New Line encerrada pela Warner Bros.

new_line_logo.jpg
Como a Valinor antecipou algum tempo atrás o que temíamos aconteceu: a New Line não é mais um estúdio independente de grande porte e passa a ser um pequeno braço dentro da gigante Warner Bros., conforme noticiou a Variety na noite de ontem. E isso é ruim para todos nós, fãs de Tolkien que aguardávamos ansiosamente por O Hobbit.
 
 

Vamos, por agora, nos ater aos detalhes mais importante para os Tolkienianos (mas depois ampliaremos o assunto). A New Line já era da Warner Bros., mas possuía uma estrutura própria e independência e, por causa de uma série de desastres financeiros – os únicos filmes de algum sucesso da New Line nos quatro anos após O Senhor dos Anéis foram "Penetras Bom de Bico", "Hora do Rush 3" e "Haispray", muito pouco pata um estúdio daquele porte – a Warner Bros resolveu assimilar definitivamente a New Line.

A gota d’água parece ter sido o desastre financeiro de "A Bússola de Ouro", que só deu lucro no exterior e deu prejuízo nos EUA. Detalhe: a New Line vendeu os direitos internacionais, ficando, no final, só com o prejuízo. Outras razões citadas são os problemas jurídicos-financeiros do estúdio com Peter Jackson, Saul Zaentz e Tolkien Estate. Enfim, jogou muito dinheiro fora, optou por táticas estranhs e com isso encerrou mais de 40 anos como estúdio independente.

Mas e "O Hobbit"? A Warner Bros. já adiantou que só começará o roteiro quando tiver assinado com um diretor (Del Toro ainda encabeça a lista, mas não confirmou) e a outra má notícia é que a Warner Bros. só deve entrar no vagão de uma nova série de filmes após Harry Potter – isso mesmo! – ter sido concluído. Isso empurra "O Hobbit" para os natais de 2011 e 2012, um ano a mais do que o esperado.

É, as coisas se complicam…