Os Homens de Pí»kel

Homem de Púkel
Homens de Púkel era o nome dado pelo povo de Rohan a um conjunto de
estátuas construídas em tempos antigos por gente misteriosa e
desconhecida, possivelmente antepassados dos Drúedain, um povo tribal
que, ao final da Terceira Era, habitava em florestas e grutas perto das
fronteiras de Gondor e Rohan. As estátuas estavam perto de Dunharrow,
nas Montanhas Brancas, junto ao caminho sinuoso que ligava a fortaleza
dos Rohirrim à capital do reino, Edoras, na parte em que este subia
desde o vale de Harrowdale até ao acampamento, muitos pés acima.
 

Homens de Púkel
Os Homens de Púkel foram gravados em pedra, à imagem de homens pequenos e atarracados sentados com as pernas cruzadas e os braços cruzados à volta das suas barrigas redondas. Representavam os Drúedain, ou Woses, que viveram nas Montanhas Brancas durante a Primeira Era, até serem expulsos por homens das montanhas com más intenções.

Os Druédain eram conhecidos por gravar representações suas em pedra. Chamavam a estas estátuas "pedras-de-vigia", e colocavam-nas em pontos onde os caminhos dobravam. Os Orcs, inimigos mortais dos Drúedain, temiam estas estátuas, e evitavam passar por elas. Acreditava-se que os Drúedain passaram algum do seu poder para as pedras.

Segundo uma história chamada "A Pedra Fiel", um Druadan deixou uma pedra-de-vigia para guardar um seu vizinho. Quando Orcs atacaram a casa desse vizinho com fogo, a estátua ganhou vida e matou um deles. As pernas da pedra-de-vigia foram queimadas, e apesar de o Druadan que a fez se encontrar nesse momento muito longe, também recebeu queimaduras no mesmo sítio.

Os Rohirrim passam junto aos homens de Púkel, por John Howe
Merry Brandybuck viu os Homens de Púkel quando viajava junto ao rei Théoden para Dunharrow, a 9 de Março de 3019. Com o passar dos anos as estátuas tinham envelhecido e os seus contornos eram agora pouco distintos, excepto os buracos dos olhos.

"Percorria uma estrada como nunca vira igual, uma grande obra saída de mãos de homens em anos longínquos, de que nem as tradições falavam. Subia a ziguezaguear como uma serpente, abrindo o seu caminho através da alcantilada e rochosa encosta. Íngreme como uma escada, subia em caracol, para trás e para a frente. Os cavalos podiam subi-la a passo e era possível puxar lentamente os carros; mas nenhum inimigo conseguiria passar por aquele caminho, a não ser que viesse do ar, se o defendessem lá de cima. A cada curva da estrada havia grandes pedras que tinham sido esculpidas à semelhança de homens, enormes e de membros toscos, acocorados de pernas cruzadas e com os braços informes apoiados no ventre gordo. Alguns, com o desgaste dos anos, tinham perdido todas as feições menos nos buracos dos olhos, que ainda fitavam tristemente os que passavam. Mas os cavaleiros mal os olhavam. Chamavam-lhes os "homens de Púkel", e davam-lhes pouca importância: já não possuíam o poder de aterrorizar. Merry, contudo, olhava-os com espanto e quase piedade, ao vê-los surgir melancolicamente no crepúsculo." – O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei, capítulo III: A Concentração de Rohan

Mais tarde, quando Merry viu Ghan-buri-Ghan, líder dos Drúedain da floresta de Druadan, este relembrou-o das estátuas.

Outras Informações

Localização


Homens de Púkel no mapa da Terra-MédiaLocalização dos Homens de Pûkel

Nome
O nome "Homens de Púkel" foi dado pelos Rohirrim. O elemento púkel deriva do Anglo-Saxão púcel, que significa "goblin, demónio".

Fontes
Thain’s Book
O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei, J. R. R. Tolkien
Contos Inacabados, J. R. R. Tolkien – Os Drúedain
The Complete Tolkien Companion, J. Tyler