“A Desolação de Smaug” – duas novas imagens, Beorn e SPOILERS!

20130808-new-photo-desolation-of-smaug

As filmagens da trilogia O Hobbit estão oficialmente terminadas, mas isso não quer dizer que novidades ainda não possam aparecer. Nessa última semana tivemos uma imagem oficial divulgada ela revista estadunidense Entertainment Weeky onde podemos ver os elfos Legolas (Orlando Bloom) e Tauriel (Evangeline Lilly). A imagem (acima) não é reveladora e não é novidade para quem já viu o trailer de A Desolação de Smaug, mas deve agradar aos fãs dos personagens.

Por outro lado, uma imagem mais intrigante (e seria mais reveladora se não fosse pela resolução ruim) também apareceu nessa última semana. Trata-se da parte de trás de um novo calendário para 2014 e com imagens do segundo filme da trilogia O Hobbit. Em uma delas podemos ver o que pode ser a primeira imagem do troca-peles Beorn (Mikael Persbrandt) em sua forma  humana. Clique para ampliá-la.

11082013-valinor-spoiler1

Beorn aparece no último quadro, em baixo e à direita. Apesar da baixa resolução, o que dá para distinguir do personagem já anda causando polêmica entre os fãs ao redor do mundo. Seu cabelo todo espetado e curvado em direção às costas fez com que Beorn fosse comparado a dois ícones dos games: o personagem Blanka, de Street Fighter e Sonic, mascote da Sega.

Interessantes também são as informações reveladas pela revista alemã Cinema Magazin, via fan site HerrDerRinge-film. De acordo com o autor do artigo, 2000 figurantes foram usados na batalha sobre a Cidade do Lago, contra o dragão Smaug e onde o grande réptil encontra seu fim. É também na Cidade do Lago que Azog, o Profanador, e seu séquito de orcs promovem um massacre. Esse acontecimento não existe no livro e foi inventado por Peter Jackson.

A batalha de Dol Guldur, promovida pelo Conselho Branco, também foi confirmada para o segundo filme, bem como a aparição bem mais significativa do Necromante, um velho conhecido dos fãs da trilogia O Senhor dos Anéis: ninguém menos que o próprio Senhor do Escuro, Sauron. Para as cenas, seu intérprete, o inglês Benedict Cumberbatch, usa o traje de captura de movimento. Por isso veremos muito mais coisas em A Desolação de Smaug retiradas dos Apêndices, material extra que se encontra no livro O Senhor dos Anéis.  De lá, possivelmente, também veremos mais coisas sobre a história dos Anões.

 O artigo também confirma que as Aranhas Gigantes da Floresta das Trevas falarão, mas não diz se os diálogos serão os mesmos do livro O Hobbit, nitidamente mais infantis. Pois, diferente de Uma Viagem Inesperada, a segunda parte da trilogia será muito mais sombria e cheia de ação, como As Duas Torres foi em relação à Sociedade do Anel. Finalizando, a Batalha dos Cinco Exércitos acontecerá mesmo na terceira parte, Lá e De Volta Outra Vez, para fechar epicamente a trilogia.

Comentários

  1. Considero plausível uma adaptação do Silmarillion para os cinemas, em formato de quadrilogia, desde a criação até o fim da Primeira Era.

    Filme 1) O Exílio dos Noldor
    Um prólogo contando a criação de Arda, as primeiras batalhas entre Melkor e os Valar, o despertar dos Elfos e a caminhada até Valinor. Aí a história começa com a relação de Fëanor e Fingolfin, além de Melkor. Desde a criação das Silmarils, terminando com a Batalha Gloriosa e a Festa da Reunião como desfecho. Final feliz, cheio de esperança.
    Personagens principais: Fëanor, Fingolfin e Melkor.

    Filme 2) A Balada de Beren e Lúthien
    Início do filme com a Batalha das Chamas Repentinas e a Queda de FIngolfin. Aí a história se volta para os homens de Dorthonion e para o arco de Doriath, com a Demanda da Silmaril, e encerrando com o retorno de Beren e Lúthien para Beleriand. FInal agridoce, mas ainda com esperança.
    Personagens principais: Beren e Lúthien.

    Filme 3) Os Filhos de Húrin
    Início com a União de Maedhros e as Lágrimas Incontáveis. A história se volta para a família de Húrin, atravessando toda a história de Túrin e Nienor, encerrando com a morte de Túrin e Glaurung, e o desfecho com o reencontro de Húrin e Morwen no túmulo dos filhos. Final sombrio, já sem esperança.
    Personagens principais: Túrin e Nienor

    Filme 4) A Estrela de Eärendil
    Início com o fim das Lágrimas Incontáveis, agora com o arco da família de Huor. A história começa com a saga de Tuor desde sua infância até a chegada a Gondolin. Atravessa as quedas de Doriath e de Gondolin, e a viagem de Eärendil e Elwing, encerrando com a Batalha da Ira. Desfecho com o retorno dos Noldor, a criação de Númenor e a ida dos sobreviventes pra Terra-Média. Enfim um final feliz de verdade.
    Personagens principais: Tuor e Eärendil

    Alguns fatos e passagens podem ser suprimidos e recontados a medida que os personagens ou locais vão aparecendo com mais destaque na história, não sendo contado obrigatoriamente nos prólogos, até para não arrastar muito a narrativa inicial. Exemplos: Thingol e Melian, criação dos anões, chegada dos Homens, fundação de Nargothrond e Gondolin, Aredhel e Eol, e por aí vai. E com a narrativa não sendo engessada na sua ordem cronológica, como nos casos de Tùrin e Tuor, contados de maneira separada, assim como nos livros.

    1. Meu comentário é sobre o seu resumo-roteiro hahahaha.

      E é uma pergunta, bem simples na verdade, mas sobre a qual não consigo me lembrar: se eu não me engano, existe uma versão da Balada de Os Filhos de Húrin em Contos Inacabados na qual Tuor e Túrin cruzam seus caminhos como que por acaso. Eu me lembro da descrição da cena, após um terrível inverno, contrastando com a escuridão dos trajes de Túrin. Mas não me lembro de mais nada.

      Se eu não me engano, essa passagem nunca foi retomada, nem em O Silmarillion, nem na versão final editada de Os Filhos de Húrin (e do HOME, não sei dizer).

      Como estou sem os livros aqui, queria perguntar a alguém: existe alguma explicação por que Tolkien nunca levou adiante essa ideia do encontro entre dois dos maiores filhos dos homens? Ademais, Tolkien algum dia comentou alguma coisa a respeito dos motivos de o encontro entre eles ter sido tão fugaz?

      1. Só sei de uma coisa: ainda bem que o Tuor não encontrou de fato seu primo Túrin, rsrs. O filho de Húrin é um dos meus personagens preferidos, mas ele trazia a sombra de Morgoth para todos a sua volta. Tuor somente avistou Túrin, que estava em perseguição aos orcs que sequestraram a Finduilas após o saque a Nargothrond, mas não o reconheceu (na verdade nunca o conhecera).

    2. meu amigo….. agora, eu quero essa quadrilogia hahahaha
      mas tbm gostaria em formato de série (exemplo de Game Of Thrones)

    3. Olha, se tudo fosse como você escreveu beleza. Mas começaria a aparecer Varda falando com Manwe, apareceria velhos espíritos conversando no palácio de Mandos, apareceria cenas de nudez durante a calada da noite e coisas mais que nem ouso pronunciar com medo do fantasma de Tolkien. Tudo isto apenas para dar aqueles que adoram ‘curtir’ um cinema no final de semana pra ver um ‘filminho’ de ação e aventura, ‘igual a Guerra dos tronos'(pois vão acabar esquecendo quem vem primeiro). Isto é uma adaptação cinematográfica. Apenas dar o que o público maior gosta e ganhar mais dinheiro, não se preocupam em respeitar o legado de Tolkien. Ainda bem que christopher Tolkien guarda com mão de ferro os direitos autorais. Deixem que nós imaginamos Valinor como ela realmente é, sem ser manchada como uma versão de tecnologia. Devem pensar que não gosto de cinema, mas adoro os filmes da trilogia e gostei do último, mas não suporto o que PJ já fez muitas vezes, desprezando o que muitos de nós consideramos sagrado. Ufa, tive que desabafar.

  2. Pessoalmente, uma batalha com os orcs na Cidade do Lago, é uma ideia muito boa! Sobre o Silmarillion, acho que poderia sim ser gravado, com uma saga (tipo Harry Potter), devemos considerar que existe espaço de centenas de anos entre acontecimentos importantes, e apenas alguns personagens(elfos), permaneceriam de um filme para o outro, seria muito interessante, mas não seria comercial, por isso talvez não aconteça.

    1. Eu adoraria ver Silmarillion, mas pensem, é quase impossível … Silmarillion é mais uma Bíblia da Terra Média onde conta muitas coisas bem resumidas, a própria história do SDA se passa em uma ou duas páginas … ficariam histórias picadas, beeem resumidas … não, não daria certo, agora uma história que pra mim seria genial por nos cinemas seria Filhos de Húrin … o enredo é perfeito, com um final trágico diferente das outras obras e com ctz o que o Túrin passa é MUITO CHAMATIVO …

  3. a galera ta julgando demai o beorn por uma imagem pessima… calma meu povo… e gostei do que vi, tem que sair da mesmisse mesmo, se querem ver o hagrid, tirem o dvd do menino bruxo da estante.

  4. Meu deus. Espero que o dia da adaptação de alguma história do Silmarillion nunca aconteça. Sou contra a regra dos direitos autorais, que anula depois de acho 70 anos da morte do autor. Espero que PJ não faça me*rda.

  5. 1º – Eu particularmente gosto dessas referências que o PJ pega dos materiais extras
    2º – Achei q o primeiro filme poderia ser um pouco mais “adulto”
    3º – um dia quem sabe, teremos Silmarillion nos cinemas, embora sabendo que será complicado

    1. Silmarillion no cinema só com uma saga de 9 filmes, no mínimo. Impossível contar uma história tão detalhada com menos.

      1. concordo contigo, seriam muitos filmes e poderia ficar ate entediante tanto para a direçao qto para o elenco fazer uma historia tao longa, e alem do mais provavelmente teriamos de 1 a 2 anos (ou ate mais) de espera entre uma filmagem e outra caso fosse feito sequencialmente, e sem contar no dinheiro que essa produçao gastaria… e tambem convenhamos… os atores nao sao eternos (o que seria um problema caso gandalf e saruman aparecessem no silmarillion (como faz tempo que li o livro nao me recordo disso)).

      2. Seria legal se fosse feito uma série do Silmarillion, pois ai conseguiriam cobrir tudo que o livro passa (igual ao Game Of Thrones).

    2. Esqueçam o Simalrillion, tão cedo não sai nos cinemas. Diferente do Hobbit e LOTR , Tolkien não liberou os direitos de filmagens. Hoje o espólio está com a família e o filho de Tolkien nem sonha numa adaptação, inclusive ele odiou os filmes da trilogia.
      Somente quando a obra de tolkien for domínio público (lá por 2040) é que será possível uma adaptação.

      Roberto.