Que tal ganhar o dvd de O Hobbit – Uma jornada inesperada?

Hobbit_Cena2

 

Então você adorou a primeira parte de O Hobbit nos cinemas e gostaria de ter o dvd? E se for de graça, então? Moleza!

A Valinor, em parceria com a Warner, está sorteando 4 dvds de O Hobbit – Uma Jornada Inesperada! Para participar basta responder:

No primeiro filme da trilogia O Hobbit, junto com Gandalf e Bilbo, os anões começaram uma grandiosa e arriscada jornada atras de um objetivo – resgatar o próprio lar. E você? O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante? As melhores respostas podem ganhar um DVD do sucesso de bilheteria O Hobbit – Uma jornada inesperada.

 

Para concorrer, você deve deixar a sua resposta aqui mesmo nos comentários da notícia ou no post da notícia na nossa página no Facebook  O resultado sai dia 10 de Maio, aqui mesmo na Valinor, no Facebook e também no nosso Twitter.

Gostou? Dá um curtir na nossa página, siga a gente no Twitter e boa sorte!

Comentários

  1. O que me faria arriscar ??

    Sempre sonhei em ser um dos guardiões, um dos dúnedains… isso me faria arriscar, pq é isso que eles fazem, sempre protegeram o condado e toda a terra media do jeito que eles podiam, e eu me arriscaria a ir até mordor e bater nos portões negros e falar que sauron é uma bixona !

  2. Me arriscaria porque além de Bolseiro, sou um Tûk ! Pois em meu íntimo desejei “ir ver as grandes montanhas, e ouvir os pinheiros e as cachoeiras, explorar as cavernas e usar uma espada ao invés de uma bengala.”

  3. O que me faria me arriscar em uma jornada emocionante seria o espírito de aventura, bravura e amizade. Nada nesse mundo seria capaz de me impedir de correr os riscos que Bilbo correu para conquistar sua vida com belas histórias para serem lembradas, tudo para ajudar os amigos. A existencia da vida só tem uma razão quando se faz atos de bravura provando amizades, e essa seria minha maior razão de enfrentar uma jornada inesperada…

  4. Eu me arriscaria uma jornada até para encarar o próprio dragão, apenas ver a maravilha da Terra-média se revelar, como num sonho realístico. Erebor, Valfenda, os salões de Moria, Lothlórien e ah… Minas Tirith, a Cidade de Reis, sem esquecer o lar dos hobbits, o povo mais caseiro e feliz da Terra-média. Para ver mesmo que seja uma destas maravilhas, eu sairia na maior jornada da minha vida, uma jornada inesperada. Seria uma jornada sem igual.

  5. Eu me arriscaria uma jornada até para encarar o próprio dragão Smaug, apenas ver a maravilha da Terra-média se revelar, como num sonho realístico. Erebor, Valfenda, os salões de Moria, Lothlórien e ah… Minas Tirith, a Cidade de Reis, sem esquecer o lar dos hobbits, o povo mais caseiro e feliz da Terra-média. Para ver mesmo que seja uma destas maravilhas, eu sairia na maior jornada da minha vida, uma jornada inesperada. Seria uma jornada sem igual.

  6. Eu faria uma jornada emocionante para encontrar alguma escritura rara, algum manuscrito perdido de Tolkien, para manter a memória viva e salvar essa cultura tão antiga e tão rica, desse escrito que assim como seus personagens fazem parte da minha vida e da de muitos fans.

  7. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?

    R: Empatia. Primeiramente pensei em amizade, mas há casos em que mesmo você desconhecendo alguém o sentimento de empatia e compaixão te envolvem, e você acaba abraçando a causa dessa pessoa(ser). Foi o que aconteceu com o bravo Bilbo ,que mesmo não conhecendo os 13 anões, se dispôs a ajudálos, viajando por terras hostis e enfrentando inúmeros perigos, inclusive enfrentar Smaug, o Magnífico.
    E é claro, não podemos esquecer do próprio prazer de embarcar em uma grande aventura! Afinal, “o mundo não está nos livros e mapas – ele está lá fora!”

  8. Oportunidade e garantia de que não seria a mesma se voltasse; ou de que seria aquilo que tenho potencial pra ser, mas ainda não sou (algo como descobrimento e conhecimento sobre mim, através do conhecimento e vivências no mundo e dos outros). Semelhante ao que o Gandalf propõe ao Bilbo no filme, não a parte do auto-conhecimento, mas sim do “não ser o mesmo se retornar”. Claro que eu iria ter medo ante a chance de não voltar de modo nenhum, maaaaaaaaaas a curiosidade e desejo de fazer algo da minha vida não iam me deixar negar a chance/presente. E eu não me perdoaria nunca se o fizesse. >_<

    CADÊ MINHA JORNADA INESPERADA? Ainda tô procurando por aqui. Mas como não tenho Gandalf, acho que vou ter que criar minhas oportunidades sabe-se lá como. A vida me parece ter tão mais sentido quando rola inesperada, sendo uma jornada desse tipo.

  9. O que me faria assumir os riscos em um jornada até os confins do mundo seria proteger meus amigos, minha família e as coisas em que acredito. Manter lealdade as pessoas que amo e aos meus valores foi o que me trouxe até onde cheguei, foi o que fez de mim o que sou hoje, isso é “o que há de verde e bom no mundo” para mim e acredito que por isso vale a pena lutar.

  10. Conhecer e explorar o mundo com esses aventureiros!!!!!!!!! isso com certeza seria genial!!!!!!!!!! imagina ir em busca de aventuras com vários anões , conhecer os elfos!!!!!!!!!! e ainda por cima, arrumar confusões junto com o maior mago de todos os tempo!!!!!!!!!!!!!!!/!!!!!!!!!!!uhuuuuuuuuuuuuuu primeiro visitar a túmulo de Tolkien hehehe para conhecer suas origens kkkkkkkkk uma passadinha por hollywood em seguida rumo a Islandia, terra dos elfos!!!!!!!!!!!! e por ai vai………..^^

  11. Quando existe amor e vontade, nada é impossível pra proteger meus queridos amigos me arriscaria a enfrentar Smaug e até mesmo o próprio Sauron, mesmo que a fosse o único caminho que me restasse, porém morreria pra defender aqueles que eu amo e por aqueles que vale a pena lutar.

  12. O que eu faria para me arriscar em uma jornada emocionante? ….Eu iria ‘’lá e de volta outra vez’’, pela minha família, meus amigos, por tudo que eu acredito e por tudo que é bom nesse mundo e que vale a pena lutar. Eu enfrentaria perigos maiores que meus próprios medos. A nossa vida já é uma jornada emocionante, e o próximo dia será sempre uma Jornada Inesperada. Afinal “Nem todos que vagueiam estão perdidos’’.

  13. O que faria eu me arriscar em uma jornada emocionante?
    Com toda certeza me arriscaria ao casamento caso o Gandalf fosse o Juiz de Paz com sua linda capa branca, e os anões as ” damas de honra” todos vestidos iguais, e o Bilbo o “pajem” com as alianças minhas e do meu amado!

  14. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?

    A vida é a jornada mais emocionante que podemos nos arriscar, basta vivê-la com alegria e fazer aquilo que te dá vontade. Sem medo de se arrepender ou de passar vergonha.

  15. Oh meu caro, eu já estou numa jornada fantástica! A do conhecimento de Ëa! Sim, estou navegando à procura de Aman e do mar exterior, invoco os Valar, tenho longas conversas com Tom Bombadil, mergulho no Grande Mar à procura das Silmarils, me embrenho nos bosques do Condado ao Mar de Rhûn procurando as Entesposas e conheço bem os gatos da Rainha Beruthiel. Só o que eu mais preciso encontrar é o meu Preciosssooo DVD do Hobit!

  16. O quê me faria ingressar em uma jornada emocionante? Ora, isso é fácil. Eu encararia qualquer aventura para assistir à segunda parte da trilogia! Que venham wargs, orcs, trolls e dragões em meu caminho para o cinema! Se Bilbo, a criatura mais improvável da Terra-Média, conseguiu ‘levar nas costas’ um monte de anões barbados, sendo o mais corajoso e herói de todos ali (até mesmo mais do que o velho Gandalf, que sumia pouco antes de precisarem dele, e voltava quando já estava tudo resolvido, à moda ‘Mestre-dos-Magos’), acho que eu não teria uma sorte muito diferente! Que venha o dia 13 de dezembro de 2013, e que o cinema me aguarde no fim da estrada!

  17. Derrotaria orcs, trolls, e passaria por todos os riscos em busca da saúde de mãe, mil vezes se fosse preciso e sem a ajuda de Gandalf.

  18. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?
    Certamente se me fosse dada a oportunidade de conhecer verdadeiramente a Terra Média. Nem que fosse somente o Condado, Lorien, Rivendell, ou até mesmo Moria…

  19. Derrotaria orcs, trolls, e passaria por todos os riscos em busca da saúde de minha mãe, mil vezes se fosse preciso e sem a ajuda de Gandalf.

  20. O que faria eu me arriscar numa jornada emocionante???????? hahahaha Eu já fiz isso. Há alguns anos atrás resolvi sair do “interior” do RS pra encontrar um bando de malucos que conheci pela internet… Levei a tiracolo uma amiga (apavorada por essa jornada inesperada), contei pra minha ma~e e irmã que queria ir e que era seguro (essas coisas de internet…), e até hoje meu pai pensa que fui encontrar uma amiga da escola… Enfim, e lá embarcamos nós duas rumo a 11 horas de viagem até Ponta Grossa, onde fomos recepcionadas por uma bando de loucos, rumo à Dirhil’s Party I! Minha amiga passou a primeira sem dormir de MEDO do povo (um tatuado, uma maluquete, um povo falando estranho, com pinta de malvado…), e eu me diverti sem parar! Então, essa jornada inesperada começou há uns 10 anos atrás, não me arrepende, e este ano prometo partir em nova jornada, pra estreia do “segundo” Hobbit, e matar a saudade dessa gente maluca que tanto adoro!

  21. Hm… O que me faria ir numa jornada inesperada? Bom, talvez sair em uma grande aventura pelo Condado até Mordor, e encontrar elfos, sejam os da floresta ou das montanhas, dar uma olhada em Valfenda e ter com Mestre Elrond. Também seria extraordinário se eu encontrasse Tom Bombadil, um personagem incrível. Entrar em Minas Moria, Minas Tirith, e até a assustadora Minas Morgul com certeza faria uma aventura sem igual. Mas nada me faria mais ter vontade de entrar numa aventura do que se eu soubesse que eu veria a luz das Árvores, ou fosse na embarcação de Ëarendil, e por os pés em Valinor. Mas mesmo assim, eu entraria em qualquer aventura pela Terra-Média, desde que tenha Gandalf, o Cinzento me acompanhando. Realmente não importa. Qualquer jornada inesperada dentro de Arda promete ser uma incrível aventura, e eu iria em qualquer uma sem pensar duas vezes.

  22. É olha para a vida e saber que perderia a oportunidade de viver intensamente o que nunca vivi, assim como creio que foi o que Bildo sentiu quando acordou na sua realidade e se viu completamente necessitada de viver a fantasia que bateu a sua porte

  23. Bem, como eu me pareço bem com um hobbit seria dificil me tirar da minha ”toca” mas, nada melhor que para um fã de Tolkien, que uma longa e bela viagem pela Terra-média, conhecer desde do oeste de Aman até o distate leste além de Mordor. Conhecer em particular Valinor em seu esplendor, converçar com os Valar, em princípio com Aüle pois, simpatizo com ele, reecontrar Frodo se possivel e principalmente Gandalf, pedir um autografo para Galadriel e Elrond.
    Saindo de Aman, e indo a Terra-média por Belegaer, o grande mar passaria em Númenor, e subiria até o topo de Meneltarma para comtemplar a bela vista da ilha dos homens o do mar que a rodeia, sem deixar de passar também em Armelenos e Rómena.
    Deixando Númenor, chegaria na terra-média pelos Portos Cinzenos, cumprimentaria Círdan, e seguiria meu rumo, no Condado não poderia deixar de conhecer as plantaçoes de fumo de Quarta-sul, indo em seguida para o Bolsão descansar fazendo um belo desjejum ou um jantar com meus companheiros, sem negar uma passada no Dragão Verde.
    Saindo do condado, gostaria de conhecer alguns lugares de Eriador, talvez as ruínas de Amon Sul, Bree, o lago Vesperturvo, Angmar, Eregion e por fim sem duvida passar por Imladris, e por lá ficar meses somente comendo, durmindo e falando em Sindarin.
    Após descanço partir para Lórien e vislumbrar os enormes e belos Malorns, passar também pela velha Fangorn, e fazer um entebate, bisbilhotar nas Minas de Moria, olhar do topo de Orthanc em Isengard, conhecer Rohan por completo, conhecer e ver Beorn se transformar em urso, bater um papo com Legolas e Thranduil, nadar em Esgaroth, rolar em montanhas de ouro em Erebor e falar com Gimli, andar de barco pelo Anduin e ver os Argonath, pular de Raurus, descobrir onde é Henneth Annun, me perder em Emyn Muil, ficar atolado nos Pantanos Mortos, adentrar nas Sendas dos Mortos portando é claro Andúril, e também um dos mais esperados lugares que quero ir, Minas Tirith, eu subiria todos os niveis da cidade branca falando as senhas dos portões até chegar na cidadela, e lá de cima no lugar de onde Denethor caiu, olhar os campos de Pelennor.
    Partir de Minas Tirith com rumo a Osgiliath, cruzar o grande rio, e ir com um exercito aos portões negros, levar o Um Anel até Orodruin, joga-lo no fogo, e ficar vendo de camarote a maldita torre de Barad-dur cair, e ver a ruína de Sauron.
    Após toda essa viagem, se eu pudesse da uma olhadinha nos lugares da primeira era como Doriath, Gondolin, Nargothrond, as Thangorodrim, Nevrast, Belegost e Nogrod, Dor-lómin, Dorthonion, Hithlum, Mithrim e Beleriand em geral.
    Para me tirar da minha toca teria que que ser algo assim pois, como o próprio Bilbo dizia ”É perigoso Frodo, sair porta a fora, voce pisa na estrada e, se não controlar os seus pés, nunca se sabe para onde será levado”

  24. “O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante? ”

    Primeiramente a oportunidade para conhecer melhor a belíssima Terra Média. Além disso, como poderia recusar o convite de um simpático mago e perder a oportunidade de enfrentrar um dragão?! Por essa aventura perderia meu segundo café manhã de muitos dias, sem hesitar!

  25. “Superar i preciso,
    seguir em frente i essencial, ainda mais numa jornada dessa, tudo ia ser novo para mim sendo convidado pelo mago Gandalf, não pensaria duas vezes.
    ia e não olharia pra traz i perda tempo na minha vida simples sem aventura,Pois se o passado fosse bom, seria presente… arriscar em uma jornada emocionante, “poderia minha vida fica mais curta“ mais pisa na terra média seria viver mais,arrisca mais aprender mais e conhece mais, seria eu conhece o novo mundo no qual eu estou hoje, no mundo sem aventura sem conhecimento sem magia, então eu prefiro morre me arriscando em uma jornada emocionante lutado pelo povo de anão o a ter pela minha terra e di toda terra média, do que morrer numa parada de ônibus sem ter participado de nem uma aventura.

  26. Eu costumava pensar que eu precisava de pelo menos 13 anões e um mago para conseguir me tirar de casa para uma aventura, mas no mes passado eu descobri que minha esposa está grávida do nosso primeiro filho. Para garantir um lar para minha nova família eu seria capaz de enfrentar qualquer fera, inclusive Azog, o Profanador ou Smaug, o Terrível!

  27. Conhecer a fantastica Terra – Média e enfrentar perigos em prol de uma unica causa: Resgatar o amor da minha vida.

  28. Bem, esse é um dilema que eu enfrentarei em breve. Uma jornada inesperada, na verdade essa viagem será muito da esperada por mim. Há anos eu venho estudando o Inglês e finalmente vou concorrer ao projeto ganhe o mundo nas escolas de referência que consiste num intercâmbio de seis meses em um dos países incluídos no projeto. Muitos motivos me levariam há uma jornada inesperada e um deles seria a busca por novos conhecimentos. Todos nós sabemos que o motivo principal por Bilbo ter viajado não era simplesmente o ouro do dragão. Bilbo ansiava acima de tudo saber o que havia além das fronteiras do condado. Bilbo queria adquirir conhecimento sobre o mundo afora, e se Deus quiser e se eu passar na prova terei a mesma oportunidade de Bilbo, e mais: o país que eu escolhi para concorrer foi a Nova Zelândia, simplesmente a terra-média de Peter Jackson…Entretanto há uma diferença entre mim e Bilbo: eu batalhei muito e passei muitas noites acordado estudando inglês enquato Bilbo conseguiu seu “intercambio” pela terra-média de mão beijada. Eu desejaria muito que Gandalf me convidasse para participar de uma aventura, mas eu mesmo tive que correr atrás de minhas aventuras. Eu sei que eu vou me deparar com Trolls e dragões, más eu também sei que adquirir muitos conhecimentos e lições com o povo élfico, pois as aventuras não são de todo boas e nem de todo ruins…

  29. O que me levaria em uma jornada inesperada seria a minha necessidade na aventura, pois cada um tem sua função, e eu estaria disposto a ajudar de qualquer jeito possível. Principalmente em um caso como o de Bilbo, faria de tudo para ajudar os anões a reaver sua terra.

  30. A própia emoção de viver além de padrões, indo buscar meu objetivo. Fazendo isso com aliados ou se precisar até sozinho. Mesmo sabendo a dificuldade…

  31. Inyë tyë-suilantëa, (Eu o saúdo,) e para poder contemplar a Montanha Solitária, os salões do rei Thranduil, e viver a magia de Tolkien eu faria qualquer jornada, mesmo tendo que enfrentar trolls, wargs e orcs (não me interessa se algum deles fosse pálido), porque, ao final desta jornada eu já teria encontrado o meu baú de tesouro, a Terra-Média de Iluvatar.
    Merin anda lelya, Namárië! (Desejo uma longa jornada, Adeus!)

  32. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?

    Eu me arriscaria em uma jornada emocionante, igual a do Bilbo, para ganhar um dos quatro DVDs de O Hobbit – Uma Jornada Inesperada, nesse sorteio.

  33. Inyë tyë-suilantëa, (Eu o saúdo,) e para poder contemplar a Montanha Solitária, os salões do rei Thranduil, e viver a magia de Tolkien eu faria qualquer jornada, mesmo tendo que enfrentar trolls, wargs e orcs (não me interessa se aum deles fosse o orc pálido), porque, ao final desta jornada eu já teria encontrado o meu baú de tesouro, a Terra-Média de Iluvatar.
    Merin anda lelya, Namárië! (Desejo uma longa jornada, Adeus!)

  34. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?
    Resposta: Talvez a própria emoção da jornada “emocionante”. Talvez a busca por glória, honra e renome nos grandes feitos. Talvez o desejo por encontrar riquezas e poder. Talvez o desejo por vingança. Talvez a busca por um sonho antigo. Talvez a paixão por algum tesouro, ou pessoa, ou lugar específicos; ou simplesmente paixão pelo desconhecido. Não, acho que nada disso me faria superar o medo dos perigos e a preguiça de deixar o lar. Talvez a única coisa que me fizesse me arriscar em uma jornada emocionante seria a possibilidade de ajudar outros seres vivos, meus semelhantes, de qualquer raça ou nação, quendi, atani ou naugrim, hobbit ou ent, águia ou troca-peles, que precisasse de auxílio. Mesmo que estivesse além das minhas forças, eu iria nessa jornada e me sacrificaria. Acho que foi exatamente isso que Bilbo fez. Ele não achava que seria de alguma utilidade, mas se prontificou a ajudar aqueles que precisavam de ajuda. E acabou sendo a peça principal do tabuleiro. Essa é a força do amor. Isso é amor. E amor é a única coisa que me faria superar o medo do desconhecido e me arriscar em uma jornada emocionante.

  35. Só ir a Terra-Média e de volta outra vez valeria a pena me arriscar em uma jornada emocionante.

  36. o que faria me levar a uma jornada inesperada seria em busca de toda minha coleção de o senhor dos aneis e hobbit se ela fosse roubada eu iria atras dos meus preciosos livros,filme e porters ate o fim do mundo!

  37. Eu me arriscaria numa jornada inesperada para fazer com que as pessoas do mundo entendessem o grande ensinamento de Tolkien em toda a sua obra, e no filme d’O Hobbit expresso pelas palavras de Gandalf: “São as pequenas coisas que mantém o mal afastado. Pequenas ações diárias de amor e bondade, realizadas por pessoas comuns…”
    E então o mundo seria um mundo melhor…

  38. O que me levaria a sair em uma grande jornada inesperada seria a certeza de que, quando retorná-se, eu não seria mais o mesmo. Tampouco minha casa e meu ambiente familiar seria o mesmo, pois apenas saindo do lar aprendemos a vê-lo de uma outra perspectiva. Apenas saindo aprendemos a valorizar o que possúimos, e então encontrar nosso lugar no mundo. Bem como Bilbo refeltiu: “Sou apenas uma criaturinha pequena nesse mundo gigante…ainda bem”.

  39. Um punhado de de ouro e a chance de enfrentar um dragão já são um bom propósito, mas acho que isso seria perigoso, então eu arriscaria qualquer coisa para ir a uma jornada dessas, amo o perigo.

  40. O que me faria partir numa aventura?
    Bem, um aventureiro sempre existe no interior de cada pessoa, até mesmo de um hobbit do condado, que são raça menos propícia a se aventurar, mas como o próprio Gandalf disse ”O mundo não está em seus livros e mapas; está lá fora”.
    Eu partiria em uma aventura que me levasse não apenas a riqueza e glória, eu gostaria de ver lugares que poucas pessoas viram, andar em longas planícies, subir montanhas, atravessar vaus, sentir o vento gelado de manhã no rosto, fazer uma fogueira para se aquecer e cozinhar um belo desjejum, e sem duvida a melhor de todas, ter várias hitórias para contar a seus filhos e netos.
    Pois, novamente como disse Gandalf ”Descobri que são as pequenas coisas, as tarefas diarias de pessoas comuns, que mantem o mal afastado, simples acões de bondade e amor”.
    Para mim, presciso apenas disto e de nenhuma outra prova para me aventurar em uma jornada seja ela inesparada ou não.

  41. O que me faria arriscar em uma aventura?
    Bem, como o próprio Gandalf disse ”O mundo não está em seus livros e mapas; está lá fora”.
    Eu sairia em uma aventura não por riqueza ou glória, e iria se, eu passasse por lugares que poucas pessoas passaram ou conheceram, gostaria de andar pelas planícies, subir montanhas e montes, atravessar vaus, sentir o vento gelado da manhã no rosto, acender uma fogueira para se aquecer e cozinhar um belo jantar, mas principalmente ter uma grande história para contar aos filhos e netos.
    E novamente como Gandalf disse: ”Descobri que são as pequenas coisas, as tarefas diárias de pessoas comuns, que mantém o mal afastado, simples ações de bondade e amor”.
    Eu só presciso disso para me aventurar, seja ela uma jornada inesperada ou não.

  42. O que me faria partir numa aventura?
    Bem, um aventureiro sempre existe no interior de cada pessoa, até mesmo de um hobbit do condado, que são uma raça menos propícia a se aventurar, mas como o próprio Gandalf disse ”O mundo não está em seus livros e mapas; está lá fora”.
    Eu partiria em uma aventura que me levasse não apenas a riqueza e glória, eu gostaria de ver lugares que poucas pessoas viram, andar em longas planícies, subir montanhas, atravessar vaus, sentir o vento gelado de manhã no rosto, fazer uma fogueira para se aquecer e cozinhar um belo jantar, e sem duvida a melhor de todas, ter várias histórias para contar a seus filhos e netos.
    Pois, novamente como disse Gandalf ”Descobri que são as pequenas coisas, as tarefas diárias de pessoas comuns, que mantem o mal afastado, simples ações de bondade e amor”.
    Para mim, preciso apenas disto e de nenhuma outra prova para me aventurar em uma jornada seja ela inesperada ou não.

  43. Eu me arriscaria numa aventura emocionante para o que quer que fosse me fazer genuinamente feliz, incluindo a jornada.

  44. o que faria eu me arriscar a partir numa jornada seria a possibilidade trazer meu avo de volta a vida, ele adorava historias de fantasia e lagrimas veio aos meus olhos quando eu assisti o filme e pensei que ele não teve a oportunidade de assistir um clássico desses.. o mesmo aconteceu quando assisti o senhor dos anéis….

  45. Inyë tyë-suilantëa, (Eu o saúdo,) eu pensei em um dia sair em uma jornada para ir até Valfenda, conhecer os suntuosos salões de Erebor, ver Lothlórien e contemplar a beleza de Galadriel e a magnitude dos primogênitos de Ilúvatar, contemplar as grandes florestas de Fangorn e a Floresta Verde. Mas então eu percebi que era um sonho quase impossível, a menos que eu usasse minha imaginação mais uma vez para contemplar o esplendor de Valinor e da Terra-Média através dos escritos de J.R.R. Tolkien. E é assim até hoje, mas eu daria qualquer coisa para poder ouvir umas batidas na porta, e depois de ver e reconhecer uma conhecida cabeleira branca, poder ouvir “Estou procurando alguém para participar de uma aventura”. Isto sim, mesmo depois de eu ter imaginando, seria completamente inesperado, mas eu iria mergulhar nesta jornada de cabeça, para estar na antiga Terra-Média, para conhecer o maravilhoso mundo de Tolkien. Merin anda lelya (Espero que seja uma longa jornada)
    Nai anar caluva tielyanna, Namárië! (Que o Sol brilhe sobre seu caminho, Adeus!)

  46. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?

    Na verdade a resposta é fácil. Se tivesse alguma coisa que eu quisesse verdadeiramente, eu iria em qualquer aventura para conseguir, se eu desejasse algo de todo o coração, isso faria eu ir até os lugares mais distantes, não importante se seria difícil, demorado ou mesmo impossível, eu iria atrás e me arriscaria a qualquer aventura para conseguir. Pois nós temos que brigar pelo que queremos, não desistir antes de tentar. Porque só o que me trás felicidade e realização, são minhas conquistas, tudo que eu me esforcei e consegui na minha vida.

  47. O que me faria partir em uma jornada inesperada?

    Um grande tesouro não me seria tão atraente. Mas se existe uma coisa que me expulsaria de casa em direção à estrada seria o desejo pela descoberta, a busca por meu novo alguém, a certeza de me surpreender com o que ainda há de belo no mundo. Eu enfrentaria neve e fogo, “trevas, frio e meia luz”, salões escuros e rocha fria, eu enfrentaria uma jornada inesperada se pudesse provar que ainda há beleza e boa vontade no coração dos homens – assim como nas esperanças de nosso Mestre Tolkien.

  48. A CORAGEM de lutar por aqueles que não podem se defender, a HONRA de agir em favor da verdade e da justiça, o AMOR por aqueles que nos são ternos, e a FORÇA para derrotar tudo aquilo que é maléfico e que tenta destruir as maravilhas deste mundo que amamos, pois não temo a morte ! O que temo é a doença chamada PREGUIÇA ! HOJE EU LUTO !!!!!

  49. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?

    Simplesmente pelo prazer de poder viajar pelo mundo da Terra Media e viver uma aventura, no lugar que eu tanto venero e admiro a tantos anos da minha vida!!

  50. O que faria você se arriscar em uma jornada emocionante?

    Se meu amigo pegasse meu livro do Senhor dos Anéis emprestado e mudasse do Brasil, fosse para outro país, e não me dissesse para onde foi.

  51. Eu iria numa jornada emocionante para sentir a adrenalina do desconhecido, ter a oportunidade de conhecer os meus limites e a minha coragem, explorar o mundo, afinal, “ele está lá fora”.

  52. O que me faria partir em uma jornada inesperada?

    Provar para a pessoa de que se gosta o quanto se está disposto a arriscar, independentemente da situação.

  53. O que me faria partir em uma jornada inesperada?

    Provar para a pessoa de que se gosta o quanto se está disposto a arriscar, independentemente das circunstâncias..

  54. O que me faria partir em uma jornada inesperada?

    A sede por aventura, a ânsia pelo desconhecido, a necessidade de se conhecer outros povos/culturas, o desejo por glória e a honra por ser o agraciado a se juntar à comitiva, esses pequenos motivos, embora simplórios, me fariam deixar o conforto da minha Toca e partir numa jornada inesperada!

  55. Um ideal, um sentimento de honra que separa o bem do mal e que não nos dá alternativa além de seguir em uma jornada inesperada.

  56. Inventaria uma máquina do tempo para conseguir bater um papo com o professor, além de conseguir um autógrafo seu e, de quebra, assistir à uma fantástica aula!
    É claro que um pouco de coragem, uma boa dose de sorte e um anel mágico facilitariam bastante a jornada!

  57. Oque me faria partir em uma jornada inesperada?

    Eu sempre me imagino estar em uma aventura , na floresta das trevas , valfenda , enfrentando orcs ,trolls oque viesse eu enfrentaria ,junto com a compania de Thorin escudo -de -carvalho , Gandalf e o meu querido Bilbo Bolseiro , eu gostaria de poder sentir a adrenalina de estar passando dos limites da minha terra e sentindo o prazer de ver o mundo a fora e poder enfrenta -lo , oque eu não daria para enquanto estou sentanda em um banco no jardim de minha casa soprando anéis de fumaça , poder ouvir a voz de Gandalf falando “Eloisa , estou procurando alguem para participar de uma aventura ” .Mas enquanto isso não acontece ,eu vejo os maravilhosos campos do condado , as florestas sombrias e as mais altas montanhas pelo filme O Hobbit ,imaginando quando eu estarei , junto há eles em busca de retomar Erebor .