Entrevista com John Noble

O site [url=http://www.badtaste.it/]Badtaste[/url] apresentou uma entrevista realizada com John �Denethor� Noble. A entrevista original em inglê
 

O site [url=http://www.badtaste.it/]Badtaste[/url] apresentou uma entrevista realizada com John �Denethor� Noble. A entrevista original em inglês pode ser conferida [url=http://www.badtaste.it/modules.php?name=News&file=article&sid=773]clicando aqui[/url] Segue abaixo a tradução para o português: Nesta entrevista, John Noble descreve sua experiência nos filmes de �O Senhor dos Anéis�, fala sobre Tolkien, Shakespeare, as versões estendidas e das chances de se ver �O Hobbit� na telona… [b]Eu tenho lido em várias entrevistas que você realmente aprecia o trabalho de Tolkien. O que há nos livros dele que você não encontrou nos filmes, ou não há nada? E quais diferenças você tem visto entre o Denethor como mostrado por Tolkien e o que você interpretou? Estou fazendo esta questão porque muitos fãs têm queixas (as quais eu não concordo, diga-se de passagem) a respeito do seu Denethor: na opinião deles ele é muito mais louco e menos carismático que o apresentado por Tolkien…[/b] [i]Tolkien criou uma obra de arte moderna. Seu conhecimento acadêmico e a vívida imaginação certamente lhes deram as ferramentas para escrever, mas eu penso que foi o acidente da história que o colocou em um mundo mudando em uma velocidade espantosa, um mundo aleijado por duas guerras mundiais e uma depressão, onde sua visão de mundo (o Império Britânico) estava esmigalhando, e a onipotência da igreja estava começando a ser exposta como uma farsa, um mundo onde as pessoas tinham desmantelado a maioria dos suportes da �civilização� e estavam se esforçando para encontrar um significado. Sua genialidade foi criar uma alegoria de emocionante complexidade, a qual tematicamente abrangia grandes verdades universais. Minha representação de Denethor foi cuidadosamente considerada. Estudos de muitos líderes mostrará que sob coação eles ascendem � grandeza ou se enrugam a monstros irracionais, paranóicos e agarrados. Um filme não permite uma longa narratica para estabelecer um personagem. Peter necessitou de introduzir, mais tarde na trilogia, uma poderosa nova dinâmica. [/i] [b]Falando da sua performance, muitas críticas (você pode me falar sobre) se referem a Shakespeare. Você foi inspirado pelos personagens criados pelo grande escritor inglês para dar vida a Denethor? E, mesmo que eu possa compreendera sal resposta considerando-o um grande personagem, por que você é tão fascinado pelo Rei Lear?[/b] [i]Skakespeare escreveu tragédias de muito discernimento. �Rei Lear� é minha favorita, e sim eu encontrei paralelos entre Denethor e Lear.[/i] [b]Sean Astin, em seu livro, fala sobre uma versão mais áspera do filme mostrada aos atores em setembrod e 2003. Você a viu? E, se sim, é muito diferente da versão estendida ou não?[/b] [i]Eu não vi a �versão áspera�, então não posso comentá-la.[/i] [b]Você acha que seu personagem como visto na versão de cinema e na versão estendida aparece diferente? E, se sim, quais são as principais diferenças na sua opinião? Qual é a cena de seu personagem e acrescentada na VE que você mais gostou? E qual a nova cena que você mais gostou no geral? E eu também gostaria de saber se há outras coisas interessantes que você viu e não foram mostradas ao publico nem nos cinemas nem nas versões estendidas…[/b] [i]Na versão estendida eu acho que nós aprendemos um pouco mais sobre a dor de Denethor, e sua visão enganada da Terra-Média. Ele é como um homem que diz �me dê a bomba atômica e eu nunca a usarei… a menos que eu precise usa-la�. Ele é politicamente consciente se pessimista. Ele diz a Gandalf que um poder tem crescido no leste contra o qual não há vitória. Estranhamente profético. O desenvolvimento de Faramir na VE também serve para jogar uma luz no personagem de Denethor. Minha cena favorita na versão estendida é a cena entre Faramir e Denethor onde Denethor tem uma visão de Boromir. Foi uma cena muito exigente de se fazer, mas muito satisfatória. Há um monte de coisa que não entrou em nenhuma das duas versões, mas eu acho que as coisas realmente boas estão todas incluídas na versão estendida.[/i] [b]Em uma entrevista você disse que as crianças irão provavelmente ver o Denethor cinematográfico como �merda� (estou fazendo uma citação sua, é claro), enquanto os adultos provavelmente irão ser mais afetados por sua situação e menos críticos. Você não acha que uma das forças dessa trilogia é que ela podia ser vista de muitas formas diferentes pelas pessoas?[/b] [i]Meu comentário sobre as diferentes interpretações é consistente em todas as boas estórias, eu acho. Muitos, por exemplo, irão inicialmente acha Richard III ou Hannibal Lector monstros, mas análises mais profundas dão discernimentos consideráveis dentro da condição humana e algum entendimento do que os dirigiu. Denethor era um bom homem que tragicamente não pôde se adaptar � circunstância, e subseqüentemente decaiu em loucura. Culpe o Anel, orgulho , medo, ou a fraqueza do personagem. Não é uma estória completamente incomum. Eu acho que todos temos um pequeno Sauron e um pequeno Aragorn em nós. Esperançosamente nós podemos encontrar algum Frodo e Sam também.[/i] [b]Recentemente, houve rumores sobre Peter Jackson dirigindo um filme da Primeira Guerra Mundial após �King Kong�. Você sabe de algo sobre isso, se sim, foi contactado para fazer parte do filme? E o que você acha que vai acontecer com a adaptação de �O Hobbit�? Você acha que a veremos em breve e que Jackson estará no comando dele (Nota do editor: a questão foi feita um mês atrás e eu não tinha conhecimento de �Lovely Bones� naquele tempo…)?[/b] [i]Eu não ouvi nada sobre os planos de Peter após King Kong. �O Hobbit� deve acontecer, mas eu acho que há alguns problemas legais. Eu ouvi que Peter deve produzir mas não dirigi-lo se acontecer, mas isso deve ser rumor em vão.[/i] [b]Como foi trabalhar com Peter Bogdanovich em �The Mistery of Natalie Wood�?[/b] [i]Eu amei trabalhar com Peter Bogdanovich. Foi um grande privilégio comunicar com alguém que é ao mesmo tempo um legendário e versado ícone do cinema.[/i] [b]Você gostaria de falar da sua experiencia em �One Night with the King�?[/b] [i]�One Night with the King� foi uma experiência especial para todos nós. A �ndia é um lugar mágico, e amizades muito próximas foram formadas.[/i] [b]Quais são seus próximos projetos? E quais são os diretores com quem você gostaria de trabalhar?[/b] [i]Eu estou em processo de discussão de alguns projetos entusiasmantes. Nada assinado ainda, então eu não vou dizer mais nada por enquanto. Diretores? Eu amo todos eles![/i]