Saul Zaentz processa um… restaurante?


Parece que a onda de processos envolvendo as obras de Tolkien está ficando ainda maior. O caso mais recente é o do restaurante "Hobbit Grille", segundo o site de notícias da NBC2 News Online.
De acordo com o artigo, os advogados de Zaentz "prometeram enterrar o
restaurante se os donos não retirarem imediatamente a palavra ‘hobbit’
do nome do estabelecimento".
 
 
O mais surpreendente é que os donos do restaurante afirmam que não
assistiram os filmes e sequer leram os livros de Tolkien. Na realidade,
segundo os donos, o nome surgiu como uma homenagem a um restaurante da
infância vivida em Tallahassee.

O restaurante não comporta mais do que 16 pessoas sentadas, e não tem
nenhum artigo de decoração que lembre as personagens de Tolkien. O Chef
Paul Mandell pergunta indignado: "O que eles ganharão com isso?" e
acrescenta "Nós não estamos confundindo seus fiéis seguidores".

Mas parece que a Tolkien Estate não quer conversa e já decretou: eles
têm permissão de utilizar o nome até dezembro deste ano, antes que
busquem outras saídas para a questão. Porém, os donos alegam que não
mudarão o nome. Mandell disse para a NBC: "Eu preciso de um juiz
federal, um júri e o Senhor em pessoa para me dizer que alguém é dono
de uma palavra antes que eu assine aquele acordo"

O site chama a atenção para o fato de que no dictionary.com,
a palavra ‘hobbit’ remete à folclore antigo, mas não faz qualquer
referência ao nome de Tolkien. Caso queira conferir a carta enviada
pelos advogados para o "Hobbit Grille", clique aqui.

Fonte: NBC2 News Online