O Hobbit: Eric Vespe e o hobbit Fredegar Chubb

 

Eric “Quint” Vespe, do  Ain’t It Cool News, postou mais um de seus artigos relatando sua experiência como um figurante hobbit nas filmagens na Vila dos Hobbits. Dessa vez, além de nos mostrar algumas belas fotografias (abaixo), relatou a sensação de passar pelo processo de caracterização, principalmente em relação aos grandes pés peludos de silicone, que devem ser colados aos pés dos atores e figurantes quando estes estão em pé. É um processo dolorido e demorado.

 “Eu tenho um profundo respeito por aqueles que passam por este processo e todos os dias, seja Elijah Wood, Sean Astin, Billy Boyd e Dominic Monaghan, em O Senhor dos Anéis, ou Martin Freeman aqui. Com os anões é cem vezes pior, também. Barbas gigantescas, nariz, mãos prostéticas, trajes pesados. Eu não os invejo”, disse.

Atenção, assim como o relato anterior, este também contém alguns spoilers!

   

 

Eric Vespe também contou um pouco sobre o que ele teve que fazer em uma cena com Martin Freeman, revelando, assim, um pouco do que veremos no primeiro filme, O Hobbit: Uma Jornada Inesperada. Segue alguns trechos do relato de Vespe :

 

“Como você se sente em relação a peixes?”, Perguntou ele [Jackson]. Eu não como e não gosto de frutos do mar, mas eu não tenho medo de lidar com eles… “Bom. Você vai vender um peixe para Bilbo”, disse ele e eu fui para a barraca de peixe. Um figurante mais velho já estava ali colocado e foi levado para outra parte da cena; colocaram-me atrás do balcão que estava ladeado por cestos com grandes peixes falsos de aparência realista e enguias.

Olhei para cima e vi o Technocrane apontado diretamente para mim. Alguns sentimentos apareceram: nervosismo, excitação e culpa. Eu me senti muito mal pelo pobre rapaz que foi retirado deste local. Ele deve ter pensado que ia ser o seu grande momento. Eu já fiz algum trabalho como figurante antes, quando era um adolescente, e sei qual é a emoção quando você acha que vai aparecer em cena, e sei também como é a decepção quando percebe que não vai.

Então, eu senti pena desse cara, mas essa sensação foi rapidamente superada pela percepção de que eu estava à frente e no centro dessa cena e que eu não sabia o que diabos eu ia fazer.

Peter estava bloqueando a cena com Martin Freeman, que começa com Bilbo comprando um peixe e olhando em volta nervosamente. Nesse ponto, ele já foi abordado por Gandalf para a sua grande aventura e espera que o mago o informe sobre isso um pouco mais, eu acho. Depois de comprar o peixe de mim, ele esbarra em outro hobbit chamado Worrywort, que empurra um carrinho de mão com legumes e Bilbo pergunta se ele viu o mago andando por aí.

Mais algumas barracas e Bilbo vê o que parece ser o chapéu cinzento e pontudo de Gandalf e ele tenta se esconder, geralmente atrás de outros hobbits, incluindo um Worrywort confuso e um casal hobbit alheio aos acontecimentos, em um passeio romântico através do mercado.

Esse casal acabou sendo meus amigos Aaron e Kaela Morgan, que se juntaram a mim em muitas aventuras na Nova Zelândia no passado, e não estavam dispostos a deixar passar a chance. Estavam quase irritantemente bonitinhos aqui, roubando beijos enquanto compravam, sem saber que escondiam um Bolseiro.

Foi igualmente interessante notar que alguns Sacola-Bolseiros, Otho e Lobélia, estavam nesta cena. Lobélia torce o nariz para o comportamento errático de Bilbo enquanto ele se esconde atrás Worrywort. Sua roupa é escandalosamente pomposa, com o chapéu mais ridículo que eu já vi. A atriz, cujo nome não me vem neste momento, parece certa para a personagem. Fãs dos filmes originais podem se lembrar que Elizabeth Moody  fez o mesmo papel na Versão Estendida.

 

[...]

Durante a pausa Peter me apresentou a Martin Freeman. Eu já estava no set há algumas semanas neste ponto, mas não tinha me encontrado com ele até aquele momento.  Sou um fã de longa data de The Office e um admirador recente de Sherlock [ambas séries de tv protagonizadas por Freeman], e foi um prazer descobrir que ele é bastante acessível e um cara divertido.

Freeman perguntou a Jackson se meu personagem tinha um nome. Eu não sabia, é claro, mas Peter mencionou um site que transforma seu nome real em um nome Hobbit. Em 30 segundos, Sebastian Meek, assistente de Peter, impressionantemente engraçado e absurdamente alto, trouxe o nome em seu iPhone. Esse maldito site disse que o nome Hobbit para Eric Vespe era Fredegar Chubb, um nome bastante infeliz, devo dizer.

Mas já era tarde demais. Jackson e Freeman ouviram e tornaram esse o meu nome oficial. Acredito que Freeman perguntou por um nome, em primeiro lugar, para que ele pudesse ter algo a acrescentar à sua fala, como ele estava escolhendo os peixes, referindo-se a este peixeiro corpulento como se o visse semanalmente.

Assim, depois de cada tomada, era um tal de “vejo você na próxima sexta, Mr. Chubb”, ou “vou levar esse, Freddy”. Mas era principalmente “Mr. Chubb”.

Enfim, a ampla tomada começou sobre nós e girou em volta para mostrar o grande mercado e todo o negócio movimentado de um dia de compras, com Martin passando para a ação.

Alguns peixes (mortos) reais foram trazidos e Martin apontou para um, geralmente com um “hmmm … um, por favor, Mr. Chubb”. Eu peguei o escolhido com um sorriso e o coloquei sobre um pedaço de papel, enrolei uma vez, depois o envolvi com uma segunda camada antes de entregá-lo a ele. Enquanto eu estava ocupado envolvendo o peixe, Freeman olhava em volta nervosamente.

[...]

As melhores recordações que terei do meu grande dia serão sempre daqueles 45 segundos antes de cada tomada, pois era apenas Freeman e eu fazendo piadas. Jackson queria que todos parecessem alegres. Hobbits são pessoas alegres, afinal de contas. Ele ficava no alto-falante nos dizendo para nos movimentarmos, ficarmos soltos e felizes. “Sorriam uns com os outros! Fofoquem e riam!”

 

Em seguida Vespe conta que o diretor Peter Jackson achou melhor dar-lhe uma pequena fala para tornar a cena mais verossímil. Continua Eric Vespe:

“Talvez devêssemos  lhe dar uma linha”, disse Jackson.

“Oh, Cristo! Nós já lhe demos um nome, agora você está recebendo uma linha?? O que mais você quer?”, Gritou Martin Freeman numa indignação fingida. Eu respondi que se ele não tomasse cuidado Mr. Chubb assumiria a franquia.

“Até quando você estará aqui?”, perguntou Martin.

“Até dezembro”, eu respondi.

“Ah. Você será Bilbo até 18 de novembro”, Freeman admitiu.

Foi decidido que eu iria dizer um simples “senhor”, quando eu entregasse o peixe. Eu não sou de modo algum um ator e de repente agora eu tinha de dizer alguma coisa diante das câmeras. E eu tinha que dizer isso como um Hobbit, o que significa que eu tive que colocar um sotaque na palavra.

[...]

A parte mais importante era manter-me jovial. Eles queriam ver um brilho nos meus olhos e um sorriso no meu rosto. Hobbits alegres e felizes, lembra?

[...]

Eu estava tão orgulhoso de mim mesmo. Minhas mãos estavam nojentas, respingos de tripas de peixe gorduroso estavam presos em alguns lugares, minhas unhas estavam sujas, e eu até tinha algumas escamas de peixe estrategicamente colocadas para dar um pouco de textura. Feliz da vida, passei por todos os ensaios com estas mãos.

[...]

Não demorou muito para minha pequena parte nesta aventura ser concluída. Por esta altura, no meu pé hobbit senti que havia uma fina camada d’água, quando eu voltava para o ônibus, o suor do dia todo estava reunido lá em baixo… Ver Mr. Chubb desaparecer peça por peça no final do dia foi um pouco triste, mas como é doce o alívio de poder tirar a peruca que dá coceira, os pés moles, as orelhas prostéticas (que abafam o som durante todo o dia) e voltar para o meu confortável traje à paisana.

Você pode ler o artigo completo de Eric Vespe (em inglês) no link:  Ain’t It Cool News – An Unexpected Journey: Quint on the set of The Hobbit! Part 2 – They Call Me Mr. Chubb

Comentários

  1. Corrigindo, pessoal, são algumas fotos de Martin Freeman como Bilbo e Gandalf,
    a chamada estava errada da notícia estava errada!

  2. Não, Adão depois da overdose com o 4 video blog, prepara-se para a crise de abstinência dos próximos meses! :0)