Análise da Batalha de Valle

dale_units_vs._rhun.jpgPrólogo

25/10/3018 – No Conselho de Elrond um prenúncio voa vagarosamente sobre os céus de Imladris

Relato feito por Glóin ao Conselho…

 

 

[…] cerca de um ano atrás, um mensageiro veio até Dáin, mas não de Moria… de Mordor: um cavaleiro chegou à noite. O Senhor Sauron, o Grande, dizia ele, desejava nossa amizade. Em troca daria anéis […] queria muito saber a respeito de hobbits de como eles eram, e onde moravam.

[…] "Recusem a oferta, e as coisas não vão ficar muito bem. Recusam-se?".

[…] O mensageiro voltou duas vezes, e se foi sem resposta. "A terceira e última vez", dizia ele, "está por chegar, antes do fim do ano".

[…] a Sombra cresce e se aproxima. Descobrimos que os mensageiros também foram enviados ao rei Brand, em Dale, e que ele está com medo. Tememos que possa ceder. A guerra já está se formando na fronteira Leste. Se não dermos resposta, o Inimigo poderá enviar os homens sob seu comando para atacar o rei Brand, e também Dáin.

A Compreensão dos Fatos

As preocupações relatadas por Glóin no Conselho, a respeito de uma grande Sombra vindo do Leste e principalmente do Sul, mostram claramente o desejo de Sauron por ter nas mãos todo o controle dos reinos, mas acima de tudo, recuperar a "menina dos seus olhos", o Um Anel, que estava perdido a mais de três mil anos.

Observa-se a evidência de que os domínios ao Nordeste de Rhovanion se tornariam em menos de um ano, de acordo com a data do Conselho de Elrond, num cenário para o desfecho de uma grande batalha de proporções extra-regionais, onde o destino dos povos livres da Terra média setentrional estava sendo decidido de modo, se me permitam dizer, agonizante, devido o desenrolar dos fatos em várias outras regiões ao sul da Terra média.

Refiro-me a uma guerra que, de certo modo, foi pouco relatada e/ou não há muitas informações acerca de todo o seu desenrolar e também de como os personagens se comportaram diante da mão ameaçadora, e acima de tudo, invasora nos reinos de Valle e Erebor. Entretanto, percebe-se das poucas informações relatadas por Tolkien que os homens e anões souberam lidar lutando bravamente e se mantendo fiéis até o fim contra o Senhor do Escuro, o Maia Sauron. É válido dizer isto porque mesmo com a Sombra invadindo vários territórios da Terra média, muitos povos permaneceram fiéis na união, numa causa única, ou então vamos dizer que levantaram a mesma bandeira num único propósito em comum, a liberdade e a não submissão à ganância e falsidade de Sauron.

Dia 17/03/3019: A Batalha Começa

Um grande exército dos Orientais, aliados de Sauron, atravessou o rio Carnen, e poucas milhas depois foi de encontro com as hostes do rei Brand de Valle. De acordo com a situação relatada, percebe-se que os Orientais estavam em maior número e força. Houve muitos confrontos neste primeiro encontro e os flancos de Brand foram brutalmente atacados, vários soldados caíram (de ambos os lados, mas em maior parte das hostes de Brand) fazendo com que e rei recuasse com seu exército para os domínios de Valle.

O retorno não foi algo fácil, pois percebe-se nas entrelinhas que o inimigo estava nos calcanhares e houve lutas e possivelmente vários tombaram, entretanto, quando Brand retornou a Valle, veio ao seu encontro a ajuda dos Exércitos dos anões de Erebor. Ali, próximo aos pés da Montanha Solitária houve uma grande e terrível batalha, uma verdadeira carnificina, e tal confronto durou cerca de três dias, mas infelizmente ambos os reis, Brand e Dáin Pé-de-Ferro foram mortos pelos inimigos. Com a queda dos reis, e uma grande perda das hostes dos homens e anões, a vitória dos Orientais estava certa, uma vez que as forças restantes fugiram e refugiaram-se em Erebor, e ali resistiram a um cerco, e de acordo com os apêndices este cerco durou cerca de uma semana.

Dia 27/03/3019: A Esperança Renasce

Contudo, este não era o fim, pois com a derrota de Sauron no Sul, a notícia se espalhou por várias regiões, até chegar aos ouvidos dos Orientais e dos anões e homens. Tal notícia encheu de grande desânimo os Orientais; desta forma os sitiados tomaram coragem e com determinação desceram a montanha e expulsaram os invasores para o Leste (uma grande parte dos Orientais pereceu neste último confronto). A guerra acabou! Assim, Bard II, filho de Brand, tornou-se rei de Valle e Thorin III, Elmo de Pedra, filho de Dáin, tornou-se rei de Erebor.

Conclusão

É importante salientar que as preocupações relatadas por Glóin no Conselho de Elrond foram realmente o anúncio de algo que viria a acontecer em Rhovanion, bem como em outras regiões pelo que foi verificado na Guerra do Anel e objeto de discussão no Conselho através do próprio Elrond e de outros personagens importantes, que posteriormente vieram a fazer parte da chamada Sociedade do Anel. Todos os fatos ocorridos na Terra média tinham uma profunda ligação com algo em comum, o Um Anel de Sauron, seja pelas batalhas finais como a de Valle, Abismo de Helm, Pelennor, Morannon, ou com os eventos mais antigos como a Batalha dos Cinco Exércitos, Fornost dente outras.

"Nada aconteceu por acaso no destino dos povos livres da Terra média".

Referências Bibliográficas
TOLKIEN, John Ronald Reuel Tolkien. O senhor dos anéis: o retorno do rei. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
TOLKIEN, John Ronald Reuel Tolkien. O senhor dos anéis: a sociedade do anel. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
TOLKIEN, John Ronald Reuel Tolkien. O Hobbit. São Paulo: Martins Fontes, 2002