Encantado

Sinopse: escrito para o PROMPT #10 Magia. A primeira vez que Estel visita a Floresta das Trevas com Legolas e os seus irmãos, ele encontra mais do que esperava.
Disclaimer: Não possuo nenhum deles, foi escrito somente por diversão.
Classificação: Livre
Disclaimer: Não possuo nenhum deles, foi escrito por diversão.
Betas: Geris (Gramática e Ortografia), Michelle (Compreensão).
Linha de tempo: III 2948 (Estel 17 anos de idade)
Texto Original: Enchanted
 
 

 
 
 
Estel olhou ao seu redor com um certo nervosismo. Ele nunca tinha visto Legolas tão inquieto, nem quando em face de batalhas. E pior, os membros da escolta e os gêmeos estavam quase tão tensos quanto ele. Ele quase morreu do coração quando Legolas abaixou-se ao seu lado após ter-se aproximado a passos silenciosos.

“Sîdh, mellon nín (Paz, meu amigo). Relaxe. Nós não vamos permitir que nada aconteça com você.”

“Eu sei. Não é isso que está me deixando nervoso.”

“Então o que é?” Legolas parecia estar genuinamente perplexo e Estel percebeu que ele não havia se dado conta do quão tenso ele parecia estar.

“Eu nunca vi você, ou eles” Estel fez menção em direção à escolta do príncipe, “desse jeito.”

Legolas deu um pequeno sorriso, “Você nunca esteve na Floresta das Trevas antes.”

“Eu sei disso…” Estel retrucou frustrado.

Legolas abriu a boca, mas qualquer coisa que ele poderia ter dito foi cortada quando o batedor saltou silenciosamente de uma das árvores.

“Um local apropriado para o acampamento foi localizado.”

Legolas suspirou, e depois levantou.

“Vamos indo,” ele disse suavemente, inclinando sua cabeça em direção a Estel que também se levantou.

Em silêncio, eles seguiram o batedor de volta à área protegida nas margens de um rio de correnteza rápida.

Estel mudou de posição no seu lugar desconfortavelmente por alguns instantes antes de decidir que ele precisava fazer alguma coisa para ajudar a organizar o acampamento para a noite.

“Eu irei buscar um pouco de água,” ele disse já se encaminhando em direção ao rio.

“Estel! Não!” O alarme na voz de Legolas fez com que ele congelasse no lugar e dois dos batedores bloquearam o seu caminho.

Com dois passos largos, o príncipe estava rapidamente ao seu lado. “Goheno nín (perdoe-me), eu deveria tê-lo avisado. O rio é encantado; colocaria você em um estado de sono profundo.”

Estel ficou boquiaberto e passaram-se alguns instantes antes que ele pudesse pensar em uma resposta apropriada.

“E como ele ficou encantando?”

Legolas sorriu e olhou para a água escura. “Ninguém sabe ao certo, mas ele, há muito, tem sido uma defesa para este reino.”

“Defesa contra o que?”

“Inimigos do nosso reino, forças da sombra. E, mais recentemente, as aranhas,” Legolas respondeu.

“Aranhas?”

“Elas têm tentado invadir esta floresta já por muitos séculos,” Legolas respondeu, seus olhos virando-se para examinar as árvores sombrias ao seu redor.

“Como aquelas coisinhas que se escondem nos cantos podem ameaçar todo um reino?” Estel perguntou um pouco confuso.

Legolas olhou para ele sem compreender, até que o elfo loiro percebesse que o adolescente, na realidade, não sabia. Enquanto ele tentava pensar em uma forma de explicar, ambos tiveram sua atenção capturada por um característico som de uma flecha sendo lançada.

Um corpo negro caiu de dentre os galhos fazendo todos os elfos ficarem tensos e examinarem as árvores adjacentes.

Finalmente, um dos integrantes da escolta anunciou suavemente, “Ela estava só.”

Legolas voltou-se a Estel, e o encontrou como o olhar fixo no corpo enrolado da aranha no chão. Gentilmente ele afastou o rapaz do cadáver e o guiou até a fogueira.

 

FIM