O Musical SdA na visão de um fã brasileiro

Recentemente o Jedi Solo, membro do Fórum Valinor (e sujeito muito sortudo), teve a oportunidade de conferir o musical O Senhor dos Anéis em Londres. Aqui você poderá acompanhar o que ele achou do espetáculo apresentado no dia 16 deste mês (lembramos que imagens da produção podem ser vistas no site oficial do musical).
 
 
"Vi ontem, e fiquei maravilhado com a coisa toda. Primeiro, o palco. Era
um bando de peça gigante que podia ser girada e levantada, então podiam
fazer montanhas, morros, buracos, muralhas, qualquer coisa que tinham
que usar na hora, e fizeram ótimas cenas de 'viagem' (tipo quando
Aragorn & Hobbits vão para Valfenda), quando tinha música poderosa
enquanto os atores andavam, ficava ótimo no final.

O musical todo era obviamente uma mega-produção, com maquiagem
maravilhosa e músicas bem-escritas, excelentes atores e uma boa
história (afinal tiveram que cortar algumas coisas e juntar outras).
Aragorn, Boromir, Galadriel e Gollum foram os destaques, cada
um foi ótimo em seu respectivo papel (o ator que fazia Boromir era
escocês, e tinha aquele sotaque forte, era divertido ficar assistindo
ele).

 
Agora a história. Tiveram que resumir os três livros em um musical só, e fizeram de uma forma beeem interessante.

1 – Uniram os personagens de Théoden e Denethor. O nome ficou Théoden
mas ele virou o "Steward of the Lands of Men", cargo de Denethor.
Juntaram também Rohan e Gondor, chamando de "Lands of Men". Boromir era
filho de pseudo-Théoden.

2 – Juntaram as batalhas de Helm's Deep e Minas Tirith em uma gigante
na "Capital dos Homens", não deram nome nenhum pra ela. E o exército
que eles lutavam era o exército de Isengard, e obviamente venceram, até
conquistar Isengard com a ajuda dos Ents, e lá Saruman foge.


3 – Tiraram a batalha de Weathertop e colocaram ela em Bri, explico melhor depois
 
Sinopse Geral

O começo acontece como em A Sociedade do Anel, basicamente é igual, Frodo encontra
Gandalf na festa de Bilbo (e fizeram Bilbo desaparecer, até agora não
sei como fizeram isso), conversam sobre O Anel, Sam aparece e Gandalf
manda os dois irem até Valfenda, e fala que os Guardiães (Dúnedain)
estão protegendo o Condado (nessa hora aparecem vários de Guardiões e
tem uma música muito legal que mostra os Hobbits indo, com os Guardiões
protegendo eles silenciosamente de qualquer perigo).

 
Encontram Merry
& Pippin, vão para Bri, e lá tem mais uma música no Bar, onde Frodo
encontra Aragorn, e coloca O Anel. Aqui aparecem os Nazgûl (nossa, eles estavam incríveis, eram caras com perna-de-pau, controlando a cabeça dos
'cavalos' com dois pauzinhos, com uma fantasia muito macabra, lembrava
o filme mas era diferente, parecia mais natural, como se fossem
"cultivados") e lá atacam Frodo, Aragorn vem e salva ele (tudo isso
acontece no BAR DE BRI), e eles fogem.

Nessa hora tem uma música linda enquanto Aragorn carrega Frodo nas
costas até Valfenda (Glorfindel não aparece), e lá aparecem os Nazgûl
novamente, onde vem o Rio e engole eles (para fazer o Rio, colocaram um
papel grande na frente dos Nazgûl e projetaram imagem de água nela, o
efeito ficou legal); aqui tudo fica escuro. Enquanto isso Gandalf fala
com Saruman e é preso por ele.

Frodo acorda numa cama, onde Elrond e Arwen estão cuidando dele. Arwen
canta uma música linda, e aparentemente a música cura Frodo, que
encontra Gandalf (que explica como ele escapou) e seus Hobbits, e
depois vão para O Conselho (minha parte preferida).
No Conselho apareciam alguns Elfos, Homens e Anões aleatórios
discutindo toda hora, com Gimli e Legolas discutindo, Boromir e Aragorn
sentados, Elrond tentando manter a ordem, Gandalf sentado preocupado e
Frodo quietinho no seu canto. Aqui tudo rola basicamente como no livro,
eles discutem o Anel, os problemas dos Elfos e Anões, e como deveriam
destruir o Anel. Aí tem a formação da Sociedade, que inicia sua
jornada.


Passam por Caradhras, jogaram confete branco para ser a neve, uma
ventania danada, enfim, mega-produção. Aí passaram por Moria (não teve
o bicho guardião) e aí foram andando até achar a câmara de Balin. Lá
Gandalf lê o livro de uma forma toda macabra, e Pippin deixa cair a
parada no buraco. Aí ouvimos os tambores. O bass tava tão alto no
teatro que o chão tremia, fazia um efeito muito legal. Aí eles fugiram
um pouco, até aparecer o Balrog.
 
O bicho em si não aparecia, só luzes
vermelhas e amarelas, fumaça e vento em cima do Gandalf. Teve um "YOU
SHALL NOT PASS
" todo poderoso e uma explosão, e Gandalf cai. Ouvimos um
"GANDAAAAALF!" de Frodo antes da cortina cair. Fim da Primeira Parte.
(nessa hora fiquei preocupado, 'como vão fazer o resto em só uma
metade, pensei).
 
A segunda parte mostra Lothlórien, e Galadriel. Ela canta várias
músicas bonitas, e eles partem para Parth Galen. Não mostra os Argonath
(que pena) mas mostra a batalha dos Orcs de Saruman, onde Boromir (após
assustar Frodo) é morto e a Sociedade rompida. Aragorn & Companhia
vão atrás de Merry e Pippin, mas chegam antes na Capital dos Homens,
onde encontram Denethor/Theoden, e curam ele do feitiço de Saruman.
 
Nessa hora o exército de Orcs de Saruman chega e tem a batalha gigante.
Essa batalha foi muito bem-feita, música rápida, mostrando soldados
homens morrendo e Orcs morrendo, e os Orcs tão ganhando até… PUF,
aparece Gandalf, O Branco! Os bonzinhos matam todos os Orcs e vão até
Isengard, onde Gandalf humilha Saruman e destrói seu cajado e exila
ele.

Antes disso tudo mostra Frodo e Sam conquistando Smeagol e partes de
sua jornada por Mordor. Vão para o túnel de Laracna (meu deus, Laracna
tava MUITO bem-feita. Era um fantoche gigantesco, cada perna sendo
controlada por um homem, e dois no corpo). A luta com Sam era
impressionante, aparecia Galadriel cantando quando ele usava o frasco
de Ëarendil, e ele ganha. Os dois continuam até Orodruin.

Enquanto isso mostra o Conselho de Gandalf e os outros, onde decidem ir
até os Portões Negros para distrair Sauron. Tem um discurso de Aragorn
e uma dança dos Soldados com suas espadas, muito empolgante. Aí mostra
Frodo e Sam lá em Orodruin, a luta com Gollum, destruição do Anel. Aí
aparece Gandalf, Aragorn e etc, resgatam eles e fogem de volta para
Rivendell, onde tem a coroação de Aragorn e o festival para festejar os
Hobbits, etc. Depois disso tudo os Hobbits voltam para o Condado.

Surpresa! No musical aparece o Expurgo! A terra está destruída, os
Hobbits descrevem fábricas jorrando fumaça no céu e a população
escravizada. Tem uma mini-batalha onde os Hobbits ganham, e Sam usa seu
presente de Galadriel para replantar tudo. Aí vem uma música dos
Hobbits e mostra alguns anos no futuro, onde aparecem Galadriel, Bilbo,
Elrond, Gandalf e Arwen, indo para as Terras Imortais. Arwen diz que
vai ficar e se casar com Aragorn, e portanto tem um lugar sobrando, e
oferece para Frodo, e ele aceita.

Tem uma cena de despedidas, os Hobbits se abraçam e Frodo vai com Bilbo
e os outros para as Terras Imortais. Os Hobbits vão para suas
respectivas casas e acaba.

 
Note que eles cortaram As Duas Torres quase totalmente. Os únicos
personagens que apareceram do segundo livro eram os Ents. Pularam
direto para O Retorno do Rei, e fizeram tão bem que nem senti falta.
Foi um musical MUITO bem-feito e divertido. (durante o intervalo alguns
Orcs apareceram e foram assustando a platéia, foi legal)

Sentado lá eu lembrava os livros e os filmes ao mesmo tempo, e pensei
que era uma obra que utilizava recursos dos dois. Era óbvio que as
fantasias eram baseadas nos filmes, mas os personagens tinham
personalidades diferentes, mais fieis aos livros. Boromir era menos
agressivo do que no filme, e mais nobre; ao mesmo tempo Aragorn era
mais Dúnedain e menos Rei, como eu imaginava ele. Arwen não é a
guerreira que eles mostram no filme, é apenas uma elfa linda; Legolas
não faz nenhum absurdo (graças a deus). Sabe, esses pequenos detalhes é
que fazem a diferença.


Mas não é só isso, claro. O que realmente me impressionou foram as
músicas. Quase todas elas foram tiradas dos livros (afinal a Obra tá
repleta de poesias e músicas) e eles escreveram melodias em volta
delas, ficou muito mágico, uma terceira parte, para complementar os
filmes e os livros. Agora eu penso que era só o que faltava, a história
tá completa. Cada arte expressou parte da Obra, de sua forma, e cada um
fez MUITO bem.

Dou 90 pra produção toda, realmente valeu a pena, foi maravilhoso."

 
***

Nossos agradecimentos ao Jedi Solo, por compartilhar conosco esta experiência única (acredito que deixando todo mundo morrendo de vontade de conferir o musical).