Diário de Aragorn – Parte 2 (ADT)

Dia Um: Corri quarenta milhas por Rohan. Nenhum esquilo para comer. Gimli parece do tamanho certo para se assar. Dizem que anões tem gosto de galinha. Ainda não sou Rei. Situação da barba: satisfatória.

Dia Dois: Demos de cara com exército de Rohirrim. Perguntei a Éomer se ele sabia onde hobbits estavam. Tive uma resposta muito inapropriada. Talvez Éomer ainda esteja furioso pela última farra em que eu pintei palavrões em élfico por todo o cavalo dele. Decidi não mencionar que ele obviamente copiou o penteado de Legolas. Ele não estaria cheio de marra se eu fosse o Rei.

 

Dia Três: Uma vez que você viu uma pilha fumegante de Orcs mortos, você viu todas. Isso é tudo que posso dizer.

Dia Quatro: Demos de cara com Gandalf. Verificamos que ele de fato não morreu mas ao invés disso foi forçado pelo Balrog a associar-se a uma companhia de sabão em pó e é agora Gandalf o Branco Total Radiante. Gigolô. A próxima coisa que ele vai fazer é cobrar pelo truque do chapéu pontudo.

Dia Seis: Em Edoras. Rei Théoden cheio de marra. Sempre dizendo, "Você é o Rei aqui? Até onde sei eu sou o Rei aqui. Estou olhando ao redor e não vejo ninguém mais com coroa na cabeça. Hein? Hein"? Fui forçado a admitir que realmente ainda não sou Rei. Em vingança, roubei a carteira dele quando ele não estava olhando e usei para abrir uma conta corrente no Banco de Rohan. Comprei chapéus iguais para Gimli e Legolas.

Dia Sete: Suspeito que Éowyn esteja caidinha por mim. Não posso culpá-la, com essa barba tão varonil que excita até eu mesmo.

Dia Nove: Despenquei no precipício. Lobos estúpidos de Isengard. Pensei que fora salvo por Arwen mas quando despertei estava sendo beijando pelo meu cavalo. Muito esquisito. Perdi o colar brilhante favorito no rio. Sentindo-me muito rabugento por não ter nada pior que bijouteria vagabunda. Bem, talvez Anel. Situação da barba: molhada.

Dia Doze: Retorno triunfante para o Abismo de Helm. Fui abraçado por Gimli. Como se eu precisasse de ser recordado que ele fica na altura da fivela do cinto novamente. Colar devolvido a mim por Legolas, uêba! Ele murmurou algo em élfico que poderia ter sido "Você está atrasado" ou poderia ter sido "Me joga no chão e me chama de lagartixa". Não completamente certo do certo. Tenha que revisar élfico para não ter que presumir. Ainda não sou Rei mas mantendo-me muito ocupado em pôr a moral dos homens para cima. A batalha que está pra chegar vai ser moleza, realmente.

Dia Quatorze: De prontidão na ameia do Abismo de Helm. Número absolutamente ridículo de Orcs se dirigindo para cá. Quem nós queremos enganar afinal. Nós estamos completamente ferrados. Talvez este lugar tenha uma porta lateral.

Dia Quatorze, mais tarde: Elfos enviaram exército dos guerreiros mais esbeltos e graciosos para nos ajudar. Não vão ter utilidade nenhuma na batalha, é claro, mas pelo menos morrerei olhando algo bonito. Théoden continua murmurando, "É incrível"! sobre o exército élfico. Fui forçado a concordar–é incrível que as sobrancelhas de Haldir não combinem com o cabelo. Continuo tentando me esgueirar para a porta lateral, mas Gimli me segue em todos lugares. Nunca serei Rei desse jeito.

Dia Quinze: Inesperadamente vitoriosos na batalha do Abismo de Helm, mas celebração arruinada pelo odioso cartão postal de Faramir, que incluía foto dele nas praias de Osgiliath com o minúsculo Portador do Anel e o companheiro gordinho, usando shorts coloridos. Cartão postal diz: "Querido Aragorn, Obrigado pelo Anel e pelos hobbits. Eles são pequenos, mas muito animados. O que eu sempre quis! Ainda tenha recordações ternas daquela noite que passamos juntos em Minas Tirith. Amor e beijos, Faramir." 

Eru amaldiçoe Faramir. Bem que podia ter deixado Boromir pegar o Anel e cortado o nanico. Pelo menos sei que Sam o matará se ele tentar qualquer coisa. Ainda não sou Rei.