Mitos Transformados

The History of Middle-earth 10J. R. R. Tolkien começou a rever e reanalisar vários aspectos de seu legendarium, de sua mitologia, principalmente na época pós-Senhor dos Anéis. Estas reconsiderações – embora nunca tenha passado do estágio de rascunhos criativos – são de imenso valor ao revelar a opinião de Tolkien sobre certos aspectos de sua obra.

Os textos originais são do The History of Middle-earth 10, com introdução e comentários de Christopher Tolkien. Este artigo introdutório serve de base para os demais textos bem como de índice para os mesmos, na Valinor.

Nesta última seção do livro eu forneço alguns textos tardios de meuc pai, variados em natureza, mas relacionados a, genericamente falando,  uma reinterpretação de elementos centrais na “mitologia” (ou  legendarium, como ele chamava) de acordo com os imperativos de uma  concepção fundamental grandemente modificada.
Alguns destes papéis (há notáveis exceções) oferecerem uma dificuldade excepcional: fluidez de idéias, expressão ambígua e alusiva, passagens ilegíveis. Mas o maior dos problemas é que existe pouca indicação de data externa ou relativa: ordená-los, mesmo em uma seqüência aproximada de composição, parece impossível (embora eu acredite que virtualmente todos eles vieram dos anos que viram a escrita de Leis e Costumes entre os Eldar, o Athrabeth e revisões tardias de partes do Quenta Silmarillion – o final dos anos de 1950, na pós-publicação de O Senhor dos Anéis)

Nestes textos pode ser lido o registro de um prolongado debate interior. Anos antes deste tempo, os primeiros sinais de idéias emergentes puderem ser vistos, sinais que se perseguidos causariam um distúrbio massivo em O Silmarillion: eu mostrei, como acredito, que quando meu pai começou a revisar e reescrever as narrativas existentes dos Dias Antigos, antes de O Senhor dos Anéis estar completo, ele escreveu uma versão do Ainulindalë na qual introduziu uma transformação radical do mito astronômico, mas àquele tempo ele conteve a mão. Mas agora, como será visto em muitos dos ensaios e notas que se segue, ele veio a acreditar que tal vasta agitação era uma necessidade, e ao mesmo tempo ele foi impelido a tentar construir uma base “teórica” ou “sistemática” mais segura para os elementos no legendarium que não seriam removidos. Com seus questionamentos, suas certezas dando espaço à dúvida, suas resoluções contraditórias, estes escritos devem ser lidos tendo-se consciência do estresse intelectual e imaginativo em face de tal desmantelamento e reconstituição, acreditada ser uma necessidade inescapável, mas nunca alcançada.

Os textos, organizados em uma seqüência frouxamente “temática”, são numerados com numerais Romanos. Quase todos receberam pequenas edições menores (assuntos de pontuação, inserção de palavras omitidas e afins). Notas numeradas (não presentes em todos os casos) seguem os textos individuais.

I

II – Criação do Sol e da Lua

III

IV

V

VI – Melkor Morgoth

VII – Notas sobre os motivos no Silmarillion

VIII – Orcs (i)

IX- Orcs (ii)

X- Orcs (iii)

XI- Aman

Comentários