Dragões – Criatura das Sombras

DragõesNa grande península de Beleriand habitavam vários povos, anões, elfos e homens, entretanto, ao mesmo tempo morava Melkor, o Senhor do Escuro, "Rei" e Senhor da Fortaleza de Angband (norte de Beleriand). Ocorreram inúmeras batalhas entre os exércitos de Melkor contra os reinos dos anões, elfos e homens. Nestes conflitos, as forças de Melkor não eram compostas apenas de orcs, mas de incontáveis criaturas que habitavam os calabouços da fortaleza de Angband, dentre as criaturas, os terríveis dragões, uma manifestação demoníaca dos desejos obscuros do Primeiro Senhor das Trevas, e quando estas bestas estavam em combate, podia-se perceber através de seus olhos a própria maldade e malícia de Melkor.

 

 
Havia diferenças entre os dragões ao longo dos milhares de anos, os que voavam e os que lançavam (cuspiam) fogo. Percebe-se que esta diferença se deu numa simples adaptação e/ou aperfeiçoamento de Melkor quando da necessidade de investidas contra seus inimigos com melhor eficácia, ou até mesmo uma espécie de evolução natural. De acordo com o Silmarillion, Melkor maquinou este mal em total segredo nos calabouços de Angband e a primeira (primogênito) besta a se manifestar foi Glaurung, conhecido como o Pai dos Dragões. Ele foi o líder das hostes de dragões que destruíram vários opositores de Angband e durante anos aterrorizou os povos de Beleriand através de sua força, malícia, feitiço e de seu exército, entretanto, este poderoso dragão conheceu a morte. Ele matou Túrin, mas ao mesmo tempo foi apunhalado pela espada Ghurthang que o filho de Húrin empunhava.

Mas o fim de Glaurung não significava o fim dos dragões, pois Melkor, na época de Guerra da Ira, soltou de Angband os dragões alados, até então desconhecidos dos homens, elfos e anões. Uma grande hoste lideradas pelo terrível e mais poderoso de todos, Ancalagon, o Negro, dizimou grande parte das hostes do Ocidente, e o resultado foi tão terrível que só uma intervenção dos Valar seria capaz de livrar os povos de Beleriand deste mal horrendo.

Após anos e mais anos de guerra contra Angband, Eärendil veio através dos céus em Vingilot para lutar contra os dragões, e com o auxilio das águias e seu líder, Thorondor, eles conseguiram matar Ancalagon, que caiu sobre as Thangorodrim, destruindo-as com sua forte queda, decretando assim o fim de Angband e o aprisionamento do Senhor do Escuro, Melkor. É importante ressaltar que devido a Guerra da Ira, a grande península de Beleriand entrou em convulsão e afundou fazendo com que as águas do mar inundassem todos os seus domínios, restando apenas a porção leste compostas pelas Ered Luin ou Montanhas Azuis e a região costeira de Forlindon e Harlindon (Lindon) após a vertente oeste, onde foi construído os Portos Cinzentos pelos elfos.

Mesmo com a vitória dos Valar, alguns dragões bem como orcs e balrogs escaparam e foram para várias regiões da Terra-média. Com o início da Segunda Era, os dragões se posicionaram nas regiões Leste e Norte da Terra-média, e não houve muitas informações acerca das ações deles neste período. Na Terceira Era, os dragões foram mais presentes e atuantes, fazendo vários estragos na Terra-média, principalmente no Oeste, especificamente nas Montanhas Cinzentas. Fizeram guerra contra os anões e acabaram vencedores e conquistando e pilhando todos os tesouros. Um destes dragões era Scatha, o Verme. Mas depois da conquista do reino e dos tesouros, acabou sendo morto por Fram, príncipe pertencente ao povo Éotheód.

Ainda na Terceira Era outro dragão voltou a assolar a Terra Média. Era Smaug, o Dourado. Devido às suas características, ele era muito parecido com seus ancestrais da Primeira Era. Era um poderoso animal alado cuspidor de fogo que abriu guerra contra o reino dos anões em Erebor, a Montanha Solitária e o reino dos homens adjacente, Valle. Ambos os reinos foram destruídos e os remanescentes fugiram para outras regiões da Terra média. Mas Smaug estava com os dias contados, pois foi organizado uma campanha dos anões através da liderança de Thorin Escudo-de-Carvalho, descendente de reis, o mago Gandalf e o hobbit Bilbo Bolseiro. Tal campanha fez com que Smaug saísse de Erebor e fosse atacar Esgaroth, a Cidade do Lago, mas seu fim estava por perto. O dragão foi atingido em seu ponto mais fraco por uma flecha, a flecha negra atirada por Bard, descendente do reino de Valle. Smaug caiu morto sobre a Cidade do Lago, decretando assim o fim dos dragões e da ameaça para os Povos Livres da Terra média.

Referências Bibliográficas:
O Silmarillion – J.R.R. Tolkien
Contos Inacabados de Númenor e da Terra Média – J.R.R. Tolkien
O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei – Apêndice A – J.R.R. Tolkien
O Hobbit – J.R.R. Tolkien