Mega-águias de verdade na Terra-média "real"

Elas certamente não eram tão gigantescas quanto Thorondor, Gwaihir, Landroval e outras aves lendárias que sobrevoavam a Terra-m
 

Elas certamente não eram tão gigantescas quanto Thorondor, Gwaihir, Landroval e outras aves lendárias que sobrevoavam a Terra-média da Primeira � Terceira Era, mas parece que as maiores águias que já existiram também habitaram a Nova Zelândia, onde a Trilogia do Anel foi filmada. Eram monstros cujas asas mediam cerca de 3 m de uma ponta � outra – mas, paradoxalmente, parecem ter descendido de "hobbits" da família das águias. Quem conta essa história é o grupo de pesquisadores liderados por Michael Bunce, da Universidade de Oxford (onde Tolkien lecionava). Num trabalho publicado neste ano na revista científica "PLoS Biology", de acesso gratuito ([url]www.plosbiology.org[/url]), eles relatam a análise genética que fizeram nos fósseis da [i]Harpagornis moorei[/i]. Essa águia habitou a Nova Zelândia até a chegada dos primeiros seres humanos �s ilhas, há cerca de 1.000 anos. O bicho chegou a pesar 15 kg, mas caçava moas, os pássaros terrestres monstruosos e herbívoros que viviam na Nova Zelândia (os maiores tinham quase 3 m de altura e mais de 200 kg). Analisando o DNA mitocondrial (presente nas mitocôndrias, as usinas de energia das células), Bunce e seu time descobriram que o parente mais próximo das Gwaihirs do mundo real é uma micro-águia australiana, a [i]Hieraaetus pennatus[/i], com apenas 1 kg de peso e 1,2 m de envergadura das asas. Há cerca de 1 milhão de anos, eles acham que o bicho migrou para a Nova Zelândia e, graças � falta de grandes predadores no lugar, conseguiu se especializar nessa função, tornando-se enorme para caçar os moas. É um fato comum a mudança brusca de tamanho de uma espécie (para mais ou para menos) em hábitats de ilhas. Não se sabe com certeza por que o bichão se extinguiu, mas eis aí mais uma prova de que as Grandes Águias não eram tão ficcionais quanto a gente poderia imaginar.