Hobbits

Hobbits FestejandoNo legendarium de J. R. R. Tolkien os Hobbits são um povo diminuto que habita as terras de Arda. Conhecidos como "Halflings" pela maioria e como "Periannath" pelos Elfos, a palavra "Hobbit" é derivada do nome
"Holbytlan" que significa "moradores de tocas" no idioma dos Rohirrim.

 
De acordo com Tolkien, os Hobbits são uma "variedade" ou "ramo" da raça dos Homens (Homo sapiens
), mas eles consideram a si mesmo uma raça separada. Eles vivem no Condado e em Bri, no noroeste da Terra-média. A primeira aparição dos Hobbits é no livro O Hobbit e também têm papel destacado em O Senhor dos Anéis. São mencionados brevemento em O Silmarillion.

Descrição

Na introdução de O Senhor dos Anéis, Tolkien diz que os Hobbits têm entre dois e quatro pés de altura (0,6 – 1,2 m) com a altura média sendo de três pés e seis polegadas (1 m). Eles tendem a ser troncudos e ter orelhas levemente pontudas. O próprio Tolkien descreve os Hobbits desta forma:

"Eu imagino uma imagem bastante humana, não um tipo de coelho fadinha
como alguns de meus críticos britânicos parecem visualizar: mais gordos no estômago, com as pernas mais curtas. Uma face redonda e jovial; orelhas apenas levemente pontudas e ‘élficas’; cabelo curto e
encaracolado (castanho). Os pés, do tornozelo para baixo cobertos comum
pelo castanhos. Vestimenta: calças de veludo verde chegando até o
joelho; colete vermelho ou amarelo; casaco marrom ou verde; botões ouro
(ou bronze); um capuz e capa verde escuros (pertencendo a um anão)."


Bilbo Bolseiro, de O Hobbit em desenho animadoNo Prólogo de A Sociedade do Anel, ele escreveu que os Hobbits se vestem com cores vivas, favorecendo o amarelo e o verde. Seus pés são cobertos com um cabelo encaracolado (normalmente
castanho, como o de seus cabeças) e possuem solas de couro, de forma que a maioria dos Hobbits dificilmente usa sapatos. Eles apreciam uma vida bucólica e sem aventuras trabalhando em fazendas, comendo e socializando. Os Hobbits podem viver até 130 anos, embora sua expectativa média de vida seja 100 anos. A época em que um jovem Hobbit se torna adulto é aos 33 anos. Portanto um Hobbit com cinquenta anos seria apenas de meia-idade.

Os Hobbits usufruem de pelo menos sete refeições ao dia, não incluindo
os lanches, se puderem – café da manhã, segundo café da manhã, onzehoras, almoço, chá, jantar e ceia. Eles gostam de comidas simples como pão, carne, batatas e queijo, possuem grande paixão por cogumelos e também gostam de cerveja, freqüentemente em hospedarias – não diferente dos interioranos da Inglaterra, que foram a inspiração de Tolkien. O nome que Tolkien escolheu para a área da Terra-média onde os Hobbits vivem, "o Condado", é claramente reminescente dos Condados ingleses. Hobbits também apreciam uma antiga variedade de tabaco, a que eles chamam de "erva de fumo", algo que pode ser atribuído principalmente  a seu amor pela jardinagem e pelas ervas.

Os Hobbits do Condado desenvolveram o costume de dar presentes em seus aniversários ao invés de recebê-los. Eles usam o termo mathom para objetos velhos e de diferentes tipos, os quais invariavelmente são dados muitas vezes como presentes ou armazenados em um museu (casa mathom).

Alguns Hobbits vivem em "tocas hobbit", que eram os locais originais de suas moradias sob a terra. Eles são encontrados nas colinas, morros e margens de rios. No final da Terceira Era, eles foram substituídos por casas de tijolo e madeira, mas angumas tocas ao estilo antigo continuavam em uso por pessoas mais antigas do Condado, como em Bolsão e nos Grandes Smials. Como toda arquitetura Hobbit, eles são notáveis por suas portas e janelas redondas, uma características mais práticas para túneis mas que os Hobbits mantiveram em estruturas posteriores.


Calendário

Os Hobbits possuíam um calendário distinto, começando  a cada ano em um sábado e terminando numa sexta-feira, com cada mês consistindo de 
trinta dias. Alguns dias especiais não pertenciam a nenhum mês – 1 e 2 Yule  (Véspera de Ano Novo e Ano Novo) e três dias Lithe no meio do verão. A cada quatro anos havia um dia Lithe extra.

Inspiração para os Hobbits

A palavra e o conceito parecem ter sido inspiradas por The Marvellous Land of Snergs, um livro infantil de 1927 de autoria de E. A. Wyke-Smith, e pelo romance de  Sinclair Lewis’s chamado Babbitt (1922). Os Snergs eram, nas palavras de Tolkien, "uma raça de pessoas apenas levemente maiores do que uma mesa comum mas de ombros largos e com grande força". Tolkien escreveu a W. H. Auden que The Marvellous Land of Snergs "o livro provavelmente fora uma inspiração inconsciente
para os Hobbits, e de nada mais"
, e ele disse a um entrevistador que a palavra hobbit "pode ser associada com o Babbit de Sinclair Lewis. Certamente não com rabbit (coelho), como algumas pessoas acreditam.
Babbits tem a mesma complacência burguesa  que hobbits. Seu mundo é o mesmo lugar limitado"
.

Contudo, Tolkien afirma que começou a escrever O Hobbit quando repentinamente, sem premetidação, escreveu em um pedaço branco de
papel: "Em um buraco no chão vivia um hobbit". A confusão com rabbit (coelho) pode ter a ver com a disposição dos Hobbits em cavar túneis, e o fato de que o hobbit Bilbo é jocosamente descrito como um coelho
várias vezes no texto original.


História

Vale do AnduinHistoricamente, é sabido que os Hobbits se originaram no Vale do Anduin, entre a Floresta da Trevas e as Montanhas Nebulosas. De acordo com O Senhor dos Anéis
, eles perderam os detalhes geneológicos de como são relacionados com o resto da raça humana. A este tempo existiam três tipos de Hobbits, com características físicas e temperamentos diferentes: Pés-peludos, Grados e Cascalvas.  Enquanto residiam no
vale do Rio Anduin, os Hobbits viviam próximos aos Éothéod, os ancestrais dos Rohirrim, e isto levou a algum contato entre os dois povos. Como resultado disso, muitas palavras antigas e nomes no idioma Hobbit são derivativos de palavras  na língua dos Rohirrim.

Os Pés-peludos, os mais numerosos, são quase idênticos aos Hobbits conforme descritos em O Hobbit. Viviam em tocas – ou smials – nos terrenos mais baixos das Montanhas Nebulosas, cavadas nos lados das colinas. Os Grados, segundo em número, eram mais baixos e mais
entroncados e tinham uma afinidade com água, barcos e natação. Eles viviam nos pantanosos Campos de Lís onde o Rio Lís se encontrava com o Anduin (há uma certa semelhança aqui entre os hobbits da Terra dos Buques e os Pântano do Condado. É possível que esses hobbits sejam descendentes dos Grados). Os Cascalvas, os menos numerosos, eram um povo aventureiro que preferia viver nas florestas sob as Montanhas Nebulosas e é dito serem mais altos e belos (todas essas características eram muito mais raras em dias posteriores, e foi
deixado implícito que famílias ricas e excêntricas que tendiam a conduzir outros hobbits politicamente, como os Tuks e Brandebuques, seriam de descendência Cascalvas).

Por volta do ano 1500 da Terceira Era, eles empreenderam a árdua tarefa de cruzar as Montanhas Nebulosas. As razões desta empreitada são desconhecidas, mas possivelmente tinha a ver com o poder crescente de Sauron na Floresta Verde, que mais tarde se tornou Floresta das Trevas devido á sombra que recaiu sobre ela enquanto Sauron procurava 
o Um Anel naquela região. Os hobbits tomaram caminhos diferentes em sua jornada ao oeste, mas quando começaram a se fixar juntos em Bri, Dunland e no Ângulo formado pelos rios Mitheithel e Bruinen, as divisões entre os tipos de Hobbit começaram a desaparecer.

No ano 1601 da Terceira Era (ano 1 do Registro do Condado), dois irmãos Cascalvas Marcho e Blancoganharam permissão do Rei de Arnor em Fornost para cruzar o Rio Brandevin e se fixar do outro lado. Muitos Hobbits os seguiram, e maioria do território onde se fixaram na Terceira Era estava abandonado. Apenas Bri e algumas vilas ao redor duraram até o final da Terceira Era. A nova terra que eles fundaram na margem oeste do Brandevin foi chamada de Condado.

Originalmente os Hobbits do Condado juraram obediência nominal aos últimos Reis de Arnor, sendo exigido apenas que reconhecessem sua liderança, auxiliar seus mensageiros e manter as pontes e estradas em bom estado. Durante a luta final contra Angmar na Batalha de Fornost,
os Hobbits afirmam que mandaram uma companhia de arqueiros para ajudar mas isto não está registro em parte alguma. Após a batalha, o reino de Arnor foi destruído, e na ausência do Rei, os Hobbits elegeram um Thain do Condado dentre seus próprios líderes.

Mapa do Condado
O primeiro Thain do Condado foi Bucca dos Pântano, que fundou a família Velhobuque. Contudo, a família Velhobuque mais tarde crusou o Rio Brandenvin para criar em separado a Terra dos Buques e o nome da
família mudou para o familiar "Brandebuque". Seu patriarca então se tornou o Mestre da Terra dos Buques. Com a partida dos Velhobuques/Brandebuques, uma nova família foi selecionada para ter seus líderes feitos Thain: a família Tuk (de fato, Pippin Tuk era filho do Thain e mais tarde se tornou ele próprio Thain). O Thain stava a cargo do Tribunal do Condado, e capitão das Tropas do Condado e dos Hobbits-em-armas, mas como os Hobbits do Condado levavam vidas inteiramente pacíficas e sem grandes eventos, o ofício do Thain era visto mais como uma formalidade.

Os Hobbits diminuíram em número, e sua estatura tornou-se progressivamente menor após a Quarta Era. Contudo, algumas vezes é falado deles no tempo presente, e o prólogo de "A respeito dos hobbits" em O Senhor dos Anéis afirma que eles sobreviveram até os dias de Tolkien.

Natureza Espiritual

Os personagens dentro da obra de Tolkien consideram os Hobbits como sendo uma raça separada dos Homens, mas Tolkien deixa claro que eles 
eram na verdade uma linhagem da raça dos Homens; eles e o "Povo Grande" são muito mais próximos uns aos outros do que a Elfos ou Anões. Portanto os Hobbits estão entre os Filhos Mais Jovens de Eru Ilúvatar e são o resultado do mesmo ato de criação que os Homens. Isto implicaria que os Hobbits têm o Dom dos Homens de passar totalmente para além de Arda, o que também significa que evitar o Dom dos Homens para os Hobbits, assim como para os Homens, podia ser moral e fisicamente destrutivo. Sméagol, que originalmente tinha sido um 
Hobbit, foi transformado no monstro Gollum por uma combinação do mal do Um Anel e o consequente asfatamento do Dom dos Homens. Bilbo Baggins se tornou "fino e esticado" devido à imortalidade que o Um Anel deu a ele, uma vez que nem a Homens nem a Hobbit estava prevista imortalidade neste mundo. Homens e Hobbits parecem ter a mesma natureza espiritual.