ADT e seus concorrentes no Oscar 2003

Oscar chegando e ADT concorrendo. Ótima oportunidade pra eu largar o ócio e voltar a movimentar minha coluna, com esse texto especial Oscar 2003. Uma análise geral de ADT e seus concorrentes a melhor filme, além de especulações cretinas(como não poderia deixar de ser) sobre a disputa.
 

Pra começar, vamos ser realistas e admitir que ADT não ganha de jeito nenhum. Se o PJ oferecesse a Liv Tyler e a Miranda Otto como amostras grátis pros velhinhos da Academia, talvez até tívessemos chances, mas é melhor guardar esse trunfo pro Retorno do Rei. Mas afinal, por que ADT não vencerá, além da politicagem habitual? Porque simplesmente não é o melhor filme do ano. E por que não é melhor? É isso que vamos ver agora.

Vamos ver o porquê, concorrente a concorrente. Pra começar, O Pianista. Entre o narigudo do Adrien Brody e o narigudo Gimli, ainda acho que nosso anão leva a melhor, mas é bom lembrarmos que grande parte dos membros da Academia são judeus. Se no meio de ADT o PJ colocasse uma cena do Gollum comemorando uma Bar Mitzvah ou do Gandalf gritando "Mazel Tov!" quando Théoden se cura, quem sabe a gente não conseguia a simpatia dos votantes… E é bom lembrar que o Roman Polansky é um diretor conceituado… além de ser um velho pedófilo condenado. Nesse caso, só poderíamos competir em pé de igualdade se o diretor de ADT fosse o John Tolkien.

Gangues De Nova York. Convenhamos, como competir com o bigodinho infame do Daniel Day-Lewis? No primeiro filme nós até tínhamos o Boromir que dava pro gasto, mas e agora? Ninguem! Por outro lado, tivemos o David Wenham, nosso "amado" Faramir, que conseguiu superar Leonardo diCaprio. Pena que essa superação tenha sido no quesito falta de expressão. Outra disputa acirrada com Gangues é em direção de arte. É dificil saber qual favela foi mais bem representada, Five Points ou Edoras…

Temos também As Horas… como pude falar da napa do Adrien Brody e me esquecer da Nicole Kidman… Pelo amor de Eru… Só pelo fato de terem transformado a Nicole naquela coisa horrenda, os produtores desse filme deviam ser presos! É um absurdo premiarem tamanha obra de Morgoth. Mas novamente, esse filme tem algo que os membros da academia adoram: Um personagem aidético. E lá se foi uma outra ótima oportunidade de PJ de conquistar esse pessoal. O Gollum já é magrinho e decrépito. Custava dizer que a magreza era culpa do HIV? E ainda podia rolar um serviço de educação pública, ensinando que sempre que se botar o "dedo" no "anel", deve-se usar camisinha.

Agora Chicago… esse é particularmente meu favorito. Mas ADT poderia ser tão bom quanto. Se a Arwen já tá mesmo no filme quando não devia, por que não aproveitar e fazer um número musical dela e da Éowyn, ambas obviamente com pernas à mostra, cantando o "The Helms Deep Tango". Podíamos também ter um dueto de Legolas e Haldir durante a batalha do Forte da Trombeta. Enquanto vários rohirrim caem mortos, eles cantam "Its raining men". Isso sem mencionar a ótima chance no primeiro filme que PJ teve pra colocar os 4 hobbits correndo nus pelas colinas(na infame passagem de Tom Bombadil) cantando "The Hills are Alive".

De qualquer forma, agora não há como mudar nada, e só nos resta torcer pra O Retorno do Rei levar o Oscar, além de lamentar pelo que PJ podia ter feito, afinal, se só nesses 4 filmes conseguimos notar várias possibilidades, imagine se fôssemos abranger essas especulações. Quem sabe ano que vem, quando chegar em Pelennor com sua esquadra, de braços abertos na proa de um navio, não poderemos ver aragorn gritando "I´m the King of Gondor" com um fundo musical de Celine Dion?