A Guerra do Anel & Suas Datas – Parte 4

Apresentação:

Nas últimas duas partes tivemos dois laços soltos a serem amarrados nesta 4º Parte para que a aventura continuasse. O primeiro laço deixava a Comitiva em Caras Galadhon, lar da senhora Galadriel, lamentando pela perda do mago Gandalf, na protegida floresta de Lothlórien. Já o segundo laço resgatava a luta de Gandalf contra o Balrog, mostrando desde a queda da Ponte, em Khazad-dûm até a sua morte, no dia 25 de Janeiro em Zirak-zigil.

Para que estes dois acontecimentos se juntem, o grupo irá narrar agora a volta à vida de Gandalf como O Branco e de seu resgate pela �?guia Gwaihir e do Espelho de Galadriel à saida da Sociedade de Lórien rumo ao Sul, na direção do Anduin.

E também não deixe de acompanhar esta aventura desde o seu começo com o Prefácio O Conselho de Elrond, com a 1º A Partida da Comitiva, a 2º De Azevim à Caras Galadhon e a 3º Parte Gandalf vs Balrog.

 

 

Parte IV – Do Resgate de Gandalf à Saída da Sociedade de Lórien:

Ali ficou caído Gandalf, no topo do Zirak-zigil, após a sua fatigante e espectacular luta com o Balrog. Saiu vitorioso, mas devido ao esforço pagou caro a vitória, com a sua própria vida. Durante 22 dias o seu corpo ficou inconsciente no cume da Celebdil. E longos foram para ele esses dias, como que eras incontáveis que se sucediam demoradamente, e assim ele viajou por caminhos que nunca nenhum mortal percorreu, saiu do mundo do pensamento e do tempo.

Mas a sua missão não estava acabada, e portanto os Valar reenviaram-no para a Terra-Média, para que completasse aquilo que se comprometeu e ajudasse a salvar os povos livres de um destino mais negro que a mais profunda das grutas, sob o domínio de Sauron. Nu o devolveram, no mesmo local em que havia perecido, e ali ele ficou em transe, esquecido, sem possibilidade de fuga ou salvação. E assim esperou longamente, deitado, mirando o céu, vendo o sol e as estrelas viajarem sobre a sua cabeça numa interminável sucessão.

Em quanto isso os restantes 8 membros da Sociedade são recebidos em Caras Galadhon por Celeborn e Galadriel, dois dos maiores senhores élficos da Terra-Média. Estes tomam conhecimento da queda de Gandalf no abismo em Moria, e falam de muitas outras coisas, principalmente do destino da missão do Portador do Anel.

A Sociedade fica em Lothlórien quase 1 mês, preparando-se para a etapa final e decisiva da viagem, neste lugar onde o tempo parece não existir. Uma noite, quase no fim da sua estadia, dia 14 de Fevereiro, Frodo e Sam acordam subitamente. Encontram-se com Galadriel, e ela lhes revela seu espelho mágico, o Espelho de Galadriel. Ela dá permissão aos dois de olharem para o espelho: Sam olha primeiro, e vê muitas coisas que o deixam incomodado: Frodo, pálido, sobre um penhasco escuro, ele mesmo a divagar por corredores sombrios, e, mais perturbador de tudo, coisas muito estranhas no Condado, como árvores a serem derrubadas e chaminés que largaram fumaça espessa e negra. Em seguida é Frodo quem olha: vê um velho vestido de branco, que lhe parece Gandalf, apesar de suspeitar também que possa ser Saruman; vê diversas imagens, entre elas o mar, cenas de guerra, barcos e incêndios; finalmente vê um grande e terrível Olho, que parece procurar por ele.

Isto faz Frodo duvidar do destino do Anel e o dele, e chega a oferecê-lo a Galadriel, que o rejeita, conseguindo assim passar no seu teste derradeiro, pondo de lado a ambição por um terra sua que possa governar livremente. Frodo percebe então que o Anel é o seu fardo, que terá de carregá-lo ele mesmo, e apenas ele será capaz de lhe pôr um fim.

Dois dias depois, dia 16 de Fevereiro, a Comitiva deixa Lórien. Cada membro da Comitiva recebeu então um presente dos senhores de Lórien. À Aragorn é dada uma bainha, feita especialmente para Andúril, conferindo à ela características especiais. Boromir recebe um cinto de ouro, Merry e Pippin ganharam cintos de prata. Legolas foi agraciado com um arco Galadhrim, com cordas feitas de cabelo élfico. Sam ganhou uma caixa, contendo terra do pomar de Galadriel, terra esta que faria florescer qualquer planta de modo ímpar em toda a Terra Média. Gimli recebeu três fios de cabelo da Senhora, a maior dádiva alguma vez dada por um elfo a um anão. Por último, Frodo recebeu um frasco de vidro que continha a luz de Eärendil, a mais amada estrela dos elfos.

A comitiva partiu então, seguindo o curso do Anduin, o Grande Rio, rumo ao Sul. Mas havia alguém mais nesse mesmo percurso, que estava interessado no fardo que o Bolseiro carregava, era Gollum, uma criatura que durante 5 séculos havia tido o Anel como seu maior amor.

Quanto a Gandalf, no dia seguinte à partida da Sociedade de Lórien, é finalmente encontrado por Gwaihir, Senhor do Vento, Rei das �?guias, ali, no fim mundo. Assim este o resgatou das trevas e lhe deu novo alento. Gandalf pediu então para que Gwaihir o levasse a Lothlórien, e ficou então sabendo que foi a própria Galadriel que pedira à águia que o procurasse.

Uma vez chegado a Caras Galadhom, Gandalf fica sabendo que a Sociedade havia partido ainda no dia anterior. Lá ficou durante um tempo, a sarar a sua alma e as suas feridas dos tormentos passados. Então o vestiram de branco, e de novo o feiticeiro partiu, para cumprir finalmente a sua missão: acender no coração dos Homens a chama da razão e aliança, e assim pôr um termo à longa opressão de Sauron sobre a Terra-Média.

Continua…

Saiba mais:

Você deve ter visto que o Espelho de Galadriel apresentou várias visões do passado e do futuro para Frodo. Algumas delas se confirmaram, outras não passaram de visões distorcidas do que seria a tomada do caminho errado dele e da Comitiva. Para explicar melhor esta "Seção Espelho" não deixe de conferir o novo artigo, Espelhos Mágic
os
, aqui na Valinor.

Fontes:

Imagens:
Aumania
Galeria Tolkienianos
John Howe
Ted Nasmith
The One Ring

Textos:
Valinor