FAQ Sobre Tolkien e o Racismo

Tenho estado envolvido em várias discussões com amigos que estão genuinamentee preocupados com os percebidos elementos raciais de Tolkien. Vendo o volume de posts sobre esse assunto, achei que seria aconselhável compilar todos os argumentos num simples FAQ (Frequently Asked Questions ou Perguntas Feitas Freqüentemente) para evitar futuros esforços e reciclagem redundante de argumentos.
 

Da próxima vez que alguém perguntar se Tolkien era racista ou não, posso simplesmente copiar esse texto e passá-lo. Levou um tempo até que eu conseguisse achar todos os comentários, mas eles foram encontrados mais facilmente depois que utilizei o que foi dito por Stuart Jensen em http://tolkien.slimy.com/faq/External.html#Racist e o FAQ de Mike Brinza como pontos de partida.

Sendo um fã parcial, e considerando que eu posso ter deixado de citar vários pontos, apreciaria quaisquer outros argumentos, de ambos os lados. De qualquer forma, aqui está:

1. Não há humanos africanos, hindus, japoneses (…etc) na história. Tolkien é culpado de racismo por causa disso?

Conforme já foi repetidamente mencionado por membros daqui, a história foi escrita como uma mitologia para a Europa setentrional, e mais especificamente para a Inglaterra. Tolkien declara de forma explícita sua motivação na Carta # 131;

"Desde cedo eu sofri com a pobreza de meu próprio amado país; não possui histórias próprias (ligadas com sua língua e solo), com a qualidade que eu buscava e encontrei em lendas de outras terras. Havia lendas gregas, celtas, e romanas, e germânicas, e escandinavas, e finlandesas; mas nada inglês; e nada substituía o que eu achava que estava faltando."

Isso explicaria porque a maioria das raças humanas na história são brancas. Você não esperaria ver muitos caucasianos num mito hindu, chinês ou africano, não é mesmo? Outro fator é que Tolkien usara mitos celtas e teutônicos e os mitos dos anglo-saxões da Inglaterra pré-medieval como inspiração para sua história. Uma resposta interna seria dizer que a Terra-média se assemelha às descrições do interior da Inglaterra e as regiões norte da Escandinávia, Irlanda e Escócia; portanto comprometeria a autenticidade destas localizações geográficas se raças de outras partes do mundo habitassem essas terras.

Como um testemunho do quão “inclusivo” ele era, pode ser que valha a pena (mesmo se for irrelevante) mencionar que ele havia considerado sociedades não-européias quando construiu algumas de suas culturas. Evidências a respeito disso podem ser encontradas na Carta #211, onde Tolkien comparou vários aspectos significativos da sociedade de Gondor com alguns do antigo Egito.

2. Por que ele estava tão interessado pela Inglaterra e Europa do norte, em comparação à outras partes do mundo? Será que ele não estava preocupado demais com regiões nórdicas?

Pessoalmente, eu acho que esta pergunta é contra-intuitiva, mas eu a ouvi sendo perguntada com veemência várias vezes, portanto vou respondê-la usando o seguinte comentário da Carta #294:

"Auden afirmou que para mim o norte é uma direção sagrada. Isto não é verdade. O nordeste da Europa, onde eu (e a maioria de meus ancestrais) viveram, tem minha afeição, como o lar de um homem deve ter."

Ele também se ofende com o uso da palavra “nórdico”, como sendo"uma palavra que eu pessoalmente não gosto; está associada com teorias raciais". E de qualquer forma, "a ação da história se situa no nordeste da ‘Terra-média’, equivalente em latitude às terras costeiras da Europa e as margens norte do Mediterrâneo. Mas isto não é, em nenhum sentido, uma área puramente ‘nórdica’.

Se a Vila dos Hobbits e Valfenda são consideradas (conforme é a intenção) como estando em latitude semelhante à de Oxford, então Minas Tirith, 600 milhas ao sul, está em latitude semelhante à de Florença. A Foz do Anduin e a antiga cidade de Pelargir estão por volta da latitude da antiga Tróia."

3. Orcs são negros e elfos são brancos. Isso não é mostrar que negro representa o mal e branco representa o bem?

Sim; mas eu não acredito que isto seja uma distinção racial. Quase toda a mitologia e histórias imaginadas da história humana, não importando a cultura ou sociedade, fizeram a associação de “Escuridão” com o Mal e “Luz” com o Bem. Isto não deveria ser confundido com distinção baseada na cor da pele. O sol é a fonte primária de energia para todas as coisas que vivem. Humanos são criaturas diurnas e sempre temeram a noite. Portanto, não é muito difícil de ver porque luz e escuridão criaram estas associações em nossa psique histórica. As razões são óbvias, Segundo Tolkien expressa na Carta #131;

"Luz é um símbolo tão primitivo na natureza do universo, que mal pode ser analisado.”

4. Orcs são maus, elfos são nobres, anões são egoístas e ambiciosos. Isto não é mostrar que traços de caráter estão predeterminados pela raça?

É importante lembrar que orcs, elfos e anões são espécies completamente diferentes, e não diferentes raças humanas. É mais ou menos como comparar um cão domesticado com um tigre selvagem. De fato, orcs nem mesmo são seres “naturais”, mas foram de fato “fabricados” pelo inimigo.

5. E quanto às diferentes classes de humanos que são definidas por seu sangue e ancestralidade? Na sociedade gondoriana, porque os homens descendentes de númenorianos são considerados mais nobres do que homens de sangue misto?

Esta provavelmente é a questão que tem a resposta menos satisfatória. Durante a época de Tolkien, havia um conceito comumente considerado de que o sangue carregava um grupo de direitos com ele. Até mesmo hoje em dia, os britânicos (e várias outras sociedades) têm um monarca e uma aristocracia. Isto tem mais a ver com o direito de herança material do que com as qualidades inerentes no sangue. Podemos encontrar uma resposta mais plausível na história dos Edain, ancestrais dos númenorianos, que “eram os únicos da raça dos homens que lutaram pelos Valar (deuses), enquanto que vários outros lutaram por Morgoth.”

E por essa razão foram recompensados com “sabedoria e poder e vida mais duradoura do que qualquer outra raça mortal possuía” (tirado do Akallabeth). Acho que todas as três características não foram apenas aprendidas, mas sim permanentemente inseridas na biologia deles, para serem passadas a seus herdeiros. Além disso, os descendentes de Elros enriqueceram ainda mais o sangue númenoriano. (Elros sendo o Elfo que escolheu ser humano, um dos únicos dois elfos a receber essa chance). Mesmo com essas bênçãos, sabemos que os númenorianos cometeram crimes graves, resultando em grande catástrofe no fim. Os danos causados devido à sua arrogância e sede de poder foram bem maiores do que quaisquer outros cometidos desde então por humanos ou elfos.

6. Ok, então vamos dar uma olhada nas diferentes raças de humanos. Os Haradrim e os Orientais foram descritos como morenos e de olhos puxados. Tolkien mencionou em As duas Torres que "eles estavam sempre prontos para a vontade dele (de Sauron)". Isto não é dizer que eles estão racialmente predispostos ao mal?

Esta afirmação foi feita pelo personagem Damrod, um Guardião de Ithilien e, portanto, você deve levar em conta a visão parcial dele a respeito dos inimigos históricos de sua terra. É verdade que naquela época da Guerra do Anel, os Haradrim e os Orientais estavam aliados ao Inimigo, mas isso não foi sempre assim.

Durante as Nirnaeth Arnoediad, Bór, o Capitão dos Homens do Leste esteve aliado, junto com muitos de seu povo, com os Filhos de Fëanor contra as forças de Morgoth. Também temos que considerar posição geográfica particular deles. Os homens do Oeste têm acesso à experiência dos elfos e númenorianos, que tiveram extensivas relações anteriores com Morgoth e Sauron. Os sulistas e orientais, por outro lado, tem que lidar com as coisas sozinhos, sem tais informações.

Também pode ser verdade que os homens do Oeste são mais tecnologicamente avançados do que aqueles no Sul ou Leste, porque eles tiveram várias conexões com Númenor em seu auge. Somado a isto, os exilados de Númenor formaram reinos e colônias no oeste. Infelizmente para os sulistas e orientais, eles não possuíam vantagens tecnológicas disponíveis, tornando-os oponentes mais fracos. Eles simplesmente tiveram que acatar os desejos de Mordor.

Em SDA, Tolkien fez questão de garantir que o leitor considere a terrível situação em que estes homens “estranhos” estavam. Ele quer que entendamos o que os levou a fazer o que fizeram. Sam, depois de testemunhar a morte de um oriental em uma escaramuça, pergunta “qual era o nome dele e de onde ele vinha; e se ele era realmente mau por dentro, ou quais as mentiras ou ameaças que o haviam tirado de casa para essa longa marcha; e se ele realmente teria preferido ficar em paz em seu lar.” Além disso, conforme já mencionei, até mesmo os númenorianos, que são considerados os mais nobres dos humanos, cometeram grandes crimes. Também sabemos que alguns dos homens de Gondor e Bri têm pele escura.

7. Não é verdade que os personagens maus são predominantemente negros ou “morenos”, como por exemplo Melkor, Sauron, Bill Samambaia?

E quanto a Saruman, Grima, Gollum, Boromir, e Denethor?(*) Há exceções demais quando você considera o caráter individual. De qualquer forma, Melkor é um Valar e Sauron é Maia.

8. Esta afirmação foi feita por Tolkien na Carta #210: "Orcs são atarracados, largos, com nariz achatado, de pele amarelada, com bocas largas e olhos tortos: de fato, versões degradantes e repulsivas dos menos agradáveis (para europeus) tipos mongóis." Como isso não é racista?

Esta afirmação inicialmente me trouxe muito sofrimento. À primeira vista, pode ser tomada como evidência de racismo. No entanto, conforme um membro deste fórum (infelizmente esqueci quem era) mencionou há bastante tempo, a qualificadora “para europeus” na verdade prova o contrário. Ela mostra que ele declara a existência de diferentes medidas de beleza presentes em diferentes culturas. Ele mostra que beleza não é uma qualidade absoluta, mas está mais no olho de quem a vê, cujas opiniões são moldadas por restrições sociais.

Tenho que admitir que nos padrões de hoje, esta declaração é altamente aviltante e insensível e pode ser tomada como prova dos preconceitos subconscientes de Tolkien.

9. Ele também declarou na Carta #45 (9 de junho de 1941) que: "Há muito mais força (e verdade) do que os ignorantes imaginam no “Ideal Germânico”." Não é admitir que apóia as políticas da Alemanha nazista?

O termo Ideal Germânico tem sido usado na literatura histórica moderna, erroneamente e de forma muito prolífica, para descrever os ideais da Alemanha nazista. Esta identificação é racista em si mesma. O termo poderá muito facilmente significar os ideais de Kant, Hegel, Heidegger ou Schopenhauer; todos bem mais influentes do que aquele “pequeno ignorante rosado”. (palavras de Tolkien); Hitler. "Você deve compreender as coisas boas para detector o verdadeiro mal".

Estas palavras seguem quase que diretamente a frase acima. Para mim, isto demonstra uma mente bem mais consciente da importância da empatia e compreensão daqueles que são diferentes de nós. E ele continua, dizendo que os nazistas estão "arruinando, pervertendo, aplicando mal e tornando para sempre amaldiçoado aquele nobre espírito do norte, que eu sempre amei e apresentei em sua verdadeira luz." Tolkien admite sentir que obediência e patriotismo são virtudes, mas que muitas pessoas sentem-se assim hoje em dia.

Aqui estão mais declarações feitas por ele que demonstram claramente que ele está de fato adiantado no tempo no que diz respeito às idéias de pluralismo e equidade:

"Havia um artigo solene no jornal local incentivando o extermínio sistemático de toda a nação alemã como sendo o único caminho certo após vitória militar….Os alemães têm tanto direito de declarar que poloneses e judeus são vermes extermináveis quanto nós temos de selecionar alemães; em outras palavras, nenhum direito." – Carta #81

Para mim, isto comunica a habilidade de perceber além das névoas predominantes de antagonismo nacionalista, chegando à uma observação racional de todo o assunto. Se apenas os líderes políticos do tempo dele e do nosso tivesse visão tão clara…

Esta próxima carta severa foi escrita para editores alemães que perguntaram se Tolkien era “arisch (ariano)” ou judeu. As leis da Alemanha naquele tempo exigiam que se fizesse essa pergunta antes que qualquer trabalho fosse publicado.

"…Lamento que eu não tenha entendido o que vocês querem dizer com arisch. Não tenho ascendência Aryana(*), ou seja, Indo-Iraniana; até onde sei, nenhum dos meus ancestrais falava hindu, persa, cigano ou qualquer dialeto relativo. Mas se devo entender que você estão perguntando se sou ou não de origem judaica, posso apenas responder que lamento não possuir ancestrais deste povo talentoso. Meu trisavô chegou à Inglaterra no Século XVIII, vindo da Alemanha:…Me acostumei a considerar meu nome alemão com orgulho… não posso, no entanto, deixar de comentar que caso perguntas irrelevantes e impertinentes deste tipo forem se tornar regra geral na literatura, então não está distante o tempo em que um nome alemão não mais será fonte de orgulho." – Carta #30 (25 de julho de 1938: Infelizmente, seus agentes de Londres não enviaram a carta para os editores alemães, temendo repercussões financeiras).

Na minha mente, esta carta elimina qualquer dúvida a respeito dos valores de Tolkien. Ele não é apenas extraordinariamente moderno e racional, mas também tem a coragem de defender seus valores pluralísticos. Seu tom e sarcasmo seco mostram o quão profundamente ofendido ele está com as atitudes racistas dos editores alemães. Conforme Aule disse um tempo atrás (em um post que eu salvei por sorte); "Um dos maiores temas de SDA é a união das raças para uma causa comum. Acontece que as raças são elfos, anões, homens em vez de brancos, negros, orientais, etc."

O ponto central da questão é que a maioria de nós tem preconceitos e pré-julgamentos em nossas mentes. Tolkien não é exceção. Mas ao considerar a retórica dele no contexto social, acho que podemos afirmar com segurança que ele estava à frente de seu tempo com sua perspectiva inclusiva e pluralística do mundo. A chave para lidar com racismo é aceitar que ele existe dentro de cada um de nós e que devemos fazer todo o possível para derrotá-lo dentro de nós.

Cuidem-se, TC PS: Esta é uma cópia de um ensaio que eu escrevi originalmente para o fórum de Tolkien no IMDB (Internet Movie Database): aqui. A resposta de BB para meu post foi bastante reveladora e eu gostaria de trazê-la aqui num futuro próximo. Mas até lá, por favor sigam o link acima para acessá-la.

(*) Nota da tradutora: como tradutora, não posso alterar o original… mas não posso deixar de manifestar que não concordo quando o autor do texto coloca Boromir como “personagem mau”; nem mesmo para Denethor.

(**)Nota da tradutora: Acredito que, quando Tolkien fala de ascendência “Aryan”, deve estar fazendo um trocadilho irônico e mordaz, querendo fazer parecer que ele não entendeu o que os editores quiseram dizer com “arisch”… seria “árabe”? Seria “ariano”? Tolkien sabia muito bem o que eles queriam dizer, mas quis ser sarcástico e disse que não tinha ascendência árabe ou hindu. Acredito que o termo “Aryan” tenha algo a ver com ascendência árabe ou hindu.