Aragorn

Aragorn era conhecido como Passolargo, um Guardião que vivia nos Ermos
protegendo as pessoas da Terra-Média. Mas ele era descendente da antiga
linhagem dos Reis, e quando ele se uniu à missão do Portador do Anel,
era chegado o momento dele completar seu destino. Enquanto Frodo
Bolseiro lutava para chegar à Montanha da Perdição, Aragorn combateu os
servos do Inimigo e revelou-se para Sauron como herdeiro de Isildur.
Após a derrota de Sauron os reinos de Gondor e Arnor foram reunidos sob
o reinado de Aragorn e a paz e a prosperidade retornaram à Terra-Média.
 

Aragorn era um descendente direto de Isildur, filho de Elendil. Os
herdeiros de Isildur eram os Reis de Arnor até que esse reino foi
dividido em três no ano de 861 da Terceira Era. A linha então foi
continuada primeiramente pelos Reis de Arthedain e então, quando esse
reino foi dizimado pela guerra e pela peste, pelos Líderes dos
Dúnedain.

Aragorn nasceu em 1º de Março de 2931, e apenas dois anos depois ele
tornou-se o décimo sexto Líder dos Dúnedain, quando seu pai Arathorn II
foi morto por Orcs. Então a mãe de Aragorn, Gilraen, levou-o para viver
em Valfenda, o lar de Elrond. Elrond aceitou a criança como seu filho
adotivo e deu-lhe o nome de Estel, significando “Esperança”. Para
Aragorn não foi dito seu verdadeiro nome e sua herança até 2951, quando
ele possuía vinte anos e Elrond percebeu que ele já era um adulto.
Elrond deu então à Aragorn duas das relíquias da Casa de Isildur: o
Anel de Barahir e os fragmentos de Narsil.

No dia seguinte, pela primeira vez Aragorn encontrou-se com Arwen que
retornava à Valfenda vinda de Lothlórien para visitar seu pai Elrond.
Quando Aragorn viu Arwen ele lhe chamou Tinúviel, pois sua beleza
lembrava a de Lúthien Tinúviel, uma elfa que abriu mão de sua
imortalidade pelo amor a Beren, um homem mortal. Aragorn apaixonou-se
por Arwen, mas Elrond disse que se ela escolhesse ficar com Aragorn ela
deveria abdicar de sua imortalidade como Lúthien havia feito, e que sua
idade e experiência, além de sua linhagem, a colocava muito distante de
Aragorn. Ele disse a Aragorn que muitos anos de provação estavam à sua
frente.

“Aragorn, filho de Arathorn, Senhor dos Dúnedain ouça-me! Um grand
destino o aguarda: elevar-se acima de todos os seus antepassados desde
os dias de Elendil, ou então cair na escuridão com tudo o que resta de
sua estirpe”

Apêndice A: “Parte da História de Arwen e Aragorn,” p. 346

Aragorn deixou Valfenda e viajou por toda Terra Média, adquirindo
conhecimento e experiência e encarando muitos perigos. Ele viajou para
o oeste distante ao Rhûn e ao sul para o Harad, e foi uma vez à Moria
através do Portão de Dimrill, e até mesmo explorou as cercanias de
Mordor em suas tentativas de descobrir sobre os planos de Sauron. Em
2956 ele conheceu Gandalf o Cinzento e eles tornaram-se amigos e
aliados, e por vezes viajaram juntos.

Aragorn cavalgou com os Rohirrim à serviço do Rei Thengel de Rohan e
ele tornou-se um Capitão de Ecthelion II, Regente de Gondor. Aragorn
manteve sua identidade escondida e era chamado de Thorongil – Águia da
Estrela – devido à sua rapidez e a visão penetrante, e à estrela
prateada que ele usava. Ele preveniu Ecthelion para não confiar no Mago
Saruman e ele conduziu uma esquadra ao sul para derrotar os Corsários
de Umbar. Ecthelion preferia seu misterioso capitão até mesmo acima de
seu filho Denethor, mas um dia Aragorn deixou Gondor tão repentinamente
quanto apareceu.

Em 2980 Aragorn estava a caminho de volta para Valfenda para um muito
merecido descanso, quando ele passou por Lothlórien e encontrou Arwen
lá. Eles passaram uma estação juntos na Floresta Dourada, e no
Solstício de Verão eles noivaram em Cerin Amroth. Mas no retorno de
Aragorn para Valfenda, Elrond disse-lhe que Arwen não se casaria com
ninguém que não fosse o Rei de Gondor e Arnor. Aragorn saiu novamente
para os Ermos.

Quando Aragorn visitou a casa de sua mãe em Eriador, ela disse-lhe que
ela não poderia enfrentar a Sombra que se aproximava, e que ela em
breve morreria.

Aragorn tentou consolá-la, dizendo: “Apesar disso, ainda pode haver
uma luz além da escuridão; se for assim, eu gostaria que a senhora a
visse e se alegrasse”


Mas ela respondeu apenas com esse linnod: “Onen i-Estel Edain, ú-chebin
estel anim” (Dei Esperanã aos dúnedain, não guardei nenhuma esperança
para mim”. .

Apêndice A: “Parte da História de Arwen e Aragorn,” p. 349

Gilraen morreu antes da primavera seguinte em 3007.

Após Bilbo Bolseiro passar seu anel mágico para Frodo em 3001, Gandalf
compartilhou com Aragorn seu receio de que o Um Anel havia sido
encontrado. O Dúnedain aumentou sua vigia no Condado e Aragorn advertiu
Gandalf de que eles deveriam procurar por Gollum. Durante anos Aragorn
caçou Gollum através das Terras Ermas, na Floresta das Trevas e nos
vales do Anduin, e desceu ao Portão Negro e ao Vale de Morgul nos
limites de Mordor. Por fim, Aragorn encontrou o rastro de Gollum saindo
de Mordor e percorrendo as margens dos Pântanos Mortos. Ele capturou
Gollum e o trouxe à Floresta das Trevas, onde a criatura foi
aprisionada até que escapasse em Junho de 3018.

Em 1º de Maio de 3018 Aragorn encontrou Gandalf no Vau Sarn no
Brandevin, ao sul do Condado. Ele soube com o Mago que Frodo iria
deixar o Condado com o Anel no final de Setembro. Acreditando que Frodo
estaria a salvo com Gandalf, Aragorn partiu numa jornada e não retornou
por vários meses. Então Aragorn soube com Gildor que Gandalf
desaparecera e que os Espectros do Anel estavam nas cercanias e que
Frodo estava viajando acompanhado por seus amigos Hobbits.

Aragorn procurou por Frodo e no anoitecer de 30 de Setembro, ele ouviu
os Hobbits se separando de Tom Bombadil na Grande Estrada do Leste
próximo a Bri. Aragorn foi ao Pônei Saltitante, mas foi impedido de ver
Frodo pelo dono da hospedaria, Cevado Carrapicho. Aragorn aproximou-se
de Frodo primeiramente no Salão Principal e então, após Frodo usar
acidentalmente o Anel, ele seguiu os Hobbits até seu salão.

Aragorn advertiu Frodo de que os Espectros do Anel o haviam seguido até
Bri e ofereceu-se como guia e protetor. Então Carrapicho entregou uma
carta esquecida de Gandalf, que incluía um verso sobre Aragorn que
Frodo mais tarde descobriu ter sido escrito por Bilbo:

Nem tudo que é ouro fulgura,

Nem todo o vagante é vadio;


O velho que é forte perdura,


Raiz funda não sofre o frio.


Das cinzas um fogo há de vir,


Das sombras a luz vai jorrar;


A espada há de, nova, luzir,


O sem-coroa há de reinar.

A Sociedade do Anel: “Passolargo,” p. 180

Aragorn então revelou Narsil, a espada que fora quebrada, e então
disse: “Sou Aragorn, filho de Arathorn, e sem em nome da vida ou da
morte puder salvá-los, assim o farei”. (SdA, p. 182) Frodo aceitou a promessa de Aragorn.

Aragorn preveniu os Hobbits de que não voltassem aos seus quartos, e
ele permaneceu acordado protegendo-os. A estalagem foi atacada durante
a noite, mas os Hobbits permaneceram ocultos. Aragorn os tirou de Bri
no dia seguinte e tentou despistar os Espectros do Anel levando-os pela
Floresta Chet e pelo Pântano dos Mosquitos.

Apesar dos cuidados de Aragorn, cinco Espectros do Anel os encontraram
no Topo do Vento e atacaram seu acampamento. Frodo foi compelido a
colocar o Anel, mas ele conseguiu resistir ao Rei-bruxo atacando o
manto do Espectro do Anel e invocando o nome de Elbereth. Frodo foi
apunhalado pelo Rei-bruxo e Aragorn atacou os Espectros com lenhas
flamejantes. Os Espectros bateram em retirada, e Aragorn cuidou dos
ferimentos de Frodo da melhor maneira que pôde e liderou os Hobbits o
mais rápido possível. Ele encontrou um sinal deixado por Glorfindel na
Última Ponte, e com a ajuda do Lorde Élfico eles chegaram a salvo em
Valfenda.

Em Valfenda, Aragorn encontrou-se com Arwen. O Conselho de Elrond
realizou-se em 25 de Outubro. Nele, Boromir, filho de Denethor, o
Regente de Gondor, contou de seu sonho no qual ele ouvia uma voz
dizendo: “Procure pela Espada que foi quebrada: em Imladris ela está…” (SdA,
p. 260) Aragorn revelou os fragmentos de Narsil e Elrond disse ao
Conselho que ele era o herdeiro de Isildur. Aragorn acreditou que o
sonho de Boromir era uma intimação e que era chegado o tempo dele ir à
Gondor como herdeiro de Elendil e então ele declarou sua intenção de ir
à Minas Tirith.

Narsil foi reforjada pelos ferreiros élficos e Aragorn a nomeou
Andúril, a Chama do Oeste. Aragorn uniu-se à Companhia do Anel e, em 25
de dezembro de 3018, eles partiram de Valfenda e direção ao Sul.

Aragorn e Boromir ajudaram a Sociedade a escapar da nevasca no Passo do
Chifre Vermelho abrindo um caminho através da neve e carregando os
Hobbits. Quando Gandalf sugeriu um caminho alternativo através de
Moria, Aragorn advertiu contra essa opção, mas por fim concordou,
dizendo:

Você seguiu minha liderança na neve, que quase acabou em desastre, e
não teve uma palavra para me reprovar. Seguirei agora a sua liderança –
se este último aviso não o demover. Não é no Anel, nem em nós aqui que
estou pensando agora, mas em você, Gandalf. E digo a você: se passar
pelas portas de Moria, tome cuidado!

A Sociedade do Anel: “Uma jornada no escuro,” p. 315

A Sociedade entrou nas Minas e em 15 de Janeiro de 3019 eles foram
atacados por Orcs na Câmara de Mazarbul. Aragorn matou muitos, e ele
carregou o ferido Frodo da câmara quando eles fugiram para a Ponte de
Khazad-dûm. Lá Gandalf confrontou o Balrog e disse aos outros para
fugirem, mas Aragorn e Boromir permaneceram onde estavam e iriam ajudar
Gandalf, mas ele quebrou a ponte com seu cajado e foi arrastado para o
abismo pelo Balrog.

Aragorn conduziu a enlutada companhia para fora de Moria e os levou
para Lothlórien, onde ele era conhecido de Galadriel, a Senhora da
Floresta Dourada. Em sua despedida, Galadriel deu à Aragorn uma pedra
verde incrustada em um broche de prata em forma de águia que havia sido
deixado para ele por Arwen. Era Elessar, a Pedra Élfica, e esse era o
nome pelo qual Aragorn seria conhecido como Rei.

A Sociedade deixou Lothlórien em 16 de Fevereiro, e Aragorn os guiou na
descida do Anduin em barcos. Quando eles passaram os Argonath, seu
comportamento tornou-se mais real.

Frodo se voltou e viu Passolargo, que ao mesmo tempo não era
Passolargo, pois o guardião marcado pelo tempo não estava mais lá. Na
popa estava Aragorn, filho de Arathorn, imponente e ereto, guiando o
barco com movimentos habilidosos; seu capuz jogado para trás, e os
cabelos negros esvoaçando no vento, uma luz em seus olhos: um rei
retornando do exílio à sua própria terra.


Não tema! – disse ele – Por muito tempo quis contemplar as figuras de
Isildur e Anárion, meus antepassados. Sob suas sombras Elessar, a Pedra
Élfica, filho de Arathorn da Casa de Valandil, Filho de Isildur,
herdeiro de Elendil, nada tem a temer!

A Sociedade do Anel: “O Grande Rio,” p. 419

A Sociedade acampou no Parth Galen na margem ocidental do Anduin. Em 26
de Fevereiro, Frodo escalou as inclinações do Amon Hen para decidir
qual caminho ele deveria tomar. Aragorn permaneceu com os demais.
Apesar dele acreditar que era seu dever ir à Minas Tirith, ele sentiu
que, com a partida de Gandalf, ele não poderia abandonar o Portador do
Anel e pretendia ir com Frodo se ele escolhesse continuar em direção à
Mordor.

Mas então Boromir retornou ao local do acampamento e disse à eles que
ele discutira com Frodo e que Frodo colocou o Anel e desapareceu.
Aragorn tentou organizar uma busca, mas os outros membros da Sociedade
saíram correndo ao acaso procurando por Frodo. Aragorn escalou o Amon
Hen, mas ele ouviu Boromir soar sua corneta e saiu ao seu auxílio.

Aragorn encontrou Boromir morrendo ferido por muitas flechas. Antes de
morrer, Boromir disse à Aragorn que ele tentara tomar o Anel de Frodo e
que um bando de Orcs havia capturado os pequenos. Aragorn usou suas
perícias como de Guardião para determinar que Merry e Pippin haviam
sido levados pelos Orcs em direção ao oeste, enquanto Frodo e Sam
haviam cruzado para a margem leste do Anduin.

Aragorn decidiu que ele não poderia abandonar Merry e Pippin ao
tormento e à morte, e que o destino do Portador do Anel não estava mais
em suas mãos. Junto de Legolas e Gimli, ele saiu em perseguição aos
orcs. Os Três Caçadores percorreram 45 léguas em menos de quatro dias.
Em Rohan, em 30 de Fevereiro, eles encontraram Éomer, o Terceiro
Marechal da Terra dos Cavaleiros, e seus companheiros. Quando Éomer o
desafiou, ele disse:

Sou Arathorn, filho de Arathorn, e sou chamado de Elessar, a Pedra
Élfica, Dúnadan, o herdeiro de Isildur, filho de Elendil, de Gondor.
Vai me ajudar ou me impedir? Decida logo!

As Duas Torres: “Os Cavaleiros de Rohan,” p. 26

Com Éomer eles souberam que os Rohirrim haviam matado os Orcs a que não
tinham visto nenhum sinal dos Hobbits. Éomer lhes deu cavalos, e com
Aragorn montado em Hasufel, e Legolas e Gimli em Arod, eles cavalgaram
até os limites da Floresta de Fangorn.

Lá eles encontraram uma pilha de corpos queimando deixada pelos
Rohirrim. Durante a noite, a figura de um homem velho apareceu através
da fogueira e então desapareceu juntamente com seus cavalos. Pela
manhã, Aragorn encontrou sinais que lhe deram esperanças de que Merry e
Pippin ainda estavam vivos. Mas quando eles seguiram as pistas até a
floresta, eles acabaram, ao invés disso, encontrando Gandalf, que havia
retornado de seu encontro com o Balrog como Gandalf o Branco. Gandalf
lhes disse que Merry e Pippin estavam a salvo e que os Três Caçadores
agora deviam acompanhá-lo até os salões do Rei Théoden, de Rohan.

Eles chegaram em Meduseld em 2 de Março. Gandalf libertou Théoden da
influência do lacaio de Saruman, Gríma, e Théoden declarou sua intenção
de cavalgar em guerra contra Saruman. Aragorn cavalgou com os Rohirrim,
dizendo a Éomer que eles iriam em breve desembainhar suas espadas
juntos como ele prometera.

No dia seguintes eles encontraram um mensageiro que lhes informou que
as forças de Isengard já estavam se movimentando. Ao aviso de Gandalf,
o Rei Théoden liderou seus homens até as fortificações do Abismo de
Helm. Lá os Rohirrim seriam sitiados em breve. Durante a Batalha do
Abismo de Helm , Aragorn e Éomer lutaram lado a lado durante a noite.
Apesar das coisas parecerem sem esperança, Aragorn disse “A aurora é sempre a esperança dos homens”. (AdT,
p. 138) Ele saiu para a muralha para olhar a aurora e deu aos exército
de Saruman a chance de se renderem, mas como os homens estavam
intimidados por sua presença, os orcs riram.

Enquanto o sol nascia, Aragorn cavalgou para fora do Portão de Helm com
o Rei Théoden. Eles descobriram que durante a noite uma estranha
floresta de Huorns havia se instalado na Garganta do Abismo. Então
Gandalf chegou com Erkenbrand e mil homens, e o Orcs de Saruman viraram
e fugiram para a mata e nunca se ouviu deles novamente.

Aragorn, Legolas e Gimli se reuniram com Merry e Pippin em Isengard, em
5 de Março. Após a negociação de Gandalf com Saruman, Gríma atirou o
palantír de Orthanc. Pippin olhou na pedra de Orthanc durante a noite e
foi confrontado por Sauron. Aragorn reivindicou a posse do palantír
como o mestre legal da mesma, pois ele sentiu que a hora dele
revelar-se a Sauron estava se aproximando.

Pippin partiu com Gandalf para Minas Tirith. Aragorn e os demais
voltaram para o Abismo de Helm, e foram alcançados por uma companhia
dos Dúnedain liderados por Halbarad e acompanhados pelos filhos de
Elrond, Elladan e Elrohir. Eles trouxeram o cavalo de Aragorn, Roheryn,
e entregaram um estandarte feito por Arwen. Elrohir entregou a Aragorn
uma mensagem de Elrond: “Os dias agora são curtos. Se estás com pressa, lembra-te das Sendas dos Mortos”. (RdR, p. 35)

Mais tarde, em uma sala no Forte da Trombeta, Aragorn olhou no
palantír. Ele esperava atrair a atenção de Sauron para fora de Mordor
enquanto Frodo e Sam se aproximavam. Aragorn não falou, mas ele mostrou
à Sauron que a espada de Elendil havia sido reforjada e que o herdeiro
de Elendil a empunhava. Então ele estava apto a controlar a pedra
conforme sua vontade e com ela ele viu que os Corsários no Sul
apresentavam grande perigo para Gondor.

Naquela manhã, Aragorn disse ao rei Théoden que ele precisava ir para o
Sul o mais rápido possível e que ele tomaria as Sendas dos Mortos sob
as Montanhas Brancas. Legolas e Gimli escolheram acompanha-lo, assim
como os Dúnedain e os filhos de Elrond. Juntos eles formaram a
Companhia Cinzenta. Eles cavalgaram para o Templo da Colina, onde
Aragorn despediu-se de Eowyn, sobrinha do Rei Théoden. Ela implorou à
ele para que não tomasse as Sendas dos Mortos, e então pediu permissão
para acompanha-los, mas ele disse à ela que seu dever era permanecer
com seu povo. Ele estava profundamente triste pelo sofrimento dela e
pelo aparente amor dela por ele, que ele não poderia retribuir.

A Companhia Cinzenta entrou nas Sendas dos Mortos na manhã de 8 de
Março. Os Mortos os seguiram através dos caminhos sob as montanhas.
Eles eram os Perjuros, que haviam jurado lealdade à Isildur mas
quebraram sua promessa recusando-se a lutar contra Sauron. Eles não
poderiam descansar até que o herdeiro de Isildur os conclamasse para
completarem seu juramento. Esse tempo chegou à meia-noite na Pedra de
Erech quando Aragorn conclamou os Mortos para acompanhá-lo ao Sul em
direção à Pelargir.

Conforme eles passavam pelas terras ao sul, os homens fugiam ante eles.
Em 13 de Março, eles alcançaram Pelargir onde eles encontraram a frota
dos Corsários, cerca de 50 barcos poderosos. Aragorn liderou os Mortos,
e eles invadiram os barcos, e os Corsários pularam dos barcos em
terror. Quando a frota foi tomada, Aragorn libertou os Mortos, e disse
a eles que poderiam finalmente descansar. Ele também libertou os
escravos que eram forçados a remar os barcos dos Corsários, mas muitos
permaneceram de boa vontade, agora que os barcos estavam sob o comando
de Aragorn. Os homens do Sul se uniram a ele, e ele enviou um exército
de 4.000 homens liderados por Angbor de Lamedon marchando para o norte,
rumo a Minas Tirith.

Aragorn navegou com a frota subindo o Anduin para o norte e alcançou
Minas Tirith em 15 de Março, enquanto a Batalha dos Campos do Pellenor
se desenrolava. De início eles foram confundidos com os Corsários, mas
então Aragorn desfraldou o estandarte de Arwen e revelou o emblema da
Árvore Branca de Gondor e as Sete Estrelas e a Coroa de Elendil.
Aragorn encontrou-se com Éomer no campo de batalha e eles lutaram
juntos até que seus inimigos estivessem derrotados.

Aragorn não quis entrar em Minas Tirith sem a permissão do Regente de
Gondor ou exigir o direito à realeza antes que Sauron estivesse
derrotado. Mas quando Gandalf o chamou às Casas de Cura onde Merry,
Éowyn e Faramir se encontravam doentes, Aragorn concordou em entrar
como o Líder dos Dúnedain de Arnor e ele deu ao Príncipe Imrahil de Dol
Amroth o comando da cidade.

Nas Casas de Cura, Aragorn pediu athelas, que de acordo com o
conhecimento, poderia reviver aqueles afligidos pelo Hálito Negro
quando fosse administrada pelas mãos do Rei. Algumas folhas foram
encontradas e Aragorn as usou para restaurar os três pacientes.
Faramir, agora o Regente de Gondor, reconheceu Aragorn apesar deles
nunca terem se encontrado, e disse “O Senhor me chamou. Estou aqui. Qual é a ordem do rei?” (RdR, p. 133)

Aragorn trabalhou durante a noite ajudando outros que haviam sido
feridos ou tocados pelo Hálito Negro, e espalhou-se o comentário de que
o Rei havia retornado, mas ele ainda não tinha se declarado, e acampou
do lado de fora das muralhas da cidade. Em 16 de Março, ele chamou
Éomer e Imrahil ao seu acampamento para decidir qual seria o próximo
movimento deles. Gandalf aconselhou que apesar deles não poderem
derrotar Sauron pela força, eles deveriam se mover contra ele a fim de
dar ao Portador do Anel tempo para completar sua missão. Aragorn
concordou, e os outros prometeram segui-lo.

Aragorn liderou o Exército do Oeste de Minas Tirith em 18 de Março.
Eles eram apenas 7.000. Quando o exército alcançou a desolação do
Morannon, alguns dos homens jovens e inexperientes ficaram
desencorajados e apavorados. Aragorn sentiu pena deles e enviou aqueles
que não conseguiam prosseguir para proteger a passagem de Cair Andros.

No Portão Negro, em 25 de Março, a Boca de Sauron surgiu e desafiou os
Exércitos do Oeste, e embora Aragorn não tenha dito nada em resposta, a
Boca de Sauron cedeu ante seu olhar. O emissário de Sauron trouxe a
camisa de mithril de Frodo e outros objetos, e exigiu que os exércitos
se retirassem imediatamente ou Frodo iria ser torturado. Gandalf
recusou os termos, e a Batalha do Morannon começou. Aragorn comandou
suas forças em duas colinas, e o Exército do Oeste combateu as forças
de Mordor até que o Anel foi destruído e o domínio de Sauron caiu.

Quando Frodo e Sam foram resgatados da destruição de Mordor, Aragorn
cuidou ele mesmo dos ferimentos deles. Nas celebrações no Campo de
Cormallen, Aragorn ajoelhou-se ante os Hobbits e então os trouxe para
sentar em um trono e conclamou o povo reunido em honras e aclamações.

No nascer do sol de 1º de Maio, Aragorn aproximou-se de Minas Tirith e
parou fora dos portões da cidade. Lá ele encontrou-se com Faramir,
Regente de Gondor, que anunciou ao povo da cidade:

“Homens de Gondor, ouçam agora o Regente deste Reino! Vejam!
Finalmente chegou alguém para reivindicar o trono. Aqui está Aragorn,
filho de Arathorn, chefe dos dúnedain de Arnor, Capitão do Exército do
Oeste, portador da Estrela do Norte, possuidor da Espada Reforjada,
vitorioso em batalha, cujas mãos trazem a cura, o Pedra Élfica, Elessar
da linhagem de Valandil, filho de Isildur, filho de Elendil de Númenor.
Deve ele ser rei e entrar na Cidade para ali morar?”


E todo o exército e todo o povo gritaram “sim” a uma só voz.

O Retorno do Rei: “O regente e o Rei,” p. 246

Faramir trouxe a antiga Coroa de Gondor, e a Aragorn a tomou dizendo as palavras que Elendil disse quando chegou à Terra-Média: “Et
Eärello Endorenna utúlien. Sinome maruvan ar Hildinyar tenn’
Ambar-metta!” – Do Grande Mar vim para a Terra-Média. Neste lugar vou
morar, e também meus herdeiros, até o fim do mundo.
(RdR, p.
247) Aragorn pediu à Frodo para que trouxesse a Coroa para ele e que
Gandalf a colocasse em sua cabeça, e então ele entrou na cidade como
Rei.

Arwen e seu pai Elrond chegaram em Minas Tirith no dia anterior ao
Solstício de Verão. De Elrond, Aragorn recebeu o Cetro de Annúminas. O
casamento de Aragorn e Arwen deu-se no dia do Solstício de Verão.

Aragorn viajou para Rohan, para o funeral do Rei Théoden, e então
acompanhou os outros membros da Sociedade até Isengard. Em 22 de
Agosto, Aragorn se despediu de seus companheiros e eles partiram em
direções separadas.

O Rei Elessar enviou seus mensageiros por todas as terras e expulsou os
indivíduos malignos que haviam permanecido, e trouxe paz aos povos da
Terra-Média. Os Reinos de Gondor e Arnor foram reunidos outra vez, e a
capital do norte, Annúminas, foi reconstruída. O Rei Elessar deu a
Floresta de Drúadan ao povo de Ghân-buri-ghân, e proibiu os homens de
entrar nela. As regiões de Vale e da Montanha Solitária estariam sob
proteção da Coroa.. O Rei fez de Faramir o Príncipe de Ithilien e ele
reestabeleceu o Grande Conselho de Gondor com faramir, o Príncipe
Imrahil, e outros Senhores dos feudos e Capitães das Forças.

O Rei Elessar não se esqueceu do Condado e seu povo. No ano 6 da Quarta
Era, o Rei fez do Condado uma terra livre sob proteção do Cetro do
Norte e emitiu um decreto de que os homens não poderiam ir lá. O Thain,
o Mestre da Terra dos Buques e o Prefeito de Grã-Cava foram feitos
Conselheiros do Reino do Norte no ano 13. O rei e a rainha foram ao
norte para lá residir por um tempo no ano 15, e eles encontraram Sam,
Merry e Pippin na Ponte do Brandevin. Sam e sua família foram ao sul,
para Gondor, para viver lá por um ano, no ano 21. Merry e Pippin
deixaram o Condado e foram viver em Gondor no ano 64, permanecendo lá
até suas mortes.

No ano 120 da Quarta era, o Rei Elessar soube que seus dias estavam no
fim e foi à Casa dos Reis na Rua Silenciosa. Ele disse adeus ao seu
filho Eldarion e à suas filhas, e deu à Eldarion sua Coroa e o Cetro.
Arwen permaneceu ao lado de Aragorn até que ele morresse.

Então revelou-se nele uma grande beleza, tanto que todos os que
vieram depois para vê-lo olhavam-n admirados, pois viam que a graça de
sua juventude, a coragem de sua virilidade, a sabedoria e a majestade
de sua velhice estavam mescladas em seu rosto. E por muito tempo ficou
ali deitado, uma imagem do esplendor dos Reis dos Homens, numa glória
que não se apagou antes da destruição do mundo.

Apêncide A: “Parte da História de Aragorn e Arwen,” p. 350

Fontes Adicionais:

Apêndice A: “Gondor e os Herdeiros de Anárion” dá detalhes de Aragorn como Thorongil a serviço de Ecthelion II.
Contos Inacabados: “A Caçada do Anel” fornece um relato mais detalhado da captura de Gollum por Aragorn.
As Cartas de J.R.R. Tolkien: Carta 244 menciona o restabelecimento do grande Conselho de Gondor e outros fatos do reinado de Aragorn.

Datas Importantes:

2931

1º de Março:
Nascimento de Aragorn

2933
Morte do pai de Aragorn, Arathorn II. A mãe de Aragorn, Gilraen, o leva
à Valfenda onde Elrond o aceita como filho adotivo e o chama Estel,
significando “esperança”.

2951
Aragorn descobre seu verdadeiro nome e sua ancestralidade com Elrond.
Ele recebe os fragmentos de Narsil. Aragorn se encontra com Arwen em
Valfenda. Ele então sai para os Ermos em diversas aventuras.

2956
Aragorn encontra-se com gandalf.

2957-80
Aragorn viaja através da Terra-Média. Ele serve ao Rei Thengel de Rohan e à Ecthelion II, Regente de Gondor.

2980
Aragorn derrota os Corsários a serviço de Ecthelion. Aragorn
encontra-se com Arwen em Lothlórien e eles noivam na véspera do
Solstício de Verão.

3001
Aragorn inicia a procura por Gollum à pedido de Gandalf.

3007
Primavera: Morte de Gilraen, mãe de Aragorn

3009
Aragorn retoma sua caçada por Gollum.

3018

1º de Fevereiro:
Aragorn captura Gollum nos Pântanos Mortos

21 de Março: Aragorn leva Gollum ao Rei Thranduil da Floresta das Trevas, para que ele seja mantido preso.

1º de Maio: Aragorn encontra-se com Gandalf no Vau Sarn e fica sabendo dos planos de Frodo de deixar o Condado em Setembro.

29 de Setembro: Aragorn encontra-se com Frodo Bolseiro em Bri.
30 de Setembro: Aragorn leva os Hobbits para fora de Bri.

6 de Outubro: Cinco Espectros do Anel atacam o acampamento no Topo do Vento.
13 de Outubro: Aragorn encontra um sinal deixado por Glorfindel na Última Ponte.
20 de Outubro: Frodo escapa pelo Vau do Bruinen rumo à Valfenda; Aragorn e os outros o seguem.
25 de Outubro: O Conselho de Elrond; Aragorn mostra os fragmentos de Narsil e declara sua intenção de ir à Minas Tirith.

18 de Dezembro: Aragorn une-se à Companhia do Anel
25 de Dezembro: A Sociedade deixa Valfenda.

3019

11, 12 de Janeiro:
Nevasca em Caradhras.
13 de Janeiro: A Sociedade entra em Moria a despeito do aviso de Aragorn.
15 de Janeiro: Gandalf cai enfrentando o Balrog; Aragorn lidera a Sociedade para fora de Moria em direção aos limites de Lothlórien.
17 de Janeiro: A Sociedade é recebida por Galadriel e Celeborn.

16 de Fevereiro: A Sociedade deixa Lothlórien; Aragorn recebe a Elessar.
25 de Fevereiro: A Sociedade passa pelo Argonath.
26 de Fevereiro: O rompimento da Sociedade. Aragorn decide seguir os Uruk-hai que capturaram Merry e Pippin.
30 de Fevereiro: Os Três Caçadores encontram-se com Éomer e viajam até os limites de Fangorn.

1º de Março: Os Três Caçadores se reúnem com Gandalf e partem em direção à Meduseld.
2 de Março: Gandalf e os Três Caçadores chegam à Meduseld.
3 de Março: Os Rohirrim partem para o Abismo de Helm e a Batalha do Forte da Trombeta se inicia.
4 de Março: Ao amanhecer, Aragorn cavalga para fora do Forte com
o rei Théoden. Os Huorns de Fangorn e Gandalf o Branco aparecem e a
batalha é vencida.
5 de Março: Os Três Caçadores se reúnem com Merry e Pippin em Isengard. Aragorn toma posse do palantír de Orthanc.
6 de Março: Aragorn é encontrado pelos Dúnedain e pelos filhos
de Elrond. Ele se revela à Sauron através do palantír e decide tomar a
Senda dos Mortos.
7 de Março: A Companhia Cinzenta chega ao Templo da Colina. Aragorn se despede de Éowyn.
8 de Março: A Companhia Cinzenta toma as Sendas dos Mortos. À meia-noite, Aragorn chama os Perjuros na Pedra de Erech.
13 de Março: A Companhia Cinzenta chega à Pelargir com o Exército dos Mortos e eles capturam a frota dos Corsários.
15 de Março: Aragorn navega para o norte e chega à Batalha dos Campos do Pellenor. Após a batalha, ele cura Faramir, Éowyn e Merry.
16 de Março: Os Capitães do Oeste decidem marchar até o Portão Negro.
18 de Março: Aragorn lidera os Exércitos do Oeste partindo de Minas Tirith.
23 de Março: Aragorn envia aqueles que estão muito apavorados para reconquistar Cair Andros.
25 de Março: Aragorn comanda os Exércitos do Oeste na Batalha do Morannon. O Anel é destruído e Sauron é derrotado.

8 de Abril: Os Portadores do Anel são honrados por Aragorn e pelos Exércitos do Oeste no campo de Cormallen.

1º de Maio: Aragorn é coroado rei.

25 de Junho: Aragorn encontra a muda da Árvore Branca.

Véspera do Solstício de Verão ¹: Arwen chega à Minas Tirith.
Solstício de Verão ²: Casamento de Aragorn e Arwen.

22 de Agosto: Aragorn dá adeus aos outros membros da Sociedade.

Quarta Era

6
O Rei Elessar torna o Condado uma Terra Livre sob a proteção do Cetro do Norte e proíbe os homens de lá entrarem.

13
O Rei Elessar faz do Thain, do Mestre da Terra dos Buques e do Prefeito de Grã-Cava Conselheiros do Reino do Norte.

15
O Rei Elessar e a Rainha Arwen vão para o norte para residir um tempo
em Annúminas. Eles encontram Merry, Pippin e Sam na Ponte do Brandevin.

31
O Rei Elessar adiciona o Marco Ocidental ao Condado.

120
Morte do Rei Elessar. Ele é sucedido por seu filho Eldarion.

Nome e Títulos:



Aragorn II:

O significado do nome Aragorn não é
claramente determinado. Uma nota encontrada entre os papéis de J.R.R.
Tolkien na Universidade de Marquette sugere que “Valor Real” podia ser
o significado pretendido.

e seu pai lhe deu o nome de Aragorn, um nome usado na Casa dos
Líderes. Mas Ivorwen estava ao seu lado em seu nomeação, e disse “Valor
Real” (pois assim esse nome é interpretado): “esse ele deverá possuir,
mas eu vejo em seu peito uma pedra verde, e dela seu verdadeiro nome
irá aparecer, e sua fama principal: pois ele será um curador e um
renovador.”

The History of Middle-earth, vol. XII, The Peoples of Middle-earth: Foreword, p. xii

O elemento ara deriva de aran, significando “rei”. O segundo elemento é menos certo. No Etimologias, o final –gon é definido como “valor”, enquanto a palavra gorn
é definida como “impetuoso”. Assim, “rei impetuoso” é outra possível
interpretação para Aragorn, apesar de não parecer adaptar-se à natureza
do personagem. (HoME V, entries for KAN and GOR)

O Guia da Terra-Média de Robert Foster fornece “rei árvore” como uma tradução para Aragorn, mas Tolkien escreveu na Carta 347 que o nome de Aragorn não contém o elemento orn
significando “árvore”. Tolkien não define o nome Aragorn na carta, mas
ele escreveu que ele não possuía tempo para explicar os significados de
todos os nomes da linhagem dos Arthedain.

Aragorn foi o segundo dos Herdeiros de Isildur a possuir esse nome; seu ancestral, Aragorn I, foi morto por lobos no ano 2327.

Estel:
Elrond deu o nome Estel para Aragorn quando ele aceitou o garoto como seu filho postiço em 2933. O nome significa “esperança”. (Apêndice A, p. 344)

Líder dos Dúnedain:
Aragorn tornou-se Líder dos Dúnedain
quando seu pai morreu, em 2933. Aragorn possuía apenas 2 anos de idade
então. Ele não foi informado de sua herança até 2951, quando ele
possuía 20 anos. (Apêndice A, p. 344-5)

O Dúnadan:
Como Líder dos Dúnedain, Aragorn era chamado de O Dúnadan por Bilbo e por outros em Valfenda. Dúnadan significa Homem do Oeste, ou Númenoreano. (SdA, p. 245)

Herdeiro de Isildur:
Aragorn era um descendente direto de Isildur, filho de Elendil. Elendil
foi o ultimo dos Senhores de Andúnie de Númenor e o primeiro Rei de
Gondor e Arnor. Veja a Árvore Genealógica de Aragorn abaixo.

Thorongil:

Thorongil
é o nome dado a Aragorn pelos homens
de Gondor enquanto ele esteve a serviço de Ecthelion II. Siginica
“Águia da Estrela” e se refere à sua rapidez e sua visão penetrante, e
à estrela prateada que ele usava. (Apêndice A, p. 342)

Passolargo:

Passolargo
é o nome pelo qual Aragorn é
conhecido em Bri e nos arredores pelo fato dele ter caminhado através
dos arredores da cidade com suas longas pernas.

“Nunca ouvi seu verdadeiro nome, mas é conhecido como Passolargo.
Suas pernas longas andam numa velocidade muito grande; mas ele não
conta a ninguém o motivo de tanta pressa.”

A Sociedade do Anel: “No Pônei Saltitante,” p. 165

Embora Aragorn tenha dito no Conselho de Elrond que o nome “Passolargo” fosse “pejorativo”, (SdA,
p. 263) foi assim que ele se apresentou a Frodo e o Hobbit continuou a
chama-lo de Passolargo, e Aragorn escolheu a equivalente em Quenya,
Telcontar, como o nome de sua casa real. (Veja Telcontar abaixo.)

Elessar:
Aragorn adotou o nome Elessar quando foi coroado Rei de Gondor e Arnor.
O nome se refere à pedra verde incrustada em um broche em forma de
águia que ele havia recebido de Galadriel quando ele deixou Lothlórien.

“Assuma neste momento o nome que foi predito para você, Elessar, Pedra Élfica da casa de Elendil!”
A Sociedade do Anel: “Adeus a Lórien”, p. 399

Pedra Élfica:

Pedra Élfica
é a equivalente na Língua Geral para Elessar.

Chamaram-no Pedra Élfica, por causa da pedra verde que usava; e
assim o nome que ao seu nascimento previram que usaria foi escolhido
para ele pelo seu próprio povo.

O Retorno do Rei: “As Casas de Cura,” p. 139

Envinyatar:

Envinyatar
significa “o Renovador”.

“Realmente, pois na lingua nobre de antigamente sou Elessar, a Pedra
Élfica, e Envinyatar, o Renovador”: então ergueu a pedra que repousava
sobre o peito.

O Retorno do Rei: “As Casas de Cura,” p. 130

O Renovador:

O Renovador
é a equivalente na Língua Geral para Envinyatar (veja acima).

Telcontar:

Telcontar
é o nome escolhido por Aragorn para sua casa real. Telcontar é a equivalente em Quenya para “Passolargo”. O elemento telko significa “perna” em Quenya. O elemento ontaro significa “progenitor, motivador”.

Rei dos Reinos Unidos de Gondor e Arnor:
Aragorn recebeu a Coroa de Gondor e o Cetro de Arnor e os dois reinos foram reunidos sob seu reinado.

Senhor das Terras do Oeste:
Gandalf chama Aragorn de Rei de Gondor e Senhor das Terras do Oeste. (RdR, p. 229)

Rei do Oeste:
Aragorn também é referido como Rei do Oeste. (Apêndice B, p. 384)

Senhor da Árvore Branca:
Legolas chama Aragorn de Senhor da Árvore Branca, como referência à Árvore Branca que era símbolo de Gondor. (RdR, p. 147)

Pé-de-Vento:
Éomer chama Aragorn de Pé-de-Vento ao
saber que os Três Caçadores percorreram 45 léguas em menos de quatro
dias perseguindo os Uruk-hai que haviam capturado Merry e Pippin. (AdT, p. 29)

Perna Comprida:
Aragorn é chamado de Perna Comprida por Bill Samambaia, por causa das longas pernas do Guardião. (SdA, p. 192)

Passolargo, o Destemido:
Bill Samambaia também chama Aragorn de Passolargo, o Destemido, injustamente implicando que ele não era confiável, talvez por causa da tendência de Aragorn de chegar à Bri sem avisar. (SdA, p. 192)

Trotador:
Em escritos antigos de O Senhor dos Anéis, o personagem que viria a ser Aragorn era um Hobbit chamado Trotador. (HoME, vol. VI)

 
Árvore Genealógica:
 
Árvore Genealógica Aragorn
 
 
 
 
 
 
 
 
 
N.T.:

1:
A Véspera do Solstício de Verão é o equivalente ao
1 Lite. No texto original, é constado como “Midsummer’s Eve”, ao passo
que o 1 Lite é “1 Lithe” na obra em inglês.

2: O Solstício de Verão é o equivalente ao Dia do Meio do Ano.
No texto original, é constado como “Midsummer’s Day”, ao passo que o
Dia do Meio do Ano é “Mid-year’s Day” na obra em inglês.

 
 

Comentários

  1. AMIGO O SITE É MUITO BOM MUITO RICO EM LITERATURAS E CULTURA O ÚNICO PROBLEMA É QUE O FUNDO É TOTALMENTE ESCURO E O TEXTO 100% BRANCO O QUE FORÇA MUITO AS VISTAS, EU LÍ TODO O TEXTO DE PASSO LARGO ( ARAGORN ) PAUSADAMENTE DEVIDO AO ESFORÇO, SE EU NAO ESTIVER PEDIDO DEMAIS, POR GENTE LEZA DIMINUA OS TONS DA LETRA OU DO FUNDO QUE AJUDARÁ MUITOS.