Resenha do Curso de Quenya, por Ronald Kyrmse

Neste último sábado (dia 18 de setembro) Ronald Kyrmse esteve em Curitiba e acabamos nos encontrando na Editora e trocamos algumas horas
 

Neste último sábado (dia 18 de setembro) Ronald Kyrmse esteve em Curitiba e acabamos nos encontrando na Editora e trocamos algumas horas de um bom papo tolkieniano. Nesse mesmo dia ele adquiriu uma cópia do Curso de Quenya. Qual foi nossa surpresa quando alguns dias mais tarde ele nos enviou uma pequena resenha e a autorização para utilizá-la. A mesma segue abaixo:

CURSO DE QUENYA – Uma Resenha, por Ronald Kyrmse

Já há muito tempo existia um desejo, entre os apreciadores da obra de J.R.R.Tolkien, de aprender com detalhes a gramática das línguas élficas, em uma obra facilmente acessível em português. O primeiro passo para isso foi dado em setembro de 2004, com a publicação do Curso de Quenya de Helge Kare Fauskanger pela Arte & Letra.
O livro é volumoso – tem mais de 400 páginas – mas nem por isso deve desanimar os que se dispõem a aprender o alto-élfico, sem dúvida o mais belo dessa família de idiomas.

O original já se destaca pela abundância de exemplos e de explicações que são compreensíveis mesmo para aqueles leitores que não têm formação em línguas. Por sua vez, o tradutor Gabriel Oliva Brum, ele mesmo lingüista, verteu de modo muito adequado o texto do autor norueguês.
A própria apresentação do volume é atraente e funcional. É um livro que pode ser manuseado por muitos anos, e que servirá de referência mesmo quando novos materiais sobre as línguas élficas forem dados a conhecer pelos herdeiros de Tolkien.
Enquanto não forem publicados os demais volumes lingüísticos planejados pela editora curitibana, podemos já nos deleitar com esta competente introdução ao tradicional e erudito idioma dos Eldar.