Previsão do Tempo

"A Nova Zelândia é sem dúvida o lugar mais bonito que Deus criou". (Ian "Bilbo" Holm)

 

 

A beleza natural exuberante da Nova Zelândia já serviu como cenário
para muitos filmes. Situado a cerca de 2000 Km do sudeste da Austrália,
o país é formado por duas grandes ilhas, a Ilha do Norte e a lha do
Sul, separadas pelo estreito de Cook. Nos 270.000 Km2 de sua terra
natal, o diretor Peter Jackson encontrou toda a diversidade de
paisagens necessária para dar vida à Terra Média. No entanto, desfrutar
de toda essa beleza teve seu preço. Durante os 18 meses de filmagens a
equipe do Senhor dos Anéis ficou à mercê da instabilidade climática
local. Teve de tudo, tempestades, vendavais, nevascas, deslizamentos de
terra, enchentes e até terremotos. Peter Jackson conta: "A maior
parte das nossas filmagens ocorreu em locais remotos. Havia dias em que
não dava para chegar a um local de filmagem devido à neve fora de
época. Em outros dias as estradas eram destruídas pelas chuvas e os
cenários simplesmente desapareciam durante as enchentes noturnas"
.


Um episódio pitoresco, que ilustra o clima temperamental da Nova
Zelândia, envolveu os atores Sean Bean (Boromir) e, como de costume,
Orlando Bloom (Legolas). Os dois estavam viajando de carro (enquanto
todos os outros foram de avião) com a intenção de pegar a balsa rumo à
Ilha Sul, quando foram surpreendidos por dois deslizamentos de terra.
Cada um tem sua própria versão para a história. Para Sean Bean, tudo
culpa dos impulsos consumistas de Bloom: "Orlando tinha que parar
em todas as lojas para comprar presentes de Natal. Estava chovendo
muito e eu dizia: temos que ir ou vai haver um deslizamento. E é claro
que houve. Nós voltamos e encontramos outro que nos deixou presos no
meio do nada"
.

Orlando Bloom se defende alegando que a culpa foi de Sean, que não se sente muito confortável longe do chão: "Precisávamos
filmar na Ilha Sul, mas o Sean não curte voar. Enquanto dirigíamos
começou a cair uma chuva torrencial. Eu estava filmando a tempestade e
pensando: isso é loucura! Não parou por cerca de doze horas e depois de
nove horas de chuva, as estradas estavam destruídas. Então, vimos um
grande deslizamento vindo em nossa direção. Demos a volta e fomos
diretamente ao encontro de outro. Acabamos parando em um posto de
gasolina onde já havia algumas pessoas"
.

Peter Jackson
lembra: "Eles foram hospedados por uma senhora gentil, que lhes
ofereceu comida e alojamento. Foram vistos pela última vez cozinhando
espaguete e abrindo uma garrafa de vinho".

Os dois atores tiveram que ser resgatados de helicóptero. Uma experiência traumática para Sean Bean: "Eu
estava agarrando o joelho do Orlando com tanta força que eu quase o
quebrei. Ele ficava dizendo: está tudo bem mas ainda me enche o saco
por causa disso"
. Orlando não deixa por menos: "Foi sinistro! Sean estava morto de medo, pois tinha dirigido tanto só para evitar o vôo".


Este incidente acabou alterando o cronograma de filmagens. Peter
Jackson optou então por filmar algumas cenas que se passariam nas
margens de um lago. No entanto, não foi muito longe. O responsável
pelos cenários avisou, um pouco constrangido, que o lago estava
submerso pela enchente.

E por falar em lago, Elijah Wood
(Frodo), Dominic Monaghan (Mery), Billy Boyd (Pippin) e Orlando Bloom
enfrentaram terremotos em Te Anau. Wood ficou impressionado: "Estou
acostumado com terremotos, sou de Los Angeles, um lugar onde terra
treme bastante. Mas, aquele foi um dos mais legais, realmente
fantástico"
.


John Rhys Davies também sentiu na pele os efeitos do clima adverso da
Nova Zelândia. O diretor Peter Jackson relembra: "Houve momentos
absurdos dos quais me lembrarei para sempre, como a visão de uma
cadeira de veludo suspensa no ar tendo ao fundo montanhas enormes. Eu
olhava a cadeira sendo baixada lentamente sobre um exuberante gramado –
um campo no meio do nada – e lembrava de John Rhys Davis, com uma
expressão agradecida entre as tomadas. Era a única cadeira
suficientemente grande para acomodá-lo quando estava vestido como
Gimli".

O calor também não dava trégua para os atores e o ar
condicionado improvisado (que chegava através de mangueiras que
sopravam ar frio ao nível do solo) acabou criando situações
embaraçosas. Andando pelos cenários de Valfenda, Peter Jackson
surpreendeu um figurante vestido de anão com uma das mangueiras enfiada
em sua túnica "A expressão de profundo alívio na sua face mudou
rapidamente quando percebeu, horrorizado, que não estava sozinho. Ele
tirou a mangueira com um safanão e gritou Não é o que você está
pensando! "

Apesar de todos esses problemas, a Nova Zelândia
fez a sua parte e rendeu para o primeiro filme da trilogia uma
indicação para o Oscar de melhor fotografia.