Uma Valinor de Mil Faces, Parte II – ARDALAMBION

 
Costumo dizer que Lingüística Tolkieniana é a última fronteira. Seria um dos últimos terrenos restantes dentro do todo da obra de  Tolkien para um fã que já leu e discutiu de tudo, mas não é pra qualquer um pois, além de necessitar um certo conhecimento básico, depende de gostar, querer e ter tempo.

Em geral o "novato" (sem conotações pejorativas, ok?) chega um pouco sem noção do que é a lingüística tolkieniana, geralmente querendo traduções de nomes ou palavras, mas aos poucos vai se dando conta que as línguas não são mais um detalhe na obra de Tolkien e sim são o alicerce sobre o qual tudo se construiu e o porque tudo foi construído, "no príncipio havia o Verbo" é o começo do Evangelho de São João e também a base de tudo que Tolkien gerou.

Quando nos damos conta disso, um novo mundo se abre, um mundo um pouco pantanoso, de informações difíceis e no qual cada conquista é uma gema preciosa. E a principal mina de pedras preciosas lingüísticas é a Ardalambion (http://www.ardalambion.com) da qual 80% das informações são retiradas, inclusive a maior parte da seção lingüística da Valinor.

Por que não dar a ela um enfoque especial? Esse foi o pensamento que me veio à cabeça quando•Tilion, que já fizera parte da Equipe Valinor, fez uma proposta nesse sentido. Ele já fora responsável pelas traduções lingüísticas da Valinor e agora tinha uma página que era a tradução plena da Ardalambion para o português (claro, tudo sob permissão). Então trouxemos a página para dentro da Valinor no domínio (http://www.ardalambion.com.br) que é uma das filhas mais recentes da Valinor (só não mais recente que a valinor).

Ainda temos muito a fazer por ela, inclusive estão nos planos uma melhorada nos sistemas computacionais da mesma dentre outras coisas, mas o leitor brasileiro, já familiarizado com a página em inglês, agora tem acesso à página em português, inclusive o curso de Quenya em 20 aulas, prontinho para quem quiser se arriscar pelos meandros dessa língua fascinante.

Enfim, a Ardalambion tornou-se parada obrigatória para aqueles que querem se aprofundar um pouco mais e entender o âmago da obra de J.R.R. Tolkien… uma proposta irrecusável, ahn?