e reflexos.

 

 

A raça dos Homens nos livros de J. R. R. Tolkien sobre a Terra-média, como O Hobbit e O Senhor dos Anéis, se refere à humanidade e não denota gênero. São distintos das várias raças humanóides, embora algumas, como os Hobbits, são humanos em sua origem, e outros são tidos por alguns personagens como sendo humanos, como é o caso dos Magos (que são realmente de uma outra raça).

Os Elfos chamam a raça dos Homens de Atani,  que em Quenya significa “Segundo Povo” (com os Elfos sendo o Primeiro), e também Hildor (Seguidores), Apanónar (Sucessores) e Fírimar ou Firyar (Mortais). Menos caridosamente eles foram também chamados Engwar (Os Adoecidos) devido à sua suscetibilidade à doenças e idade avançada, e sua aparência em geral desagradável aos olhos Éflicos. O nome Atani se torna Edain em Sindarin, mas esse termo é mais tarde aplicado somente aos Homens que são amigos dos Elfos. Outros nomes aparecem em Sindarin como Aphadrim, Eboennin e Firebrim ou Firiath. Sendo a segunda raça nascida na Terra-média, os Homens são geralmente mais fortes do que os Elfos, porém possuem piores coordenações e reflexos.

Nos escritos de Tolkien, a palavra Homem escrita com inicial em maiúsculo se refere a qualquer ser humano (atan em Quenya) enquanto a palavra homem escrita com inicial em minúsculo se refere a um adulto do sexo masculino de qualquer raça (nér em Quenya). Legolas, por exemplo, pode ser corretamente chamado de homem mas não um Homem.

ORIGENS

A raça dos Homens é a segunda raça de seres criados pelo Único Deus, Ilúvatar. Por terem despertado no começo dos Anos do Sol, enquanto os Elfos haviam despertado no começo da Primeira Era, durante os Anos das Árvores, eles são chamados de Segundo Povo.

Os Homens possuem o assim chamado Dom dos Homens, a mortalidade. Elfos são imortais, no sentido de que mesmo que seus corpos sejam destruídos, seus espíritos permanecem ligados ao mundo, indo para os Salões de Mandos para esperarem até serem liberados ou até o fim do mundo. Quando os Homens morrem, eles são “libertados” de Arda e partem para um local desconhecido até mesmo aos Valar.

GRUPOS

Embora todos os Homens sejam ligados uns aos outros, existem grupos distintos com culturas diferentes. Abaixo seguem algumas descrições um pouco mais detalhadas dos grupos mais importantes de Homens durante a Primeira, Segunda e Terceira Eras.

1)    Edain.
O grupo mais importante nos contos da Primeira Era foi o dos Edain. Embora a palavra Edain se refira a todos os  Homens, os Elfos a usaram para distinguir aqueles que lutaram com eles na Primeira Era contra Morgoth em Beleriand. Os Homens que lutaram contra Morgoth foram ainda divididos em três Casas.

A Primeira Casa dos Edain foi a Casa de Bëor, que chegou em Beleriand em 305 PE e recebeu o feudo de Ladros, em Dorthonion, de Finrod Felagund. Os pertencentes à essa casa tinham cabelos negros e eram os que mais se pareciam com os Elfos em constituição física, especialmente com os Noldor.

A Segunda Casa dos Edain foi conduzida por Haldad e mais tarde por sua filha, Haleth, e se assentaram na Floresta de Brethil. A Casa se autodenominou Casa de Haleth, em homenagem à sua matriarca. Seus membros possuiam cabelos negros como os da Primeira Casa, porém eram mais reclusos e menores em estatura.

A Terceira Casa dos Edain, que veio a ser a maior delas, foi conduzida por Marach e, mais tarde, por seu descendente, Hador, e se estabeleceram em Dor-lómin. Ela ficou conhecida como a Casa de Marach e também por Casa de Hador. Seus membors possuiam os cabelos da cor de ouro e muitos se assemelhavam aos Vanyar em aparência.

As Casas de Bëor e Marach compartilhavam de uma mesma língua e se conheciam muito antes de se estabelecerem em Beleriand, já a língua falada pelos Haladin (membros da casa de Haleth) era completamente desconhecida por eles. A Casa de Bëor praticamente foi aniquilada por Morgoth e os que restaram dela se mesclaram à casa de Hador e viriam, mais tarde, a se tornarem Numenóreanos. Aparentemente os Haladin de Beleriand foram completamente aniquilados ou, pelo menos, deixaram de existir como um povo separado.
Edain


2)    Dúnedain.
Por terem prestado serviços e assistência aos Elfos e Valar na Guerra da Ira ao final da Primeira Era, os Edain foram recompensados com uma nova terra para governarem, uma ilha que ficava entre a Terra-média e as Terras Imortais. Númenor, uma ilha no formato de uma estrela de cinco pontas e que ficava a muitas milhas de distância dos males da Terra-média.

Eles foram guiados por Elros com o auxílio de seu pai Eärendil, que navegava pelos céus como a brilhante estrela de mesmo nome. Chegando lá, Elros se tornou o primeiro Rei de Númenor assumindo o nome de Tar-Minyatur e os Edain ficaram conhecidos como Dúnedain (Sindarin para Homens do Oeste). O reino de Númenor cresceu próspero em poder e os Dúnedain se tornaram os mais nobres de todos os Homens em Arda. Aliando-se aos Elfos, Númenor lutou contra Sauron, tenente de Morgoth.

Agora que os Homens do Oeste haviam se tornado poderosos, eles começavam a se ressentir do Dom dos Homens, a morte. Eles quiseram se tornar imortais como os Elfos e aproveitarem todo o acúmulo de seu poder para sempre. Os Numenóreanos se voltaram contra os Valar e começaram a chamar o Dom dos Homens de Maldição dos Homens e amaldiçoaram o Banimento dos Valar, que os proibia de navegar para o oeste, para além das vistas de Númenor ou mesmo de entrarem em Valinor. Em 2899 SE, Ar-Adûnakhôr se tornou o primeiro rei de Númenor a assumir o seu nome real em Adunaico, a linguagem dos Homens, ao invés do Quenya, a linguagem dos Elfos, o que acabou resultando em uma guerra civil em Númenor.

O povo de Númenor ficou dividido em duas facções: os Homens do Rei, que contavam com o apoio do Rei e da maioria do povo, e adotaram o Adunaico como língua oficial; e a facção da minoria, os Fiéis, era liderada pelo senhor de Andúnië, a província mais ocidental de Númenor, permanecendo amigos dos Elfos e mantendo o Quenya como língua.

Sauron, que ao final da Segunda Era estava praticamente vencido pelos Elfos, se valeu dessa divisão entre os Homens. Ele se rendeu ao útimo Rei de Númenor, Ar-Pharazôn, e fez seu caminho até ser conselheiro do Rei. Finalmente, Sauron o aconselhou a atacar Valinor e tomar a imortalidade para si. E o Rei acatou esses conselhos, porém, como punição, Númenor foi engolida pelo mar. Todavia, alguns dos Fiéis escaparam desse desastre e fundaram os reinos gêmeos de Gondor e Arnor.

dunedain.jpg

3)    Gondor.
Os Homens de Gondor gradualmente se espalharam em outros grupos, como os Homens do Norte. Essa separação acabou por resultar em uma guerra civil, quando Eldacar, um homem com ascendência mista e herdeiro do trono, foi desafiado por Castamir, com sangue Dúnedain puro. Eldacar foi forçado a se exilar e Castamir, chamado de Usurpador, assumiu o trono. Após dez anos Eldacar retornou com aliados do Norte e derrotou Castamir. Todavia seus filhos e muitos de seus seguidores conseguiram fugir para Umbar.

Também contados entre o povo de Gondor está o povo que veio de suas províncias e feudos que não eram descendentes dos Numenoreanos. Dentre esses homens os que mais se destacaram foram Forlong, o Gordo e os Homens de Lossarnach que reforçaram Minas Tirith antes do cerco à cidade começar.


Numenorianos


4)    Numenoreanos Negros.
Os Fiéis não foram os únicos Numenoreanos a fugirem para a Terra-média quando Númenor afundou. Quando Númenor cresceu em poderio naval, muitos Numenoreanos fundaram colônias na Terra-média. No segundo milênio da Segunda Era, houve um êxodo de Homens de uma superpopulosa Númenor: os Homens do Rei, que desejavam conquistar mais terras, e os Fiéis que eram perseguidos pelos Reis. Os Fiéis se estabeleceram em Pelargir e os Homens do Rei em Umbar. Quando Númenor foi destruída os remanescentes Homens do Rei se tornaram conhecidos como Numenoreanos Negros e permaneceram hostis aos Fiéis de Gondor.

De seus altos escalões, Sauron recrutou Homens que se tornariam em alguns dos nove Espectros do Anel ao final do segundo milênio da Segunda Era. Umbar foi conquistada por Gondor em 933 TE, porém, pouco é sabido sobre os Espectros e seu local de origem, embora alguns digam que eles vieram das terras a leste e sul de Mordor.

5)    Corsários de Umbar.
Durante a disputa de poder em Gondor, os rebeldes derrotados de Gondor fugiram para Umbar e Umbar se tornou um inimigo ferrenho de Gondor. Eles se misturaram com os Numenoreanos Negros e ficaram conhecidos como Corsários de Umbar.

A facção de Castamir levou consigo uma grande parte da frota de Gondor, dessa forma enfraquecendo Gondor e fortalecendo a frota de Umbar. Entretanto, Gondor viria a capturar Umbar e ainda voltaria a perdê-la anos mais tarde.

Durante a Guerra do Anel, os Corsários haviam se misturado aos Haradrim, se tornando um povo no qual a presença do sangue Numenoreano estava praticamente extinta. Durante a Batalha dos Campos Pelennor, uma frota combinada constituida de “cinquenta grandes navios [de Umbar] e embarcações menores além da conta” estava se dirigindo à cidade portuária de Pelargir em Lebennin, porém foram capturados por Aragorn e pelo Exército dos Mortos, e fora levada para Minas Tirith para quebrar o cerco contra a cidade.

6)    Carroceiros e Povos Relacionados.
Quando Elendil fundou o Reino de Arnor, suas fronteiras se expandiram rapidamente, assim como as fronteiras de Gondor. Nos Ermos do Norte e em Minhiriath viveu um grupo de Homens ligados à Casa de Haleth, e eram conhecidos como Carroceiros. Viveram nas grandes florestas que cobriam a maior parte de Eriador, e quando os Numenoreanos começaram a cortar as árvores para construir seus navios na Segunda Era, os Dúnedain de Númenor ganharam a hostilidade dos Carroceiros. Embora esses dois povos tivessem relações sanguíneas, os Dúnedain não os reconheciam como parentes por sua linguagem ser muito diferente. Mais tarde os Carroceiros se tornaram inimigos ferrenhos de Rohan, após o povo de Rohan ter se mudado para o seu território e fundado seu reino.

Os Carroceiros serviram a Saruman na Guerra do Anel e participaram da Batalha do Forte da Trombeta.

Os Homens das Montanhas, que foram amaldiçoados por Isildur e se tornaram os Homens Mortos de Dunharrow, eram parentes dos Carroceiros.

7)    Haradrim, ou Sulistas.
No extremo leste de Umbar viveu um outro grupo de Homens conhecidos por Haradrim, Sulistas e até mesmo Homens do Sul. Tinham a pele escura e guerreavam montados em grandes Olifantes ou Mûmakil. Hostis a Gondor, eles foram subjugados em 1050 TE por Hyarmendacil I.

Ambas, Umbar e Harad foram deixadas desprotegidas pelo minguante poder de Gondor na época da Guerra do Anel, e serviram como porta de entrada para as ameaças vindas do sul. Muitos Haradrim lutaram ao lado das forças de Sauron contra Gondor. Todavia, Tolkien deixa uma forte dica de que eles, assim como os Orientais, foram completamente enganados e peões involuntários nas mãos de Sauron.

8)    Orientais.
Muitos Homens que lutaram nos exércitos de Morgoth e Sauron foram chamados Orientais, que vieram da região perto do Mar de Rhûn, no Leste.

Na Primeira Era, algumas tribos de Orientais ofereceram seus serviços para os reinos Élficos de Beleriand; os mais fortes entre eles foram Bór e Ulfang, o Negro e seus respectivos filhos. Isso provou-se desastroso para os Elfos durante a Nírnaeth Arnoediad, quando Ulfang e seu clã trocou de lado e defendeu Morgoth, enquanto Bór e seus filhos morreram bravamente lutando ao lado dos Eldar.

Após a derrota de Morgoth, Sauron estendeu sua influência sobre os Orientais, e embora Sauron tivesse sido derrotado pela Última Aliança de Elfos e Homens no final da Segunda Era, os Orientais foram os primeiros inimigos a atacarem Gondor novamente em 492 TE. Foram facilmente derrotados pelo Rei Rómendacil I, mas voltaram a invadir novamente em 541 TE e se vingaram da derrota matando o Rei Rómendacil I. O filho de Rómendacil, Turambar, em retaliação tomou uma enorme porção de terras deles e, nos séculos seguintes, Gondor conseguiu manter os Orientais afastados. Quando o poder de Gondor começou a enfraquecer no décimo segundo século da Terceira Era, os Orientais tomaram completamente a margem oriental do Anduin, exceto por Ithilien, esmagando os aliados de Gondor, os Homens do Norte.

Os Orientais da Terceira Era foram divididos em diferentes tribos, como os Balcoth e os Carroceiros. Os Carroceiros eram uma confederação de Orientais que era muito ativa entre os anos 1856 e 1944 e foram uma séria ameaça a Gondor por muitos anos, mas foram completamente derrotados por Eärnil II em 1944 TE. Quando Gondor perdeu a sua dinastia real em 2050 TE, os Orientais começaram a se organizar e uma tribo feroz, chamada de Balcoth, se tornou a tribo mais importante. Em 2510 TE eles invadiram Gondor mais uma vez e conquistaram boa parte de Calenardhon, até serem derrotados pelos Éothéod, que vieram ao auxílio de Gondor.

Até a Guerra do Anel, os Orientais não haviam mais lançado ofensivas contra Gondor. Na guerra, eles estavam entre os ferozes guerreiros enviados para a Batalha dos Campos Pelennor junto com o exército de Sauron.

9)    Homens do Norte.
Os Homens do Norte eram compostos de dois grupos principais. Primeiro, nem todos os Homens que permaneceram ao leste das Montanhas Azuis e Nebulosas caíram nas tentações de Morgoth ou Sauron, eles se juntaram após a Guerra da Ira com aqueles Edain que não quiseram viajar para Númenor (parecido com quando, ao final da Primeira Era, muitos Elfar permaneceram e foram para o leste, se tornando os senhores dos Elfos Silvan). Os Homens do Norte que viviam na Grande Floresta Verde e outras partes de Rhovanion eram amigos dos Dúnedain, sendo em grande parte seus parentes, e muitos deles se tornaram leais a Gondor. Os Homens de Valle e Esgaroth eram Homens do Norte, como eram os Homens das Florestas da Floresta das Trevas, e os Éothéod, que foram chamados de Rohirrim; os Beorns também eram contados como Homens do Norte.

10)    Woses ou Drúedain.
Os Woses eram pequenos e curvados em comparação aos outros Homens. Viveram entre o Povo de Haleht na Primeira Era e foram tidos como Edain pelos Elfos, que os chamaram de Drúedain (derivado de Drûg, nome Halethiano para eles, além de Edain).

No final da Terceira Era, alguns Woses viviam na floresta Drúadan (batizada em sua homenagem) em Rohan, pequenos em número mas muito experinetes na vida na floresta. Eles mantinham os Orcs longe de suas florestas e os que entravam eram alvejados com flechas envenenadas. Embora tenha sido um infeliz mal-entendido, foram caçados como animais pelos Rohirrim.

Na Guerra do Anel, eles foram vitais ao auxiliarem os Rohirrim na Batalha dos Campos Pelennor; eles os guiaram praticamente sem serem vistos pela floresta, e assim os Rohirrim foram capazes de surpreender seus inimigos. Em gratidão a esse ato, Théoden jurou nunca mais caçá-los.

Com a queda de Sauron, o Rei Elessar garantiu, na Quarta Era, que a floresta Drúadan seria para sempre domínio dos Woses.

Principais Altos Reis dos Homens de Arda.

1.    Elros Tar-Minyatur:
    Viveu entre 525 PE e 442 SE. Reinou de 32 até 442 SE.
2.    Ar-Pharazôn:
    Viveu entre 3118-3319 SE. Reinou de 3255 até 3319 SE.
3.    Elendil:
    Viveu entre 3119 e 3441. Reinou de 3320 até 3441 SE.
4.    Isildur:
    Viveu entre 3209 SE e 2 TE. Reinou de 3441 SE até 2 TE.
5.    Aragorn II:
    Viveu entre 2931 TE e 120 QE. Reinou de 3019 TE até 120 QE.


    

Homens notáveis de Arda.

Primeira Era
    * Beren, filho de Barahir.
    * Túrin Turambar, filho de Húrin.
    * Tuor, filho de Huor.

Segunda Era
    * Isildur e Anárion, filhos de Elendil.
    * Ar-Pharazôn, o Dourado.

Terceira Era
    * Aragorn II, filho de Arathorn.
    * Denethor e seus filhos Boromir e Faramir.
    * Théoden, seu sobrinhos Éomer e Éowyn.
    * Ghân-buri-Ghân, líder dos Woses.
    * Bard, o Arqueiro, aquele que matou Smaug.
    * Grima Língua de Cobra, conselhiero de Edoras.
    * Boca de Sauron, Tenente de Barad-dûr.

FONTE

Agradecimentos: ALF

Comentários