valinor

O Filme de O Hobbit empaca de novo

new_line_logo.jpg
A New Line acaba de ser processada pelo Tolkien Estate sobre a renda de "O Senhor dos Anéis" (estimados US$ 6 bilhões no mundo todo), como se já não bastassem os problemas com a Time Warner, como noticiado ontem pela Valinor. Agora as coisas parecem ter se complicado de vez, confira abaixo.
 
 
Segundo a Associated Press, o Tolkien Estate, que administra o espólio de J. R. R. Tolkien, criador de "O Senhor dos Anéis", está processando o estúdio de cinema que lançou a trilogia baseada nos livros, afirmando que a companhia não pagou um centavo dos estimados US$ 6 bilhões que os filmes obtiveram no mundo todo.

O processo, cuja entrada foi dada na segunda-feira (11 de fevereiro de 2008), afirma que a New Line deveria pagar 7,5% sobre a receita bruta total para o espólio de Tolkien e outros reclamantes, que afirmam ter recebido apenas um adiantamento de US$ 62.500 pelos três filmes, antes da produção começar.

O espólio do escritor, uma entidade filantóprica britânica chamada The Tolkien Trust e a HarperCollins, editora britânica de "O Senhor dos Anéis", deram entrada ao processo contra a New Line Cinema na Corte Superior de Los Angeles. Se bem sucedida, ela pode barrar a muito esperada preqüência dos filmes.

Robert Pini, um porta-voz da Time Warner para a New Line, se recusou a comentar o caso.

Os filmes – "O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel" de 2001, "O Senhor dos Anéis: As Duas Torres" de 2002 e "O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei" de 2003 – obtiveram perto de US$ 6 bilhões ao todo no mundo inteiro, de acordo com o reclamante.

A estimativa inclui tudo desde venda de ingressos até vendas de DVDs e outros produtos.

Os reclamantes desejam mais de US$ 150 milhões em danos compensatórios, valores não especificados em danos punitivos e uma ordem judicial dando ao Tolkien Estate o direito de encerrar quaisquer direitos que a New Line possa ter para fazer filmes baseados em outras obras do autor, incluindo "O Hobbit".

Tal ordem iria abortar os planos da New Line em fazer uma preqüência em dois filmes baseados em "O Hobbit". O diretor da trilogia "O Senhor dos Anéis", Peter Jackson, já assinou contrato para servir como produtor executivo do projeto, o qual está previsto para entrar em produção no próximo ano, com lançamentos previstos para 2010 e 2011.


"Os administradores do espólio de Tolkien não processam à toa, e tentaram sem sucesso resolver suas reclamações fora do tribunal"
, disse Steven Mayer, um representante legal da Tolkien Estate baseado na Inglaterra, em um comunicado. "A New Line não pagou aos reclamantes nenhum centavo de sua parte contratual sobre a receita bruta apesar dos bilhões de dólares de renda bruta gerada por estes filmes tremendamente bem sucedidos".

Mayer também afirma que o estúdio de cinema proibiu que o Tolkien Estate e outros reclamantes auditassem as contas dos dois últimos filmes.

O processo afirma que J. R. R. Tolkien estabeleceu uma empresa de administração de seu patrimônio através da qual ele assinou o acordo filmográfico em 1969 com a United Artists. Após a morte de Tolkien, seus herdeiros criaram a entidade filantrópica em nome do autor.

Enquanto isso, o acordo original foi adquirido pelo produtor de Hollywood Saul Zaentz, que produziu um filme animado em 1978 baseado nos livros de "O Senhor dos Anéis" e eventualmente licenciou os direitos de realização dos filmes para a New Line.

Advogados dos reclamantes disseram que passaram anos desde que os filmes foram lançados tentando negociar um acordo com a New Line.

Outras disputas sobre os ganhos dos filmes aconteceram em anos recentes. Em 2004, Zaentz processou a New Line, afirmando que o estúdio o enganara em US$ 20 milhões em direitos sobre a trilogia de filmes, dos quais ele optou por receber da New Line um percentual dos lucros. Ele e o estúdio de cinema chegaram a um acordo fora dos tribunais. A companhia de produção de Jackson também processou a New Line em 2005 sobre os lucros dos filmes. A disputa foi resolvida ano passado.
  

 
A Valinor irá acompanhar de perto todas as notícias sobre o assunto, incluindo a criação de artigos especiais sobre os envolvidos na disputa, para que o fã brasileiro possa acompanhar em detalhes e saber exatamente quem são os envolvidos e o que está acontecendo.