Tem orc no samba, digo, na ecologia de populações!

Se alguém tinha alguma dúvida de que Tolkien está entranhado em todas as áreas da cultura moderna e que está tudo dominado, a dissertação de mestrado que acabo de ver deixa todas as dúvidas por terra. Qual a espécie usada por um biólogo para modelar a dinâmica ecológica de populações? Os orcs, é claro.

Quem nos alertou sobre essa simpática maluquice foi nosso velho amigo Pandatur. O Panda nos enviou um capítulo da dissertação de mestrado de Marcus Vinícius Carneiro Vital, defendida na Universidade Federal de Goiás. Carneiro Vital hoje é doutorando na Universidade Federal de Viçosa (MG) e, pelo visto, também é grande fã de Tolkien.

O trabalho do biólogo basicamente discute qual a melhor maneira de estimar a distribuição da população de uma espécie em um dado ambiente. Existem vários modelos de computador que fazem isso, alguns mais confiáveis, outros menos. E, numa das demonstrações e discussões desses modelos, Carneiro Vital usa um habitat para lá de especial: a terra de Mordor e as montanhas que a cercam.

O exemplo no trabalho de mestrado é fictício, só para avaliar a validade dos modelos. Mas o mais divertido é o detalhe fornecido sobre as "fontes" da informação:

"Note que a modelagem foi realizada apenas na região ao norte de Barad-dûr (a Torre Escura), dada a inexistência de dados climáticos detalhados da região de Mordor. As informações sobre as localidades de ocorrência dos Orcs foram retiradas do trabalho de Bolseiro et al. (60, Quarta Era)."

Bolseiro et al. = "Bolseiro e colegas", no caso Bilbo, Frodo e Sam. Sen-sa-cio-nal.