Diário Secreto de Gandalf O Cinzento

Dia Um: No Condado. Vista exuberante de beleza inocente e pastoral. Foi impressão minha, ou Frodo estavade bobeira no campo se masturbando antes que eu aparecesse?
 

Dia Dois: A festa de Aniversário de Bilbo melhorou depois de um aumento substancioso de erva de hobbit. Todo mundo tão agradável. Bilbo agradável também. Luzes tão bonitas. Frodo também não é nada mal. Hobbits são tão cuti-cuti. Opa. Foi mal.

Dia Três: Mal estar de uma tremenda ressaca. Vou para Minas Tirith para tomar uma aspirina.

Dia Doze: Fui ao Saruman para me aconselhar sobre o Anel mas ele tinha se tornado mau. Ninguém me conta nada. Aparentemente havia um memorando. Radagast o Marrom provavelmente roubou o papel da minha caixa de entrada.

Dia Treze: Preso no topo da torre. Grande vista, mas essa constante chuva de granizo não é boa para o chapéu pontudo. Estou me divertindo mesmo é cuspindo nos Orcs lá embaixo.

Dia Quatorze: Visitado novamente por Saruman, que tentou criar um clima. É ruim, hein!

Dia Dezesseis: Estou só. Saruman talvez não seja tão sem atrativos afinal de contas. Se não fosse pelas essas narinas gigantes reluzentes e unhas como garras enormes …tá, você achou que eu poderia ter esquecido que ele mau antes.

Dia Dezenove: Escapei. Estou em Valfenda. Sam ligeiramente fora de controle. Continua dando banhos em Frodo. Elfos agora enjoados de tanto cheiro de espuma de morango. Elrond ficando aborrecido.

Dia Vinte: Elrond decidiu despachar Frodo pois está cansado de nunca poder entrar no banheiro do primeiro andar. Grande bate-boca sobre o Anel. Concordei em ir com a Sociedade no caso de Sam querer decidir me dar um banho. Poderia precisar de um.

Dia Vinte e um: Aragorn está obviamente à fim de Frodo. Sam o matará se ele tentar qualquer coisa. Pedi a Sam para me dar um banho. Ele disse, "Ha ha, Senhor Gandalf, adorei a piada". Mané inútil.

Dia Vinte e três: Muito frio em cima de Caradhras. Aragorn ganhou briga a sobre quem iria carregar Frodo montanha à cima. Boromir emburrado. Se Legolas continuar se exibindo em cima da neve, posso ter que batê-lo com meu cajado.

Dia Vinte e cinco: Não quero passar por Minas de Moria, suspeito que o Balrog ainda está zangado pelo programa ruim que fizemos tempos atrás na Segunda Era.

Dia Vinte e seis: Em Minas de Moria. É, Balrog ainda bravo.

Dia Vinte e sete: Caí na sombra. Balrog é um bundão. Tive que fazer algumas coisas indescritíveis antes que ele me deixasse sair nas cavernas. Decidi não contar para o resto da Sociedade. Ao invés disso inventarei uma história sobre ter travado uma batalha enorme. Vou ver Elrond para tratar de queimaduras em terceiro grau em lugares bastante desagradáveis. Espero que Elrond não ria de mim. Se ele fizer, contarei para todo mundo sobre o fim de semana sacana dele com Sauron. Ha!