Meio-Elfos – Desfazendo o Nó

 
Mudando um pouco o direcionamento (até agora) da minho coluna, resolvi escrever um pouco sobre a obra em si e não sobre o filme ou sobre os fãs. Afinal, um pouco de  Tolkien de verdade só faz bem! Vamos lá, rápidos e rasteiros, aos Meio-Elfos.

Uma das dúvidas que sempre ficam na cabeça após termos lido O Senhor dos Anéis e que só ficam mais complicadas após O Silmarillion e com os Contos Inacabados piora tudo é sobre os Meio-Elfos ou os raros rebentos das uniões entre Elfos e Homens. Afinal são Elfos ou Homens? Eles podem escolher a própria raça? Como é que fica? Bom, parecem questões simples com respostas fáceis, mas o problema é mais profundo do que parece.

Os Primeiros Meio-Elfos

Temos três casamentos de destaque entre Elfos e Homens.(muito embora não sejam as únicas uniões). O primeiro foi entre Lúthien e Beren, o segundo entre Tuor e Idril e o terceiro entre Aragorn e Arwen – apesar desta ser tecnicamente uma Meio-Elfa e não uma Elfa.

O filho de Beren e Lúthien foi Dior e não sabemos exatamente como enquadrá-lo, embora seja chamado de Meio-Elfo:

"Earendil was thus the second of the Pereldar (Half-elven), the elder being Dior, son of Beren and Luthien Tinuviel" [HoME 12]

"Dior Halfelven weds Lindis of Ossiriand." [HoME 11]

Aparentemente ele era considerado um Elfo e tratado como tal, pois assumiu seu lugar como herdeiro de Thingol e também se casou com uma Elfa de alta estirpe (Nimloth ou Lindis, dependendo do texto que tomarmos como base).

Dior teve três filhos mas apenas Elwin sobreviveu à Destruição de Doriath, fugindo aos portos. Não sabemos qual a posição quanto a Elwing, mas aparentemente ela era considerada uma Meio-Elfo também, assim como seu pai (o conceito patriarcal é muito presente quando tratamos de Meio-Elfos).

Mas então qual foi o destino de Dior e seus dois filhos? Não temos como saber exatamente pois Dior foi morto com uma idade compatível tanto com Elfos quanto com Homens e seus filhos morreram ainda criança mas temos uma indicação indireta sobre o fato que são a comparaçao entre as datas de nascimento e casamento de Dior. Ele nasceu por volta do ano 475 da Primeira Era e se casa já a 497 , com cerca de 24 ou 25 anos de idade, que é uma idade bastante adequada para o casamento de um Homem mas completamente imprópria para o casamento de um Elfo, que se casavam logo após os cinquenta anos (ver Leis e Costumes dos Eldar, HoME 10). Sim, é uma indicação pequena, mas aparentemente Dior era um Homem que aos 24 anos já atingira o máximo de seu vigor físico e se casou. Quantos aos filhos de Dior, nunca saberemos exatamente, mas se a regra dos Meio-Elfos fossem retroativas (ver abaixo!) filhos de Homens são sempre Homens mesmo que sua mãe seja uma Elfa ou Meio-Elfa, portanto ambos seriam Homens também.

O segundo casal, Tuor e Idril, teve um filho apenas, Earendil o Marinheiro chamado de Meio-Elfo e, por uma dessas “coincidências cantadas” dO Silmarillion, acaba se casando com Elwing neta de Dior, o primeiro Meio-Elfo. É o primeiro e único casamento entre Meio-Elfos da história e talvez seja o motivo da escolha dada a eles em Aman.

Elwin e Earendil se casam e através do poder da Silmarill conseguem atingir Aman e lá confundem até mesmo os Valar que decidem por não decidirem nada e deixar a escolha entre os dois:

"E esta é minha sentença com relação a eles: Eärendil e Elwing, bem como seus filhos, terão permissão cada um de escolher livremente a que família seus destinos serão vinculados, e de acordo com que família serão julgados”. [“O Silmarillion", Capítulo 24]

Este é o ponto divisor e junto ao casamento de dois Meio-Elfos o que faz diferença entre outros relacionamentos Elfos x Homens posteriores. Só a partir deste momento é que os Meio-Elfos e seus descendentes poderiam escolher a própria raça.

Os Filhos de Earendil e Elwing e o Problema de Arwen

Depois de um intervalo de alguns milênios chegamos ao romance de Arwen e Aragorn. Sendo Arwen filha de Elrond Meio-Elfo, o filho de Earendil, o que ela seria? Humana? Elfa? Teria direito a escolha?

Uma corrente bastante ampla a considera uma Elfa pura, pois só nasceu após seu pai ter escolhido pertencer aos Elfos. Mãe Elfa, pai que escolheu os Elfo, seria lógico esperarmos filhos Elfos, certo? Apesar de ser lógico, está errado. Arwen e seus dois irmãos são Meio-Elfos e teriam que escolher a raça:

“Arwen não era um elfo, mas sim um dos meio-elfos que abandonaram seus direitos élficos.” [Carta #345]

“Elrohir, Elladan: estes nomes, dados por Elrond a seus filhos, se referem ao fato de que eles eram ‘meio-elfos’: eles possuíam tanto ancestrais mortais quanto Élficos de ambos os lados; Tuor pelo lado de seu pai e Beren pelo lado de sua mãe”. [Carta #211]

“O final de seus filhos, Elladan e Elrohir, não é contado: eles atrasaram suas escolhas e permaneceram por um tempo”. [Carta #153]

Portanto Arwen, Elrohir e Elladan, como filhos de Elrond, tinham o direito de escolher. O problema é que os filhos de Elros, irmão de Elrond, não tinham:

"A idéia é que os Meio-elfos tem um poder (irrevogável) de escolha, que pode ser atrasado mas não permanentemente, do destino de qual raça partilhariam. Elros escolheu ser um Rei e ‘longevo’ porém mortal, portanto todos os seus descendentes são mortais, e de uma raça especialmente nobre, porém com uma longevidade mingüando (…) Elrond escolheu estar entre dos Elfos. Seus filhos (…) devem fazer suas escolhas." [Carta #153]

Afinal das contas, como ficava esse embrulho todo? Aparentemente o direito ou não de escolha era patriarcal, o que seu pai era é o que decide o que você será.

Outras Uniões?

Além das três uniões discutidas sabemos de pelo menos mais uma e temos indicações indiretas de possivelmente muitas mais. O antepassado do Príncipe Imrahil, Imrazor de Dol Amroth, um Numenoriano, tomou Mithrellas, uma Elfa companheira de Nimloth, como esposa (aparentemente à força). Dessa união nasceram dois filhos após o que Mithrellas desaparece (ou foge). Assim, a Casa de Dol Amroth ficou conhecida pela beleza devido à sua ascendência élfica, mas nenhuma referência sobre “escolha” ou “Meio-Elfo”, quando se referencia a Casa de Dol Amroth (Príncipe Imrahil incluso). Mais uma evidência que corrobora a tese da influência paterna sobre essas casos.

Temos também a ciração de um envolvimento amoroso (embora não consumado) entre Andreth, uma Humana, e Aegnor, Filho de Fëanor, relatado de passagem ao final do excelente “Da Morte e dos Filhos de Eru, e da Desfiguração dos Homens – O Diálogo de F
inrod e Andreth” contido no HoME 10. Neste caso, o único relatado entre um Elfo e uma Mulher, Aegnor abre mão do relacionamento não querendo sofrer as consequências do mesmo.

Aparentemente estes relacionamentos não eram completamente incomuns. Raros, porém não incomuns. O que parece ter sido extremamente raro é que alguns tenham sido levados às últimas consequências, e por isso merecem destaque.

Conclusão

Afinal das contas, depois disso tudo o que temos? Todos os indícios apontam uma influência paterna total (embora não intencional e/ou ativa) sobre os filhos. De maneira bem resumida seria assim: se seu pai é Meio-Elfo e escolheu ser Elfo, você vai poder escolher mas se ele era Meio-Elfo e escolheu ser Homem, você será Homem quer queira ou não, sem escolha. Se seu pai era Homem, você será Homem mesmo que sua mãe seja Elfa ou Meio-Elfa (temos exemplos disso com o caso de Mithrellas e Arwen) mesmo que seja chamado Meio-Elfo (seria o caso de Dior e seus dois filhos?). Se seu pai era um Elfo puro, bom, não temos como afirmar nada, pois não temos nenhum casos registrado sobre esse assunto, embora a lógica aqui aponte que ele seria um Elfo.