Valinor Passa a Sacolinha

 
Saudações, Povo de Valinor!

Tenho duas novidades pra relatar a todos, de maneira oficial, e infelizmente ambas são ligadas a dinheiro e não a Tolkien. Felizmente hoje em dia poucos se lembram dos apuros passados pela Valinor em tempos longínquos, tanto em termos de finanças pra se manter no ar quanto em qualidade de atendimento a todos os fãs e visitantes. Não era anormal ficarmos fora do ar, a velocidade podia ser uma lástima e éramos limitados em termos de downloads e uma série de coisas.

Hoje em dia, não mais.

Atualmente temos a Valinor em um servidor exclusivo nosso, sem mais ninguém e de responsabilidade exclusiva da Valinor. Ou seja, ninguém nos cerceia, ninguém nos limita (pros curiosos é um Athlon XP 2100 com 1 GB de RAM e 80 Gb de HDD). Porém, tal mudança tem um custo. Pagamos U$ 119,00 por essa "mordomia" que eu não acho mordomia alguma, apenas respeito aos visitantes e fãs.

De outubro até março os custos – R$ 360,00 – foram integralmente assumidos pelos membros da Equipe Valinor, o que nos fez ter alguns sacrifícios pessoais, mas não mais podemos continuar a arcar sozinhos com os custos, e é disso que trata esse nosso Editorial. Dentre várias possibildades, optamos por 2 para manter a Valinor no ar, firme, forte e saudável.

A primeira é o chamado Google AdSense, através do qual colocamos uma série de banners do Google na Valinor e recebemos por clique dado em cada propaganda. Por razões contratuais eu não posso revelar os valores, mas pelo teste que realizei hoje (dia 17 de março de 2004) não será o suficiente para cobrir nossos gastos mensais, embora seja de boa ajuda. Optamos pelo Google AdSense pois além de podermos definir as cores e os layouts dos anúncios, os mesmos são temáticos, ou seja, nada de pronografia, remédios mirabolantes, pop-us ou financeiras.

A segunda é que decidimos fornecer e-mails @valinor.com.br a quem os desejar, até um limite inicial de 60 e-mails. Os e-mails são POP3/IMAP/webmail, com 30 MB de espaço e suporte personalizado e saem a R$ 72,00 anuais, pagos de uma única vez (o parcelamento seria por demais complicado de gerenciar). Por enquanto fizemos uma campanha interna entre amigos e Colaboradores e já conseguimos 22 dos 60 e-mails necessários para manter a Valinor no ar por um ano (março/2003 já incluso), mas ainda faltam pelo menos 38. Quem tiver interesses ou dúvidas, me procure pelo bettega@valinor.com.br.

Mas não se desesperem: a Valinor NÂO vai sair do ar, nem que eu tenha que jogar malabares nos semáforos.

Bom, não gosto de falar de dinheiro, então fico por aqui mesmo. Qualquer dúvida utilizem o valinor@valinor.com.br (exceto no caso dos e-mails, para os quais devem usar o bettega@valinor.com.br)