O Rei dos Mortos das Montanhas Brancas

O Grande Rei dos Homens Mortos de Dunharrow. O Rei dos Mortos fora uma vez um homem vivo e normal como todos. Ele residia nas Montanhas Brancas e era o senhor de lá. Comandava todos os homens que lá viviam e era muito temido e poderoso em seus domínios.

 

 

(o texto a seguir é uma fanfic e não é, de forma alguma, um texto
criado de Tolkien, portanto as informações a seguir não são canônicas e
devem ser encaradas apenas como exercício de imaginação e uma leitura
divertida)

Os homens das montanhas brancas respeitavam e adoravam uma vez Sauron,
mas depois que o reino de Gondor foi fundado em 3320 da segunda era por
sua grandeza e majestade, o Rei das Montanhas Brancas jurou lealdade e
ajuda em guerra para Isildur filho de Elendil contra as forças de
Sauron. E na pedra de Erech, o rei fez votos e juramentos para Isildur
que conduziria a seus homens na batalha de encontro às forças de Sauron
se Isildur um dia precisasse.

Mas quando o Rei das Montanhas Brancas justamente foi chamado, e que Isildur mais precisou de sua ajuda, o rei das montanhas brancas e seus homens simplesmente quebraram seu juramento e recusaram-no ir lutar a auxilio de Isildur por temor a Sauron e medo.

Então, Isildur disse ao rei das montanhas que seria o último rei de seus domínios e amaldiçoou ele e a todos do seu povo nas montanhas brancas para viverem entre os mortos até que cumprissem seu juramento, que nunca descansariam em paz e que vagassem em vão no vazio nas covas das montanhas brancas. Ora o rei e seus homens se esconderam nas montanhas brancas até que o juramento os abatessem.

Sobre o tempo de velhice deles; estes, morreram, mas seus espíritos continuaram a vagar e assombrar as montanhas brancas e o rei das montanhas tornou-se sábio em seus domínios, e ficou chamado como o Rei dos Mortos até o seu fim. Os mortos residiram no subsolo na passagem sob as montanhas brancas, na porta sobre a montanha, na passagem do Dimholt e não permitiam que nenhuma alma viva lá entrasse.

Em 2570 da terceira era, Baldor, filho do Rei Brego de Rohan, escreveu os trajetos dos mortos em pergaminhos por meios desconhecidos. Em 08 Março de 3019, Aragorn, Legolas e Gimli entraram nos trajetos dos mortos. Aragorn foi ao encontro do Rei das Montanhas Brancas considerado agora como Rei dos Mortos e chamou-o a todos os mortos para segui-lo à pedra de Erech e assim cumprir o seu juramento para com o Herdeiro de Isildur e Alto Rei de Gondor. Na meia-noite eles vieram na pedra de Erech, Aragorn perguntou para os mortos porque tinham vindo e os mortos o responderam:

"Viemos cumprir o nosso juramento que em tempos passados não ousamos cumprir, e queremos a paz para sempre."

Aragorn revelou-se então como herdeiro de Isildur e convidou os mortos para lutar contra as forças de Sauron em Minas Tirith a Cidade e Capital de Gondor. Então os mortos seguiram Aragorn até o porto de Pelargir no Anduin, uma viagem de aproximadamente 280 milhas. Lá encontraram a frota dos corsários de Umbar que eram aliados de Sauron e iriam a auxilio do mesmo ao ataque a Minas Tirith. Ao comando de Aragorn, O Rei dos Mortos e seus homens atacaram os navios, e os corsários fugiram de medo e temor a eles. Aragorn usou mais tarde a frota para vir para Minas Tirith e depois conduziu os mortos para a batalha dos Campos de Pelennor.