Versões estendidas SDA e ADT: Continuação da Ópera

Temos valiosas informações nesta notícia que saiu no site da [url=http://www.aol.com.br]AmericaOnLine[/url] nesta última q
 

Temos valiosas informações nesta notícia que saiu no site da [url=http://www.aol.com.br]AmericaOnLine[/url] nesta última quinta-feira. Além de narrar detalhes pessoais do ator Viggo Mortensen (que concedeu entrevista a AOL) é comentado sobre a versão extendida de SdA e AdT que deverá passar em 4 (quatro!) capitais brasileiras, saindo do eixo Rio-São Paulo. Abaixo a notícia completa extraída da AOL:

[b]Por Fernanda Costa[/b]:

Sabe aquele cara sério e com ar preocupado que lidera a sociedade do anel na trilogia de J.R.R.Tolkien? Ele não tem nada a ver com o ator que o interpreta, Viggo Mortensen. O guerreiro Aragorn na vida real é brincalhão, sorridente e, acredite se puder, mais bonito! Tá certo que sem o cabelão e a espada das telas, os dentes um pouco separados chamam a atenção, mas apenas acrescentam mais charme ao ator de 45 anos que veio pela primeira vez ao Brasil para divulgar o terceiro e último filme da série, ‘O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei’.

Ele chegou ao salão da coletiva de imprensa do hotel Hilton, onde está hospedado na suíte executiva (uma abaixo da presidencial, diária a R$ 1.980) um pouco sério, mas logo foi se descontraindo. Enquanto o diretor-geral da Warner, José Carlos de Oliveira, e o tradutor Walter Estella, que dividiam a mesa com ele, tomavam suas águas nos copos de cristal, Viggo preferiu tomar a sua direto da garrafa.

Como viveu boa parte de sua infância (dos 2 aos 11 anos) na América Latina, fala espanhol fluentemente e se arriscou a falar algumas palavras em português como olá, como vai. Aproximadamente uma hora e meia depois, confessou que não teve grandes dificuldades para entender nossa língua durante a coletiva.

Sobre o filme

Viggo elogiou seus colegas de elenco, o diretor Peter Jackson e as mulheres brasileiras. “Conhecia o Brasil por fotos, música e brasileiros que conheci ao redor do mundo e agora pude comprovar que o que dizem é verdade. O país tem mulheres lindas e um excelente futebol. Só não entendo porquê não unir os dois…”, brincou o ator.

Para compor Aragorn, ele recuperou muita coisa de sua infância e leituras. Afinal, quando aceitou o papel, as filmagens já tinham começado na Nova Zelândia e Viggo, que nunca tinha lido Tolkien, teve pouquíssimo tempo para se preparar. “Quando comecei a ler o livro pensei ‘Meu Deus, olha o tamanho desse livro’, mas depois de algumas páginas reconheci arquétipos das sagas que lia quando criança, símbolos da mitologia e me senti mais tranqüilo”. Outra vantagem foi saber – e adorar – lidar com animais. “Sempre gostei de cavalos, ainda bem, porque os animais sabem quando você não gosta deles”.

As lutas de espada, a vontade de salvar o mundo e combater os monstros de sua brincadeira preferida quando criança se concretizaram com a trilogia. O prazer de ficar ao ar livre, de aproveitar florestas, bosques, montanhas, também ocuparam grande tempo das gravações. “Era como se o meio-ambiente fosse outra personagem da história.” Claro que nem tudo foi fácil e tranqüilo. “As filmagens noturnas, na chuva deixava tomo mundo cansado, mas aí focávamos naquela cena específica e íamos gravando passo por passo. Todos do elenco e da produção se dedicaram muito e até criamos senso de humor negro para facilitar aqueles dias que pareciam intermináveis”.

Muitas cenas foram gravadas em locais que nem mesmo os habitantes da região conheciam e Viggo ficou afastado de tudo, menos seu trabalho como Aragorn, por um tempo. Essa distância com o ‘mundo real’ foi positiva na perspectiva do ator. “Quando fui à pré-estréia de ‘A Sociedade do Anel’ fiquei impressionado com a quantidade de pessoas malucas, até obsessivas, e percebi a intensidade da relação dos fãs com a obra. Acho que foi bom não ter essa preocupação enquanto filmava mas de modo geral os fãs são respeitosos com a adaptação para o cinema e sabem que fizemos o melhor possível, mas claro que não dá para levar para a tela tudo do livro.”

A despedida

Mesmo depois de mais quatro anos trabalhando intensamente nas filmagens da trilogia, a despedida não foi tão dolorosa. “Fizeram um vídeo com nossas gafes e erros durante as gravações e foi como uma grande comemoração com direito a um ritual que mescla despedida com boas-vindas, e claro, muitas músicas que os ‘hobbits’ fizeram especialmente com letras sujas e divertidas.” O ator citou a escritora Isar Dinisen que dizia que todo o sofrimento pode ser tolerado se colocado dentro de uma história e é isso que ele fez. “Mesmo agora, embora não caracterizado como Aragorn estou trabalhando por ele.”

Agora uma dica especial de quem realmente entende do assunto: “Assistam às versões extendidas. Especialmente a do segundo filme antes de ver o terceiro. Claro que não é indispensável mas traz boas informações tanto para quem é fã como para quem não é. Pessoalmente gostaria que as pessoas lembrassem de ‘O Senhor dos Anéis’ pelos filmes do DVD, das versões extendidas”. O problema é que o lançamento dos DVDs com os extras não estão certos nos planos da Warner. De acordo com a assessoria da empresa há alguns problemas de licenças e negociações que atrapalham. [b]Pelo menos os fãs de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba poderão ver nos cinemas, a partir do dia 09 de dezembro, uma versão extendida do diretor dos dois primeiros filmes da saga. [/b]

____________
Resta torcermos para que a AOL tenha conseguido essas informações com sua parceira WARNER! :)

Agradecimentos a [b]Camila (Milly) do Condado[/b] pela notícia.

LINKS RELACIONADOS:
[url=www.aol.com.br]AMERICA ONLINE[/url]