Batalhas dos Vaus do Isen

isen-map.gifDuas batalhas entre os Rohirrim e as forças de Saruman nos Vaus do Rio Isen, no Desfiladeiro de Rohan, durante a Guerra do Anel.

 
A Primeira Batalha dos Vaus do Isen
A Primeira Batalha ocorreu em 25 de Fevereiro de 3019. A intenção de Saruman nessa batalha era matar Théodred, o filho e herdeiro de Rei Théoden de Rohan, e seu plano foi bem-sucedido.

Batedores reportaram que as tropas de Saruman estavam se reunindo principalmente na margem oeste do Rio Isen. Théodred deixou três companhias de Cavaleiros na margem leste e posicionou infantarias do Folde Ocidental para proteger os dois lados dos Vaus do Isen. Ele então seguiu para Isengard ao longo da margem oeste com oito companhias da cavalaria e uma de arqueiros.

Cerca de 20 milhas ao norte dos Vaus, os Rohirrim encontraram a vanguarda das forças de Saruman e derrotaram-na. Mas então os Rohirrim depararam-se com uma força de Isengardenses muito maior escondida em valas defendidas por piques. Mais tropas de Isengard flanquearam os Rohirrim pelo oeste. Théodred então percebeu que outra força de Isengard ainda estava no lado leste do rio se dirigindo em direção aos Vaus do Isen.

Théodred ordenou retirada para os Vaus do Isen. Grimbold conduziu a retaguarda, repelindo as forças inimigas que os seguiam. Os Rohirrim alcançaram os Vaus no final da tarde.

Théodred organizou suas tropas para defender os Vaus. Grimbold assumiu o comando da infantaria na margem oeste, fortificada por 50 Cavaleiros sem montaria. Théodred e sua companhia guarneceram a pequena ilha no meio dos Vaus. As outras companhias foram mandadas para se juntarem às três companhias que já estavam na margem leste do rio.

Antes que os Rohirrim na margem leste tivessem tempo para organizar suas defesas, a força oriental de Saruman atacou. Incluíam cavaleiros da Terra Parda, muitos Orcs montados em lobos e dois batalhões de Uruk-hai. Os Rohirrim lutaram bravamente, mas foram impelidos rio abaixo por um batalhão de Uruk-hai e as forças inimigas tomaram o lado oriental dos Vaus.

Uma companhia de Homens com machados que pareciam ter uma parte Orc atravessaram para a ilha no meio dos Vaus e atacaram a posição de Théodred pelos dois lados. A posição de Grimbold na margem oeste foi atacada ao mesmo tempo pelas forças ocidentais de Saruman. Mas Grimbold viu a situação desesperadora de Théodred e correu em seu auxílio. Grimbold chegou tarde demais. Théodred foi derrubado por um machado e, apesar de Grimbold ter matado o agressor, Théodred morreu pelos seus ferimentos.

Ao pôr-do-sol, Elfhelm chegou de Edoras com quatro companhias, atendendo a um chamado de ajuda mandado mais cedo por Théodred. Os homens de Elfhelm impeliram grande parte das forças de Saruman da margem leste em direção ao norte de volta a Isengard. Elfhelm enviou duas companhias em perseguição e então liderou sua própria companhia para a ilha. Juntas, as forças de Elfhelm e Grimbold mataram todos os Isengardenses na ilha.

Os Isengardenses no lado oeste do rio interromperam o ataque e bateram em retirada. O batalhão de Uruk-hai que impelira alguns dos Rohirrim rio abaixo também recuou, em resposta a um sinal de corneta. O objetivo de matar Théodred fora executado. Em parte por essa razão, em parte por causa da força da resistência de Grimbold e Elfhelm, Saruman não deu prosseguiu imediatamente com seu plano de invadir Rohan. Por causa desse atraso, Gandalf pôde alcançar Edoras e convencer o Rei Théoden a lutar, que por fim levou à derrota das forças de Saruman no Abismo de Helm.

A Segunda Batalha dos Vaus do Isen:
A Segunda Batalha ocorreu em 2 de Março de 3019. Saruman lançou sua invasão a Rohan com seu exército inteiro de 10.000. Inconscientes do vasto tamanho das forças inimigas, Grimbold e Elfhelm tentaram defender os Vaus, mas foram subjugados.

Grimbold era o responsável pelos defensores do Folde Ocidental, enquanto Elfhelm comandava as companhias que ele trouxera de Edoras. Os dois comandantes distinguiam-se em suas estratégias. Elfhelm achava que eles deveriam abandonar os Vaus, visto que as forças de Saruman poderiam descer por qualquer lado do Rio Isen. Ele queria ocupar uma posição defensiva na margem leste ao norte dos Vaus. Grimbold queria defender os Vaus, temendo que, caso se posicionassem como Elfhelm sugerira, as forças de Saruman atravessariam o Isen por trás deles e os eliminariam.

No fim, chegaram a um acordo. Elfhelm organizou suas companhias ao norte do Vau no lado leste do Isen enquanto Grimbold defendeu os Vaus. Grimbold mandou a maior parte de sua infantaria para defender os dois fortes de terra protegendo a passagem para o lado ocidental dos Vaus. Grimbold e o resto de seus homens protegeram o lado oriental dos Vaus.

A vanguarda do exército de Saruman, incluindo muitos de seus melhores guerreiros, atacou o lado ocidental dos Vaus antes do meio-dia. Os homens de Grimbold levantaram uma resistência feroz nos fortes. Uma tropa de Uruk-hai começou a atravessar o rio, mas Grimbold atravessou seus homens do lado oriental e os rechaçou. Mas então outro batalhão de forças inimigas entrou na briga, e Grimbold foi forçado a recuar com seus homens de volta para o lado leste dos Vaus ao pôr-do-sol.

Os Rohirrim perderam muitos homens. As forças inimigas tiveram perdas maiores, mas eles compunham apenas uma pequena parte do exército de Saruman. Perto da meia-noite, toda a força do exército de Saruman saiu de Isengard. Mais da metade desceu pelo lado oriental do rio. Elfhelm e seus homens foram surpreendidos por uma vanguarda de silenciosos montadores de lobo, que dispersaram os Rohirrim e os forçaram a recuar em direção ao leste.

O resto do exército de Saruman desceu pelo lado ocidental do rio e atravessou os Vaus do Isen. Os homens de Grimbold fizeram uma muralha de escudos. Eles foram cercados e atacados, primeiro com tochas e então por homens da colina da Terra Parda, mas a muralha de escudos resistiu.

Grimbold percebeu que ele devia abandonar os Vaus para que seus homens pudessem sobreviver para continuarem a defesa do Folde Ocidental. Ele enviou Dúnhere e meia companhia de Cavaleiros pelo lado oriental da parede de escudos. Os Cavaleiros se dividiram e deram a volta para atacar as forças de Saruman pelo norte e pelo sul, enganando o inimigo fazendo-o pensar que reforços haviam chegado. Na confusão, Grimbold e muitos de seus homens puderam recuar.

As forças de Saruman não os perseguiram. Em vez disso, eles seguiram em direção ao sul para o Abismo de Helm, onde o Rei Théoden se refugiara com muitos de seu povo. A Batalha do Abismo de Helm começou em 3 de Março e continuou noite adentro.

Muitos Rohirrim morreram nas Batalhas dos Vaus do Isen, e eles foram enterrados com Théodred na ilha no Isen. Mas a maioria dos Rohirrim sobreviveu, apesar de terem sido dispersados. Gandalf chegou e reuniu o máximo de Rohirrim que pôde. Elfhelm foi enviado para defender Edoras. Grimbold uniu forças com Erkenbrand, e eles trouxeram uma força de 1.000 Rohirrim para o Abismo de Helm onde eles ajudaram a derrotar as forças de Saruman no amanhecer de 4 de Março.

Fontes:
The Thain’s Book
As Duas Torres: "O Rei do Palácio Dourado," pág. 105; "O Abismo de Helm," pág. 127; "A estrada para Isengart," pág. 145-64.
Apêndice A do O Senhor dos Anéis: "A Casa de Eorl," pág.351-55.
Apêndice B do O Senhor dos Anéis: "O Conto dos Anos" pág.371-87.
Contos Inacabados: "As Batalhas dos Vaus do Isen".