O Conselho de Elrond

Introdução:

Neste período de final e véspera do ano novo, muitos acontecimentos
relacionados com à Trilogia “O Senhor dos Anéis”, especialmente com a
Guerra do Anel vão ocorrendo lá em Arda. No dia 25 de Outubro, ocorreu O Conselho de Elrond.
É por isso que gostaria de começar inicialmente com este texto, para
depois, conforme as datas importantes forem surgindo, adicionando cada
vez mais homenagens belas que ocorreram no período dos anos de 3018,
3019 & 3020 da Terceira Era (TE).

Todos sabemos que o capítulo em que está relatado os acontecimentos do
Conselho ocupam quase 50 páginas do livro da “Sociedade do Anel”,
portanto tentei fazer numa forma resumida e dinâmica o texto, reunindo
algumas informações importantes para aqueles que querem relembrar a
reunião, apreciem o texto:

 

[25/10] O Conselho de Elrond:

Uma ameaça vinha do leste, o poderoso Sauron, Senhor do Escuro, estava
reunindo forças para recuperar seu Anel, pois este havia acordado. Foi
então que os mais sábios conselheiros da Terra-média se reuniram no dia
25 de Outubro em Valfenda, lar do senhor Elrond, para decidir o futuro
do Um, no ano de 3018 da TE. Um sino tocou em sinal de chamada: iria
começar a reunião.

Os conselheiros estavam em círculo, em reunião sob comando do Elfo
Elrond. Entre os membros, estavam, dos anões: Glóin – da companhia de
Thorin, e seu filho Gimli; dos elfos: Glorfindel, Arwen – filha de
Elrond, Galdor – Elfo dos Portos, Legolas – filho do Rei dos Elfos do
Norte da Floresta da Trevas Thranduil; dos homens: Aragorn – herdeiro
de Isildur, Boromir – homem do Sul; entre outros, como Gandalf e Bilbo,
além dos escondidos Samwise, Meriadoc e Peregrin.

Muito foi discutido no Conselho, especialmente histórias do Sul, Frodo
havia escutado alguns rumores delas, mas histórias como a de Glóin eram
novas para ele. O pai de Gimli contou o que se passou nos últimos
tempos, depois foi a vez de Elrond. Iniciou a História do Anel e ao
decorrer muitos foram acrescentando informações, até que chegaram nos
tempos atuais. Gandalf, no final das contas pediu para Frodo apresentar
a jóia.

Frodo foi quem lhes mostrou o Anel, herdado de seu tio Bilbo, roubado
de Gollum. Naquele instante, Boromir começou a entender e a juntar os
enigmas que lhe rodeavam. No momento ousou sugerir o uso do Anel a
favor de Gondor, mas depois relutou. Entendeu que aquilo era a ruína.

Logo após, Bilbo ainda apresentou seus fatos, cantou alguns versos, e
os outros se admiravam. Foi muito discutido, pois a versão de Bilbo e
sua aventura com o Anel era nova para eles. Gandalf então, mais
adiante, fez sua estendida explicação sobre os anéis:

“Os Nove, os Sete e os Três. Todos eles tinham sua pedra própria. Mas
não o Um Anel, que era redondo e sem adornos, como se fosse o menos
importante dos anéis; mas quem o fez , desenhou nele marcas que os
habilidosos, talvez, ainda poderiam ver e ler”

De repente sua voz mudou quando ele pronunciou na língua negra as
inscrições do Anel “Ash nazg durbatulûk (…) agh burzum-ishi
krimpatul”, mas depois de mais aliviado falou na língua comum o
significado das inscrições “Um Anel para a todos governar (…) e na
Escuridão aprisiona-los.” Elrond ficou num tom sério, então muitos
falaram: Boromir, Legolas, Aragorn…

Após isso, muito foi contado, na versão de Gandalf, o que havia
acontecido nos meses anteriores, desde sua chegada e saída no Condado
até a sua prisão no Pináculo de Orthanc, cometido por Saruman, o
Branco, até então superior à Gandalf na hierarquia dos Magos do
Conselho Branco. Desde sua luta com Saruman, até seu resgate feito por
Gwaihir, Gandalf ocupou grande parte do Conselho falando das últimas
novidades e da loucura de Saruman, que converteu-se do Bem para o lado
do Mal na Guerra, porém este teve o azar de estar do lado errado.

Já estavam se aproximando do final do Conselho, decidiriam então o que fazer com aquele
Anel: uma Sociedade. Uma irmandade de nove membros seria feita para
contra as forças de Sauron, o Um seria guiado e levado até Orodruin, em
Mordor, na Terra da Sombra, onde seria desfeito e os povos livres
viveriam livres novamente. O sino tocou anunciando o meio-dia e Frodo
disse:

“Levarei o Anel! Embora não saiba o caminho”

A resposta foi imediata: A Sociedade do Anel, assim nomeada por Elrond,
era constituída de nove integrantes, um para cada Nazgûl na visão de
Elrond: Frodo, o Portador do Anel, Samwise, Gandalf, Aragorn, Legolas,
Gimli, Boromir, Merry e Pippin.

Ali estava terminado o Conselho, na terra de Valfenda, na casa de
Elrond meio – elfo, com o resultado de um único objetivo, que era
acabar de uma vez por todas o Anel, isso é, destruir aquilo que deveria
ter sido destruído a muito tempo. O destino do artefato de Sauron
estava traçado: 5 meses depois ele seria destruído.